A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LOGÍSTICA EMPRESARIAL – 14 DISTRIBUIÇÃO DE MERCADORIAS EM EM CENTROS URBANOS CENTROS URBANOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LOGÍSTICA EMPRESARIAL – 14 DISTRIBUIÇÃO DE MERCADORIAS EM EM CENTROS URBANOS CENTROS URBANOS."— Transcrição da apresentação:

1 LOGÍSTICA EMPRESARIAL – 14 DISTRIBUIÇÃO DE MERCADORIAS EM EM CENTROS URBANOS CENTROS URBANOS

2 REPOSIÇÃO CONTÍNUA DE MERCADORIA É uma ferramenta que tem por objetivo repor os produtos na gôndola de forma rápida e adequada à demanda.

3 REPOSIÇÃO CONTÍNUA DE MERCADORIA FERRAMENTA : É obtida fazendo com que as informações de compra dos consumidores, que são coletadas pelos leitores de código de barras nos check-outs, sejam organizadas e passadas aos demais elementos da cadeia de distribuição.

4 REPOSIÇÃO CONTÍNUA DE MERCADORIA BENEFÍCIOS PARA O PRODUTOR : melhor planejamento de suas operações de melhor planejamento de suas operações de produção, de logística e distribuição. produção, de logística e distribuição. redução de estoques. redução de estoques. tempo de respostas. tempo de respostas.

5 REPOSIÇÃO CONTÍNUA DE MERCADORIA BENEFÍCIOS PARA O FORNECEDOR ( ATACADISTA OU DISTRIBUIDOR ) : redução de produtos em falta. redução de produtos em falta. aumento da integridade da marca. aumento da integridade da marca. melhora do relacionamento com o melhora do relacionamento com o varejista. varejista.

6 REPOSIÇÃO CONTÍNUA DE MERCADORIA BENEFÍCIOS PARA O VAREJISTA : aumento da lealdade do consumidor. aumento da lealdade do consumidor. melhor conhecimento dos hábitos do consumidor. melhor conhecimento dos hábitos do consumidor. melhora o relacionamento com os atacadistas e melhora o relacionamento com os atacadistas e distribuidores. distribuidores.

7 REPOSIÇÃO CONTÍNUA DE MERCADORIA Sistema integrado de distribuição : possibilidades de ampliação no leque de distribuição. possibilidades de ampliação no leque de distribuição. garantia de uma forte retaguarda à vendas. garantia de uma forte retaguarda à vendas. diminuição gradativa do pico de vendas mensal. diminuição gradativa do pico de vendas mensal. agilização do capital de giro. agilização do capital de giro. maior velocidade de reposição. maior velocidade de reposição. eliminação das rupturas nos pontos de vendas. eliminação das rupturas nos pontos de vendas. melhor fluxo nos prazos de consumo dos produtos. melhor fluxo nos prazos de consumo dos produtos. melhor acompanhamento do PEPS (primeiro que entra melhor acompanhamento do PEPS (primeiro que entra primeiro que sai). primeiro que sai). facilidades na reciclagem de zoneamento operacional. facilidades na reciclagem de zoneamento operacional.

8 DISTRIBUIÇÃO FÍSICA Refere-se à parte de um sistema logístico na movimentação externa dos produtos, do produtor ao cliente ou consumidor. Envolve : estoques. estoques. compras. compras. processamento de dados. processamento de dados. armazenamento. armazenamento. seguros. seguros. sistemas de informação. sistemas de informação.

9 DISTRIBUIÇÃO FÍSICA O processo de distribuição ótimo é aquele que faz o equilíbrio certo entre os serviços e os custos. Normalmente, os lucros são maiores em uma relação em que ambas as partes, comprador e vendedor, ganham. Os benefícios devem ser divididos entre as partes em uma pura prática de parceria.

10 SETOR RODOVIÁRIO fatura o equivalente a 6% do PIB. fatura o equivalente a 6% do PIB. emprega mais de 3,7 milhões de pessoas. emprega mais de 3,7 milhões de pessoas. responde por 66% do consumo nacional de responde por 66% do consumo nacional de combustível. combustível. somente 10% dos 1,6 milhão de quilômetros somente 10% dos 1,6 milhão de quilômetros de estradas são pavimentados. de estradas são pavimentados. os veículos de carga representam 5% do os veículos de carga representam 5% do parque automobilístico. parque automobilístico.

11 SETOR RODOVIÁRIO se envolvem em 30% dos acidentes nas se envolvem em 30% dos acidentes nas rodovias pavimentadas. rodovias pavimentadas. nos acidentes rodoviários morrem 34 mil nos acidentes rodoviários morrem 34 mil pessoas por ano. pessoas por ano. os pedágios representam 30% dos custos os pedágios representam 30% dos custos dos transportes dos transportes

12 SISTEMA RODOVIÁRIO CARACTERÍSTICAS POSITIVAS : versatilidade e flexibilidade superam os versatilidade e flexibilidade superam os outros modais. outros modais. sua organização permite maior precisão no sua organização permite maior precisão no controle de percursos e seu rastreamento controle de percursos e seu rastreamento via satélite. via satélite. a segurança operacional oferecida ao a segurança operacional oferecida ao usuário trás confiança. usuário trás confiança.

13 SISTEMA RODOVIÁRIO CARACTERÍSTICAS POSITIVAS : uma malha rodoviária que atende os uma malha rodoviária que atende os interesses nacionais. interesses nacionais. infra-estrutura de veículos e áreas de infra-estrutura de veículos e áreas de armazenagem. armazenagem. tarifas de frete ajustáveis ao valor do tarifas de frete ajustáveis ao valor do produto. produto.

14 SISTEMA RODOVIÁRIO CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS : inexistência de padronização dos tipos e inexistência de padronização dos tipos e capacidade de cargas ( peso / volume ). capacidade de cargas ( peso / volume ). carroçarias não padronizadas ( fabricantes ). carroçarias não padronizadas ( fabricantes ). baixa utilização de paletes no transporte baixa utilização de paletes no transporte de cargas. de cargas. utilização de paletes sem padronização. utilização de paletes sem padronização.

15 SISTEMA RODOVIÁRIO CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS : retorno do veículo à origem em nível nacional. retorno do veículo à origem em nível nacional. consumo maior de combustível no trânsito em consumo maior de combustível no trânsito em estradas danificadas. estradas danificadas. distribuição de carga fracionada nos centros distribuição de carga fracionada nos centros das cidades. das cidades.

16 ADMINISTRAÇÃO DA FROTA O gerenciamento de frotas é um componente importante no processo de administração de transportes, tendo em vista, que a movimentação de carga tem peso significativo na formação dos custos logísticos e na qualidade do serviço.

17 TIPOS DE VEÍCULOS Modelos de veículos rodoviários de cargas:

18 CENTROS URBANOS A movimentação de cargas nos centros urbanos é fundamental para a economia. Entretanto, a cada dia que passa, a dimensão dos problemas de distribuição urbana se agravam.

19 CENTROS URBANOS Retrato das grandes cidades brasileiras: crescimento desordenado. crescimento desordenado. falta de planejamento ordenado. falta de planejamento ordenado. normas e regras, algumas polêmicas. normas e regras, algumas polêmicas. congestionamento nas vias públicas. congestionamento nas vias públicas. dificuldades para estacionar. dificuldades para estacionar. dificuldades para carregar e descarregar. dificuldades para carregar e descarregar.

20 CENTROS URBANOS Fatores de impacto: cerca de 80% da população vive em cidades. cerca de 80% da população vive em cidades. a grande participação do modal rodoviário na a grande participação do modal rodoviário na matriz brasileira, induz a entrada do caminhão matriz brasileira, induz a entrada do caminhão na cidade. na cidade. as compras e entregas estão cada vez mais as compras e entregas estão cada vez mais pulverizadas. pulverizadas.

21 CENTROS URBANOS Fatores de impacto: movimento constante de pessoas no comércio movimento constante de pessoas no comércio no centro da cidade. no centro da cidade. crescente poder de compra dos consumidores crescente poder de compra dos consumidores de baixa – renda. de baixa – renda. demanda por conveniência e as limitações demanda por conveniência e as limitações impostas pelo poder público. impostas pelo poder público.

22 CENTROS URBANOS Reflexão em busca de alternativas sob os seguintes aspectos: a do morador da cidade que tem a qualidade a do morador da cidade que tem a qualidade de vida afetada. de vida afetada. a do prestador de serviços, que se perde em a do prestador de serviços, que se perde em eficiência operacional. eficiência operacional. a do poder público, que enfrenta dificuldades a do poder público, que enfrenta dificuldades para regulamentar e diminuir conflitos. para regulamentar e diminuir conflitos.

23 CENTROS URBANOS Fatores de impacto: nas grandes cidades, os símbolos de rapidez nas grandes cidades, os símbolos de rapidez são os moto-boys. são os moto-boys. prestadores de serviços, na conveniência de prestadores de serviços, na conveniência de atender os clientes, gera complexidade para atender os clientes, gera complexidade para coleta ou entrega de mercadorias. coleta ou entrega de mercadorias. geralmente abastecer uma maior quantidade geralmente abastecer uma maior quantidade de pontos comerciais e residenciais, trazem de pontos comerciais e residenciais, trazem dificuldades e limitações para trafegar veículos dificuldades e limitações para trafegar veículos de grande porte. de grande porte.

24 CENTROS URBANOS Medidas adotadas para minimizar os problemas: limites de tamanho e peso dos veículos. limites de tamanho e peso dos veículos. delimitação de rotas de itinerários. delimitação de rotas de itinerários. entregas noturnas. entregas noturnas. entregas em conjunto. entregas em conjunto. acesso de informações em tempo real. acesso de informações em tempo real. gerenciamento das atividades de toda a gerenciamento das atividades de toda a cadeia de abastecimento. cadeia de abastecimento.

25 CENTROS URBANOS Existe uma grande necessidade de circulação de pessoas e mercadorias nas cidades : realizar abastecimento garantindo a manutenção realizar abastecimento garantindo a manutenção dos níveis de produção e das ofertas de consumo. dos níveis de produção e das ofertas de consumo. transporte de pessoas para o trabalho, educação transporte de pessoas para o trabalho, educação e lazer para essa população. e lazer para essa população.

26 CENTROS URBANOS Nos últimos anos, a quantidade de veículos em circulação, transportando pessoas ou mercadorias, cresceu de forma mais acelerada do que a condição de investir por parte da administração pública. Assim, existe uma situação de saturação do sistema viário e de congestionamentos freqüentes.

27 CENTROS URBANOS Um grande problema que encontramos na distribuição física de mercadorias é a falta de lugar para estacionar caminhões. Resulta em freqüentes filas duplas, dificultando o trânsito do local.

28 ZONA DE MÁXIMA RESTRIÇÃO DE CIRCULAÇÃO - ZMRC A lei municipal n de 20/11/1997 implementou a utilização de Veículo Urbano de Carga (VUC) e Veículo Leve de Carga (VLC) na cidade e São Paulo. Tanto o VUC como VLC é solução para a distribuição nas ZMRC.

29 ZONA DE MÁXIMA RESTRIÇÃO DE CIRCULAÇÃO - ZMRC SOLUÇÃO: apenas veículos especiais de carga, no que diz apenas veículos especiais de carga, no que diz respeito às dimensões, podem circular durante respeito às dimensões, podem circular durante o dia. o dia. as empresas fornecedoras e os varejistas as empresas fornecedoras e os varejistas precisam aproveitar melhor a capacidade precisam aproveitar melhor a capacidade ociosa da cidade, que acontece a partir ociosa da cidade, que acontece a partir das 22 horas e vai até as 6 horas da manhã. das 22 horas e vai até as 6 horas da manhã.

30 ABASTECIMENTO NA CIDADE DE SÃO PAULO 22 HORAS 20 HORAS 6 HORAS 9 HORAS VAREJO: veículos médios VAREJO: veículos pequenos ATACADO: grandes volumes veículos grandes VAREJO: veículos médios

31 ZONA DE MÁXIMA RESTRIÇÃO DE CIRCULAÇÃO - ZMRC VEÍCULO URBANO DE CARGA - VUC É um caminhão de menor porte, mais apropriado para áreas urbanas. seu comprimento total é inferior a 5,50 metros. seu comprimento total é inferior a 5,50 metros. sua largura varia até 2,20 metros. sua largura varia até 2,20 metros. possui capacidade últil superior a kg. possui capacidade últil superior a kg.

32 ZONA DE MÁXIMA RESTRIÇÃO DE CIRCULAÇÃO - ZMRC VEÍCULO LEVE DE CARGA - VLC possui comprimento total entre 5,50 e 6,30 metros. possui comprimento total entre 5,50 e 6,30 metros. possui largura até 2,20 metros. possui largura até 2,20 metros. no entanto, só não está autorizado a circular nas no entanto, só não está autorizado a circular nas áreas de restrição das 15 às 20 horas. áreas de restrição das 15 às 20 horas. quanto ao peso não há qualquer restrição, valendo quanto ao peso não há qualquer restrição, valendo assim a lei da balança. assim a lei da balança.

33 ZONA DE MÁXIMA RESTRIÇÃO DE CARGA - ZMRC Na cidade de São Paulo o VUC e o VLC ainda sofrem de críticas de transportadores de serviços logísticos. O Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo – SETCESP, realizou estudo recente apresentando proposta para prefeitura com o objetivo de alterar as dimensões dos veículos. A idéia é mudar : o VUC dos atuais 5,5 para 6,3 m o VUC dos atuais 5,5 para 6,3 m o VLC dos atuais 6,3 para 9,5 m. o VLC dos atuais 6,3 para 9,5 m.

34 ZONA DE MÁXIMA RESTRIÇÃO DE CARGA - ZMRC Segundo o SETCESP : hoje são utilizados VUCs e VLCs hoje são utilizados VUCs e VLCs com a alteração,reduziria para VUCs e com a alteração,reduziria para VUCs e VLCs para abastecer as cidades VLCs para abastecer as cidades. a medida reduziria em 60% o número de a medida reduziria em 60% o número de deslocamentos, que hoje contabilizam deslocamentos, que hoje contabilizam por dia por dia. com as novas dimensões, os veículos com as novas dimensões, os veículos ocupariam 68 km por dia de vias. ocupariam 68 km por dia de vias. a redução na emissão de poluentes seria de 37% a redução na emissão de poluentes seria de 37%

35 VEÍCULOS ESPECIAIS PARA DISTRIBUIÇÃO URBANA 5,50 metros 2,20 metros VEÍCULO URBANO DE CARGA – VUC ATUAL PROPOSTO ATUAL PROPOSTO VEÍCULO LEVE DE CARGA – VLC ATUAL PROPOSTO ATUAL PROPOSTO 2,20 metros 9,50 metros 6,30 metros 2,20 metros 6,30 metros

36 ZONA DE MÁXIMA RESTRIÇÃO DE CIRCULAÇÃO - ZMRC Busca de um processo de distribuição impecável : flexibilidade. flexibilidade. agilidade. agilidade. perfeito controle de informações. perfeito controle de informações. Os produtos devem estar em toda a parte ao alcance de todos.

37 ZONA DE MÁXIMA RESTRIÇÃO DE CIRCULAÇÃO - ZMRC Para distribuir em regiões onde o trânsito é mais complicado: além do Veículo Urbano de Carga – VUC, além do Veículo Urbano de Carga – VUC, a empresa utiliza programas alternativos, a empresa utiliza programas alternativos, como cross-docking ou centros de como cross-docking ou centros de distribuição sem estoque. distribuição sem estoque. É o que se pode definir como distribuição 100 % sobre rodas.

38 ZONA DE MÁXIMA RESTRIÇÃO DE CIRCULAÇÃO - ZMRC Formas de operação da empresa : os produtos saem das grandes carretas para os produtos saem das grandes carretas para veículos menores. veículos menores. nos lugares em que os caminhões não podem nos lugares em que os caminhões não podem circular durante o dia, como nos centros da circular durante o dia, como nos centros da cidades, existem mini-depósitos. cidades, existem mini-depósitos. a empresa utiliza veículos menores para entregas, a empresa utiliza veículos menores para entregas, como vans, camionetes, carrinhos de mão, motos como vans, camionetes, carrinhos de mão, motos e tricíclos. e tricíclos.

39 RECEBIMENTO NOTURNO EM LOJAS VANTAGENS PARA O FORNECEDOR : diminuição dos picos de abastecimento. diminuição dos picos de abastecimento. otimização da quantidade e do perfil da frota. otimização da quantidade e do perfil da frota. utilização do veículo dia e noite. utilização do veículo dia e noite. programação dos horários ( 22 horas até 6 horas da manhã ). programação dos horários ( 22 horas até 6 horas da manhã ). diminuição do desgaste de equipamentos em diminuição do desgaste de equipamentos em congestionamentos. congestionamentos. diminuição de devoluções. diminuição de devoluções. menor perda de produto. menor perda de produto.

40 RECEBIMENTO NOTURNO EM LOJAS VANTAGENS PARA O VAREJISTA : programação de horários. programação de horários. aumento da área disponível para venda. aumento da área disponível para venda. eliminação de picos de recebimento. eliminação de picos de recebimento. atendimento rápido e ágil. atendimento rápido e ágil. menos docas e câmaras utilizadas para o estoque. menos docas e câmaras utilizadas para o estoque. redução dos níveis de estoque de segurança. redução dos níveis de estoque de segurança. abastecimento antes da abertura da loja. abastecimento antes da abertura da loja. melhor qualidade do produto ( perecíveis ). melhor qualidade do produto ( perecíveis ).

41 RECEBIMENTO NOTURNO EM LOJAS VANTAGENS PARA A COMUNIDADE : menos caminhões em trânsito durante o dia. menos caminhões em trânsito durante o dia. produtos com mais qualidade. produtos com mais qualidade. menor poluição atmosférica. menor poluição atmosférica.

42 Exemplos de algumas empresas : SHELL, RHODIA, FOSFERTIL e ULTRAFERTIL, SHELL, RHODIA, FOSFERTIL e ULTRAFERTIL, operam 24 horas por dia e obtiveram de operam 24 horas por dia e obtiveram de 40% à 70% da frota reduzida e de ganhos 40% à 70% da frota reduzida e de ganhos financeiros. financeiros. PANAMCO BRASIL, utiliza a entrega noturna, PANAMCO BRASIL, utiliza a entrega noturna, mini-depósito, integração logística e operacional mini-depósito, integração logística e operacional tendo como resultado uma redução de 5,5% da tendo como resultado uma redução de 5,5% da frota de entrega e 28,8% da frota de transporte. frota de entrega e 28,8% da frota de transporte.

43 Exemplos de empresas : GRUPO PÃO DE AÇUCAR ( nas lojas EXTRA e GRUPO PÃO DE AÇUCAR ( nas lojas EXTRA e BARATEIRO ) também mudou sua operação BARATEIRO ) também mudou sua operação para entrega noturna e reduziu : para entrega noturna e reduziu : 90% o tempo de espera no recebimento. 90% o tempo de espera no recebimento. 60% do tempo de descarga. 60% do tempo de descarga. estoques nas lojas de 2 dias. estoques nas lojas de 2 dias.

44 Exemplos de empresas : MBB FOODSERVICE ( jointventure entre a MBB FOODSERVICE ( jointventure entre a BUNGE ALIMENTOS e MARTIN-BROWER ) BUNGE ALIMENTOS e MARTIN-BROWER ) atende o cliente com produtos secos, atende o cliente com produtos secos, congelados e resfriados. congelados e resfriados. frota própria composta de 11 veículos. frota própria composta de 11 veículos. todos os veículos adaptados com três todos os veículos adaptados com três temperaturas. temperaturas. os utilitários equipados com divisórias móveis. os utilitários equipados com divisórias móveis. os VLCs equipados com prateleiras. os VLCs equipados com prateleiras. um mix de cerca de itens. um mix de cerca de itens. cadastro com clientes. cadastro com clientes.

45 MBB FOODSERVICE atua no Estado São Paulo nas regiões da atua no Estado São Paulo nas regiões da Grande São Paulo. Grande São Paulo. prazo de entrega 24 horas. prazo de entrega 24 horas. os pedidos são recebidos até 17 horas. os pedidos são recebidos até 17 horas. começam a ser separados a partir das 20 horas. começam a ser separados a partir das 20 horas. saem as 6 horas com a média de 18 entregas saem as 6 horas com a média de 18 entregas por rota. por rota.

46


Carregar ppt "LOGÍSTICA EMPRESARIAL – 14 DISTRIBUIÇÃO DE MERCADORIAS EM EM CENTROS URBANOS CENTROS URBANOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google