A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

V ENCONTRO NACIONAL DE USUÁRIOS VIRTUA, UFOP,2007 IDÉIAS DE PAUL OTLET NO MUNDO CONTEMPORÂNEO Lena Vania Ribeiro Pinheiro IBICT- Instituto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "V ENCONTRO NACIONAL DE USUÁRIOS VIRTUA, UFOP,2007 IDÉIAS DE PAUL OTLET NO MUNDO CONTEMPORÂNEO Lena Vania Ribeiro Pinheiro IBICT- Instituto."— Transcrição da apresentação:

1 V ENCONTRO NACIONAL DE USUÁRIOS VIRTUA, UFOP,2007 IDÉIAS DE PAUL OTLET NO MUNDO CONTEMPORÂNEO Lena Vania Ribeiro Pinheiro IBICT- Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia / Coordenação de Ensino, Pesquisa, Ciência e Tecnologia da Informação, Rio de Janeiro Ouro Preto, 1º. de outubro de 2007

2 POR QUE PENSAR E ESTUDAR PAUL OTLET NO SÉCULO 21? FOI UM INVENTOR E INOVADOR NA DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO IDÉIAS PRESENTES NO MUNDO DE INFORMAÇÃO DE HOJE: - FICHA PADRÃO; - MICROFILME; - REPERTÓRIOS (REPOSITÓRIOS); - ESTRATÉGIA DE BUSCA E RECUPERAÇÃO DE INFORMAÇÃO; - CATÁLOGOS COM INTER-RELAÇÕES E LINKS (COMO UM SOFISTICADO SOFTWARE; E - ESTAÇÕES DE TRABALHO (INTERNET)

3 INÍCIO DA PROPAGAÇÃO DAS IDÉIAS DE OTLET NO BRASIL NO BRASIL OTLET TEM SUAS IDÉIAS PROPAGADAS POR HAGAR ESPANHA GOMES, EM SUA TESE DE LIVRE DOCÊNCIA, EM 1975, E POR CELIA ZAHER, QUE INCLUIA O TRAITÉ DE DOCUMENTATION EM SEUS CURSOS, NO FINAL DA DÉCADA DE 60 E INICIO DOS ANOS 70. ATIVIDADES E PIONEIRISMO DO INSTITUTO BRASILEIRO DE BIBLIOGRAFIA E DOCUMENTAÇÃO, FUNDADO EM 1954 E INFLUENCIADO PELAS IDÉIAS DE OTLET, DESDE A SUA DENOMINAÇÃO AOS SERVIÇOS, COMO AS BIBLIOGRAFIAS NACIONAIS. NO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO – CDC ( INICIALMENTE DE PESQUISAS BIBLIOGRÁFICAS), INICIADO EM 1955, PARA RPOFESSORES DE DIFERENTES FORMAÇÃO, DOCUMENTLISTAS, E BIBLIOTECÁRIOS. REPERCUSSÕES CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ, FUNDADO POR UM MÉDICO, CLODOALDO BECKMANN, DOCUMENTALISTA FORMADO PELEO IBBD. MESTRADO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DO IBICT?

4 IDÉIAS DE OTLET NO EXTERIOR CONHECIDO NO SEU TEMPO, NA BÉLGICA E ALGUNS PAÍSES DA EUROPA. DESCONHECIDO E NÃO RECONHECIDO NOS ESTADOS UNIDOS ATÉ A DÉCADA DE 90. DIVULGAÇÃO DE SUAS IDÉIAS, INTERNACIONALMENTE, DEVE-SE A RAYWARD, MAIOR ESTUDIOSOS DE SUA OBRA. POSTERIORMENTE BUCKLAND, HISTORIADOR DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, PASSOU A DIVULGÁ-LAS, INCLUSIVE NA COLETÂNEA HISTORICAL STUDIES IN INFORMATION SCIENCE, DE 1998, COM QUATRO ( 4) TRABALHOS SOBRE OTLET.

5 PAUL OTLET: PIONEIRO DA GESTÃO DA INFORMAÇÃO INSTITUTO INTERNACIONAL DE BIBLIOGRAFIA, 1895, FUNDADO POR OTLET E HENRI LA FONTAINE CLASSIFICAÇÃO DECIMAL UNIVERSAL – CDU FICHA BIBLIOGRÁFICA PADRÃO MICROFILME REPERTÓRIO BIBLIOGRÁFICO UNIVERSAL (RBU) - "A PEDRA ANGULAR DA PAZ INTERNACIONAL TRABALHO COOPERATIVO COM A LIBRARY OF CONGRESS E O BRITISH MUSEUM (REDE DE SERVIÇOS NO FINAL DOS ANOS 30, A QUANTIDADE DE ENTRADAS CHEGAVA A 15 OU 16 MILHÕES. TRAITÉ DE DOCUMENTATION (1934)

6 PAUL OTLET: SEU MUNDO E SEU TEMPO PAUL OTLET NASCEU EM 1868, EM BRUXELAS, E FALECEU EM AS CONSEQÜÊNCIAS DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL MARCAVAM TODA A EUROPA. POSITIVISMO DE COMTE OTLET VIVEU E SOFREU DUAS GRANDES GUERRAS. FORMADO EM DIREITO, TEM PRODUÇÃO INTELECTUAL VASTA EM ALGUNS CAMPOS, MAS DEDICOU SUA VIDA À DOCUMENTAÇÃO.

7 BIBLIOTECAS, DOCUMENTAÇÃO E DOCUMENTOS PARA OTLET AMPLITUDE E EXPANSÃO DO CONCEITO DE DOCUMENTO DOCUMENTAÇÃO, PARA OTLET, ERA TODA A GAMA DE PRODUTOS DE INFORMAÇÃO QUE SURGEM E SE EXPANDEM COM A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL: ARTIGOS E RELATÓRIOS CIENTÍFICOS E TÉCNICOS, DESENHOS INDUSTRIAIS, PATENTES, PROTÓTIPOS, CARTÕES POSTAIS, FOTOGRAFIAS, ENFIM, TUDO O QUE NÃO ERA CONSIDERADO MATERIAL DE BIBLIOTECA. OTLET QUERIA EXPANDIR O CONCEITO DE BIBLIOTECA DE TAL FORMA QUE ELA FOSSE UM LUGAR ONDE AS PESSOAS ACESSASSEM QUALQUER TIPO DE INFORMAÇÃO, SABENDO NÃO APENAS QUAL É O DOCUMENTO, MAS O QUE ELE CONTÉM. ( PEREIRA, 2000) CRITICAVA AS BIBLIOTECAS PELOS MATERIAIS RESTRITOS E ACHAVA QUE PODERIAM SE TORNAR OFFICE DE DOCUMENTAÇÃO O QUE ERA DIFERENTE NO OFFICE ERA ANÁLISE DA INFORMAÇÃO, REORDENAÇÃO, REESTRUTURAÇÃO, SÍNTESE. CONDENSAÇÃO, GENERALIZAÇÃO E SÍNTESE. (RAYWARD, 1998). DA BIBLIOTECA AO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO / INFORMAÇÃO MUDANÇA DE PARADIGMA: DO ARMAZENAMENTO E PRESERVAÇÃO À DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO

8 DOCUMENTAÇÃO E DOCUMENTO PARA OTLET DOCUMENTAÇÃO: UMA ABORDAGEM AMPLA PARA A ORGANIZAÇÃO DE FONTES DO CONHECIMENTO QUE FORAM CONVENCIONALMENTE ASSOCIADAS COM BIBLIOGRAFIA MEIO DE COLOCAR EM USO TODAS AS FONTES ESCRITAS E GRÁFICAS DO NOSSO CONHECIMENTO OCASIONALMENTE, OTLET UTILIZOU O TERMO INFORMAÇÃO, MAS PARA FATOS E DADOS. RAYWARD, 1998

9 PALAIS MUNDIAL OU MUNDANEUM PALAIS MUNDIAL OU MUNDANEUM O MUNDANEUM FOI PROJETADO PELO GRANDE ARQUITETO LE CORBUSIER, ABRIGAVA ATIVIDADES CIENTÍFICAS, DOCUMENTÁRIAS, EDUCATIVAS E SOCIAIS E TINHA POR PRINCÍPIOS DE ORGANIZAÇÃO AS IDÉIAS DE TOTALIDADE, SIMULTANEIDADE, GRATUIDADE, VOLUNTARIEDADE, UNIVERSALIDADE E MUNDIALIDADE". REUNIA A PESQUISA, COM SEMINÁRIO E LABORATÓRIO; A DOCUMENTAÇÃO, COM BIBLIOTECA, BIBLIOGRAFIA E ARQUIVOS ENCICLOPÉDICOS; O ENSINO, COM CURSOS, CONFERÊNCIAS, SEMANAS E QUINZENAS, FORMAS DE EXPRESSÃO DA UNIVERSIDADE; O CONGRESSO, COM ASSEMBLÉIAS E COMISSÕES FOI FECHADO PELO GOVERNO BELGA, EM NAZISMO /FASCISMO RAYWARD, 1997.

10 DOCUMENTAÇÃO PARA OTLET, DOCUMENTAÇÃO REPRESENTAVA TODA A GAMA DE PRODUTOS DE INFORMAÇÃO QUE SURGEM E SE EXPANDEM COM A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL: ARTIGOS E RELATÓRIOS CIENTÍFICOS E TÉCNICOS, DESENHOS INDUSTRIAIS, PATENTES, PROTÓTIPOS, CARTÕES POSTAIS, FOTOGRAFIAS, ENFIM, TUDO O QUE NÃO ERA CONSIDERADO MATERIAL DE BIBLIOTECA Pereira, 2000

11 PENSAMENTO DE OTLET SOBRE LIVROS OS LIVROS CONSTITUEM UMA REDE OU TEIA (WEB), TANTO DENTRO DELES QUANTO ENTRE UM E OUTRO, O QUE REPRESENTA UMA LEI DE ORGANIZAÇÃO. OS LIVROS SÃO EVOLUCIONÁRIOS: SÃO PARTE DE UM PROCESSO EVOLUTIVO E CADA UM CONTÉM OS CONHECIMENTOS ANTERIORES, QUE EXISTIAM ANTES. OTLET CHAMA ESTE PROCESSO DE LEI DA REPETIÇÃO AMPLIFICANTE: LEI UNIVERSAL QUE PROPICIA A AMPLIFICAÇÃO PELA REPETIÇÃO, POSSIBILITANDO ALCANÇAR EXPANSÃO UNIVERSAL E MUDANÇA GEOMÉTRICA, DE ESCALA, DE TAMANHO, MUDANDO O CONTEXTO NO QUAL O LIVRO SE INSERE. ISTO NOS FAZ LEMBRAR A WEB ( PEREIRA, 2000) OTLET PENSAVA O LIVRO COMO CONHECIMENTO, OU REPRESENTAÇÃO DO CONHECIMENTO, CIÊNCIA, NA SUA NATUREZA CUMULATIVA.

12 INSTITUTO INTERNACIONAL DE BIBLIOGRAFIA- IIB, 1895 CENTRO MUNDIAL PARA ORGANIZAÇÃO E DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO INTERNACIONAL. CRIADO POR PAUL OTLET (SOCIETY FOR SOCIAL AND POLITICAL STUDIES) E HENRI LA FONTAINE ( DIRETOR DO OFFICE OF SOCIOLOGICAL BIBLIOGRAHY DA SOCIEDADE,SENADOR, PRÊMIO NOBEL DA PAZ, EM 1913) NO DIA 12 DE SETEMBRO DE 1895, EM BRUXELAS. OTLET ERA ASSISTENTE DE LA FONTAINE NO PROGRAMA DO OFFICE, ONDE ESTUDOU FERRAMENTAS E SERVIÇOS BIBLIOGRÁFICOS E ADQUIRIU MUITA EXPERIÊNCIA EM PROBLEMAS DE COOPERAÇÃO E PADRÕES PARA PUBLICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS. (RAYWARD,1975). MOTIVAÇÃO: DESORGANIZAÇÃO DA LITERATURA DE CIÊNCIAS SOCIAIS O INSTITUTO FOI CRIADO PARA APOIAR NOVOS SISTEMAS PARA EXPLORAR AS POTENCIALIDADES INERENTES ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO DAQUELE TEMPO – ESTRUTURAS TEÓRICAS SOFISTICADAS. ( Rayward, 1998)

13 INSTITUTO INTERNACIONAL DE BIBLIOGRAFIA- IIB, 1895 EM 1914, O IIB CONTAVA COM CERCA DE 700 MEMBROS, ENTRE OS QUAIS MUITOS AGRACIADOS COM O PRÊMIO NOBEL. EM 1924 O IIB FOI REESTRUTURADO, TRANSFORMANDO-SE EM UMA FEDERAÇÃO COM CINCO MEMBROS NACIONAIS: BÉLGICA, FRANÇA, ALEMANHA, HOLANDA E SUÍÇA.

14 REPERTÓRIO BIBLIOGRÁFICO UNIVERSAL – RBU REPERTÓRIO BIBLIOGRÁFICO UNIVERSAL – RBU EVOLUÇÃO E CRESCIMENTO RÁPIDO DO REPERTÓRIO: - EM 1897: 1,5 MILHÕES DE ENTRADAS E, DOIS ANOS MAIS TARDE, APRESENTAVA 100% DE CRESCIMENTO, REGISTRANDO, PORTANTO, 3 MILHÕES DE FICHAS BIBLIOGRÁFICAS; EM 1912, 9 MILHÕES, NO INÍCIO DA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL CHEGOU A ATINGIR 11 MILHÕES DE FICHAS; E - NO FINAL DOS ANOS 30: QUANTIDADE DE ENTRADAS CHEGAVA A 15 OU 16 MILHÕES. ( Rayward, 1975, 1998)

15 REPERTÓRIO BIBLIOGRÁFICO UNIVERSAL – RBU REPERTÓRIO BIBLIOGRÁFICO UNIVERSAL – RBU O RBU NÃO DISPUNHA DE TODO O ACERVO QUE ARROLAVA EM SUA FICHAS. FUNCIONAMENTO: EM COLABORAÇÃO COM A LIBRARY OF CONGRESS E O BRITISH MUSEUM, CUJOS CATÁLOGOS COMEÇARAM A SER PARCIALMENTE REMETIDOS AO IIB, EM BASES REGULARES E A PARTIR DE 1902, DE OUTROS CATÁLOGOS. CONTUDO, O ACERVO A QUE SE REFERIAM PERMANECIA DISTANTE - NAS ESTANTES DAS BIBLIOTECAS DESSAS INSTITUIÇÕES.

16 REPERTÓRIO ICONOGRÁFICO UNIVERSAL EM 1906: LANÇAMENTO DO REPERTÓRIO ICONOGRÁFICO UNIVERSAL, UMA BASE DE DADOS DE IMAGENS, REUNINDO MATERIAIS ILUSTRADOS MONTADOS EM FICHAS OU FOLHAS DE PAPEL PADRONIZADAS. EM 1912: BASE REGISTRAVA 250 MIL ENTRADAS. OS CONTEÚDOS DA BASE ICONOGRÁFICA COMPLEMENTAVAM INFORMAÇÕES SOBRE OS REGISTROS DA BASE BIBLIOGRÁFICA. ( Rayward apud Pereira, 2000)

17 CLASSIFICAÇÃO DECIMAL UNIVERSAL-CDU O CATÁLOGO DO RBU ADOTOU COMO ARRANJO UMA NOVA CLASSIFICAÇÃO, A DECIMAL UNIVERSAL, QUE REPRESENTOU UMA CLASSIFICAÇÃO ALTAMENTE ELABORADA – CLASSIFICAÇÃO DECIMAL UNIVERSAL ESTA CLASSIFICAÇÃO TINHA SAÍDAS SINÓPTICAS MUITO DETALHADAS, COM DUAS FINALIDADES: BASES PARA O ARRANJO DE FICHAS NO CATÁLOGO E PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHO COLABORATIVO ENTRE ACADÊMICOS NA COMPILAÇÃO DE CATÁLOGOS (OTLET APUD RAYWARD, 1975) ALGUNS ACADÊMICOS EUROPEUS E CIENTISTAS, INCLUSIVE GANHADORES DE PRÊMIO NOBEL, COLABORARAM NA CLASSIFICAÇÃO. CDU: SOFTWARE DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Raywatrd, 1998

18 FUNÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO UM IMENSO SINÓPTICO ESBOÇO DO CONHECIMENTO, UM COMPLEXO CÓDIGO PARA REPRESENTAR A RELAÇÃO AMPLIADA DOS ASSUNTOS DOS DOCUMENTOS COM LINKS PARA GENEALOGIA DAS IDÉIAS E OBJETOS, SUAS RELAÇÕES DE DEPENDÊNCIA E SUBORDINAÇÃO, DE SIMILARIDADE E DIFERENÇA... OU UMA VERDADEIRA NOVA LINGUAGEM SEGUIA LEIS DE LÓGICA CIENTÍFICA A CDU, COMO CLASSIFICAÇÃO DEVE APRESENTAR UMA ESTRUTURA NA QUAL IDÉIAS PODEM SER SUCESSIVAMENTE SUBORDINADAS A OUTRAS, DE DIFERENTES FORMAS ( Otlet apud Rayward, 1998)

19 PROBLEMAS DA CLASSIFICAÇÃO UMA FALHA APONTADA EM RELAÇÃO À CLASSIFICAÇÃO FOI A SUA FALTA DE FLEXIBILIDADE NA BUSCA NÃO ERA POSSÍVEL NA PRÁTICA, TENDENDO A TER SOMENTE UMA ENTRADA DE AUTOR OU UMA ENTRADA DE ARQUIVO CLASSIFICADO PRINCIPAL PROBLEMA (...) NUNCA RESOLVIDO, ERA O DA CÓPIA DAS ENTRADAS DA BASE, QUER EM RESPOSTA A BUSCAS OU COMO UMA FORMA DE DESCENTRALIZAR O ACESSO PELA PUBLICAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE PARTES OU DE TODO [O REPERTÓRIO BIBLIOGRÁFICO] PARA BIBLIOTECAS E CENTROS DE INFORMAÇÃO POR TODO O MUNDO. RAYWARD, 1991.

20 LIVROS E CLASSIFICAÇÃO NOVA IDÉIA: DIVÓRCIO DO CONTEÚDO DO LIVRO DO SEU AUTOR E DE SUA INTENÇÃO AUTORAL. PODERIA SER EXTRAÍDO SISTEMATICAMENTE DO LIVRO O QUE FOSSE NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O CONHECIMENTO, QUE SERIA INSERIDO EM FICHAS RELACIONANDO OS ASSUNTOS – SISTEMA TECNOLÓGICO DE OTLET: TODAS AS MANIPULAÇÕES DE CLASSIFICAÇÃO E INTER- ARQUIVAMENTO ( OTLET apud RAYWAD 1998)

21 DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO OS CONCEITOS-CHAVE PARA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, COMO CAMPO DE ESTUDO E PESQUISA, COMO NÓS HOJE COMPREENDEMOS, ASSIM COMO O SISTEMA TÉCNICO E ATIVIDADES PROFISSIONAIS QUE A SUSTENTAM ESTAVAM IMPLÍCITOS NAS AÇÕES DO IIB. A CI COMO EXTENSÃO DA DOCUMENTAÇÃO. RAYWARD, 1998.

22 DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO HÁ UMA TENDÊNCIA EM CONSIDERAR DOCUMENTAÇÃO UM ASPECTO HISTÓRICO RESTRITO DA BIBLIOTECONOMIA ESPECIALIZADA E DE MANIPULAÇÃO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TÉCNICA. AS ATIVIDADES DO IIB CONSTITUEM UM IMPORTANTE ASPECTO HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO DA CI NOS ESTADOS UNIDOS E NA METADE DO SÉCULO 20. (Rayward, 1998)

23 REPERTÓRIO DE DOSSIÊS ENCICLOPÉDICOS OUTRA BASE EM PROJETO: REPERTÓRIO DE DOSSIÊS ENCICLOPÉDICOS, DE TEXTO COMPLETO. DEVERIA SUPLEMENTAR OS DOCUMENTOS ARROLADOS NOS OUTROS DOIS REPERTÓRIOS – O BIBLIOGRÁFICO E O ICONOGRÁFICO. CONTUDO, EM 1907, SUA REALIZAÇÃO FOI MAIS MODESTA, QUANDO DO LANÇAMENTO DA ENCICLOPÉDIA DOCUMENTÁRIA – UMA REUNIÃO DE MATERIAIS COMO PANFLETOS, BROCHURAS E MESMO PASSAGENS COPIADAS DE LIVROS E JORNAIS – UMA ENCICLOPÉDIA MULTIMIDIA. EM 1914, O ACERVO ERA DA ORDEM DE UM MILHÃO DE ITENS, DISTRIBUÍDOS EM ENTRADAS NO CATÁLOGO DE ASSUNTO. ESTE SERVIÇOS EQUIVALERIAM A UM RUDIMENTAR MANUAL DE SISTEMAS DE HIPERTEXTO E HIPERMÍDIA. ( (Rayward apud Pereira, 2000)

24 ESTRATÉGIA E SERVIÇO DE BUSCA ESTRATÉGIA E SERVIÇO DE BUSCA SERVIÇO DE BUSCA POR CORREIO INTERNACIONAL, QUE ERA PAGO, POR EXEMPLO, 27 FRANCOS POR MIL FICHAS ERAM DADAS INSTRUÇÕES PARA BUSCA E ESTABELECIDOS TERMOS AMPLOS E TERMOS RESTRITOS, SUGERINDO - SE O USO DA CDU. A INTENÇÃO ERA COPIAR AS FICHAS O QUE ERA MUITO DIFÍCIL ANTES DOS COMPUTADORES. TUDO ERA COPIADO A MÃO, TRABALHO ÁRDUO QUE TORNAVA O SERVIÇO VULNERÁVEL A ERROS. DIFICULDADES EM REPRODUZIR E DISTRIBUIR SEGMENTOS DO REPERTÓRIO, INVIABILIZARAM BIBLIOGRAFIAS, A PARTIR DAÍ HOJE, COMO OS COMPUTADORES, ESTE PROBLEMAS NÃO EXISTIRIA, COM OS SERVIÇOS DE BASES DE DADOS BIBLIOGRÁFICAS E TEXTUAIS. (Rayward, 1998)

25 PRINCÍPIO MONOGRÁFICO PRINCÍPIO MONOGRÁFICO PARA OTLET, FICHAS ERAM CENTRAIS PARA A FUNÇÃO DOCUMENTÁRIA ESPECIALIZADA: REGISTRO ANALÍTICO ÚNICO, PEÇAS SEPARADAS DE INFORMAÇÃO, SENDO BIBLIOGRÁFICAS OU SUBSTANTIVAS. ESSES REGISTROS DE PEÇAS (BITS) OTLET CHAMAVA DE PRINCÍPIO MONOGRÁFICO, NO SENTIDO DA ETIMOLOGIA GREGA DE: PEÇA INDIVIDUAL E ÚNICA OU UNIDADE DE ESCRITA. REPRESENTAVAM DADOS, IDÉIAS, INFORMAÇÃO. FICHA CATALOGRÁFICA : (...) UMA TECNOLOGIA REVOLUCIONÁRIA POR PERMITIR INTERCALAR DE FORMA CONTÍNUA AS ENTRADAS E FACILITAR A CORREÇÃO DE ERROS. Rayward, 1998

26 SERVIÇO DE DOCUMENTAÇÃO E CONSULTA OFFICE OF DOCUMENTATION NOVO TIPO DE ORGANIZAÇÃO PARA O PROCESSAMENTO E DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO, COMO ANEXOS OU ORGANIZAÇÕES SUPLEMENTARES ÀS BIBLIOTECAS O QUE ERA DIFERENTE NO OFFICE ERA A ANÁLISE DA INFORMAÇÃO, REORDENAÇÃO, REESTRUTURAÇÃO, CONDENSAÇÃO, GENERALIZAÇÃO E SÍNTESE. CONSULTA COMO UM NOVO TIPO DE FUNÇÃO DE REFERÊNCIA RÁPIDO. PROPÓSITO DE INTERROGAÇÃO DE MUITAS FONTES DE INFORMAÇÃO POR AQUELE PEDAÇO QUE É NECESSÁRIO. Rayward, 1998 BIBLIOTECAS E CENTROS DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO

27 IDÉIAS EMBRIONÁRIAS DE HIPERTEXTO E HIPERMÍDIA IDÉIAS EMBRIONÁRIAS DE HIPERTEXTO E HIPERMÍDIA Esses tipos de arquivos, a noção de chunks (pedaço grosso, pilar), sistemas de links da CDU, princípio monográfico, e outros dispositivos / esquemas/ diagramas, que Otlet chamava atlas de navegação, tudo isso leva a afirmar que funcionava como um rudimentar sistema manual de hipertexto e hipermídia Rayward, 1998

28 TECNOLOGIA DE FICHA E GABINETE - TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DE TRABALHO / NORMAS E PADRÕES - FICHA BIBLIOGRÁFICA, PADRÃO 5"X3", COM OS SEGUINTES CAMPOS: AUTOR, TÍTULO, ASSUNTO ETC. DEFINIDOS E CODIFICADOS, FOLHA DE PAPEL PADRONIZADA PARA COLAR INFORMAÇÕES, FICHÁRIO SOB MEDIDA PARA ARMAZENAR FICHAS E FOLHAS E MICROFILME. E DEFINE O SNAIL-MAIL (CORREIO LENTO, DENOMINAÇÃO DO CORREIO TRADICIONAL, ASSIM CHAMADO EM OPOSIÇÃO AO ) COMO O PRINCIPAL MEIO DE COMUNICAÇÃO ENTRE A BASE DE REGISTROS BIBLIOGRÁFICOS E SEUS USUÁRIOS. RAYWARD apud PEREIRA, 2000

29 REDE UNIVERSAL PARA DOCUMENTAÇÃO INTERNET. COOPERAÇÃO DE INDIVÍDUOS QUE TRABALHAVAM EM REDES INTER-RELACIONADAS DE BIBLIOTECAS, ARQUIVOS, MUSEUS E ESCRITÓRIOS DE DOCUMENTAÇÃO COM TODOS OS MÉTODOS DE PADRONIZAÇÃO DE COLEÇÕES E PROCESSAMENTO DA INFORMAÇÃO – CENTROS DE PRODUÇÃO, DISTRIBUIÇÃO E USO... PROCESSO DE ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS (Otlet apud Ray)

30 MULTIMÍDIA E O LIVRO 1925, OTLET E GOLDSCHMIDT ESPECULAM SOBRE O MICROFILME. A TELEVISÃO ESTAVA EM ESTÁGIO ELEMENTAR, OTLET TAMBÉM ABORDOU O INÍCIO DA TELEVISÃO COMERCIAL, EM O TRAITÉ, DE 1934, REVELA A VISÃO REVOLUCIONÁRIA DO FUTURO: MARAVILHOSAS INVENÇÕES TEM ESTENDIDO IMENSAMENTE AS POSSIBILIDADES DA DOCUMENTAÇÃO. TELEFONE, RÁDIO, TELEVISÃO, CINEMA, RECORD, ASSIM COMO OBJETOS DE MUSEUS, TODOS TÊM PROPÓSITOS SIMILARES AO LIVRO INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. GRADUALMENTE SERIAM SUBSTITUTOS DO LIVRO. RAYWARD, 1998.

31 MICROFILME FOI UMA FORMA ESPECIAL DE SUBSTITUIÇÃO DO LIVRO. OTLET ESTAVA INTERESSADO NAS POSSIBILIDADES BIBLIOGRÁFICAS DO MICROFILME. USOU O MICROFILME EM ALGUMAS PRÁTICAS DOCUMENTÁRIAS DO IIB NOVO MEIO DE COMUNICAÇÃO PARA NOVOS TIPOS DE FONTES DE INFORMAÇÃO E SERVIÇOS. ENCICLOPÉDIA MICROFÓTICA BIBLIOTECAS MICROFÓTICAS MICROFOTOGRAFARAM O ACERVO DO MUNDANEUM E PUBLICARAM UMA SERE: ENCICLOPÉDIA MICROFÓTICA MUNDANEUM – SERVIÇO DE ALERTA CORRENTE SEMANAL – REPRODUÇÃO DE ARTIGOS DE JORNAIS E DE PEIRÓDICOS EM VÁRIOS ASSUNTOS CONTEMPORÂNEOS ( 50 ASSINANTES) Rayward, 1998

32 EXEMPLO DE MODERNIDADE INTERNATIONAL OFFICE OF DOCUMENTATION FOR THE POLAR REGIONS, FOR HUNTING AND FISHING AND FOR AERONAUTICS. - REPERTÓRIO BIBLIOGRÁFICO NAS ÁREAS DAS ESPECIALIDADES; - REPERTÓRIO DE MATERIAL ILUSTRATIVO COMO FOTOGRAFIAS, DESENHOS E PINTURAS; E - UMA BIBLIOTECA ABRANGENTE. TIPO DE MATERIAL OU DOCUMENTO: TRABALHOS LITERÁRIOS, SEPARATAS DE ARTIGOS, RECORTES DE JORNAIS, DOCUMENTOS PARLAMENTARES, RELATÓRIOS, PROSPECTOS DE ESTABELECIMENTOS INDUSTRIAIS E MANUSCRITOS LIVROS, BROCHURAS, PERIÓDICOS, GRAVURAS, MAPAS OBJETOS DE CAÇA E PESCA. Rayward, 1998

33 ESTAÇÃO DE TRABALHO ACADÊMICA OTLET pensou em máquinas de ler que pudessem copiar (scan) itens físicos e reproduzir a imagem para um console de televisão na carteira do usuário mas para isto precisava de acesso online. Seria conectada a uma central hospedeira por telefone, televisão e telex. Realidade virtual Rayward apud Pereira, 2000

34 TRAITÉ DE DOCUMENTATION LE LIVRE SUR LE LIVRE LANÇADO EM 1934 É A QUE MAIS IMPRESSIONA PELA SUA MONUMENTALIDADE E ATUALIDADE, PRINCIPALMENTE PELOS PRINCÍPIOS EM QUE DEVEM SE PAUTAR OS EMPREENDIMENTOS DE ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO REGISTRADA E PELA ENUMERAÇÃO E DISCUSSÃO DAS INSTÂNCIAS EM QUE OS REGISTROS HUMANOS ENTRAM EM RELAÇÃO, SUSCITAM CONEXÕES. ENTRE MUITAS OUTRAS, AS CONEXÕES DOS REGISTROS COM ARTEFATOS TECNOLÓGICOS, OS QUAIS ESTAVAM APENAS ESPERANDO PARA SER DESCOBERTOS, SEGUNDO OTLET, FAZEM COM QUE SUAS IDÉIAS SEJAM RECONHECIDAS COMO PRECURSORAS DAS MUDANÇAS TÉCNICAS QUE OS COMPUTADORES INTRODUZIRIAM NAS ATIVIDADES DE INFORMAÇÃO, NA INTERNET OU FORA DELA. Rayward, 1991 NO TRAITÉ, PELA PRIMEIRA VEZ É INTRODUZIDO O TERMO BBILIOMETRIA, QUE VIRIA A SER UMA DISCIPLINA E METODOLOGIA DAS MAIS EMPREGADAS NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, HOJE DENOMINADA INFORMETRIA, WEBMETRIA.

35 CRÍTICAS E REAÇÃO: PRESERVAÇÃO DA OBRA DE OTLET ACUSAÇÃO CONTRA OTLET: ABANDONO E FRACASSO DE SUAS IDÉIAS E DAS ORGANIZAÇÕES NAS QUAIS FORAM GESTADAS PRODUZIRAM UM MOVIMENTO. SEUS AMIGOS FUNDAM UMA ASSOCIAÇÃO - LES AMIS DU PALAIS MONDIAL – PARA TIRAR O MUNDANEUM DO ABANDONO EM QUE SE ENCONTRAVA DESDE SUA MORTE, EM 1944, E APÓS UM LONGO PERÍODO DE INDIFERENÇA OFICIAL O MUNDANEUM FOI RECUPERADO SOB A LIDERANÇA DE ANDRÉ CANNONE QUE ASSUME A DIREÇÃO DO CENTRE DE LECTURE PUBLIQUE DE LA COMMUNAUTE FRANÇAISE DE BELGIQUE (CLPCF), EM O TRAITÉ FOI REEDITADO. COM A MORTE DE CANNONE, EM 1990, ROMPE-SE O PROJETO DE TIRAR OTLET DO ESQUECIMENTO EM QUE FOI COLOCADO, AO CRIAR UM CENTRO DE PESQUISA – O ESPAÇO MUNDANEUM - ORGANIZADO COM OS ARQUIVOS E AS PUBLICAÇÕES QUE RESTARAM DE SUA MAGISTRAL OBRA. RAYWARD, 1991, APUD PEREIRA, 2000.

36 BOYD RAYWARD ATUALMENTE PROFESSOR DA SCHOOL OF INFORMATION, LIBRARY AND ARCHIVE STUDIES DA UNIVERSIDADE DE NEW SOUTH WALES, SYDNEY/AUSTRÁLIA, MOTIVAÇÃO INICIAL PARA ESTUDAR OTLET. DENÚNCIAS CONTRA A CDU PROFERIDAS POR SEU PROFESSOR JOHN METCALFE, AO AVALIAR A EFICÁCIA DESSA CLASSIFICAÇÃO JULGAMENTOS PEJORATIVOS E PARENTÉTICOS Pereira, 2000

37 BOYD RAYWARD TRABALHOU PESADO DIA APÓS DIA, DURANTE SEIS MESES, NO MUNDANEUM, TIRANDO A POEIRA DO QUE RESTOU DO SONHO DE OTLET E COMPANHEIROS PARA TRAZÊ-LO A PÚBLICO, PRINCIPALMENTE PARA O SEGMENTO DE LÍNGUA INGLESA E NÃO BIBLIOTECÁRIO. EM 1990, A FID E A ELSEVIER PUBLICAM INTERNATIONAL ORGANISATION AND DISSEMINATION OF KNOWLEDGE, UMA SELEÇÃO DE ENSAIOS DE OTLET, LA FONTAINE E PAUL GOLDSCHMIDT, ATÉ ESSA ÉPOCA FORA DE CIRCULAÇÃO NO MERCADO LIVREIRO. Pereira, 2000

38 OTLET NO BRASIL DE HOJE ESTUDADO NA DISCIPLINA PERSPECTIVAS DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, DE LENA VANIA RIBEIRO PINHEIRO. PUBLICAÇÃO DE UMA COLETÂNEA, O SONHO DE OTLET: AVENTURA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO,ORGANIZADA POR PEREIRA E PINHEIRO E EDITADA PELO IBICT, EM 2000, EM SUA HOMENAGEM, COM PREFÁCIO PRIMOROSO DE MARIA DE NAZARÉ FREITAS PEREIRA. FILME DIVULGADO NA SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, NO IBICT, EM ARTIGO DE HELIO FERREIRA JUNIOR, MESTRANDO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DO PPGCI (IBICT-_UFF), NA REVISTA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, EM 2006: OTLET: REALIZADOR OU VISIONÁRIO? O QUE EXISTE EM UM NOME? FILME DIVULGADO NO CINFORM, EM SALVADOR, EM PALESTRA E FILME SOBRE OTLET NO V ENCONTRO NACIONAL DE USUÁRIOS VIRTUA, EM OURO PRETO, OUTUBRO DE 2007

39 PRESENÇA DE OTLET HOJE IDÉIAS E PRÁTICAS DISCUTIDAS ATUALMENTE, COMO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, RECUPERAÇÃO DA INFORMAÇÃO ESTRATÉGIAS DE BUSCA, CENTROS DE INFORMAÇÃO, SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO, BASES DE DADOS RELACIONAIS, SOFTWARE DE GESTÃO DE BASES DE DADOS, REDES DE COMUNICAÇÃO ACADÊMICA, HIPERTEXTO E MULTIMÍDIA, E MESMO A NOÇÃO DE INFORMAÇÃO. ( Rayward, 1998)

40 PRESENÇA DE OTLET HOJE A AVENTURA BIBLIOGRÁFICA INICIADA NA BÉLGICA NO FINAL DO SÉCULO XIX PODE MUITO BEM SER CONSIDERADA, EM RETROSPECTO, UM IMPORTANTE ASPECTO HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS E EM OUTROS LUGARES NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XX. Boyd Rayward, 1997.

41 OTLET VIVE E VIVA OTLET! QUALQUER GESTO DE UM PROFISSIONAL DE INFORMAÇÃO, ONTEM, HOJE E SEMPRE, SEJA DO MAIS SIMPLES, AO TER EM SUAS MÃOS UMA FICHA BIBLIOGRÁFICA, AO OLHAR CONTEMPORÂNEO NA TELA DE SEU COMPUTADOR, EM MAIS UMA NAVEGAÇÃO, ESTES GESTOS ESTÃO IMPREGNADOS PELAS IDÉIAS DE OTLET E NASCERAM HÁ MAIS DE UM SÉCULO. Lena Vania Ribeiro Pinheiro, 2007


Carregar ppt "V ENCONTRO NACIONAL DE USUÁRIOS VIRTUA, UFOP,2007 IDÉIAS DE PAUL OTLET NO MUNDO CONTEMPORÂNEO Lena Vania Ribeiro Pinheiro IBICT- Instituto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google