A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tubarão, 27 de maio de 2011. Randolfo Decker Coordenador de Projetos na Área da Inovação A Inovação no Estado de Santa Catarina e os Programas de Apoio.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tubarão, 27 de maio de 2011. Randolfo Decker Coordenador de Projetos na Área da Inovação A Inovação no Estado de Santa Catarina e os Programas de Apoio."— Transcrição da apresentação:

1 Tubarão, 27 de maio de Randolfo Decker Coordenador de Projetos na Área da Inovação A Inovação no Estado de Santa Catarina e os Programas de Apoio da FAPESC

2 Desenvolvimento Científico Inovação Recursos Humanos Disseminação Linhas de Interesse

3 POLÍTICA CATARINENSE DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO A política catarinense de ciência, tecnologia e inovação consiste no direcionamento estratégico de governo, de instituições de ensino, pesquisa e extensão e de agentes econômicos e sociais, para o avanço do conhecimento, o desenvolvimento de novas tecnologias, a concepção, desenvolvimento e incorporação de inovações que contribuam para a melhoria da qualidade de vida de todos os habitantes de Santa Catarina, de forma sustentável.

4 Desenvolvimento Regional Sustentável com Base em Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação Educação Ciência Tecnologia Inovação

5 A Lei Catarinense da Inovação - Lei no , de 15 de janeiro de 2008 dispõe sobre incentivos à pesquisa científica e tecnológica e à inovação no ambiente produtivo no Estado de Santa Catarina, visando à capacitação em ciência, tecnologia e inovação, o equilíbrio regional e o desenvolvimento econômico e sustentável. Baseada na Lei , de Lei Brasileira de Inovação

6 OBJETIVO Promover o avanço do conhecimento científico, tecnológico e de inovações no ambiente produtivo, nas instituições de ensino, pesquisa e extensão, nos agentes econômicos e sociais e nos órgão de governo, visando a qualidade de vida dos habitantes e o desenvolvimento social e econômico do Estado de Santa Catarina, com sustentabilidade ambiental e equilíbrio regional.

7 PRINCÍPIOS 1 - justiça social 2- respeito à vida, à saúde humana e ambiental, aos valores culturais do povo 3 - uso racional e não-predatório dos recursos naturais 4 - preservação e valorização do meio ambiente 5 - participação da sociedade civil e das comunidades 6 - incentivo permanente à formação de recursos humanos Os princípios a serem observados pela Política Catarinense de Ciência, Tecnologia e Inovação são os seguintes:

8 EIXOS ESTRATÉGICOS: I.EXPANSÃO E CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA CATARINENSE DE CT&I II. PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA III.INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO IV. DESENVOLVIMENTO SOCIAL E REGIONAL SUSTENTÁVEL

9 PCCT&IPCCT&I PCCT&IPCCT&I CONHECIMENTO Princípios Eixos Estratégicos Linhas de Ação Prioridades Princípios Eixos Estratégicos Linhas de Ação Prioridades OBJETIVO Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida da População, com Equilíbrio Regional.

10 Definição de Inovação IMPACTOS: ECONÔMICOS, TECNOLÓGICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS Busca, descoberta, experimentação, desenvolvimento, imitação, adoção de novos produtos, processos e novas técnicas organizacionais ou novas técnicas de marketing ( Proposta da OCDE – Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico – 2005 ) Introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos processos, bens e serviços ( Art. 2º Lei de Inovação Catarinense, 2008 ) Produtos – processos – organizacional - serviços

11 ENTRE O GLOBAL E O LOCAL GLOBALIZAÇÃO econômico, financeiro Fusões/fissões de corporações com atuação global. Tripé : bancário, fundo de pensões e seguradoras MUNDIALIZAÇÃO mentalidade,estilos, usos, costumes massificação e homogeinização cultural - Novos comportamentos, consumismo PLANETARIZAÇÃO Estado, política, tecnologias influências internacionais, pressões e controle planetário de países e comunidades René A. Dreifuss, Transformações: matrizes do século XXI,Vozes, 2004 IMPACTOS: ECONÔMICOS, TECNOLÓGICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS

12 Inovação na E-economia A nova economia ou e-economia, emerge do interior da velha, como resultado da utilização da Internet pelas empresas para os seus próprios fins e em contextos específicos (Castells,2004, 20). A expansão e uso da Internet pelo setor da economia, no último quarto do séc. XX, relacionado com a perspectiva cultural, produz uma nova sociedade: A sociedade em rede (nova estrutura social); Economia informacional (nova economia global); Cultura da virtualidade real (nova cultura) Os quatro extratos culturais que, conjuntamente, produziram e deram forma a Internet: 1.Cultura tecnomeritocrática 2.Cultura hacker 3.Cultura comunitária virtual 4.Cultura empeendedora IMPACTOS: ECONÔMICOS, TECNOLÓGICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS

13 Inovação Tecnológica ? X Inovação Social ? IMPACTOS: ECONÔMICOS, TECNOLÓGICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS Educação Científica e Tecnológica Toda tecnologia = desenvolvimento humano e social? Quais tecnologias são necessárias e inclusivas? Educação para o Conhecimento Integrado Cognição: conhecimento sobre a vida ou sobre tecnologias? Ciência e Tecnologia são verdadeiras e libertadoras? Leituras e Reflexões: Tecnopólio: A rendição da cultura à tecnologia (Neil Postman, 1994) As Duas Culturas e a Revolução Científica (Charles P. Snow, 1959) A Terceira Cultura: Para além da revolução científica (John Brockman, 1998)

14 Inovação Tecnológica ? X Inovação Social ? IMPACTOS: ECONÔMICOS, TECNOLÓGICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS a tecnologia tem relação com a ciência, com a técnica e com a sociedade; a tecnologia integra elementos materiais ( ferramentas, máquinas, equipamentos) e não-materiais ( saber fazer, conhecimentos, informações, organização, comunicação e relações interpessoais) ; a tecnologia tem relações com fatores econômicos, políticos e culturais; a evolução da tecnologia é inseparável das estruturas sociais e econômicas de uma determinada sociedade. Walter A. Bazzo, ou

15 REDES de Inovação Tecnológica e Social Projetos e Programas em parceria IMPACTOS: ECONÔMICOS, TECNOLÓGICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS Pessoas Pesquisador Profissional Instituições de Ensino e Pesquisa Instituições de Governos Equipes grupos Instituições Nacionais e Internacionais Entidades Empresariais Setor produtivo

16 PROGRAMAS DA FAPESC EM DESENVOLVIMENTO PROGRAMAS DA FAPESC EM DESENVOLVIMENTO

17 Inovação Incubadoras Juro Zero PAPPE Sinapse SIBRATEC Fixadores Inteligentes PRONIT Premio Stemmer de Inovação

18 Ações Cooperadas em Prol da Dinâmica de Inovação da Sociedade Catarinense

19 Programa Sinapse da Inovação MCT/FINEP/FAPESC æ Acadêmico Universidades, Escolas Superiores, Escolas Técnicas Institucional Científico/Tecnológico Universidades, CPDs CIs e CRITs) Empresarial Dep. de Desenvolvimento de Produto/Processo e Dep. de Produção EMPRESA PRÉ-INCUBAÇÃO EMPRESA AMBIENTE DE INOVAÇÃO Incubadoras, Parques e CIs EMPRESA INDEPENDENTE EMPREENDIMENTO PROGRAMA SINAPSE PROGRAMA Prime PROTÓTIPO DE PRODUTO INOVADOR

20 Programa Sinapse da Inovação MCT/FINEP/FAPESC Apoio ao empreendedorismo e à Inovação Tecnológica de produtos e processos. SINAPSE 2009 Valor Total: R$ ,00 FAPESC: R$ ,00 FINEP:R $ ,00 Idéias apresentadas Propostas Selecionadas Propostas Aprovadas SINAPSE 2010 Valor Total: R$ ,00 - FAPESC Idéias apresentadas Propostas Selecionadas Propostas Aprovadas /06 – Evento de premiação. Local: Centro Administrativo do Governo

21 Projeto PRONIT MCT/FINEP/FAPESC - Pro-Inova 2008 Arranjo de Rede de Núcleos de Inovação Tecnológica de Santa Catarina Duração de 2 anos ( ) IEL-SC (Coordenação) FINEP FAPESC ACATE FUNDAÇÃO CERTI EPAGRI SENAI-SC INSTITUTO STELA INSTITUTO FEDERAL-SC UFSC EMBRAPA FURB SOCIESC UDESC UNESC UNISUL UNIVALI UNIVILLE UNOESCUNOCHAPECO 10 EMPRESAS REDE DE NITS Valor global: R$ ,00 (FINEP: ,62; FAPESC: ,00; IES/SC: ,00 )

22 PAPPE - Programa de Apoio à Pesquisa em Micro e Pequenas Empresas RECURSOS: R$ 9,5 milhões FINEP/MCT: R$ 6,5 milhões SEBRAE: R$ 1,5 milhões FAPESC: R$ 1,5 milhões RECURSOS: R$ 9,5 milhões FINEP/MCT: R$ 6,5 milhões SEBRAE: R$ 1,5 milhões FAPESC: R$ 1,5 milhões Inscritas: 280 Contratados: 35 Inscritas: 280 Contratados: 35 Estímulo ao desenvolvimento de empresas Desenvolvimento tecnológico regional Aumentando sua competitividade Geração e manutenção de emprego e renda

23 PAPPE - Programa de Apoio à Pesquisa em Micro e Pequenas Empresas 06 - Blumenau 18 - Florianópolis 02 - Palhoça 1 - Tubarão 1 - Joaçaba 1 - Joinville 1 - Agrolândia 1 Biguaçú 1 - Laguna 1 - Criciúma 1 Caçador 1- Lages PAPPE_Projetos em Desenvolvimento no Estado

24 InvestimentoFAPESC: R$ 800 mil Fixadores Inteligentes Desenvolvimento de fixadores que mudam de cor quando submetidos a estresse térmico e mecânico. Instituições Envolvidas: UFSC, UDESC e CISER

25 Juro Zero FINEP/ACATE Acesso ao crédito subsidiado. Investimento Global : R$ 20 milhões Projetos de até R$ 1 milhão Devolução até em 100 parcelas sem juros Fundo de Aval: R$ 2 milhões – Governo/SC 35 Projetos Aprovados Empregos gerados: 171 Implantado pela FINEP em 2006, para o financiamento de micro e pequenas empresas inovadoras

26 SIBRATEC – Rede de Extensão Tecnológica de Santa Catarina FINEP/SEBRAE/FAPESC Apoio tecnológico para o desenvolvimento, inovação, inserção internacional e aumento da competitividade das MPMEs. Setores contemplados: Agroindustria, Eletro-metal-mecânico, Plásticos, Madeira e Móveis, Têxtil e Tecnologia da Informação e Comunicação. Recursos: R$ 2,8 milhões - FINEP R$ 428 mil - SEBRAE R$ 857 mil - FAPESC

27 Prêmio Stemmer de Inovação O prêmio será concedido, anualmente, a pessoas, a instituições e a empresas, em reconhecimento a trabalhos realizados, no Estado de Santa Catarina, promovendo o conhecimento e a prática da inovação na geração de processos, bens e serviços inovadores. Art. 28, Lei de Inovação Catarinense (nº de 15/01/2008 Ao vencedor, em cada uma das categorias, serão concedidos Diploma e Troféu. A um desses três vencedores será concedido o Prêmio de R$ 50 mil, na forma de financiamento de projeto de Inovação. 1.Pessoa física protagonista da inovação 2.Empresa inovadora – grande/médio porte 3.Empresa inovadora – micro/pequeno porte 4.Instituição inovadora 5.Instituição de Ciência, Tecnologia e Inovação Investimento total : R$ 500 mil 17/06 – Evento de premiação

28 GENE Blumenau SOFTVILLE BLUSOFT MIDIVILLE MIDISUL MIDIOESTE CELTA GENESS/FEESC MIDI Tecnológico/SEBRAE 2002: 10 incubadoras Investimento da FAPESC: R$ 7,5 milhões Empregos gerados: 2 mil Empresas Incubadas: 300 JARAGUATEC Pré Incubadora da Unerj CITEB Biguaçu Inc. Univali Inc. Unifebe ACIT/INCEVALE Tijucas Base Tecnológica Unisul Software Pré-Incubadora de São Miguel Agronegócios NECTAR Informática, Biotecnologia e Alimentos TECNOVALE - do Rio do Peixe IAC – Agroindustrial de Concórdia Incubadora Virtual de Empresas da Uniplac MIDI Lages Agronegócios - Fapeu Software - Senai/CTAI Eng. Biomédica CONTESTEC - Planalto Norte C.R.I.E INTECH Chapecó 2004: 30 incubadoras/pré-incubadoras IESJ - São José SC-Entretenimento Florianópolis ACITA - Itapema ITFETEP São Bento do Sul UNC CETEC Curitibanos G-TEC- Rio do Sul 2007: 35 incubadoras/pré-incubadoras INOVASUL IncubadoraIbirama Incubadora Luzerna IncubadoraCaçador 2009: 44 incubadoras/pré-incubadoras Inc. Emp. Saudades Inc. Emp. Palmitos Inc. Emp. Seara Inc. Emp. Concórdia Inc. Emp. Canoinhas Inc. Emp. Mafra Inc. Emp. Rio Negrinho CEDIM - Inc. Criciúma 2010: 52 incubadoras/pré-incubadoras Incubadoras e Parques Tecnológicos

29 CTE-INOVA Comissão Técnica Estadual sobre Inovação Dec. Est /2010 1)NITESC Núcleo de Inovação Tecnológica do Estado de Santa Catarina UDESC CIASC EPAGRI 2) Parcerias CTE + FAPESC + TC-SC GT - Institucional GT - Marco Legal (federal e estadual) GT- Inovação e Desenvolvimento Regional GT - Inova UDESC GT – Infraestrutura e logística GT - Educacional

30 Metas MODERNIZAÇÃO 2. POPULARIZAÇÃO 3. INOVAÇÃO 4. EXPANSÃO = 1%

31 CONTATOS Fone: e Presidente : Sérgio Luiz Gargioni ( ) Diretor de Pesquisa Científica e Tecnológica: César Zucco Diretor de Pesquisa Agropecuária : Mário Vidor ( Diretora Administrativa e Financeira Alba Schlichting Coordenador de Pesquisa/Inovação Randolfo Decker (

32 Incubadoras e Parques Tecnológicos ????? Parque de Inovação do Sul Catarinense – Tubarão O objetivo deste projeto é impulsionar o desenvolvimento tecnológico e econômico da região sul catarinense, consolidar as ações voltadas a descentralização do Governo do Estado de Santa Catarina, implantando um referencial para dar início as primeiras ações de inovação do parque, fortalecendo a lei de inovação catarinense, com a finalidade de: Definir conceito e mix de atividades do parque; Desenvolver o plano macro-urbanístico do parque; Elaborar o plano de investimentos do empreendimento e sua viabilidade econômica; Suporte ao licenciamento ambiental e urbanístico da área Identificar e potencializar a atração de empreendimentos e projetos âncoras; Definir e implentar o modelo de governança do parque; Desenvolver a estratégia de C&T&I do parque integrado a mesorregião sul; Estruturar os instrumentos de marketing do empreendimento.


Carregar ppt "Tubarão, 27 de maio de 2011. Randolfo Decker Coordenador de Projetos na Área da Inovação A Inovação no Estado de Santa Catarina e os Programas de Apoio."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google