A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistemas de Informação Prof. Me. Everton C. Tetila Conceitos e arquitetura de banco de dados Banco de Dados I.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistemas de Informação Prof. Me. Everton C. Tetila Conceitos e arquitetura de banco de dados Banco de Dados I."— Transcrição da apresentação:

1 Sistemas de Informação Prof. Me. Everton C. Tetila Conceitos e arquitetura de banco de dados Banco de Dados I

2 Agenda 1. Introdução 2. Um exemplo 3. Usuários de banco de dados 4. Arquitetura de banco de dados 4. Arquitetura de banco de dados 5. Tipos de dados no MySQL 5. Tipos de dados no MySQL

3 Introdução Banco de dados Coleção de dados relacionados O uso comum do termo banco de dados normalmente é mais restrito e tem as seguintes propriedades implícitas: Representa algum aspecto do mundo real - Minimundo ou universo de discurso (UoD) Coleção logicamente coerente de dados com algum significado implícito Possui um grupo definido de usuários e algumas aplicações previamente concebidas

4 Introdução Sistema Gerenciador de Banco de dados Coleção de programas que permite aos usuários criar e manter um banco de dados. O SGBD é um sistema de uso geral que facilita o processo de definição, construção, manipulação e compartilhamento de banco de dados entre diversos usuários e aplicações. Por convenção, costuma-se chamar a união do banco de dados com o software de SGBD de sistema de banco de dados.

5 Introdução Ambiente de sistema de banco de dados. Figura 1 – Diagrama simplificado de um ambiente de sistema de banco de dados.

6 Um exemplo Exemplo de banco de dados Figura 2 – Exemplo de um banco de dados que armazena informações de cliente e conta.

7 Um exemplo Um sistema de banco de dados fornece uma linguagem de definição de dados (DDL) para especificar o esquema de banco de dados e uma linguagem de manipulação de dados para expressar as consultas e atualizações de banco de dados. A manipulação do banco envolve consulta e atualização. Alguns exemplos de consultas são as seguintes: Recuperar uma lista de todas as contas de João B Silva. Listar os nomes dos clientes que possuem conta na agência Listar as agências do Banco do Brasil.

8 Um exemplo Alguns exemplos de atualização incluem: Alterar o endereço de cliente de João B Silva para Rua Cafelândia, Criar outra conta para o cliente de Caetano K Lima. Inserir uma agência 0391 para Banco do Brasil no endereço Rua Joaquim Teixeira Alves, O projeto de um novo banco de dados dá-se em três fases, descritas a seguir. Projeto conceitual Projeto lógico Projeto físico

9 Um exemplo clienteconta possui nome sexo endereco número saldo m n #tabela cliente CREATE TABLE cliente ( id int auto increment, nome varchar(45), bairrovarchar(45), cidadevarchar(45), PRIMARY KEY (id) ); Projeto Conceitual (Modelo Entidade-Relacionamento) Projeto Lógico (Modelo Relacional) Projeto Físico (Instruções SQL) cpf Levantamento e análise de requisitos Fases de um projeto de banco de dados:

10 Usuários de banco de dados Administradores de banco de dados Autoriza o acesso ao banco de dados, coordena seu uso e adquire recursos de software e hardware. Projetista de banco de dados Identifica os dados a serem armazenados e escolhe estruturas apropriadas para representar esses dados. Usuários Finais Exigem acesso ao banco de dados para consultas, atualizações e geração de relatórios. Engenheiros de softwares Implementam especificações das transações como programas.

11 Arquitetura de banco de dados Arquitetura dos SGBDs Sistemas monolíticos e cliente-servidor Figura 3 – Arquitetura cliente/servidor lógica em duas camadas.

12 Arquitetura de banco de dados Arquitetura ANSI/SPARC Proposta para ajudar a alcançar a independência dos dados Figura 4 – Os três níveis da arquitetura.

13 Arquitetura de banco de dados Arquitetura ANSI/SPARC O SGBD transforma uma solicitação especificada em um esquema externo em uma solicitação no esquema conceitual, e depois em uma solicitação no esquema interno para o processamento no banco de dados armazenado. Os processos de transformação de requisições e os resultados entre os níveis são chamados de mapeamentos. Esses mapeamentos são necessários para transformar solicitações entre os níveis e ajudar a alcançar a independência lógica e a independência física dos dados.

14 Arquitetura de banco de dados Arquitetura ANSI/SPARC O SGBD usa software adicional para realizar os mapeamentos, recorrendo à informação de mapeamento no catálogo. A independência de dados ocorre porque, quando o esquema é alterado em algum nível, o esquema no próximo nível mais alto permanece inalterado. Logo, os programas de aplicação que fazem referência ao esquema de nível mais alto não precisam ser alterados.

15 Os tipos de dados no MySQL são classificados em três grupos: Tipos numéricos Inteiros: TinyInt, Bit ou Bool, SmallInt, MediumInt, Integer, Int, BigInt. Vírgula flutuante: Float, xReal, Double, Decimal(M, D), Dec(M, D), Numeric(M, D). Tipos de Data Date, DateTime, TimeStamp, Time, Year. Tipos de Cadeia Char(n), VarChar(n), Blob, Text, Enum, Set. Tipos de dados no MySQL


Carregar ppt "Sistemas de Informação Prof. Me. Everton C. Tetila Conceitos e arquitetura de banco de dados Banco de Dados I."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google