A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PCP - ARRANJO FÍSICO - 3. LAYOUT É A INTEGRAÇÃO DO FLUXO DE MATERIAIS, DA OPERAÇÃO DAS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS DE PROCESSOS E TRANSFORMAÇÃO, COMBINADOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PCP - ARRANJO FÍSICO - 3. LAYOUT É A INTEGRAÇÃO DO FLUXO DE MATERIAIS, DA OPERAÇÃO DAS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS DE PROCESSOS E TRANSFORMAÇÃO, COMBINADOS."— Transcrição da apresentação:

1 PCP - ARRANJO FÍSICO - 3

2 LAYOUT É A INTEGRAÇÃO DO FLUXO DE MATERIAIS, DA OPERAÇÃO DAS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS DE PROCESSOS E TRANSFORMAÇÃO, COMBINADOS COM AS CARACTERÍSTICAS QUE CONFEREM A MAIOR PRODUTIVIDADE AO ELEMENTO HUMANO. MARCILIO CUNHA

3 LAYOUT É a disposição física de máquinas, posto de trabalho, equipamentos, homens, áreas de circulação, unidades de apoio e tudo mais que ocupa espaço na fábrica, distribuindo-os de forma a maximizar a funcionalidade processo produtivo e otimizar o ambiente de trabalho.

4 LAYOUT QUANDO MODIFICAR : Existir máquinas improdutivas. Necessidade de utilização de novas máquinas. Houver excesso de material. Existir movimentação excessiva de material.

5 Minimizar os custos Objetivo - Minimizar os custos de: Processamento Transporte Armazenamento de materiais Tendo como foco a redução das atividades Economia de Movimento ( Economia de Movimento ) que não agregam valor ao sistema e melhores condições de trabalho ao funcionário. LAYOUT

6 LAYOUT

7 LAYOUT Objetivo – obter operações econômicas a fim de : utilizar racionalmente o espaço disponível. reduzir o mínimo de movimentação. obter o fluxo coerente de fabricação. oferecer melhores condições de trabalho aos funcionários. evitar investimento desnecessário. permitir manutenção. possibilitar supervisão e obtenção da qualidade. permitir futuras modificações.

8 O QUE ACARRETA UM LAYOUT MAL ELABORADO: MAL ELABORADO: Aumento nos custos. Redução dos lucros. Criação de gargalos na produção. Tempo improdutivo. Impossibilidade de ampliação futura. Inviabilidade de motivação adequada na fábrica.

9 LAYOUT FINALIDADES BÁSICAS DE TRANSPORTE E MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS : Redução de custos # Redução de custos (inventário, uso de espaço disponível, aumento da produtividade ). Redução no desperdício de materiais. # Redução no desperdício de materiais. Aumento na capacidade produtiva. # Aumento na capacidade produtiva. Melhores condições de trabalho. # Melhores condições de trabalho. Melhor aproveitamento das áreas # Melhor aproveitamento das áreas de armazenagem. de armazenagem. MARCILIO CUNHA

10 Reduzir Custos, Por quê? Finalidade: Todo negócio tem por função gerar lucro aos aos acionistas. Numa economia globalizada as margens são afetadas por variáveis externas as quais a (exemplo:variação cambial das moedas como empresa não tem poder de controle. (exemplo:variação cambial das moedas como Dolar e Euro) Dolar e Euro) Ser competitivo numa economia globalizada significa, baixo custo, prazo, qualidade e flexibilidade.

11 Reduzir Custos, Por quê? Vantagens: Reduzir desperdício do processo produtivo. Aumentar produtividade. Aumentar capabilidade de processo. Melhoria no atendimento ao prazo.

12 Novos padrões de gerenciamento da atividade industrial Vantagem competitiva no contexto global da economia mundial Tecnologias avançadas de produção Devido a intensa competição as organizações industriais vem sendo forçadas a buscar : (Mudar é preciso!!!!). Novos métodos de produção (Mudar é preciso!!!!). Sistematização de uma filosofia de manufatura, em que os sistemas operacionais se ajustem à nova configuração dos mercados. Reduzir Custos, Por quê?

13 OS 7 DESPERDÍCIOS OS 7 DESPERDÍCIOS 1. Movimentos desnecessários. 2. Excesso de inventário. 3. Subutilização/ sobrecarga. 4. Movimentação de material. 5. Má qualidade. 6. Espera. 7. Superprodução. Economia de Movimento

14 Espera Esperar por peças Excesso de Produção Produzir mais que a demanda Excesso de Produção Produzir mais que a demanda Cliente ProdutorInventário Ter mais estoque que o necessário Transporte Movimento desnecessario de peças desde o embarque até a chegada Movimentação Causar movimentos desnecessários para produzir a peça 7 maiores desperdícios no processo produtivo Excesso de Processamento Incluir nos processos que não adicionam valor Correção Reparar peças que não foram produzidas da forma correta Redução de Custo e Eliminação de Desperdício

15 Economia de Movimento (reduzir desperdício do processo produtivo) Excesso de Produção Excesso de Produção – O que é? Fazer mais do que requerido pelo próximo processo. Fazer antes do requerido pelo próximo processo. Fazer mais rápido do que requerido pelo próximo processo.

16 Problemas relacionados a eficiência de mão de obra e utilização dos equipamentos. Perdas devido a condições de espera e bloqueio. Economia de Movimento (reduzir desperdício do processo produtivo) Excesso de Produção Excesso de Produção – Porquê este tipo de perda acontece?

17 Espera por suporte, informação e/ou materiais. Baixo eficiência/disponibilidade dos equipamentos. Operações não balanceadas. Longos e inconsistentes tempo de processamento. Flutuação da programação de produção. Reuniões não agendada. Espera Espera – Porquê este tipo de perda acontece?

18 Longas distancias de operação para operação. (Deficiência no Lay-out). Movimentação fora da rota programada. Armazém dentro ou fora da Planta. Distância entre o Recebimento e o ponto de uso. Manuseio do excesso de inventário. Transporte Transporte – Porquê este tipo de perda acontece? COLOQUE ALI ATÉ QUE EU PRECISE

19 Configuração e organização da estação de trabalho deficiente. Trabalho não balanceado. Gerenciamento Visual não implementado. Padronização do trabalho não implementado. Movimento Desnecessário Movimento Desnecessário – Porquê este tipo de perda acontece?

20 Padrões não conhecidos / não claros para o operador. Especificações do cliente são vagas e flutuantes. Ocorrência de teste e reteste do produto. Departamentos funcionais possuem objetivos não alinhados e comunicação pobre. Conceito do quanto mais melhor. Excesso de Processamento Excesso de Processamento – Porquê este tipo de perda acontece?

21 Correção ( retrabalho ) Correção ( retrabalho ) – Porquê este tipo de perda acontece? Feedback sobre qualidade deficiente e lento. Inspeções auxiliares feitas fora da estação de trabalho. Operações de reparo são consideradas aceitáveis(conformismo com a situação atual). Poucos dispositivos a Prova de Erro eficázes instalados. Falta de Padronização do trabalho. Incompatibilidade entre o produto e processo. Excesso de complexidade do produto.

22 Mentalidade de produção em Massa. Produtividade imprevisível. Programação não é eficiente em todos estágios do processo. Falta de uso do Gerenciamento Visual para controle. Trabalho com grandes tamanhos de lotes e embalagens. Trabalho com grandes variedades de lotes. Excesso de complexidade do produto. Gestão focada nos materiais deficiente. Inventário Inventário – Porquê este tipo de perda acontece?

23 ELEMENTOS DE TRABALHO : Busca Busca - Operação básica para localizar objetos, fazendo parte do ciclo onde os olhos se movimentam em direção ao objeto ou onde as mãos irão tateá-los. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

24 Questões a fim de eliminar ou reduzir o tempo de Busca Questões a fim de eliminar ou reduzir o tempo de Busca : - Objetos estão identificados adequadamente? - Pode-se utilizar recipientes transparentes? - Melhorias no layout da estação de trabalho eliminaria ou reduziria o tempo de busca? - A iluminação utilizada é adequada? - As ferramentas ou peças podem ser pré-posicionadas? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

25 ELEMENTOS DE TRABALHO ELEMENTOS DE TRABALHO : Seleção Seleção - Operação básica para escolher uma peça dentre outras. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

26 ELEMENTOS DE TRABALHO ELEMENTOS DE TRABALHO : Questões a fim de eliminar o tempo de Seleção: - As peças em comum são intercambiáveis? - As ferramentas podem ser padronizadas? - Melhorias no layout da estação de trabalho eliminariam a seleção? -Podem-se utilizar prateleiras ou bandejas a fim de que as peças sejam pré-selecionadas? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

27 ELEMENTOS DE TRABALHO : Alcance Alcance - Mover as mãos na direção do objeto. O tempo de alcance não pode ser eliminado, mas pode ser reduzido, diminuindo a distância e estabelecendo locais fixos aos objetos. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

28 ELEMENTOS DE TRABALHO : Suporte Suporte - Uma mão para segurar o objeto outra para trabalhar. Questão a fim de eliminar o suporte: - É possível utilizar dispositivos? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

29 ELEMENTOS DE TRABALHO : Soltar - Abandonar o controle do objeto. O desprendimento requer o mínimo de tempo e pouco se pode fazer para modificá-lo. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

30 ELEMENTOS DE TRABALHO : Pegar Pegar - Obter controle do objeto. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

31 ELEMENTOS DE TRABALHO ELEMENTOS DE TRABALHO : Pegar Pegar - Obter controle do objeto. Questões para aprimorar as apreensões: - Pode-se obter mais de um objeto de uma só vez? - Os objetos podem ser arrastados ao invés de carregados? - Uma modificação na frente das caixas não simplificaria a apreensão de peças menores? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

32 ELEMENTOS DE TRABALHO : Pegar Pegar - Obter controle do objeto. Questões para aprimorar as apreensões: - Ferramentas e peças podem ser pré-posicionadas? - Pode-se utilizar dispositivos ou transportador? - Pode-se pré-posicionar ferramenta ou serviço para a próxima operação? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

33 ELEMENTOS DE TRABALHO : Movimento Movimento - Mover objetos. Os movimentos a locais genéricos são mais rápidos do que em locais específicos. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

34 ELEMENTOS DE TRABALHO : Movimento Movimento - Mover objetos. Questões a fim de reduzir o tempo de movimento: - É possível diminuir a distância? - Ombros, antebraço e dedos estão sendo utilizados corretamente? - É possível utilizar transportadores de gravidade? - É possível transportar em grande quantidade? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

35 ELEMENTOS DE TRABALHO : Posicionamento Posicionamento - Colocar objeto num local específico. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

36 ELEMENTOS DE TRABALHO : Posicionamento Posicionamento - Colocar objeto num local específico. Questões a fim de reduzir o tempo de posicionamento: - É possível utilizar dispositivos para auxiliar no processo? - É possível modificar a tolerância? - É possível utilizar gabaritos? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

37 ELEMENTOS DE TRABALHO : Pré-posicionamento Pré-posicionamento - Organização prévia dos objetos. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

38 ELEMENTOS DE TRABALHO ELEMENTOS DE TRABALHO : Pré-posicionamento Pré-posicionamento - Organização prévia dos objetos. Questões úteis ao pré-posicionamento : - É possível criar dispositivos para fixação de ferramentas? - É possível pendurar as ferramentas? - É possível utilizar um guia? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

39 ELEMENTOS DE TRABALHO : Pré-posicionamento Pré-posicionamento - Organização prévia dos objetos. Questões úteis ao pré-posicionamento: - É possível utilizar dispositivos de empilhamento? - É possível utilizar instalações rotatórias? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

40 ELEMENTOS DE TRABALHO : Inspeção Inspeção - Elemento responsável pela garantia de qualidade durante o processo produtivo. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

41 ELEMENTOS DE TRABALHO : Inspeção Inspeção - Elemento responsável pela garantia de qualidade durante o processo produtivo. Questões para aprimorar a inspeção: - É possível eliminar ou unir a inspeção à outras operações? - A iluminação é adequada? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

42 ELEMENTOS DE TRABALHO : Inspeção Inspeção - Elemento responsável pela garantia de qualidade durante o processo produtivo. Questões para aprimorar a inspeção: - Os objetivos ou operações estão sendo inspecionados a uma distância adequada? - O melhor método de inspeção é o que está sendo utilizado? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

43 ELEMENTOS DE TRABALHO ELEMENTOS DE TRABALHO : Montagem Montagem - Ocorre quando duas peças conjugadas são unidas. Tempo de montagem pode ser mais facilmente aprimorado do que eliminado. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

44 ELEMENTOS DE TRABALHO ELEMENTOS DE TRABALHO : Desmontagem Desmontagem - Ocorre quando duas peças conjugadas são separadas. Geralmente, precede a apreensão e sucede o movimento ou desprendimento.

45 ELEMENTOS DE TRABALHO : Utilização Utilização - É o processo que conduz a operação aos seus objetivos finais. Questões para aprimorar a utilização: - É possível o uso de ferramentas/equipamentos automáticos? - É possível utilizar ferramentas mais elaboradas? - A ferramenta está sendo usada na velocidade adequada? ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

46 ELEMENTOS DE TRABALHO : Demora inerente/espera Demora inerente/espera - Interrupções contrárias à vontade do operador quando da execução de uma operação. Para eliminação deste tempo é necessário efetuar modificações no processo produtivo. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

47 ELEMENTOS DE TRABALHO : Atrasos evitáveis Interrupções efetuadas pelo próprio operador. Atrasos evitáveis - Interrupções efetuadas pelo próprio operador. (intencionalmente ou não) (intencionalmente ou não) Este tempo pode ser eliminado pelos operadores, sem mudança no processo ou no método de execução do serviço. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

48 ELEMENTOS DE TRABALHO : Planejamento Planejamento - É o processo mental que ocorre quando o operador pára a fim de determinar a próxima atividade. Esta é uma característica de novos operadores, podendo ser removida com treinamento. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

49 Elementos de trabalho que agregam valor ao produto São os elementos que proporcionam o progresso do trabalho (modificam o produto) e os quais o cliente final está disposto a pagar. Estes elementos devem ser agilizados e não dificultados. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

50 não agregam Elementos de trabalho que não agregam valor ao produto São os elementos que não proporcionam o progresso do trabalho (não modificam o produto) e os quais o cliente final não está disposto a pagar. Estes elementos devem ser eliminados. Quando não possível, devemos minimizá- los e ou administrá-los. ECONOMIA DE MOVIMENTO – VALOR AGREGADO

51 Sistema de Manuseio de Materiais Sistema de Manuseio de Materiais Principais materiais manuseados: Suprimentos de manutenção Suprimentos de manutenção Sucata e resíduos Sucata e resíduos Componentes comprados Componentes comprados Matérias-primas Matérias-primas Embalagens Embalagens Material em processo Material em processo O sistema de manuseio de materiais é a rede inteira de transporte que é responsável pelos materiais manuseados de um processo produtivo.

52 O projeto e o layout de prédios devem estar integrados com o projeto do sistema de manuseio de materiais Exemplo: Caso seja contemplado no projeto o uso de esteiras transportadoras aéreas, a estrutura do prédio deve esta dimensionada para a operação deste dispositivo Sistema de Manuseio de Materiais Sistema de Manuseio de Materiais

53 1.Os materiais devem movimentar-se em fluxos lineares, evitando ziguezagues. 2.O processo de produção deve proporcionar fluxos lineares de materiais. 3.Minimizar esforço humano com uso de dispositivos.

54 4. Materiais mais pesados e volumosos devem ser movimentados a uma distância mais curta. 5. Diminuir o número de vezes de movimentação dos materiais 6. O sistema deve ser flexível, prevendo situações inesperadas ( quebras de equipamentos de movimentação,expansão de capacidade de produção ). 7. Cargas vazias ou parciais devem ser evitadas no transporte de materiais. Sistema de Manuseio de Materiais Sistema de Manuseio de Materiais

55 OS 5 SsOS 5 Ss 1. Senso de Utilização 2. Senso de Organização 3. Senso de Limpeza 4. Senso de Saúde 5.Senso de Auto-Disciplina Economia de Movimento

56 Antes de definir um arranjo físico, é fundamental saber: Quanto ao equipamento de manuseio de material.Quanto ao equipamento de manuseio de material. Quanto aos requisitos de capacidade e espaço.Quanto aos requisitos de capacidade e espaço. Quanto ao ambiente e estética.Quanto ao ambiente e estética. ( janela, portas, portões,ventilação forçada e outros ) ( janela, portas, portões,ventilação forçada e outros ) Tipos de Arranjos Físicos-Layouts

57 Antes de definir um arranjo físico, é fundamental saber: Quanto ao fluxo de informações (células de escritório, divisórias de meia altura).Quanto ao fluxo de informações (células de escritório, divisórias de meia altura). Quanto ao custo de movimentação entre diversas áreas de trabalho.Quanto ao custo de movimentação entre diversas áreas de trabalho. Tipos de Arranjos Físicos-Layouts

58 1. Em Linha ou por Produto. 2. Funcional ou por Processo. 3. Posição fixa. 4. Layout Celular e Manufatura Celular. 5. Lojas Varejistas. 6. Depósito e Armazéns. Tipos de Arranjos Físicos-Layouts

59 São idealizados para acomodar alguns São idealizados para acomodar alguns poucos projetos de produtos. poucos projetos de produtos. Normalmente permitem fluxo linear e Normalmente permitem fluxo linear e um bom exemplo são as montadoras. um bom exemplo são as montadoras. LAYOUT EM LINHA OU POR PRODUTO

60 CARACTERÍSTICAS : FABRICAÇÃO DE PRODUTOS PADRONIZADOS. OPERAÇÕES REPETITIVAS. ELEVADA PRODUÇÃO. POSTOS DE TRABALHO SUCESSIVO. LAYOUT EM LINHA OU POR PRODUTO

61 CARACTERÍSTICAS : CARACTERÍSTICAS : TRANSPORTE E MOVIMENTAÇÃO CONTÍNUOS. FLUXO PRODUTIVO REALIZADO DE MÁQUINA PARA MÁQUINA OU EM TER UM POSTO DE E OUTRO DENTRO DA SEÇÃO. CADA PRODUTO SEGUE UM ROTEIRO E A SEQUÊNCIA DE ATIVIDADES COINCIDE COM A SEQUÊNCIA NA QUAL OS PROCESSOS FORAM ARROJADOS.

62 CARACTERÍSTICAS : FABRICAÇÃO DE PRODUTOS PADRONIZADOS. OPERAÇÕES REPETITIVAS. ELEVADA PRODUÇÃO. POSTOS DE TRABALHO SUCESSIVO. TRANSPORTE E MOVIMENTAÇÃO CONTÍNUOS. FLUXO PRODUTIVO REALIZADO DE MÁQUINA PARA MÁQUINA OU EM TER UM POSTO DE E OUTRO DENTRO DA SEÇÃO. LAYOUT EM LINHA OU POR PRODUTO

63 VANTAGENS : estoques reduzidos de materiais em processo. pequeno manuseio de material. fabricação de produtos padronizados. produção contínua. tempo de produção conhecido. facilidade de treinamento de pessoas. melhor controle de produção pessoal. facilidade de planejamento e supervisão.

64 LAYOUT EM LINHA OU POR PRODUTO DESVANTAGENS : Possibilidade de utilização incompleta da capa cidade produtiva das máquinas. Alto investimento. Defeito em uma máquina implica a paralisação da linha. Custo elevado de sua capacidade for sub - utili zada. Falta de flexibilidade devido a dificuldade de utilizar a linha produtiva na fabricação de outros produtos ou de usar cada máquina isoladamente.

65 Outros Exemplos : Montagem de automóveis: quase todas as variantes do mesmo modelo requerem as mesmas sequência de processo.Montagem de automóveis: quase todas as variantes do mesmo modelo requerem as mesmas sequência de processo. Programa de vacinação em massa: as atividades são as mesmas desde a parte burocrática até a vacinação.Programa de vacinação em massa: as atividades são as mesmas desde a parte burocrática até a vacinação. Restaurante self-service : a disposição dos pratos é a mesma para todos os clientes, e a sequência de serviços é comum a todos os clientes.Restaurante self-service : a disposição dos pratos é a mesma para todos os clientes, e a sequência de serviços é comum a todos os clientes. LAYOUT EM LINHA OU POR PRODUTO

66

67

68

69

70

71

72

73

74

75

76

77

78 Também chamados de layouts funcionais ou job shops, são projetados para acomodar a variedade de projetos de produto e etapas de processamento. Também chamados de layouts funcionais ou job shops, são projetados para acomodar a variedade de projetos de produto e etapas de processamento. Normalmente usam máquinas de uso geral e elas são organizadas de acordo com o tipo de processo que é executado. Normalmente usam máquinas de uso geral e elas são organizadas de acordo com o tipo de processo que é executado. LAYOUT FUNCIONAL OU POR PROCESSO

79 Flexível para atender a mudanças de mercado. Atende a produtos diversificados em quantidades variáveis ao longo do tempo. Apresenta um fluxo longo dentro da fábrica. Produção em pequenas e médias quantidades. Operações variadas pelas máquinas. Fluxo desordenados entre seções.

80 LAYOUT FUNCIONAL OU POR PROCESSO Produto A Produto B Expedição Montagem Fabricação Regulagem Oficina

81 LAYOUT FUNCIONAL OU POR PROCESSO VANTAGENS : VANTAGENS : Melhor utilização das máquinas ( operações independentes e possibilidade de mudar a ( operações independentes e possibilidade de mudar a seqüência na execução do trabalho ). seqüência na execução do trabalho ). ( relativo ). Menor investimento ( relativo ). A quebra de uma máquina não significa a parada total da produção. Melhor avaliação de operadores. Adaptação da produção intermitente. permite variedade de produtos fabricados ). Flexibilidade( permite variedade de produtos fabricados ). Uso dos melhores funcionários em trabalhos mais difíceis.

82 LAYOUT FUNCIONAL OU POR PROCESSO DESVANTAGENS : Planejamento difícil, devido a variedade de produtos que pode ser fabricada. Longo percurso para produtos que pode ser fabricada. Maior área ocupada. Movimentação elevada de material e produto. Dificuldade de controle da produção. Fluxo de material deficiente. Tempo de fabricação não padronizado e mais longo.

83 LAYOUT FUNCIONAL OU POR PROCESSO Exemplos: Hospital : Hospital : alguns processos ( raio-x, laboratórios ) são necessários a um grande número de diferentes tipos de pacientes.alguns processos ( raio-x, laboratórios ) são necessários a um grande número de diferentes tipos de pacientes. alguns processos( alas gerais) podem atingir altos níveis de utilização dos recursos.alguns processos( alas gerais) podem atingir altos níveis de utilização dos recursos.

84 Exemplos: Usinagem de peças: Usinagem de peças: Tratamento térmico.Tratamento térmico. Centros de usinagem.Centros de usinagem. LAYOUT FUNCIONAL OU POR PROCESSO

85

86 Exemplos: Supermercado: Supermercado: área de hortaliças e vegetais.área de hortaliças e vegetais. enlatados, refrigerantes, massas, óleos, padaria, carne, peixes, frios e outros.enlatados, refrigerantes, massas, óleos, padaria, carne, peixes, frios e outros. possuem maior facilidade na reposição dos produtos, Walking Cooler, Open Cooler.possuem maior facilidade na reposição dos produtos, Walking Cooler, Open Cooler. LAYOUT FUNCIONAL OU POR PROCESSO

87

88 Informações Depósito Balcão de Atendimento Área de copiadoras Coleçãoreservada Sala de acesso - internet Mesas de Estudo Livros para empréstimos Seção de referências LAYOUT FUNCIONAL OU POR PROCESSO Biblioteca

89 Custos em um arranjo físico por processo: Quando se projeta um arranjo físico por processo, a tática mais comum é organizar os departamentos ou centros de trabalho de modo a minimizar os custos de manipulação de materiais, sendo assim presume-se que o custo seja função da distância entre os departamentos podendo ser expresso da seguinte forma:Quando se projeta um arranjo físico por processo, a tática mais comum é organizar os departamentos ou centros de trabalho de modo a minimizar os custos de manipulação de materiais, sendo assim presume-se que o custo seja função da distância entre os departamentos podendo ser expresso da seguinte forma:

90 Custos em um arranjo físico por processo: Onde n = nº total de centros de trabalho ou departamentos i,j = departamentos individuais i,j = departamentos individuais X iJ = nº de cargas movimentadas do departamento i para o departamento j. X iJ = nº de cargas movimentadas do departamento i para o departamento j. C iJ = custo para movimentar uma carga do departamento i para o departamento j. C iJ = custo para movimentar uma carga do departamento i para o departamento j.

91 Exemplo prático para pequenos problemas: A alta administração da Walters Company quer organizar os seis departamentos de sua fábrica de uma forma que irá minimizar os custos de movimentação de material entre os departamentos. Eles utilizam um pressuposto inicial de cada departamento tenha 6 m X 6 m e que a construção tenha 18,3 m de comprimento e 12,2 m de largura.

92 Exemplo prático para pequenos problemas: O procedimento de arranjo físico de processo que eles seguem envolvem seis etapas: 1.Construir uma matriz de-para mostrando o fluxo de peças e materiais de departamento para departamento; 2. Determinar os requisitos de espaço para cada departamento; 3. Desenvolver um diagrama esquemático inicial mostrando a sequência dos departamentos através dos quais as peças devem se movimentar;

93 Exemplo prático para pequenos problemas: 4. Determinar o custo desse arranjo físico utilizando a equação do custo de movimentação de materiais; 5. Por tentativa e erro ou por uma abordagem mais sofisticada, tente melhorar o arranjo físico; 6. Prepare um plano detalhado organizando os departamentos para que se ajustem à forma do prédio e de suas áreas não-móveis.

94 Exemplo prático para pequenos problemas: Etapa-1 Como os grandes fluxos estão entre os departamentos 1,3 e 6, então estes departamentos devem se localizar próximos uns dos outros. Número de cargas por semana departamento

95 Exemplo prático para pequenos problemas: Etapa-2 Padrão de arranjo físico sem estudo, apenas com a divisão do espaço disponível. Sala#1Sala#2Sala#3 12,2 m Departamento#1Departamento#2Departamento#3 Departamento#4Departamento#5Departamento#6 Sala#4Sala#5Sala#6 18,3 m

96 Exemplo prático para pequenos problemas: Etapa-2 Para esse problema a Walters Company pressupõe que uma empilhadeira transporta todas as cargas entre os departamentos. O custo de movimentação de uma carga entre departamentos adjacentes é estimado em $1,00. A movimentação de cargas entre departamentos não-adjacentes custa $2,00. Observando o quadro da etapa-1,vemos que o custo de movimentação entre os departamentos 1 e 2 é de $50,00($1,00 x 50), $200,00 entre os departamentos 1 e 3($2,00 x 100),$40,00 entre os departamentos 1 e 6($2,00 x 20) e assim por diante. O custo total para o arranjo será:

97 Exemplo prático para pequenos problemas: Etapa-3Etapa-4 Custo = $50,00 + $200,00 + $40,00 + $30,00 + $50,00 + (1 e 2) (1 e 3) (1 e 6) (2 e 3) (2 e 4) (1 e 2) (1 e 3) (1 e 6) (2 e 3) (2 e 4) $10,00 + $40,00 + $100,00 + $50,00 = total = $570,00 $10,00 + $40,00 + $100,00 + $50,00 = total = $570,00 (2 e 5) (3 e 4) (3 e 6) (4 e 5) (2 e 5) (3 e 4) (3 e 6) (4 e 5)

98 Exemplo prático para pequenos problemas: Etapa-5 – Implementando o processo de melhoria por tentativa e erro(ou por uma abordagem mais sofisticada). Custo = $50,00 + $100,00 + $20,00 + $60,00 + $50,00 + (1 e 2) (1 e 3) (1 e 6) (2 e 3) (2 e 4) (1 e 2) (1 e 3) (1 e 6) (2 e 3) (2 e 4) $10,00 + $40,00 + $100,00 + $50,00 = total = $480,00 $10,00 + $40,00 + $100,00 + $50,00 = total = $480,00 (2 e 5) (3 e 4) (3 e 6) (4 e 5) (2 e 5) (3 e 4) (3 e 6) (4 e 5)

99 Exemplo prático para pequenos problemas: Etapa-6 – O plano detalhado deve conter os departamentos para que se ajustem à forma do prédio e de suas áreas não-móveis. Sala#1Sala#2Sala#3 12,2 m Departamento#2Departamento#1Departamento#3 Departamento#4Departamento#5Departamento#6 Sala#4Sala#5Sala#6 18,3 m

100 Quando 20 ou mais departamentos estão envolvidos em um problema de layout, mais de 600 trilhões de combinações são possíveis. Neste caso é necessário a utilização de um recurso de software, onde o mais conhecido é o CRAFT (Computerized Relative Allocation of Facilities Technique). O CRAFT é uma técnica de busca que examina sistematicamente as alternativas de reorganização departamentais para reduzir o custo total da movimentação do material, tem a vantagem adicional de examinar não somente a carga e a distância mas também um terceiro fator, o índice de dificuldades de implementação.

101 O Produto permanece numa posição fixa e os trabalhadores, materiais, máquinas e sub-contratados se movimentam até o produto. O Produto permanece numa posição fixa e os trabalhadores, materiais, máquinas e sub-contratados se movimentam até o produto. LAYOUT DE POSIÇÃO FIXA

102 Normalmente trata-se de um produto único, em quantidade pequena ou unitária e, em geral, não repetitivo e de grandes dimensões físicas. Normalmente trata-se de um produto único, em quantidade pequena ou unitária e, em geral, não repetitivo e de grandes dimensões físicas. LAYOUT DE POSIÇÃO FIXA

103 LAYOUT POR POSIÇÃO FIXA CARACTERÍSTICAS : O material permanece fixo em uma determinada posição e as máquinas se deslocam até ao o local executando as operações necessárias. Produto único, em quantidade pequena ou unitária e, em geral, não repetitivo. Fabricação de produtos de grandes dimensões físicas.

104 Grupo de Estudos da Logística em Pernambuco LAYOUT DE POSIÇÃO FIXA

105

106

107

108

109 As máquinas são agrupadas em células, e estas funcionam semelhante a uma ilha de layout de produção dentro de um layout por processo As máquinas são agrupadas em células, e estas funcionam semelhante a uma ilha de layout de produção dentro de um layout por processo Cada célula é formada para produzir uma única família de peças. Cada célula é formada para produzir uma única família de peças. LAYOUT CELULAR OU LAYOUT DE MANUFATURA CELULAR

110 A 12 3 A

111 Material O layout acima é limitado em relação a posto de trabalho, já o tipo U ao lado é flexível. O layout em linha abaixo não comuniza operações, já o tipo U ao lado é mais enxuto.

112 CARACTERÍSTICAS : Consiste em arranjar em um único lugar a célula de manufatura, máquinas diferentes que possam fabricar o produto inteiro. O material se desloca dentro da célula buscando os processos necessários. Relativa flexibilidade quanto ao tamanho de lotes por produto. Específico para uma família de produtos. Diminui os estoques. Centraliza a responsabilidade sobre o produto fabricado. Enseja satisfação no trabalho. Permite elevado nível de qualidade e de produti vidade. LAYOUT CELULAR OU LAYOUT DE MANUFATURA CELULAR

113 FATORES QUE INFLUENCIAM NA MONTAGEM DO LAYOUT FATORES QUE INFLUENCIAM NA MONTAGEM DO LAYOUT : MATERIAL:matérias-primas,materiais auxiliares e produtos acabados. MATERIAL:matérias-primas,materiais auxiliares e produtos acabados. MÁQUINA : máquinas, equipamentos e ferramentais. MÁQUINA : máquinas, equipamentos e ferramentais. HUMANO : supervisão,trabalho direto e indireto. HUMANO : supervisão,trabalho direto e indireto. MOVIMENTAÇÃO : transporte intra e entre departamentos, manuseio MOVIMENTAÇÃO : transporte intra e entre departamentos, manuseio estocagem e inspeção. estocagem e inspeção. ESPERA : estocagens temporárias e permanentes. ESPERA : estocagens temporárias e permanentes. SERVIÇOS AUXILIARES : manutenção, inspeção, programação e SERVIÇOS AUXILIARES : manutenção, inspeção, programação e expedição. expedição. PRÉDIO : características internas e externas do prédio e distribuição PRÉDIO : características internas e externas do prédio e distribuição de utilidades e equipamentos. de utilidades e equipamentos. MUDANÇA : versatilidade, flexibilidade MUDANÇA : versatilidade, flexibilidade e expansão. e expansão.

114 Particularidades de cada Arranjo Físico

115 SUPERFÍCIE DE OCUPAÇÃO : Superfície estática (Se):é a superfície correspondente aos móveis,máquinas e instalações. Superfície gravitacional(Sg):é a superfície utilizada ao redor dos postos de trabalho pelo operador e pelo material acoplado para materiais em curso. N: número de lados usados(operador,móvel ou máquina) Sg = Se x N

116 SUPERFÍCIE DE OCUPAÇÃO : Superfície de circulação (Sc): Superfície de circulação (Sc):é a superfície que se tem de reserva entre os postos de trabalho para uso do pessoal e para manutenção. Sc = ( Se + Sg ) K

117 SUPERFÍCIE DE OCUPAÇÃO Coeficiente K >É um coeficiente que pode variar desde 0.05 a 3; >Se calcula como uma relação entre as dimensões dos homens ou objetos colocados; Valores de K para determinadas atividades: *Grande industria,alimentação e saída mediante ponte rolante: 0.05 a 0.15 *Textil – tecido: 0.10 a 0.25 Industria Mecânica Pequena:1.50 a 2.0 Industria Mecânica Média: 2.00 a 3.0

118 SUPERFÍCIE DE OCUPAÇÃO EXEMPLO: UMA PEQUENA OFICINA MECÂNICA POSTO DE TRABALHO Se x N = Sg >Torno pequeno 1.2 m.q >Fresadora 2.0 m.q > Furadeira Radial 2.0 m.q >Retificadora Plana 2.0 m.q TOTAL 7.2 m.q. 19.2m.q. MARCILIO CUNHA

119 SUPERFÍCIE DE OCUPAÇÃO Tomando K = 2, a superfície de circulação (Sc), é igual a : Sc = ( Se + Sg ) K Sc = ( ) x 2 Sc = ( 26.4 ) x 2 Sc = 52.8 m.q.

120 SUPERFÍCIE DE OCUPAÇÃO Superfície total necessária é : Se + Sg + Sc = Superfície Total, aproximadamente de 79.2 metros quadrados. quadrados. MARCILIO CUNHA

121 DETERMINAÇÃO DO NÚMERO DE EQUIPAMENTOS TRATA - SE DE DETERMINAR A QUANTIDADE DE EQUIPAMENTOS A SER UTILIZADA DEPENDE DA CAPACIDADE DO NÚMERO DE TURNOS DE TRABALHO E DAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE CADA EQUIPAMENTO.

122 EXEMPLO : Uma fábrica de frascos plásticos soprados deseja instalar um número de máquinas de sopro que seja suficiente para produzir de frascos por ano. Cada máquina deve trabalhar em 2 turnos de 8 horas/ dia, porém um trabalho útil de 7 horas por turno, e produzir um frasco a cada 15 segundos. Sabe-se também que existe uma perda de 3% na produção. Considerando que o ano tem 300 dias úteis, quantas máquinas de sopro são necessárias para atender a demanda estipulada?

123 DADOS : Produzir de frascos por ano; Dois turnos de 8 horas por dia; Dois turnos de 8 horas por dia; Trabalho útil de 7 horas por turno; Trabalho útil de 7 horas por turno; Produzir 1 frasco a cada 15 segundos; Produzir 1 frasco a cada 15 segundos; Perda de 3% na produção; Perda de 3% na produção; Ano com 300 dias úteis. Ano com 300 dias úteis. SOLUÇÃO : a)Determinação da quantidade de frascos que cada máquina pode produzir no ano: pode produzir no ano: 1 hora = 60 minutos x 60 = 3600 segundos Número de 7 horas / turno x 3600 segundos / hora frascos por = turno por 15 segundos / máquina / frasco turno por 15 segundos / máquina / frascomáquina = 1680 frascos / turno / máquina = 1680 frascos / turno / máquina

124 b) O número de frascos sem defeito é : 1680 frascos/turno/ máquina x 0,97 = 1629, frascos/turno/ máquina x 0,97 = 1629,6 em 2 turnos serão produzidos : em 2 turnos serão produzidos : 1629,6 frascos/turno/máquina x 2 = 3259,2 1629,6 frascos/turno/máquina x 2 = 3259,2 3259,2 frascos sem defeito/máquina/dia 3259,2 frascos sem defeito/máquina/dia em 1 ano serão produzidos : em 1 ano serão produzidos : 3259,2 frascos/máquina/dia x 300 dias/ano = 3259,2 frascos/máquina/dia x 300 dias/ano = frascos / máquina / ano frascos / máquina / ano

125 O número de máquinas de sopro ( N ) será : c) O número de máquinas de sopro ( N ) será : frascos / ano N = N = frascos / máquina / ano frascos / máquina / ano N = 2,05 máquinas de sopro N = 2,05 máquinas de sopro CONCLUSÃO : Seriam necessários 3 máquinas de sopro com ociosidade. Porém a decisão final com relação ao número de máquinas depende da confiabilidade dos dados do modelo e da capacidade econômico- financeira da empresa.

126 EXEMPLOS PROPOSTOS 1.Uma fábrica de rodas estampadas deseja instalar um número de prensas que seja suficiente para um número de prensas que seja suficiente para produzir de rodas por ano. Cada prensa produzir de rodas por ano. Cada prensa deve trabalhar em 2 turnos de 8 horas / dia, com deve trabalhar em 2 turnos de 8 horas / dia, com um trabalho útil de 6,9 horas por turno, e produzir um trabalho útil de 6,9 horas por turno, e produzir uma roda a cada 0,8 minuto. Considerando-se que uma roda a cada 0,8 minuto. Considerando-se que existe uma perda de 1% na produção e que o ano existe uma perda de 1% na produção e que o ano tem 300 dias úteis. Quantas prensas são tem 300 dias úteis. Quantas prensas são necessárias para atender a demanda estipulada? necessárias para atender a demanda estipulada? 2. Uma empresa deseja produzir peças em 6 horas de trabalho. A capacidade efetiva de cada 6 horas de trabalho. A capacidade efetiva de cada máquina, quando opera com eficiência de 90%, é máquina, quando opera com eficiência de 90%, é de peças por hora. De quantas máquinas a de peças por hora. De quantas máquinas a empresa vai precisar? empresa vai precisar?

127 3. Uma industria de confecções, deseja adquirir um número adequado de máquinas de costura para número adequado de máquinas de costura para produzir camisetas por mês. As máquinas produzir camisetas por mês. As máquinas operam 200 horas por mês, mas devido a atrasos operam 200 horas por mês, mas devido a atrasos inevitáveis das costureiras, estimam-se que inevitáveis das costureiras, estimam-se que somente possam ser utilizadas durante 75% do somente possam ser utilizadas durante 75% do tempo. Além disso, durante o trabalho perde-se tempo. Além disso, durante o trabalho perde-se mais 8% do tempo para limpeza da máquina, mais 8% do tempo para limpeza da máquina, pequenas manutenções e na troca de carretéis pequenas manutenções e na troca de carretéis de fio. As camisetas fabricadas passam por um de fio. As camisetas fabricadas passam por um rígido controle de qualidade que tem reprovado rígido controle de qualidade que tem reprovado em média 5% da produção, sendo vendidas como em média 5% da produção, sendo vendidas como sendo de segunda categoria. Se em cada máquina sendo de segunda categoria. Se em cada máquina de costura o tempo é de 2 minutos, quantas de costura o tempo é de 2 minutos, quantas máquinas serão necessárias? máquinas serão necessárias?

128 Celular: (81)


Carregar ppt "PCP - ARRANJO FÍSICO - 3. LAYOUT É A INTEGRAÇÃO DO FLUXO DE MATERIAIS, DA OPERAÇÃO DAS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS DE PROCESSOS E TRANSFORMAÇÃO, COMBINADOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google