A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais – AULA 4 Prof. Gildo Neves Baptista jr.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais – AULA 4 Prof. Gildo Neves Baptista jr."— Transcrição da apresentação:

1 FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais – AULA 4 Prof. Gildo Neves Baptista jr

2 AULA PASSADA: AULA PASSADA: GESTÃO DE ESTOQUES

3 UMA REVISÃO RÁPIDA UMA REVISÃO RÁPIDA O QUE SÃO ESTOQUES? O QUE SÃO ESTOQUES?

4 GESTÃO DE ESTOQUES Quaisquer quantidades de bens físicos que sejam conservados, de forma improdutiva, por algum intervalo de tempo.

5 GESTÃO DE ESTOQUES POR QUE AS EMPRESAS PRECISAM DE ESTOQUES? POR QUE AS EMPRESAS PRECISAM DE ESTOQUES?

6 1- POR CONTA DA IMPOSSIBILIDADE OU INVIABILIDADE DE COORDENAR AS TAXAS DE SUPRIMENTO E DEMANDA;

7 POR QUE AS EMPRESAS PRECISAM DE ESTOQUES? 2- POR CONTA DA INCERTEZA DE PREVISÕES DE SUPRIMENTO OU DA DEMANDA;

8 POR QUE AS EMPRESAS PRECISAM DE ESTOQUES? 3- PARA PODER ESPECULAR PARA CRIAÇÃO DE VALOR E REALIZAÇÃO DE LUCRO;

9 POR QUE AS EMPRESAS PRECISAM DE ESTOQUES? 4- PARA TER DISPONIBILIDADE DO CANAL DE DISTRIBUIÇÃO.

10 GESTÃO DE ESTOQUES QUAL SUA FINALIDADE? QUAL SUA FINALIDADE?

11 GESTÃO DE ESTOQUES Determinar o que manter em estoque Determinar o que manter em estoque Determinar quando reabastecer Determinar quando reabastecer Determinar quanto requisitar Determinar quanto requisitar Acionar o processo de reabastecimento Acionar o processo de reabastecimento Receber, estocar e suprir os materiais conforme requerido pelos usuários Receber, estocar e suprir os materiais conforme requerido pelos usuários Manter a acuracidade dos saldos Manter a acuracidade dos saldos Realizar saneamento do estoque Realizar saneamento do estoque

12 GESTÃO DE ESTOQUES QUAIS OS TIPOS DE ESTOQUE? QUAIS OS TIPOS DE ESTOQUE?

13 TIPOS DE ESTOQUE ESTOQUE NO CANAL DE DISTRIBUIÇÃO: ESTOQUE NO CANAL DE DISTRIBUIÇÃO: estoque em trânsito entre os pontos de estocagem ou de produção;

14 TIPOS DE ESTOQUE ESTOQUE DE ANTECIPAÇÃO: ESTOQUE DE ANTECIPAÇÃO: estoque é gerado em antecipação às vendas sazonais;

15 TIPOS DE ESTOQUE ESTOQUE DE CICLO OU REGULAR: ESTOQUE DE CICLO OU REGULAR: é o estoque necessário para satisfazer a demanda média durante o tempo entre reabastecimento sucessivos;

16 TIPOS DE ESTOQUE ESTOQUE DE SEGURANÇA: ESTOQUE DE SEGURANÇA: adicional ao estoque regular necessário para satisfazer a demanda média e as condições de prazo de entrega. adicional ao estoque regular necessário para satisfazer a demanda média e as condições de prazo de entrega.

17 GESTÃO DE ESTOQUES O QUE É GESTÃO DE ESTOQUE? O QUE É GESTÃO DE ESTOQUE?

18 O QUE É GESTÃO DE ESTOQUE? É a Função que Planeja, Executa e Controla o fluxo de materiais nas condições mais eficientes e econômicas, partindo das especificações dos artigos a comprar, até a entrega ao cliente. (Trigueiro – 2007) É a Função que Planeja, Executa e Controla o fluxo de materiais nas condições mais eficientes e econômicas, partindo das especificações dos artigos a comprar, até a entrega ao cliente. (Trigueiro – 2007)

19 DESAFIOS DA GESTÃO DE ESTOQUE? QUAIS SÃO OS DESAFIOS DA GESTÃO DE ESTOQUE? QUAIS SÃO OS DESAFIOS DA GESTÃO DE ESTOQUE?

20 DESAFIOS DA GESTÃO DE ESTOQUE? Utilização adequada dos recursos da empresa, tanto materiais quanto financeiros; Utilização adequada dos recursos da empresa, tanto materiais quanto financeiros;

21 DESAFIOS DA GESTÃO DE ESTOQUE? Alocação racional dos recursos de forma a maximizar e acelerar o retorno obtido sobre estes; Alocação racional dos recursos de forma a maximizar e acelerar o retorno obtido sobre estes;

22 DESAFIOS DA GESTÃO DE ESTOQUE? Preocupação constante com a redução de custos e pela eliminação daqueles que são desnecessários; Preocupação constante com a redução de custos e pela eliminação daqueles que são desnecessários;

23 DESAFIOS DA GESTÃO DE ESTOQUE? Implementação de decisões que se destinem a Aumentar a riqueza dos acionistas. Implementação de decisões que se destinem a Aumentar a riqueza dos acionistas.

24 E NOSSO ASSUNTO DE HOJE É: E NOSSO ASSUNTO DE HOJE É: GESTÃO DE ESTOQUES – CONTINUAÇÃO E APROFUNDAMENTO

25 CONHECER OS TIPOS E IMPACTOS DE CADA TIPO DE ESTOQUE PARA OS DIVERSOS TIPOS DE EMPRESAS CONHECER OS TIPOS E IMPACTOS DE CADA TIPO DE ESTOQUE PARA OS DIVERSOS TIPOS DE EMPRESAS COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS

26 GESTÃO DE ESTOQUES Segundo Closs (2007, pg. 224) a manutenção de estoques implica em riscos de investimento e de possibilidade de obsolescência. A natureza e a extensão desse risco varia, dependendo da posição da empresa no canal de distribuição.

27 CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO PRODUÇÃO PRODUÇÃO Para o fabricante, o risco relativo ao estoque tem uma dimensão de longo prazo. Seus investimentos em estoques é relativamente de maior profundidade e de mais longa duração.

28 CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO NA PRODUÇÃO Matérias-primas e componentes Matérias-primas e componentes Estoques de produto em processo Estoques de produto em processo Produtos acabados Produtos acabados

29 ATACADO ATACADO Os atacadistas são forçados a formar estoques com grande antecedência às vendas, aumentando a profundidade e a duração do risco. Os atacadistas têm a capacidade de promover seus clientes varejistas com grande variedade de mercadorias de diferentes fabricantes, em pequenas quantidades. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

30 VAREJO VAREJO Para os varejistas, o gerenciamento de estoques é fundamentalmente uma questão de compra e venda. O seu risco, quanto aos estoques, pode ser considerado amplo, mas não profundo. Suas especial ênfase esta na rotação ou giro do estoque e a lucratividade direta do produto. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

31 Se uma empresa deseja operar em mais de um nível do canal de distribuição deve estar preparada para assumir riscos adicionais de estoques. À medida que as empresas se tornam integradas verticalmente, o gerenciamento de estoque deve considerar todos os níveis do canal de marketing. CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

32 GESTÃO DE ESTOQUES O QUE É POLÍTICA DE ESTOQUE? O QUE É POLÍTICA DE ESTOQUE?

33 O QUE É POLÍTICA DE ESTOQUE? Consiste em normas sobre o que comprar ou produzir, quando atirar e quais as quantidades. Inclui também decisões de posicionamento e alocação de estoque em fábricas e centro de distribuição. Consiste em normas sobre o que comprar ou produzir, quando atirar e quais as quantidades. Inclui também decisões de posicionamento e alocação de estoque em fábricas e centro de distribuição.

34 GESTÃO DE ESTOQUES POLÍTICA DE ESTOQUE POLÍTICA DE ESTOQUE Para uma política adequada de estoque, quais as cinco questões relativas ao processo de alocação seletiva?

35 POLÍTICA DE ESTOQUE Processo de alocação seletiva: Segmentação de cliente;

36 POLÍTICA DE ESTOQUE Processo de alocação seletiva: Especificidade de produto;

37 POLÍTICA DE ESTOQUE Processo de alocação seletiva: Integração de transporte;

38 POLÍTICA DE ESTOQUE Processo de alocação seletiva: Necessidades relativa as operações no tempo; Necessidades relativa as operações no tempo;

39 POLÍTICA DE ESTOQUE Processo de alocação seletiva: Desempenho competitivo.

40 POLÍTICA DE ESTOQUE QUAIS OS TIPOS DE ESTOQUES? QUAIS OS TIPOS DE ESTOQUES?

41 TIPOS DE ESTOQUE ESTOQUE MÉDIO ESTOQUE MÉDIO ESTOQUE BÁSICO ESTOQUE BÁSICO ESTOQUE DE SEGURANÇA ESTOQUE DE SEGURANÇA ESTOQUE DE TRÂNSITO ESTOQUE DE TRÂNSITO

42 GESTÃO DE ESTOQUES ESTOQUE MÉDIO ESTOQUE MÉDIO Compreende a quantidade de materiais, componentes, estoque em processo e produtos acabados normalmente mantida em estoque. Ele é formado pelo estoque básico, de segurança e de trânsito.

43 GESTÃO DE ESTOQUES ESTOQUE BÁSICO ESTOQUE BÁSICO É a porção do estoque médio que se recompõe pelo processo de ressuprimento. O pedido de ressuprimento deve ser emitido quando o estoque disponível ainda é maior ou igual à demanda de clientes à atender durante o prazo de ressuprimento.

44 GESTÃO DE ESTOQUES ESTOQUE DE SEGURANÇA ESTOQUE DE SEGURANÇA É a quantidade mínima que deve existir em estoque, que se destina a cobrir eventuais atrasos no suprimento, objetivando a garantia do funcionamento ininterrupto e eficiente do processo produtivo, sem riscos de falta.

45 GESTÃO DE ESTOQUES ESTOQUE DE TRÂNSITO ESTOQUE DE TRÂNSITO estoque em trânsito entre os pontos de estocagem ou de produção;

46 GESTÃO DE ESTOQUES Quais as Causas que ocasionam faltas no processo Produtivo?

47 Causas das faltas no processo Produtivo Oscilação no consumo Oscilação no consumo

48 Causas das faltas no processo Produtivo Oscilação nas épocas de aquisição (atrasos)

49 Causas das faltas no processo Produtivo Variação na qualidade (rejeição)

50 Causas das faltas no processo Produtivo Remessas por parte do fornecedor, divergentes do solicitado Remessas por parte do fornecedor, divergentes do solicitado

51 Causas das faltas no processo Produtivo Diferenças de inventário

52 GESTÃO DE ESTOQUES O QUE É ESTOQUE EM TRÂNSITO?

53 ESTOQUE EM TRÂNSITO Representa o estoque que se encontra em viagem ou aguardando transporte já sobre veículos. É uma condição necessária no processo de ressuprimento de estoque. Representa o estoque que se encontra em viagem ou aguardando transporte já sobre veículos. É uma condição necessária no processo de ressuprimento de estoque.

54 GESTÃO DE ESTOQUES A seleção do sortimento de produtos a ser armazenado em uma instalação específica tem influência direta no desempenho do transporte. A seleção do sortimento de produtos a ser armazenado em uma instalação específica tem influência direta no desempenho do transporte.

55 GESTÃO DE ESTOQUES A maior parte das taxas de transporte é baseada no volume e nas dimensões das cargas. A economia correspondente no transporte pode mais do que compensar o custo mais elevado de manutenção do estoque. A maior parte das taxas de transporte é baseada no volume e nas dimensões das cargas. A economia correspondente no transporte pode mais do que compensar o custo mais elevado de manutenção do estoque.

56 GESTÃO DE ESTOQUES A entrega rápida de produtos e materiais pode permitir a redução de estoques nas fábricas. A entrega rápida de produtos e materiais pode permitir a redução de estoques nas fábricas.

57 GESTÃO DE ESTOQUES Nível de serviço Trade- Off Custo Logístico

58 GESTÃO DE ESTOQUES O reabastecimento rápido de lojas de varejo pode reduzir o estoque de segurança mantido na ponta da cadeia de suprimentos. O reabastecimento rápido de lojas de varejo pode reduzir o estoque de segurança mantido na ponta da cadeia de suprimentos.

59 GESTÃO DE ESTOQUES

60 A alternativa para a formação e a manutenção de estoque de segurança é receber a quantidade exata de estoque no momento certo. A alternativa para a formação e a manutenção de estoque de segurança é receber a quantidade exata de estoque no momento certo.

61 GESTÃO DE ESTOQUES

62 O NÍVEL DE SERVIÇO (NS) é um objetivo fixado pela alta administração. Comporta objetivos de desempenho que a função de estoque deve ser capaz de cumprir. Grau de satisfação das necessidades de cada produto.

63 GESTÃO DE ESTOQUES NS= DEMANDA ATENDIDA DEMANDA REQUERIDA

64 GESTÃO DE ESTOQUES

65 Depreciação

66 CUSTOS ENVOLVIDOS NO ESTOQUE Depreciação Equipamentos de movimentação Depreciação Equipamentos de movimentação

67 CUSTOS ENVOLVIDOS NO ESTOQUE Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Juros Depreciação Equipamentos de movimentação

68 CUSTOS ENVOLVIDOS NO ESTOQUE Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração

69 CUSTOS ENVOLVIDOS NO ESTOQUE Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência

70 CUSTOS ENVOLVIDOS NO ESTOQUE Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel

71 CUSTOS ENVOLVIDOS NO ESTOQUE Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel Conservação Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel Conservação

72 CUSTOS ENVOLVIDOS NO ESTOQUE Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel Conservação Seguros Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel Conservação Seguros

73 CUSTOS ENVOLVIDOS NO ESTOQUE Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel Conservação Seguros Salários Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel Conservação Seguros Salários

74 CUSTOS ENVOLVIDOS NO ESTOQUE Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel Conservação Seguros Salários Encargos sociais Juros Depreciação Equipamentos de movimentação Deterioração Obsolescência Aluguel Conservação Seguros Salários Encargos sociais

75 GESTÃO DE ESTOQUES QUAL O CUSTO DE ARMAZENAGEM? QUAL O CUSTO DE ARMAZENAGEM?

76 GESTÃO DE ESTOQUES Custos com Pessoal + Custos com Edificação + Custos de Manutenção + Custos de Capital = CUSTO DE ARMAZENAGEM Custos com Pessoal + Custos com Edificação + Custos de Manutenção + Custos de Capital = CUSTO DE ARMAZENAGEM

77 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUES

78 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Planejamento da Produção Planejamento da Produção

79 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Planejamento das Vendas

80 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Controle de Produção Controle de Produção

81 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Gestão de Compras Gestão de Compras

82 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Gestão de Custos Gestão de Custos

83 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Promessa de Entrega

84 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Contabilidade Fiscal

85 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Assistência Técnica Assistência Técnica

86 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Inspeção de Entrega Inspeção de Entrega

87 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Faturamento da Empresa

88 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE ESTOQUE ESTOQUE Recebimento de Materiais

89 RELAÇÃO NA GESTÃO DE ESTOQUE

90 ATIVIDADE ATIVIDADE Caro aluno, com base no que estudamos na aula de hoje faça a seguinte atividade: Leia o texto OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS, escolha um problema ou questão de cada nível das atividades empresariais (Estratégico, Tático e Operacional) abordado por ele e comente como esse ítem pode atuar negativamente na gestão de estoques.

91 ATIVIDADE Obrigatória colocação da fonte de pesquisa. Atividades copiadas ou iguais a de outros colegas serão invalidadas.

92 ATIVIDADE Utilize o Guia Minha Atividade é SFO! Disponível no AVA 39

93 Dúvidas Fórum Fórum Chat Chat

94 Fontes Fontes Imagens -+fotomp.jpg e png U/TORsGPA6bwI/AAAAAAAAAlY/mwSR1jMr1hk/s1600/logistica_integrada.gif

95 Fontes Bibliografia CAMPOS, Marcos R. R. Revista de Ciências Gerenciais. Vol. XII, N° 15, Ano FEITOZA, Cesar. Apostila de Gestão de compras e estoque MOROZOWSKI, Antonio C. Apostila de Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais. SLACK, N.; CHAMBERS, S.; HARLAND, A.; JOHNSTON, R. Administração da produção ORTOLANI, L. F. B. Logistica, gestão de estoques e sistemas de informação CLOSS, David J. Logistica Empresarial. 2007


Carregar ppt "FTAD Formação Técnica em Administração Módulo de Gestão de Materiais – AULA 4 Prof. Gildo Neves Baptista jr."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google