A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminário de Prevenção de Acidente de Trabalho

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminário de Prevenção de Acidente de Trabalho"— Transcrição da apresentação:

1 Seminário de Prevenção de Acidente de Trabalho
T. S. T. A Causalidade dos Acidentes: Discursos e Práticas na Visão dos Trabalhadores

2 Jorge Teixeira Médico do Trabalho com Título de Especialista pela AMB / ANAMT Médico do Trabalho da Petrobras Assessor Especial da Presidência da FUNDACENTRO Representante da CNTI

3 O mundo é um moinho CANTOR E COMPOSITOR Ajudante de tipografia
Pedreiro (para evitar que o cimento caísse nos cabelos, passou a usar um chapéu coco. Daí o apelido “CARTOLA”) Lavador de carros (sofreu um acidente de trabalho) Servente no Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio. Zelador de Prédio CANTOR E COMPOSITOR

4 A História Sincera da República e os Acidentes do Trabalho no Brasil
A História do Bem e do Mal

5 Decreto Lei 1313 – “Institui a fiscalização permanente nas fábricas em que trabalhassem menores, a cargo de um inspetor geral, subordinado ao Ministério do Interior.” Proíbe o trabalho de menores de 12 anos, salvo aprendizes na indústria têxtil (8 a 12 anos). 08 a 10 anos  3 horas/dia 10 a 12 anos  4 horas/dia

6 Ontem Hoje

7 Organização Sindical Lei criada em 1903 1903  Sindicatos Rurais
1907  Sindicatos Urbanos

8 Em 1904 “Reformas promovidas por Oswaldo Cruz no âmbito da Saúde Pública”
“Decretação de regras para o trabalho tornando-o compatível com a saúde e a vida dos operários, quer quanto ao tempo de trabalho, quer quanto ao local onde ele se faz. ”

9 Ontem Hoje

10 do Acidente do Trabalho
Cabide de Mulambo Meu terno branco Parece casca de alho Foi herança do defunto do Acidente do Trabalho Carnaval de 1917 – João da Baiana e Patrício Teixeira

11 Primeira Lei Trabalhista de Proteção ao Trabalhador
Decreto Lei 3724, de 15/01/1919: Lei dos Acidentes do Trabalho

12 Em 1920 Reforma “Carlos Chagas”
“Cria o Departamento Nacional de Saúde Pública e nele a Inspetoria de Higiene Industrial e Profissional.”

13 Brasil de 1920 Uma Grande Fazenda
– Estabelecimentos rurais, com a produção alcançando o valor de contos de réis; – Estabelecimentos industriais; 27 milhões de habitantes

14 1929 – Quebra da Bolsa de Nova York
Migração do Homem do Campo para os Grandes Centros Homem do Campo  Operário X Homem Brasileiro Mão de Obra Européia

15 VARGAS NO PODER Revolução em 1930 Estado Novo (1937 – 1945)

16 Fatos Relevantes 1930 – Foi criado o Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio (Decreto , de 26/11/1930)

17 Fatos Relevantes 1932 – Criadas as Inspetorias Regionais do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio (Decretos e 23288, de 1º de Agosto de 1932 e 26 de Outubro de 1933, respectivamente.)

18 Fatos Relevantes 1940 – As Inspetorias Regionais do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio foram transformadas em Delegacias Regionais do Trabalho (Decreto-Lei 2168 de 06/05/1940).

19 CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO
1° de Maio de 1943 CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO

20 GOVERNO DUTRA (1946 – 1950) Aumentou o número de Acidentes do Trabalho
Concluiu a CSN (Iniciada em 1941); Ampliou a Rede Ferroviária; Criou as Centrais Hidroelétricas do São Francisco (CHESF) Usina de Paulo Afonso; Eletrificou a Estrada de Ferro Central do Brasil; Ampliou o Porto do Rio de Janeiro; Construiu casas; Oleoduto Santos - São Paulo; Duas Refinarias (Bahia e São Paulo)

21 GOVERNO DUTRA (1946 – 1950) “IMPORTAVA TUDO” Matéria Plástica

22 Eleito Presidente em 03 / 10 / 1950 (49% dos votos)
Novo Governo Getúlio Vargas Eleito Presidente em 03 / 10 / 1950 (49% dos votos) O Mandato findará na maior tragédia da História Política do Brasil

23 Criação da PETROBRAS em 03 de Outubro de 1953
Projeto Nacionalista do 2° Governo Vargas Criação da PETROBRAS em 03 de Outubro de 1953 CSN (1941) Vale do Rio Doce (1942) Petrobras (1953) SOBERANIA NACIONAL

24 Fim da Era Vargas Suicídio em 1954

25 Governo J K Governo Bossa Nova
Em 31/01/1956 tomou posse Juscelino Kubitschek Plano de Metas “50 anos em 5”: Construção de Brasília Montadoras  Ford, Volkswagen, Willys, GM Nº de Carros Consumo de Gasolina Importação de Petróleo Saques no FMI

26 Dupla JAN – JAN Assumiu o Governo em 31 / 01 / 1961

27 Revolução ou Golpe Militar de 1964
21/11/1966 – Unificação de todos os IAP(s), dando origem ao INPS (Instituto Nacional de Previdência Social); Grandes Obras: Ponte Rio–Niterói, Itaipu Binacional; Aumenta o número de Acidentes do Trabalho.

28 A ditadura militar e a crise do petróleo
“Em apenas cinco meses, entre outubro de 1973 e março de 1974, o preço do petróleo aumentou 400% (Guerra do Yom Kipur).” É o fim do milagre econômico. Cai a máscara do crescimento nacional do “ninguém segura mais esse país”

29 Opção preferencial pelo Álcool.
Em 1976, o primeiro carro a álcool atravessou 14 quilômetros da ponte Rio-Niterói com apenas 1 litro de gasolina.

30

31 O aumento acentuado do número de acidente de trabalho nos anos 70 e os caminhos e descaminhos dos anos 2000

32 Número de Acidentes de Trabalho no Brasil
ANO Número de Acidentes de Trabalho no Brasil 2006 2007 2008 2009

33 População/Cobertura/AcidentesBrasil
População Brasil (Julho/2009)1: 191,5 milhões PEA: Ocupados: Desocupados: Contribuintes Previdência: (50,7%) ou (65,3 entre 16 a 59 anos). Cobertura RGPS: (43%)

34 Acidentes de Trabalho no Brasil Registrados e Liquidados

35 Crenças e Crendices Os trabalhadores precisam ser ENSINADOS no seu ofício. Precisam ser EDUCADOS e CAPACITADOS para que, além de “produzir” não sofram ACIDENTES ou DOENÇAS RELACIONADAS AO TRABALHO.

36 Quando “burlam” Normas de Segurança é porque quase sempre são exigidos de tal forma que as Normas tornam-se incompatíveis com a atividade real do trabalho.

37 Acidente de Trabalho – Uma Análise Crítica
Quando ocorre um acidente, o ato final pode ser o trabalhador, mas uma série de “barreiras” colocadas para que o acidente não ocorra foram derrubadas. Portanto, não eram robustas o suficiente para que o acidente fosse evitado.

38 Acidente de Trabalho – Uma Análise Crítica
A ocorrência de um acidente deveria ser considerada uma falha do Processo de Produção. Nesse sentido, há falha humana, pois todo o processo de produção é concebido pela mente humana. Qualquer processo cuja Segurança dependa somente de uma pessoa (a que executa a atividade) está fadado ao fracasso.

39 Acidente de Trabalho – Uma Análise Crítica
A CULPABILIZAÇÃO do TRABALHADOR por um acidente de trabalho impede o destrinchamento do PROCESSO e impede a colocação de “barreiras” suficientes para que novos acidentes ocorram.

40 Acidente de Trabalho – Uma Análise Crítica
O acidente de trabalho deve ser visto como: processo social  ramos econômicos  mercado de trabalho  organização do trabalho  processo produtivo.

41 Acidente de Trabalho – Uma Análise Crítica
A CAPACITAÇÃO, ISOLADA DE UMA POLÍTICA DE ORGANIZAÇÃO POR LOCAL DE TRABALHO E DE ESTABELECIMENTO DE CANAIS DE PARTICIPAÇÃO DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO DE PROCESSOS PRODUTIVOS É INÓCUA.

42 O Superdimensionamento do Equipamento de Proteção Individual na prevenção de Acidente de Trabalho

43

44

45

46 Uma História do Bem e do Mal
Esta foi a História Sincera da República e os Acidentes do Trabalho no Brasil, na visão dos trabalhadores. Uma História do Bem e do Mal Muito obrigado. Jorge Teixeira CNTI/FUNDACENTRO.


Carregar ppt "Seminário de Prevenção de Acidente de Trabalho"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google