A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE PROPAGANDA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE PROPAGANDA."— Transcrição da apresentação:

1 CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE PROPAGANDA

2 MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO
OS DEZ MAIORES MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO PAIS US$ BILHOES % FONTE: Ad Age, Zenith Optmedia, The Economists

3 MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO
OS DEZ MAIORES MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO PAIS US$ BILHOES % E U A 135,7 53,8 FONTE: Ad Age, Zenith Optmedia, The Economists

4 MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO
OS DEZ MAIORES MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO PAIS US$ BILHOES % E U A 135,7 53,8 JAPAO 45,5 18,0 FONTE: Ad Age, Zenith Optmedia, The Economists

5 MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO
OS DEZ MAIORES MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO PAIS US$ BILHOES % E U A 135,7 53,8 JAPAO 45,5 18,0 ALEMANHA 17,2 6,8 REINO UNIDO 15,6 6,0 FRANCA 9,0 3,6 FONTE: Ad Age, Zenith Optmedia, The Economists

6 MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO
OS DEZ MAIORES MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO PAIS US$ BILHOES % E U A 135,7 53,8 JAPAO 45,5 18,0 ALEMANHA 17,2 6,8 REINO UNIDO 15,6 6,0 FRANCA 9,0 3,6 ITALIA 7,2 2,9 BRASIL 6,4 2,5 FONTE: Ad Age, Zenith Optmedia, The Economists

7 MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO
OS DEZ MAIORES MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO PAIS US$ BILHOES % E U A 135,7 53,8 JAPAO 45,5 18,0 ALEMANHA 17,2 6,8 REINO UNIDO 15,6 6,0 FRANCA 9,0 3,6 ITALIA 7,2 2,9 BRASIL 6,4 2,5 COREIA DO SUL 5,9 2,3 CANADA 5,3 2,1 CHINA 5,0 2,0 FONTE: Ad Age, Zenith Optmedia, The Economists

8 MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO
OS DEZ MAIORES MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO PAIS US$ BILHOES % E U A 135,7 53,8 JAPAO 45,5 18,0 ALEMANHA 17,2 6,8 REINO UNIDO 15,6 6,0 FRANCA 9,0 3,6 ITALIA 7,2 2,9 BRASIL 6,4 2,5 COREIA DO SUL 5,9 2,3 CANADA 5,3 2,1 CHINA 5,0 2,0 TOTAL 252,4 100% FONTE: Ad Age, Zenith Optmedia, The Economists

9 MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO
OS DEZ MAIORES MERCADOS PUBLICITARIOS DO MUNDO 2001

10 RANKING FATURAMENTO AGENCIAS BRASILEIRAS 2001

11 RANKING FATURAMENTO AGENCIAS BRASILEIRAS 2001

12 RANKING FATURAMENTO AGENCIAS BRASILEIRAS 2001

13 RANKING FATURAMENTO AGENCIAS BRASILEIRAS 2001

14 RANKING FATURAMENTO AGENCIAS BRASILEIRAS 2001

15 CONCEITOS FUNDAMENTAIS COMUNICAÇÃO MARKETING PROPAGANDA

16 INSTÂNCIAS DA COMUNICAÇÃO
EXPRESSÃO INFORMAÇÃO Assim exposto, é lícito concluir que a comunicação apresenta-se sob 3 (três) enfoques distintos, a saber: 1) Como atividade de expressão, a comunicação apresenta-se na forma das artes. A arte do indivíduo para o próprio indivíduo, com nítido propósito de auto-expressão, variando até a arte comercial, passando pelas Assim, mesmo neste contexto, é interessante lembrar-mos que a concepção de artista, tal qual nos é apresentado hoje (um ser especial que se nutre de inspiração, etc), é bastante rescente, datando de fins de 1870/80 com o advindo do romantismo. Basta analisarmos as obras de Bach, Mozart, Haydn e outros (artezãos). Somente a partir de Beethoven observamos um comportamento especial para com os, agora, artistas. PERSUASÃO

17 INSTÂNCIAS DA COMUNICAÇÃO
PURAS EXPRESSÃO ARTES APLICADAS COMERCIAIS INFORMAÇÃO Assim exposto, é lícito concluir que a comunicação apresenta-se sob 3 (três) enfoques distintos, a saber: 1) Como atividade de expressão, a comunicação apresenta-se na forma das artes. A arte do indivíduo para o próprio indivíduo, com nítido propósito de auto-expressão, variando até a arte comercial, passando pelas artes aplicadas; Assim, mesmo neste contexto, é interessante lembrar-mos que a concepção de artista, tal qual nos é apresentado hoje (um ser especial que se nutre de inspiração, etc), é bastante rescente, datando de fins de 1870/80 com o advindo do romantismo. Basta analisarmos as obras de Bach, Mozart, Haydn e outros (artezãos). Somente a partir de Beethoven observamos um comportamento especial para com os, agora, artistas. PERSUASÃO

18 INSTÂNCIAS DA COMUNICAÇÃO
PURAS EXPRESSÃO ARTES APLICADAS COMERCIAIS ADMINISTRAÇÃO INFORMAÇÃO EDUCAÇÃO Assim exposto, é lícito concluir que a comunicação apresenta-se sob 3 (três) enfoques distintos, a saber: 1) Como atividade de expressão, a comunicação apresenta-se na forma das artes. A arte do indivíduo para o próprio indivíduo, com nítido propósito de auto-expressão, variando até a arte comercial, passando pelas artes aplicadas; Assim, mesmo neste contexto, é interessante lembrar-mos que a concepção de artista, tal qual nos é apresentado hoje (um ser especial que se nutre de inspiração, etc), é bastante rescente, datando de fins de 1870/80 com o advindo do romantismo. Basta analisarmos as obras de Bach, Mozart, Haydn e outros (artezãos). Somente a partir de Beethoven observamos um comportamento especial para com os, agora, artistas. JORNALISMO PERSUASÃO

19 INSTÂNCIAS DA COMUNICAÇÃO
PURAS EXPRESSÃO ARTES APLICADAS COMERCIAIS ADMINISTRAÇÃO INFORMAÇÃO EDUCAÇÃO Assim exposto, é lícito concluir que a comunicação apresenta-se sob 3 (três) enfoques distintos, a saber: 1) Como atividade de expressão, a comunicação apresenta-se na forma das artes. A arte do indivíduo para o próprio indivíduo, com nítido propósito de auto-expressão, variando até a arte comercial, passando pelas artes aplicadas; Assim, mesmo neste contexto, é interessante lembrar-mos que a concepção de artista, tal qual nos é apresentado hoje (um ser especial que se nutre de inspiração, etc), é bastante rescente, datando de fins de 1870/80 com o advindo do romantismo. Basta analisarmos as obras de Bach, Mozart, Haydn e outros (artezãos). Somente a partir de Beethoven observamos um comportamento especial para com os, agora, artistas. JORNALISMO PERSUASÃO CATEQUESE PROPAGANDA

20 INSTÂNCIAS DA COMUNICAÇÃO
PURAS EXPRESSÃO ARTES APLICADAS COMERCIAIS ADMINISTRAÇÃO INFORMAÇÃO EDUCAÇÃO Assim exposto, é lícito concluir que a comunicação apresenta-se sob 3 (três) enfoques distintos, a saber: 1) Como atividade de expressão, a comunicação apresenta-se na forma das artes. A arte do indivíduo para o próprio indivíduo, com nítido propósito de auto-expressão, variando até a arte comercial, passando pelas artes aplicadas; Assim, mesmo neste contexto, é interessante lembrar-mos que a concepção de artista, tal qual nos é apresentado hoje (um ser especial que se nutre de inspiração, etc), é bastante rescente, datando de fins de 1870/80 com o advindo do romantismo. Basta analisarmos as obras de Bach, Mozart, Haydn e outros (artezãos). Somente a partir de Beethoven observamos um comportamento especial para com os, agora, artistas. JORNALISMO RELAÇÕES PÚBLICAS PERSUASÃO CATEQUESE PROPAGANDA

21 INSTÂNCIAS DA COMUNICAÇÃO
Eu PURAS EXPRESSÃO ARTES APLICADAS COMERCIAIS ADMINISTRAÇÃO INFORMAÇÃO EDUCAÇÃO Assim exposto, é lícito concluir que a comunicação apresenta-se sob 3 (três) enfoques distintos, a saber: 1) Como atividade de expressão, a comunicação apresenta-se na forma das artes. A arte do indivíduo para o próprio indivíduo, com nítido propósito de auto-expressão, variando até a arte comercial, passando pelas artes aplicadas; Assim, mesmo neste contexto, é interessante lembrar-mos que a concepção de artista, tal qual nos é apresentado hoje (um ser especial que se nutre de inspiração, etc), é bastante rescente, datando de fins de 1870/80 com o advindo do romantismo. Basta analisarmos as obras de Bach, Mozart, Haydn e outros (artezãos). Somente a partir de Beethoven observamos um comportamento especial para com os, agora, artistas. JORNALISMO RELAÇÕES PÚBLICAS PERSUASÃO CATEQUESE Outro PROPAGANDA

22 INSTÂNCIAS DA COMUNICAÇÃO
Eu PURAS EXPRESSÃO ARTES APLICADAS COMERCIAIS ADMINISTRAÇÃO INFORMAÇÃO EDUCAÇÃO Assim exposto, é lícito concluir que a comunicação apresenta-se sob 3 (três) enfoques distintos, a saber: 1) Como atividade de expressão, a comunicação apresenta-se na forma das artes. A arte do indivíduo para o próprio indivíduo, com nítido propósito de auto-expressão, variando até a arte comercial, passando pelas artes aplicadas; Assim, mesmo neste contexto, é interessante lembrar-mos que a concepção de artista, tal qual nos é apresentado hoje (um ser especial que se nutre de inspiração, etc), é bastante rescente, datando de fins de 1870/80 com o advindo do romantismo. Basta analisarmos as obras de Bach, Mozart, Haydn e outros (artezãos). Somente a partir de Beethoven observamos um comportamento especial para com os, agora, artistas. JORNALISMO RELAÇÕES PÚBLICAS PERSUASÃO CATEQUESE Outro PROPAGANDA

23 INSTÂNCIAS DA COMUNICAÇÃO
Eu PURAS EXPRESSÃO ARTES APLICADAS COMERCIAIS ADMINISTRAÇÃO INFORMAÇÃO EDUCAÇÃO Assim exposto, é lícito concluir que a comunicação apresenta-se sob 3 (três) enfoques distintos, a saber: 1) Como atividade de expressão, a comunicação apresenta-se na forma das artes. A arte do indivíduo para o próprio indivíduo, com nítido propósito de auto-expressão, variando até a arte comercial, passando pelas artes aplicadas; Assim, mesmo neste contexto, é interessante lembrar-mos que a concepção de artista, tal qual nos é apresentado hoje (um ser especial que se nutre de inspiração, etc), é bastante rescente, datando de fins de 1870/80 com o advindo do romantismo. Basta analisarmos as obras de Bach, Mozart, Haydn e outros (artezãos). Somente a partir de Beethoven observamos um comportamento especial para com os, agora, artistas. JORNALISMO RELAÇÕES PÚBLICAS PERSUASÃO CATEQUESE Outro PROPAGANDA

24 COMUNICAÇÃO SOCIAL Emissão Autocentrada EXPRESSIVA
ATIVIDADE DE CULTURA Emissão Autocentrada EXPRESSIVA Desde as antigas antigas descrições sobre retórica, dialética e argumentação, que nos vieram sobretudo de Platão, Asristóteles, os estóicos, Cícero e Quintiliano, até os atuais modelos de representação do processo comunicativo permanece básicamente o clássico esquema tricotômico da comunicação apresentado por Aristóteles: 1) a pessoa que fala; 2) o discurso que pronuncia; 3) a pessoa que escuta. A comunicação pode ser analisada sob duas diferentes perspectivas: >> Como atividade de cultura; >> Como função de produção. Na primeira perspectiva entende-se a comunicação como atividade concentrada na emissão e no emissor (autocentrada). Portanto, centrada no “eu”, como atividade expressiva.

25 EU COMUNICAÇÃO SOCIAL Emissão Autocentrada EXPRESSIVA
ATIVIDADE DE CULTURA Emissão Autocentrada EXPRESSIVA Desde as antigas antigas descrições sobre retórica, dialética e argumentação, que nos vieram sobretudo de Platão, Asristóteles, os estóicos, Cícero e Quintiliano, até os atuais modelos de representação do processo comunicativo permanece básicamente o clássico esquema tricotômico da comunicação apresentado por Aristóteles: 1) a pessoa que fala; 2) o discurso que pronuncia; 3) a pessoa que escuta. A comunicação pode ser analisada sob duas diferentes perspectivas: >> Como atividade de cultura; >> Como função de produção. Na primeira perspectiva entende-se a comunicação como atividade concentrada na emissão e no emissor (autocentrada). Portanto, centrada no “eu”, como atividade expressiva. EU

26 EU COMUNICAÇÃO SOCIAL Emissão Recepção Autocentrada Alterorientada
ATIVIDADE DE CULTURA FUNÇÃO DE PRODUÇÃO Emissão Recepção Autocentrada Alterorientada EXPRESSIVA PERSUASIVA Desde as antigas antigas descrições sobre retórica, dialética e argumentação, que nos vieram sobretudo de Platão, Asristóteles, os estóicos, Cícero e Quintiliano, até os atuais modelos de representação do processo comunicativo permanece básicamente o clássico esquema tricotômico da comunicação apresentado por Aristóteles: 1) a pessoa que fala; 2) o discurso que pronuncia; 3) a pessoa que escuta. A comunicação pode ser analisada sob duas diferentes perspectivas: >> Como atividade de cultura; >> Como função de produção. Na primeira perspectiva entende-se a comunicação como atividade concentrada na emissão e no emissor (autocentrada). Portanto, centrada no “eu”, como atividade expressiva. EU

27 EU OUTRO COMUNICAÇÃO SOCIAL Emissão Recepção Autocentrada
ATIVIDADE DE CULTURA FUNÇÃO DE PRODUÇÃO Emissão Recepção Autocentrada Alterorientada EXPRESSIVA PERSUASIVA Desde as antigas antigas descrições sobre retórica, dialética e argumentação, que nos vieram sobretudo de Platão, Asristóteles, os estóicos, Cícero e Quintiliano, até os atuais modelos de representação do processo comunicativo permanece básicamente o clássico esquema tricotômico da comunicação apresentado por Aristóteles: 1) a pessoa que fala; 2) o discurso que pronuncia; 3) a pessoa que escuta. A comunicação pode ser analisada sob duas diferentes perspectivas: >> Como atividade de cultura; >> Como função de produção. Na primeira perspectiva entende-se a comunicação como atividade concentrada na emissão e no emissor (autocentrada). Portanto, centrada no “eu”, como atividade expressiva. EU OUTRO

28 MARKETING Produtos Serviços Mercadorias Produtor Consumidor

29 MARKETING Produtor Consumidor Conjunto de operações negociais
Produtos Serviços Mercadorias Produtor Consumidor Conjunto de operações negociais que servem para encaminhar produtos, serviços e mercadorias dos produtores aos consumidores ... (A.M.A.)

30 PRODUCT PRICE PLACE PROMOTION COMPOSTO DE MARKETING MARKETING MIX

31 PROMOTION OU COMPOSTO DE COMUNICAÇÃO SALES P. R. PROMOTINS PUBLICITY
DIVULGAÇÃO PROPAGANDA PROMOTION OU COMPOSTO DE COMUNICAÇÃO COMMUNICATION MIX

32 FUNÇÃO FUNDAMENTAL DO PROMOTION
Q ALTA MÉDIA Curva da Procura BAIXA BAIXO MEDIANO ALTO $

33 FUNÇÃO FUNDAMENTAL DO PROMOTION
Q ALTA MÉDIA Curva da Procura PROMOTION BAIXA BAIXO MEDIANO ALTO $

34 FUNÇÃO FUNDAMENTAL DO PROMOTION
Q PROMOVER A PROCURA ALTA MÉDIA Curva da Procura PROMOTION BAIXA BAIXO MEDIANO ALTO $

35 MARKETING Produtos Serviços Mercadorias Produtor Consumidor

36 MARKETING Produtor Produto Consumidor

37 MARKETING Produtor Produto Consumidor

38 MARKETING Produtor Produto Consumidor PROPAGANDA

39 MARKETING Produtor Produto Consumidor PROPAGANDA

40 MARKETING Produtor Produto Consumidor PROPAGANDA REL. PÚBLICAS

41 MARKETING Produtor Produto Consumidor PROPAGANDA REL. PÚBLICAS

42 MARKETING

43 MARKETING COMUNICAÇÃO

44 MARKETING COMUNICAÇÃO PROPAGANDA

45 PROPAGANDA É PARTE DE UM TODO QUE SE CHAMA MARKETING Caio A. Domingues

46 Um sujeito muito famoso disse:
“Bendita seja a Propaganda que restaurou no homem moderno a magia do homem primitivo”.

47 Um sujeito muito famoso disse:
“Bendita seja a Propaganda que restaurou no homem moderno a magia do homem primitivo”. Mas nem todo mundo pensa o mesmo.

48 Um sujeito muito famoso disse:
“Bendita seja a Propaganda que restaurou no homem moderno a magia do homem primitivo”. Mas nem todo mundo pensa o mesmo. Esta profissão tornou-se tão importante que muita gente boa se preocupa com ela, contra ou a favor. E isso dá aos publicitários uma grande responsabilidade.

49 Um sujeito muito famoso disse:
“Bendita seja a Propaganda que restaurou no homem moderno a magia do homem primitivo”. Mas nem todo mundo pensa o mesmo. Esta profissão tornou-se tão importante que muita gente boa se preocupa com ela, contra ou a favor. E isso dá aos publicitários uma grande responsabilidade. Primeiro, devem corresponder a tudo que dizem de positivo sobre a propaganda. Depois, devem ir esclarecendo os que são contra, os que são honestamente contra.

50 Um sujeito muito famoso disse:
“Bendita seja a Propaganda que restaurou no homem moderno a magia do homem primitivo”. Mas nem todo mundo pensa o mesmo. Esta profissão tornou-se tão importante que muita gente boa se preocupa com ela, contra ou a favor. E isso dá aos publicitários uma grande responsabilidade. Primeiro, devem corresponder a tudo que dizem de positivo sobre a propaganda. Depois, devem ir esclarecendo os que são contra, os que são honestamente contra. Para fazer tudo isso, é preciso que o publicitário se orgulhe de ser publicitário. E há excelentes razões para esse orgulho. Olhe o caso do Brasil.

51 Em 1971, nosso produto nacional bruto cresceu
cerca de 10%.

52 Em 1971, nosso produto nacional bruto cresceu
cerca de 10%. Não há dúvida: a Propaganda contribui para o desenvolvimento, acelerando a economia, vendendo produtos e serviços, vendendo otimismo e confiança.

53 Em 1971, nosso produto nacional bruto cresceu
cerca de 10%. Não há dúvida: a Propaganda contribui para o desenvolvimento, acelerando a economia, vendendo produtos e serviços, vendendo otimismo e confiança. Viu quanta responsabilidade?

54 Em 1971, nosso produto nacional bruto cresceu
cerca de 10%. Não há dúvida: a Propaganda contribui para o desenvolvimento, acelerando a economia, vendendo produtos e serviços, vendendo otimismo e confiança. Viu quanta responsabilidade? Você está comprometido com o progresso do país. Não é uma honra?

55 Em 1971, nosso produto nacional bruto cresceu
cerca de 10%. Não há dúvida: a Propaganda contribui para o desenvolvimento, acelerando a economia, vendendo produtos e serviços, vendendo otimismo e confiança. Viu quanta responsabilidade? Você está comprometido com o progresso do país. Não é uma honra? Você tem que contribuir, tornando seus anúncios sempre mais eficientes - anúncios que reflitam o espírito de um povo cada vez mais confiante em seus destinos.

56 Em 1971, nosso produto nacional bruto cresceu
cerca de 10%. Não há dúvida: a Propaganda contribui para o desenvolvimento, acelerando a economia, vendendo produtos e serviços, vendendo otimismo e confiança. Viu quanta responsabilidade? Você está comprometido com o progresso do país. Não é uma honra? Você tem que contribuir, tornando seus anúncios sempre mais eficientes - anúncios que reflitam o espírito de um povo cada vez mais confiante em seus destinos. Cada anúncio tem que fazer muito para reforçar a confiança do público na Propaganda.

57 Cada anúncio deve propor um melhor padrão de vida, estimulando no homem uma contínua conquista de todas as comodidades e vantagens que estão à sua disposição.

58 Cada anúncio deve propor um melhor padrão de vida, estimulando no homem uma contínua conquista de todas as comodidades e vantagens que estão à sua disposição. Todo o anúncio tem um compromisso social e econômico.

59 Cada anúncio deve propor um melhor padrão de vida, estimulando no homem uma contínua conquista de todas as comodidades e vantagens que estão à sua disposição. Todo o anúncio tem um compromisso social e econômico. Fique consciente disso ao planejar, fazer, aprovar e veicular anúncios.

60 Cada anúncio deve propor um melhor padrão de vida, estimulando no homem uma contínua conquista de todas as comodidades e vantagens que estão à sua disposição. Todo o anúncio tem um compromisso social e econômico. Fique consciente disso ao planejar, fazer, aprovar e veicular anúncios. E pense nos Cr$ ,00 que as estimativas apontam como a aplicação total de verbas de propaganda, no Brasil, em 1971.

61 Cada anúncio deve propor um melhor padrão de vida, estimulando no homem uma contínua conquista de todas as comodidades e vantagens que estão à sua disposição. Todo o anúncio tem um compromisso social e econômico. Fique consciente disso ao planejar, fazer, aprovar e veicular anúncios. E pense nos Cr$ ,00 que as estimativas apontam como a aplicação total de verbas de propaganda, no Brasil, em 1971. Com este dinheirinho , a Propaganda brasileira vem dando o seu empurrão para tocar esse país. Com muito orgulho.

62 Esta é a profissão mais criticada, amada, odiada, respeitada,
desprezada e invejada do mundo moderno. Orgulhe-se de estar nela. Um sujeito muito famoso disse: “Bendita seja a Propaganda que restaurou no homem moderno a magia do homem primitivo”. Mas nem todo mundo pensa o mesmo. Esta profissão tornou-se tão importante que muita gente boa se preocupa com ela, contra ou a favor. E isso dá aos publicitários uma grande responsabilidade. Primeiro, devem corresponder a tudo que dizem de positivo sobre a propaganda. Depois, devem ir esclarecendo os que são contra, os que são honestamente contra. Para fazer tudo isso, é preciso que o publicitário se orgulhe de ser publicitário. E há excelentes razões para esse orgulho. Olhe o caso do Brasil. Em 1971, nosso produto nacional bruto cresceu cerca de 10%. Não há dúvida: a Propaganda contribui para o desenvolvimento, acelerando a economia, vendendo produtos e serviços, vendendo otimismo e confiança. Viu quanta responsabilidade? Você está comprometido com o progresso do país. Não é uma honra? Você tem que contribuir, tornando seus anúncios sempre mais eficientes - anúncios que reflitam o espírito de um povo cada vez mais confiante em seus destinos. Cada anúncio tem que fazer muito para reforçar a confiança do público na Propaganda. Cada anúncio deve propor um melhor padrão de vida, estimulando no homem uma contínua conquista de todas as comodidades e vantagens que estão à sua disposição. Todo o anúncio tem um compromisso social e econômico. Fique consciente disso ao planejar, fazer, aprovar e veicular anúncios. E pense nos Cr$ ,00 que as estimativas apontam como a aplicação total de verbas de propaganda, no Brasil, em 1971. Com este dinheirinho , a Propaganda brasileira vem dando o seu empurrão para tocar esse país. Com muito orgulho. Associação Brasileira de Propaganda. COLABORAÇÃO DO ANUÁRIO BRASILEIRO DE PROPAGANDA

63 PROPAGANDA PROPAGARE PROPAGANDA “Congregatio de PROPAGANDA FIDE”
Clemente VIII Gregório XV “Collegio Urbanun” Urbano VIII PROPAGANDA

64 PROPAGANDA PUBLICIDADE PROPAGARE PUBLICUS PROPAGANDA “Congregatio de
PROPAGANDA FIDE” Clemente VIII Gregório XV “Collegio Urbanun” Urbano VIII PUBLICITÉ 1694 Dicion. Acad. Francesa PROPAGANDA PUBLICIDADE

65 PROPAGANDA PROPAGAR PROPA- GANDISTA GADOR

66 PROPAGANDA PUBLICITÁRIO PUBLICIDADE PUBLICISMO PROPAGAR PUBLICAR
PUBLICISTA PROPAGANDA PROPAGAR PROPA- GANDISTA GADOR

67 PROPAGANDA PUBLICITÁRIO ANUNCIANTE PUBLICIDADE PUBLICISMO PUBLICAR
PUBLICISTA ANÚNCIO ANUNCIAR ANUNCIANTE ANUNCIADOR ANUNCISTA PROPAGANDA PROPAGAR PROPA- GANDISTA GADOR

68 - PROPAGANDA PUBLICITÁRIO ANUNCIANTE PUBLICIDADE PUBLICISMO PUBLICAR
PUBLICISTA ANÚNCIO ANUNCIAR ANUNCIANTE ANUNCIADOR ANUNCISTA RECLAME RECLAMO - RECLAMISTA PROPAGANDA PROPAGAR PROPA- GANDISTA GADOR

69 ADVERTISING U S A Paga Ident. N/ Pg Inident. PUBLICITY Imag. Instit.
PUBLIC RELATIONS Polit. Ideolog. PROPAGANDA

70 ADVERTISING U S A B R Paga Ident. PROPAGANDA N/ Pg Inident. PUBLICITY
PUBLICIDADE Imag. Instit. PUBLIC RELATIONS RELAÇÕES PÚBLICAS Polit. Ideolog.

71 Lei de art. 50.

72 Lei de art. 50. Compreende-se por PROPAGANDA

73 Lei de art. 50. Compreende-se por PROPAGANDA qualquer forma REMUNERADA de difusão de idéias, mercadorias ou serviços,

74 Lei de art. 50. Compreende-se por PROPAGANDA qualquer forma REMUNERADA de difusão de idéias, mercadorias ou serviços, por parte de um anunciante IDENTIFICADO.

75 Tipos de PROPAGANDA Segundo sua Natureza

76 Tipos de PROPAGANDA Segundo sua Natureza Ideológica Política

77 Tipos de PROPAGANDA Comercial Ideológica Política Segundo sua Natureza
(Bens e Serviços) Ideológica Política

78 Tipos de PROPAGANDA Comercial Ideológica Política Utilidade Pública
Segundo sua Natureza Comercial (Bens e Serviços) Ideológica Política Utilidade Pública

79 Tipos de PROPAGANDA Comercial Ideológica Política Utilidade Pública
Segundo sua Natureza Institucional Comercial (Bens e Serviços) Ideológica Política Utilidade Pública

80 Tipos de PROPAGANDA Comercial Ideológica Política Utilidade Pública
Segundo sua Natureza Comercial (Bens e Serviços) Ideológica Política Utilidade Pública Institucional

81 Tipos de PROPAGANDA Segundo o Ciclo de Vida do Produto Venda t

82 PROPAGANDA Tipos de Lançamento Segundo o Ciclo de Vida do Produto t
Venda Lançamento t

83 PROPAGANDA Tipos de Sustentação Lançamento
Segundo o Ciclo de Vida do Produto Venda Sustentação Lançamento t

84 PROPAGANDA Tipos de Manutenção Sustentação Lançamento
Segundo o Ciclo de Vida do Produto Manutenção Venda Sustentação Lançamento t

85 PROPAGANDA Tipos de Relançamento Manutenção Sustentação Lançamento
Segundo o Ciclo de Vida do Produto Relançamento Manutenção Venda Sustentação Lançamento t

86 TIPOS DE ANÚNCIOS CLASSIFICAÇÃO VENDA VAREJO BENS DE CONSUMO
IMOBILIÁRIO VENDA VAREJO BENS DE CONSUMO SERVIÇOS E INDUSTRIAIS CONCEITUAL (IDÉIAS) IMAGEM MARCA (PRODUTO) INSTITUCIONAL (ENTIDADE) INTERESSE & UTIL. PÚBLICA GOVERNAMENTAL INFOR LEGAL & FISCAL MAÇÃO COMERCIAL TIPOS DE ANÚNCIOS

87 TIPOS DE ANÚNCIOS CLASSIFICAÇÃO VENDA VAREJO BENS DE CONSUMO
IMOBILIÁRIO VENDA VAREJO BENS DE CONSUMO SERVIÇOS E INDUSTRIAIS CONCEITUAL (IDÉIAS) IMAGEM MARCA (PRODUTO) INSTITUCIONAL (ENTIDADE) INTERESSE & UTIL. PÚBLICA GOVERNAMENTAL INFOR LEGAL & FISCAL MAÇÃO COMERCIAL TIPOS DE ANÚNCIOS

88 TIPOS DE ANÚNCIOS CLASSIFICAÇÃO VENDA VAREJO BENS DE CONSUMO
IMOBILIÁRIO VENDA VAREJO BENS DE CONSUMO SERVIÇOS E INDUSTRIAIS CONCEITUAL (IDÉIAS) IMAGEM MARCA (PRODUTO) INSTITUCIONAL (ENTIDADE) INTERESSE & UTIL. PÚBLICA GOVERNAMENTAL INFOR LEGAL & FISCAL MAÇÃO COMERCIAL TIPOS DE ANÚNCIOS

89 TIPOS DE ANÚNCIOS CLASSIFICAÇÃO VENDA VAREJO BENS DE CONSUMO
IMOBILIÁRIO VENDA VAREJO BENS DE CONSUMO SERVIÇOS E INDUSTRIAIS CONCEITUAL (IDÉIAS) IMAGEM MARCA (PRODUTO) INSTITUCIONAL (ENTIDADE) INTERESSE & UTIL. PÚBLICA GOVERNAMENTAL INFOR LEGAL & FISCAL MAÇÃO COMERCIAL TIPOS DE ANÚNCIOS

90 O PROCESSO DO ANÚNCIO ANUNCIANTE PÚBLICO

91 O PROCESSO DO ANÚNCIO PROPAGANDA ANUNCIANTE PÚBLICO

92 O PROCESSO DO ANÚNCIO PROPAGANDA ANUNCIANTE PÚBLICO ANÚNCIO

93 O Produto da Propaganda é o Anúncio. ANÚNCIO PROPAGANDA

94 O PROCESSO DO ANÚNCIO PROPAGANDA ANUNCIANTE PÚBLICO ANÚNCIO

95 O PROCESSO DO ANÚNCIO EFEITO PROPAGANDA ANUNCIANTE PÚBLICO ANÚNCIO

96 PROPAGANDA O PROCESSO DO ANÚNCIO EFEITO ANÚNCIO Instrumento ANUNCIANTE
PÚBLICO ANÚNCIO Instrumento

97 PROPAGANDA O PROCESSO DO ANÚNCIO EFEITO ANÚNCIO Objetivo Instrumento
ANUNCIANTE PÚBLICO ANÚNCIO Instrumento

98 O Objetivo do Anúncio é o EFEITO. EFEITO ANÚNCIO

99 PROCESSO DO ANÚNCIO NECESSIDADES DESEJOS

100 Estudo das mudanças ou translações sofridas,
Pesquisa Semântica Estudo das mudanças ou translações sofridas, no tempo e no espaço, pela significação das palavras. NECESSIDADE DESEJO E DEMANDA Marcelo Serpa. M. Sc.

101 Pesquisa Semântica NECESSIDADE DESEJO (Aurélio)
1. Qualidade ou caráter de necessário. 2. Aquilo que é absolutamente necessário; exigência. 3. Aquilo que é inevitável, fatal. DESEJO (Aurélio) 1. Ato ou efeito de desejar. 2. Vontade de possuir ou de gozar. 3. Anseio, aspiração. 4. Cobiça, ambição. 5. Vontade de comer ou beber; apetite.

102 Pesquisa Semântica Necessidades
Qualidade ou caráter de necessário. Aquilo que é necessariamente exigência. Aquilo que é inevitável, fatal. Fisiológicas: as biológicas como fome, sede e outras funções físicas básicas. Necessidades de segurança: as de fornecer abrigo e proteção para o corpo e de manter uma existência confortável. Necessidades de estima: o reconhecimento, status e prestígio, buscando respeito. Necessidade de realização: uma motivação social para se superar, que parece caracterizar os entrepreneurs de sucesso, especialmente quando reforçada por fatores culturais. Necessidade de amor e participação: as de afeição e integração, as pessoas se esforçam para dar e receber amor. Necessidades de realização pessoal: somente alcançável por alguns indivíduos, o mais alto de todos os estados de necessidades. Desejo Forma que uma necessidade humana assume quando moldada pela cultura e pelas características de um indivíduo. OBS.: Abraham Maslow hierarquizou as necessidades humanas. Foi pioneiro no estudo da motivação humana.

103 PARA O MARKETING Necessidades DESEJOS Demandas ATENÇÃO
Necessidades Exigências humanas básicas. DESEJOS Necessidades tornam-se desejos quando dirigidas a objetos específicos capazes de satisfazê-las. Desejos são moldados por fatores sociais e antropológicos. Demandas São desejos por produtos específicos apoiados por uma possibilidade de pagamento. Quando há disposição e aptidão (no sentido de estar apto) a adquirir um bem. ATENÇÃO O marketing não cria necessidades, mas busca influenciar desejos.

104 PROCESSO DO ANÚNCIO NECESSIDADES DESEJOS IMPULSOS

105 PROCESSO DO ANÚNCIO MOTIVOS NECESSIDADES DESEJOS IMPULSOS

106 PROCESSO DO ANÚNCIO MOTIVOS NECESSIDADES DESEJOS IMPULSOS TENSÃO

107 MOTIVOS PROCESSO DO ANÚNCIO ANÚNCIO TENSÃO NECESSIDADES DESEJOS
IMPULSOS ANÚNCIO Sugestão TENSÃO

108 MOTIVOS PROCESSO DO ANÚNCIO ANÚNCIO ANÚNCIO TENSÃO NECESSIDADES
DESEJOS IMPULSOS ANÚNCIO ANÚNCIO Sugestão TENSÃO Confirmação

109 MOTIVOS PROCESSO DO ANÚNCIO ANÚNCIO ANÚNCIO TENSÃO NECESSIDADES
DESEJOS IMPULSOS ANÚNCIO ANÚNCIO Sugestão TENSÃO Confirmação Reforço COMPORTAMENTO

110 MOTIVOS PROCESSO DO ANÚNCIO ANÚNCIO ANÚNCIO TENSÃO NECESSIDADES
DESEJOS IMPULSOS ANÚNCIO ANÚNCIO Sugestão TENSÃO Confirmação Reforço COMPORTAMENTO Hábito

111 MOTIVOS PROCESSO DO ANÚNCIO ANÚNCIO ANÚNCIO TENSÃO NECESSIDADES
DESEJOS IMPULSOS Mod. Cid Pacheco ANÚNCIO ANÚNCIO Sugestão TENSÃO Confirmação Reforço COMPORTAMENTO Hábito

112 PLANEJAMENTO

113 PLANEJAMENTO ANÚNCIO

114 PLANEJAMENTO Criação ANÚNCIO Produção

115 PLANEJAMENTO Criação VEICULAÇÃO ANÚNCIO Produção

116 O Produto da Propaganda é o Anúncio. ANÚNCIO PROPAGANDA

117 ANÚNCIO TEORIA GERAL DO ANÚNCIO O Produto da Propaganda é o Anúncio.


Carregar ppt "CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE PROPAGANDA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google