A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vigilância da Segurança Operacional. OBJETIVO Apresentar os resultados globais das inspeções de segurança operacional da ASOCEA, realizadas em 2011, bem.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vigilância da Segurança Operacional. OBJETIVO Apresentar os resultados globais das inspeções de segurança operacional da ASOCEA, realizadas em 2011, bem."— Transcrição da apresentação:

1 Vigilância da Segurança Operacional

2 OBJETIVO Apresentar os resultados globais das inspeções de segurança operacional da ASOCEA, realizadas em 2011, bem como uma visão prospectiva da evolução da sistemática de vigilância da segurança operacional dos serviços de navegação aérea, com base nos novos conceitos preconizados pela ICAO.

3 Análise de Desempenho do SISCEAB Média de conformidade do Sistema 1.2 Média de não-conformidade por serviço de navegação aérea 1.3 Não-conformidades mais frequentes Evolução do NASO 2.1 Risco Crítico 2.2 Percentual de Não-conformidades dos PSNA Classe Percentual de Não-Conformidades com IS<=2 Processo de Vigilância Tradicional 3.1 Características 3.2 Limitações Processo de Vigilância Contínuo 4.1 Processo preconizado pela ICAO 4.2 Características 4.3 Transição do processo nos Serviços de Navegação Aérea ROTEIRO

4 Análise de Desempenho do SISCEAB Média de conformidade do Sistema 1.2 Média de não-conformidade por serviço de navegação aérea 1.3 Não-conformidades mais frequentes Evolução do NASO 2.1 Risco Crítico 2.2 Percentual de Não-conformidades dos PSNA Classe Percentual de Não-Conformidades com IS<=2 Processo de Vigilância Tradicional 3.1 Características 3.2 Limitações Processo de Vigilância Contínuo 4.1 Processo preconizado pela ICAO 4.2 Características 4.3 Transição do processo nos Serviços de Navegação Aérea ROTEIRO

5 1.1 Média de conformidade do Sistema Análise de Desempenho do SISCEAB 2011 Evolução da Média do SISCEAB

6 1.1 Média de conformidade do Sistema Análise de Desempenho do SISCEAB 2011 Distribuição da Média de Conformidade dos PSNA Média em 2011 – 87,27%

7 1.2 Média de não-conformidade por serviço de NA Análise de Desempenho do SISCEAB 2011 Evolução da Média do SISCEAB por área

8 1.2 Média de não-conformidade por serviço de NA Análise de Desempenho do SISCEAB 2011 Evolução da Média do SISCEAB, excluídas as EPTA A/ESP

9 Média de não-conformidade na Área de Saúde Análise de Desempenho do SISCEAB 2011

10 Média de não-conformidade na Área de Saúde Análise de Desempenho do SISCEAB 2011

11 1.3 Não-conformidades mais frequentes Análise de Desempenho do SISCEAB 2011 ATS - Controle sobre a criação, ativação e desativação de órgãos e posições operacionais - Controle operacional do efetivo ATCO

12 1.3 Não-conformidades mais frequentes Análise de Desempenho do SISCEAB 2011 AIS - Sistema de Qualidade AIS - Descrição das atribuições e responsabilidades (gerencias e posições operacionais)

13 1.3 Não-conformidades mais frequentes Análise de Desempenho do SISCEAB 2011 CNS - Disponibilidade das publicações indispensávis às atividades (tecn, adm, operacionais) - Descrição das atribuições e responsabilidades (gerencias e posições operacionais)

14 1.3 Não-conformidades mais frequentes Análise de Desempenho do SISCEAB 2011 MET - Sistema de Qualidade MET - Disponibilidade dos equipamentos essenciais ao subsistema de sensoriamento remoto

15 1.3 Não-conformidades mais frequentes Análise de Desempenho do SISCEAB 2011 SAU - Medida da tensão intra-ocular - Remessa periódica da documentação das inspeções de saúde para o CEMAL

16 Análise de Desempenho do SISCEAB Média de conformidade do Sistema 1.2 Média de não-conformidade por serviço de navegação aérea 1.3 Não-conformidades mais frequentes Evolução do NASO 2.1 Risco Crítico 2.2 Percentual de Não-conformidades dos PSNA Classe Percentual de Não-Conformidades com IS<=2 Processo de Vigilância Tradicional 3.1 Características 3.2 Limitações Processo de Vigilância Contínuo 4.1 Processo preconizado pela ICAO 4.2 Características 4.3 Transição do processo nos Serviços de Navegação Aérea ROTEIRO

17 2.1 Risco Crítico Evolução do NASO Risco Crítico – Análise de Tendência Média móvel de 5 anos (grau 2)

18 2.1 Risco Crítico Evolução do NASO Risco Crítico – Análise de Tendência Média móvel de 5 anos (grau 3)

19 2.2 Percentual de Não-Conformidades PSNA Classe 1 Evolução do NASO Indicador atualmente = 4,25%

20 2.3 Percentual de Não-Conformidades com IS<=2 Evolução do NASO Indicador atualmente = 0,06%

21 Análise de Desempenho do SISCEAB Média de conformidade do Sistema 1.2 Média de não-conformidade por serviço de navegação aérea 1.3 Não-conformidades mais frequentes Evolução do NASO 2.1 Risco Crítico 2.2 Percentual de Não-conformidades dos PSNA Classe Percentual de Não-Conformidades com IS<=2 Processo de Vigilância Tradicional 3.1 Características 3.2 Limitações Processo de Vigilância Contínuo 4.1 Processo preconizado pela ICAO 4.2 Características 4.3 Transição do processo nos Serviços de Navegação Aérea ROTEIRO

22 3.1 Características Processo de Vigilância Tradicional -Segurança Operacional igual a cumprimento regulamentar -Avaliação (INSPEÇÃO) única e completa de cumprimento através de inspeções periódicas independente do resultado de desempenho -Regulamentação Prescritiva

23 PROCESSOS DE VIGILÂNCIA DA SEGURANÇA OPERACIONAL Sistema ultra-seguro (Metade dos 90 para frente) Enfoque de Gerenciamento da segurança baseado em princípios de administração de empresas. Coleta rotineira e análise de dados operacionais Sistema frágil (Desde os anos 20 aos anos70) Gerenciamento individual do risco e treinamento intensivo Gerenciamento individual do risco e treinamento intensivo Investigação de acidentes Investigação de acidentes Processo Tradicional Processo Por Desempenho

24 Análise de Desempenho do SISCEAB Média de conformidade do Sistema 1.2 Média de não-conformidade por serviço de navegação aérea 1.3 Não-conformidades mais frequentes Evolução do NASO 2.1 Risco Crítico 2.2 Percentual de Não-conformidades dos PSNA Classe Percentual de Não-Conformidades com IS<=2 Processo de Vigilância Tradicional 3.1 Características 3.2 Limitações Processo de Vigilância Contínuo 4.1 Processo preconizado pela ICAO 4.2 Características 4.3 Transição do processo nos Serviços de Navegação Aérea ROTEIRO

25 4.1 Processo Preconizado pela OACI Processo de Vigilância Contínuo Processo de Vigilância por Desempenho - USOAP CMA - Programa de Vigilância da Segurança Operacional do Estado (SSP) (Anexo 19 Dez. 2013)

26 4.1 Processo Preconizado pela OACI Processo de Vigilância Contínuo Passo 1. Coleta de Dados de Segurança Operacional Passo 2. Análise e Definição do Nível de Desempenho de Segurança Operacional Step 3. Identificação e Priorização das Deficiências Passo 4. Ações de Vigilância Inspeção de Seguimento Inspeção Completa Inspeção por Área Outras ações Passo 5. Implementação de Estratégias Monitoramento contínuo de Vigilância MCV

27 4.2 Características Processo de Vigilância Contínuo Processo de Vigilância por Desempenho -Incorpora a análise dos fatores de risco para avaliar continuamente o desempenho dos serviços em relação à segurança operacional. -Coleta dados de segurança operacional de várias fontes (Compartilhamento de Dados) -Avaliação Contínua do desempenho dos serviços prestados através do SGSO implementado pelos PSNA -Canalização de esforços das atividades de Vigilância -Regulamentação por desempenho -Avaliação de cumprimento dos PSNA.

28 4.3 Transição do processo nos Serviços de Navegação Aérea Processo de Vigilância Contínuo Processo de Vigilância por Desempenho nos Serviços de Navegação Aérea - Uso do processo de avaliação de cumprimento através de inspeções sistêmicas previsto na ICA (Sendo atualmente utilizado somente nas EPTA B) - Treinamento dos INSPCEA para a avaliação do efetivo cumprimento da implementação dos SGSO dos PSNA (2013) - Uso do Vigilante para o compartilhamento de informações de segurança operacional e de desempenho (Preenchimento on line pelo PSNA dos Protocolos pelo Gerente de Segurança Operacional com base nas avaliações internas de desempenho do SGSO) - GT Normas do DECEA (legislação prescritiva => legislação por desempenho)

29 Análise de Desempenho do SISCEAB Média de conformidade do Sistema 1.2 Média de não-conformidade por serviço de navegação aérea 1.3 Não-conformidades mais frequentes Evolução do NASO 2.1 Risco Crítico 2.2 Percentual de Não-conformidades dos PSNA Classe Percentual de Não-Conformidades com IS<=2 Processo de Vigilância Tradicional 3.1 Características 3.2 Limitações Processo de Vigilância Contínuo 4.1 Processo preconizado pela ICAO 4.2 Características 4.3 Transição do processo nos Serviços de Navegação Aérea ROTEIRO

30 OBJETIVO Apresentar os resultados globais das inspeções de segurança operacional da ASOCEA, realizadas em 2011, bem como uma visão prospectiva da evolução da sistemática de vigilância da segurança operacional dos serviços de navegação aérea, com base nos novos conceitos preconizados pela ICAO.

31


Carregar ppt "Vigilância da Segurança Operacional. OBJETIVO Apresentar os resultados globais das inspeções de segurança operacional da ASOCEA, realizadas em 2011, bem."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google