A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Roteiro da Apresentação 1. 1.Programa de Relacionamento com as Partes Interessadas Transpetro Dutos Transpetro no Estado de São Paulo Transpetro no Munic.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Roteiro da Apresentação 1. 1.Programa de Relacionamento com as Partes Interessadas Transpetro Dutos Transpetro no Estado de São Paulo Transpetro no Munic."— Transcrição da apresentação:

1

2 Roteiro da Apresentação 1. 1.Programa de Relacionamento com as Partes Interessadas Transpetro Dutos Transpetro no Estado de São Paulo Transpetro no Munic í pio de São Paulo Faixa de Dutos Manuten ç ão de Faixas e Dutos 2. 2.Restrições de uso e construções sobre a faixa 3. 3.Critérios para a apresentação de projetos de interferência com a faixa

3 TRANSPETRO - Petrobras Transportes S.A Subsidi á ria integral da Petrobras - criada em 12 de junho de LEI N º 9478, Art. 65. Opera no pa í s com mais de 14 mil km de oleodutos e gasodutos, 48 terminais e 53 navios-petroleiros. Principais clientes: Petrobras, distribuidoras de combust í vel e ind ú stria petroqu í mica. Atuar de forma segura, rentável e integrada, com responsabilidade social e ambiental, no transporte e armazenamento de petróleo, derivados, gás, petroquímicos e renováveis. MISSÃO

4 TRANSPORTE DUTOVIÁRIO O transporte por dutos é a opção mais segura e econômica para transportar Petróleo, derivados e Gás em grandes quantidades. Uma opção ambientalmente correta, pois, como exemplo, na movimentação de m3 / ano em SP seriam necessárias viagens/ano utilizando- se caminhões-tanques (aproximadamente 30 m3 / caminhão).

5 DUTOS São chamados de oleodutos e gasodutos São tubos de aço de grande resistência e durabilidade ligados entre si, destinados geralmente ao transporte de produtos líquidos petróleo e derivados e produtos gasosos Gás Natural e GLP.

6 TRANSPETRO – INSTALAÇÕES NO ESTADO DE SÃO PAULO A Malha São Paulo é composta por 05 Terminais Terrestres, 02 Aquaviários, 02 Estações de Bombeamento, 58 Municípios e 327 comunidades diagnosticadas GASTU GASTAU GASAN

7 TRANSPETRO – NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO OBATI OSSP – RE1 OSVAT PUSA OSVAT SP GRU Terminal de Barueri Terminal de SCS Terminal de Guarulhos OSVAT REVAP/RECAP

8 Terminal São Caetano do Sul OSVAT SP-GRU Subprefeitura de Vila Prudente/Sapopemba Avenida Sapopemba - Sapopemba (Terminal de Ônibus Sapopemba/ Teotônio Vilela) Parque Linear da SABESP Subprefeitura de São Mateus OSVAT PUSA Subprefeitura de Vila Prudente/Sapopemba Piscinão Oratório – Jardim Elba OSVAT REVAP RECAP Subprefeitura de São Mateus Estrada de Sapopemba - São Mateus (Aterro Sanitário Sítio São João) OSSP – RE01 Subprefeitura de Ipiranga Trecho lindeiro a linha Férrea - CPTM Subprefeitura de Mooca (trecho de dutos desativados) Trecho lindeiro a linha Férrea - CPTM Terminal Guarulhos - OSVAT SP GRU Subprefeitura Vila Prudente/Sapopemba Subprefeitura Aricanduva / Vila Formosa/Carrão Subprefeitura de São Mateus R. Mirassol DOeste –Bairro Jd. Das Camélias ( km) Av. Imperador – Limoeiro ( km) Av. Jacú Pêssego – Vila Jacuí (15+320km) Av. São Miguel – Vila Jacuí (15+760km) Subprefeitura de Ermelino Matarazzo Av. Águia de Haia – Cidade AE Carvalho (10+870km) Subprefeitura da Penha/ Itaquera Rua César Dias – Bairro Cidade Líder (8+960km) Subprefeitura de São Miguel Av. Aricanduva –Bairro Pq. Do Carmo (5+050 km) PRINCIPAIS CRUZAMENTOS DAS FAIXAS DE DUTOS EM SÃO PAULO

9 PRINCIPAIS FAIXA DE DUTOS EM SÃO PAULO Terminal Barueri - OBATI Subprefeitura da Lapa Av. Corifeu Azevedo Marques- Vila Lageado (10+300km) Praça William Kalil- Jaguaré (9+425km) Subprefeitura do Butantã Av. Escola Politécnica –Rio Pequeno ( km) Av. Rio Pequeno –Rio Pequeno ( km) R. Prof° José Maria Alkmim –Vl. São Domingos ( km) Av. Intercontinental –Jd. Jussara ( km) Subprefeitura de Santo Amaro Av. Nossa Senhora do Sabará –Jd. Piratininga ( km) Av. Emérico Richter- Jd. Piratininga – ( km) Subprefeitura de Campo Limpo e MBoi Mirim Av.Carlos Caldeira Filho –Vl. Das Belezas ( km) Estrada de Itapecerica –Vl. Das Belezas ( km) Av. Tomás de Souza –Jd. Monte Azul ( km) Subprefeitura de MBoi Mirim Av. Guido Caloi – Jd. Felicidade ( km) Ponte do Socorro –Santo Amaro ( km) Subprefeitura da Capela do Socorro Ponte Jurubatuba (sobre a Av. Interlagos) – Jd Cristal ( km) Subprefeitura de Cidade Ademar R. Yervant Kissajikian – Jd. Selma ( km) Subprefeitura do Jabaquara Av. Cupecê – Jd. Miriam ( km) Av. Eng° Armando de Arruda Pereira – Vl. Clara ( km)

10 FAIXA DE DUTOS Faixa de Dutos é a área do terreno onde são enterrados os dutos a uma profundidade de em média 1,5 metros pode ter um ou mais dutos. Largura de geralmente 20 metros, está delimitada por marcos amarelos semi-enterrados nas laterais da faixa. Existem faixas de Aquisição da Petrobras e faixas de Servidão de passagem. Toque Toque Grande - São Sebastião - OSBATTaboão da Serra - OBATI Morro da Lua – São Paulo - OBATI

11 CORTE TÍPICO DE UMA FAIXA DE DUTOS FAIXA DE DUTOS EM ÁREA URBANA

12 COMO RECONHECER AS INSTALAÇÕES SINALIZAÇÃO FAIXA DE DUTOS Av. Ant á rtico com Lucas Nogueira Garcês - OSSP LT Cruzamento com a Avenida Guido Caloi São Paulo – OBATI Usina Piratininga – OBATI

13 COMO RECONHECER AS INSTALAÇÕES Válvula nº. 04 – Guaratuba Válvula nº.05 – Guaratuba

14 MANUTENÇÃO DE FAIXA DE DUTOS AÇÃO DE TERCEIROS: - -Instalações e construções sobre faixa de dutos - -Transito de veículos - -Concentração de pessoas - -Escavação ou movimentação de solo - -Plantio de espécies com raiz profunda - -Descarte de lixo e entulho - -Sinalização danificada - -Lançamento de esgoto CORROSÃO INTERNA CORROSÃO EXTERNA GEOTECNIA Elementos que podem comprometer a Integridade dos Dutos

15 MANUTENÇÃO DE FAIXA DE DUTOS O Centro Nacional de Controle Operacional é o sistema de monitoramento, via satélite e por fibra óptica que, por meio de computadores e operadores treinados, acompanha a movimentação de produtos ao longo dos dutos da Transpetro. Mecanismos de Controle e Segurança da integridade dos Dutos

16 MANUTENÇÃO DE FAIXA DE DUTOS Inspeção Interna - Passagem de PIG Mecanismos de Controle e Segurança que visam a Integridade dos Dutos Obras Geotécnicas

17 MANUTENÇÃO DE FAIXA DE DUTOS É um teste de observação, realizado antes do duto entrar em operação. O duto é cheio com água e submetido a uma pressão superior a de operação para aliviar tensões e verificar se há algum vazamento nas soldas. Teste Hidrostático

18 Equipe de Técnicos e Inspetores de Faixa MANUTENÇÃO DE FAIXA DE DUTOS Mecanismos de Controle e Segurança da Integridade dos Dutos Inspeção Aérea

19 MANUTENÇÃO DE FAIXA DE DUTOS Atendimento a Protocolo Ouvidoria Geral Visita a moradores lindeiros - porta a porta Visita a morador em Atendimento a Registro do Telefone Verde Reunião com representantes de Concessionárias e outros Interferentes Reuniões com a Comunidade Articulações para implantação de Projetos Sociais Relacionamento com as Partes Interessadas Treinamento da Força de Trabalho Visita a Proprietários Rurais Mecanismos de Controle e Segurança da Integridade dos Dutos

20 Centro Nacional de Reparo de Dutos da Petrobras (Creduto) MANUTENÇÃO DE FAIXA DE DUTOS Localizado dentro das instalações do Terminal de Guarulhos (SP) com objetivo de capacitar e manter disponíveis recursos humanos e materiais para a execução de reparo em dutos terrestres; CONTROLE OPERACIONAL E RESPOSTA A EMERGÊNCIAS Grupo de Reconhecimento Centro de Resposta à Emergência - CRE Suporte do Centro de Defesa Ambiental (CDA) quando os recursos do Terminal não forem suficientes ou necessitem de reposição. Simulados e Centro de Defesa Ambiental - CDA

21 2. Restri ç ões de uso e constru ç ões sobre a faixa

22 ACIDENTES COM DUTOS CAUSAPercentual Interferências de Terceiros 49,6 % Defeitos de Construção ou Fabricação 16,5 % Corrosão 15,4 % Geotécnico (Movimentação de Terra) 7,3 % Outros 11,3 % Fonte: 7 th Report of the European Gas Pipeline Incident Data Group O maior número de acidentes com duto se deve a ação de terceiros na faixa.

23 RESTRIÇÕES DE USO DAS FAIXAS DE DUTOS Não Jogar Lixo ou Entulho Não construir Não Escavar Não Fazer Queimadas Não Plantar Não Transitar com Veículos Pesados

24 SERVIÇOS EM FAIXAS DE DUTOS É proibido executar qualquer serviço em faixas de dutos sem autorização da TRANSPETRO. O duto não percorre uma trajetória retilínea

25 INTERFERÊNCIAS DE TERCEIROS CONSEQUÊNCIAS: Danos ao revestimento Danos ao revestimento Danos à superfície do duto Danos à superfície do duto Paralisação da obra Paralisação da obra Máquina toca a superfície do Duto Duto atingido por escavadeira

26 INTERFERÊNCIAS DE TERCEIROS Vazamento GLP Castello Branco – 2001

27 Exigência da ANP – Agencia Nacional de Petróleo, Gás Natural e Bicombustíveis em sua Portaria n° 125, de 5 de agosto de Obra Adjacente: obra ou serviço que venha a ser executado em área cuja totalidade ou fração esteja situada a uma distância de até 15 metros, medida a partir dos limites da Faixa de Domínio de Dutos. Faixa de dutos TRANSPETRO Faixa adjacente 15 m Tipos de obras mais comuns e que podem causar danos aos dutos: escavação com nível final abaixo da faixa de dutos, aterro com cota final acima da faixa de dutos, cravação de estacas (horizontal/ incliada), detonação de rocha com explosivos, sistemas de drenagem, obras viárias, entre outras. OBRAS EM FAIXA ADJACENTE A FAIXA DE DUTOS TRANSPETRO

28 3. Crit é rios para a apresenta ç ão de projetos de interferência com a faixa

29 ANP - Agência Nacional do Petróleo Portaria n° agosto de 2002 Responsabilidades delegadas à TRANSPETRO por meio da portaria, para obras que cruzam ou adjacentes à faixa de dutos: Orientar Estabelecer Procedimentos Analisar os Projetos Celebrar Termo de Ajuste Acompanhar as Obras. Delega poderes a Transpetro, dispondo sobre Procedimentos a serem adotados no acompanhamento de obras com interferências em faixa de domínio de dutos de petróleo, seus derivados ou gás natural. INTERFERÊNCIAS DE TERCEIROS

30 Documento regularizador de obras interferentes às áreas de Servidão de Passagem e Domínio Público, sob a responsabilidade da TRANSPETRO: Termo de Ajuste INTERFERÊNCIAS DE TERCEIROS Pista de Arrancada – Interferência com a Faixa de Dutos – Itatiba/ SP Projeto executivo completo (desenho contendo planta, cortes e detalhes) Memorial descritivo da obra e em caso excepcional memorial de c á lculo. ART do Projeto e da Obra, em alguns casos se a obra não foi licitada e a falta de conhecimento da empresa que ir á construir a obra, a ART pode ser apresentada em reunião de APR. O pedido de Termo de Ajuste deve ser feito através de carta, em nome do proprietário da obra, enviada ao setor de Manutenção de Faixas de Dutos da TRANSPETRO, anexando:

31 INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO CLASSIFICA Ç ÃO DAS INTERFERÊNCIAS CLASSIFICA Ç ÃO DAS INTERFERÊNCIAS AÉREA Obra executada acima do n í vel do solo. Ex.: linhas a é reas de transmissão de energia el é trica (alta tensão), viadutos, p ó rticos e outras estruturas similares. EM N Í VEL Obra executada ao n í vel do solo, podendo ser acompanhadas de escava ç ões de pouca profundidade. Ex.: abertura e/ou pavimenta ç ão de vias p ú blicas ou particulares. SUBTERRÂNEA Subterrânea Tipo I: obra executada abaixo do n í vel do solo, sob ou sobre as instala ç ões existentes, sem necessidade de escava ç ão com escoramento ou estaqueamento. Ex.: eletro dutos envelopados. Recomenda-se não realizar obras sobre os dutos da TRANSPETRO. Subterrânea Tipo II: obra executada abaixo do nível do solo, sob ou sobre as instalações existentes, cuja execução requer escavações profundas, com escoramento, estaqueamento etc. Ex.: tubulações de grande diâmetro, galerias.

32 INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO CLASSIFICA Ç ÃO DAS INTERFERÊNCIAS CLASSIFICA Ç ÃO DAS INTERFERÊNCIAS AÉREA Obra executada acima do n í vel do solo. Ex.: linhas a é reas de transmissão de energia el é trica (alta tensão), viadutos, p ó rticos e outras estruturas similares. A é rea no cruzamento de linha de transmissão ou distribui ç ão de energia el é trica: a) a)manter altura m í nima de 6,0 (seis) metros do cabo inferior em rela ç ão ao n í vel do solo; b) b)postes e estais devem ficar fora dos limites da faixa, a uma distância m í nima recomend á vel de 3,0 (três) metros; c) c)postes adjacentes à faixa não devem possuir aterramento; d) d)o ângulo de cruzamento da linha com a faixa de dutos deve ser preferencialmente de 90°. I

33 INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO A é rea para linha de transmissão de energia el é trica em alta tensão: a) a)Sinalizar com esferas no cruzamento com a á rea ocupada pela TRANSPETRO b) b)O ângulo de cruzamento com a faixa de dutos dever á ser o mais ortogonal poss í vel e as torres eq ü idistantes e fora dos limites de dom í nio dos dutos c) c)Dever á ser apresentado estudo sobre as interferências eletromagn é ticas da linha de transmissão sobre os dutos, contemplando: I) perfil de tensão ao longo de todo(s) o(s) duto(s) (situa ç ão normal e em curto-circuito); II) o levantamento das medidas corretivas necess á rias, realizando a simula ç ão das novas tensões resultantes, at é que seja obtida III) a condi ç ão de seguran ç a para os dutos e seres humanos. Nota: O limite de tensão induzida total deve ficar abaixo de volts.

34 L = X,XX m L = 3,00 m H = 6,00 m Poste INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO A É REA

35 Obra executada ao n í vel do solo, podendo ser acompanhadas de escava ç ões de pouca profundidade. Ex.: abertura e/ou pavimenta ç ão de vias p ú blicas ou particulares. a) a)verificar atrav é s da sondagem a necessidade de prote ç ão dos dutos atrav é s da carga m á xima apresentada pelo SOLICITANTE. b) b) verificar necessidade de sistema de drenagem de á guas pluviais no local, durante e ap ó s a conclusão da obra; c) c) nos casos de trânsito de ve í culos sobre os dutos, verificar: c.1) a carga m á xima a ser suportada pelos dutos; c.2) tipo de pavimenta ç ão necess á ria para prote ç ão dos dutos; c.3) necessidade de instala ç ão alternativa (galeria, tubo camisa, pontilhão, etc), em fun ç ão da impossibilidade de bloqueio do trânsito para inspe ç ão e/ou manuten ç ão dos dutos da TRANSPETRO. INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO EM N Í VEL

36 L = X,XX m Pavimentação EM N Í VEL INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO

37 Subterrânea Tipo I: obra executada abaixo do n í vel do solo, sob ou sobre as instala ç ões existentes, sem necessidade de escava ç ão com escoramento ou estaqueamento. Ex.: eletro dutos envelopados. Recomenda-se não realizar obras sobre os dutos da TRANSPETRO. Subterrânea Tipo II: obra executada abaixo do nível do solo, sob ou sobre as instalações existentes, cuja execução requer escavações profundas, com escoramento, estaqueamento etc. Ex.: tubulações de grande diâmetro, galerias. Sondagens e Escavações - A execução de sondagens para localização dos dutos, é obrigatória nestes tipos de obras e serão realizados e/ou acompanhados pela TRANSPETRO. a.1) a distância mínima recomendada entre a interferência e a instalação existente é de 60 (sessenta) centímetros; a.2) a TRANSPETRO deverá verificar a necessidade de proteções, como jaqueta de concreto e/ou tubo camisa; INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO SUBTERRÂNEA

38 a.3) para Interferências, prever sinalização de acordo com a norma N-2200 – Sinalização de Faixa de Domínio de Duto e Instalação Terrestre de Produção; a.4) nos cruzamentos de tubulações em aço, com os dutos da TRANSPETRO, o SOLICITANTE deverá enviar projeto de proteção catódica para análise e emissão de Parecer Técnico; a.5) no caso de cruzamento de tubulações conduzindo fluidos sob pressão (adutoras, gasodutos, etc) deverá ser prevista a instalação de válvulas de bloqueio fora da área sob responsabilidade da TRANSPETRO, à montante e à jusante do cruzamento; a.6) cruzamentos de cabos elétricos ou telefônicos, quando subterrâneos, deverão ser executados por meio de eletro dutos envelopados em concreto, devidamente sinalizados. INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO

39 Y = 0,60 m (mínimo) L = X,XX m MATERIAL: PLÁSTICO/CERÂMICO/CONCRETO SUBTERRÂNEA INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO

40 Especial: obra que não se enquadre em nenhuma das situações anteriores cuja natureza implique em cuidados especiais durante sua execução, ou ainda, utilize tecnologia não convencional ou aquela que implique em alterações nas instalações existentes da TRANSPETRO - ex.: furo direcional. INTERFERÊNCIA DE TERCEIROS EM Á REAS DE RESPONSABILIDADE DA TRANSPETRO DA TRANSPETRO ESPECIAL

41 OFÍCIO (SOLICITANDO OBRA INTERFERENTE) Coordenador de Manutenção de Faixa de Dutos São Paulo Eng° Mauricio Terada Vaz Telefone: (11) Endereço: Petrobras Transportes S.A. – TRANSPETRO Terminal São Caetano do Sul Rua: Felipe Camarão, 393 Bairro: Prosperidade Cidade: São Caetano do Sul - SCS CEP: INTERFERÊNCIAS DE TERCEIROS Contato: Engº. William Gladstone - Telefone: (11)

42 Vazamentos ou suspeita de vazamentos, Casos em que há suspeita de obras não autorizadas sobre a faixa de dutos, Fogo sobre a Faixa de Dutos, Trânsito de máquinas e equipamentos pesados não autorizados sobre a Faixa de Dutos. TELEFONE DE EMERGÊNCIA Ligação Gratuita 24 horas O que comunicar ao telefone verde?

43 O desafio é a nossa energia! Obrigado! O desafio é a nossa energia! Obrigado!


Carregar ppt "Roteiro da Apresentação 1. 1.Programa de Relacionamento com as Partes Interessadas Transpetro Dutos Transpetro no Estado de São Paulo Transpetro no Munic."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google