A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RESSUCITAÇÃO CARDIORESPIRATÓRIA- CEREBRAL Fernando Henrique Gonçalves R3UTI 07/02/07.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RESSUCITAÇÃO CARDIORESPIRATÓRIA- CEREBRAL Fernando Henrique Gonçalves R3UTI 07/02/07."— Transcrição da apresentação:

1 RESSUCITAÇÃO CARDIORESPIRATÓRIA- CEREBRAL Fernando Henrique Gonçalves R3UTI 07/02/07

2 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral Parada cardíaca: - perda completa do débito cardíaco - queda da PA Mortes: nos EUA Principal causa: - isquemia do miocárdio – DAC (em 20% é o primeiro sinal de DAC) - choque séptico; eletrólitos, TEP, trauma

3 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral Sobrevida limitada: - no hospital: 30 a 46% - outros locais: 2 a 26% Mortalidade em 24 a 48h (mesmo com cuidados intensivos) - injúria de reperfusão - deterioração pós-parada

4 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral Idade: - principalmente entre 68 – 70 anos - homens têm maior incidência Local: - 70% no domicílio Algoritmos de tratamento: - BLS, ACLS (AHA)

5 Prevenção da PCR Melhor forma de salvar vidas Fora do hospital: - correção dos fatores de risco; - suspender tabagismo - controle da HAS - controle da dislipidemia - uso de AAS - CDI

6 Prevenção da PCR No hospital: - observar sinais de desestabilização - hipotensão progressiva - taquicardia - hipotermia - hipóxia Treinamento da equipe de atendimento para reconhecer precocemente tais sinais.

7 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral Time: - treinamento em ACLS - estrutura hierarquizada Basic Life Support - habilidade fundamental - ABCs

8 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral Atendimento inicial: - procurar responsividade - movimentos cuidadosos - chamar por ajuda e iniciar o ABC Airway - Vias aéreas - chin lift, jaw thrust - avaliação da orofaringe - corpos estranhos

9 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral Breathing - mantida até via aérea definitiva - IOT - FiO2 máxima Circulation - avaliar estado hemodinâmico - a. carótida – maior sensibilidade compressões/min - qualidade das compressões - podem ter maior importância que a desfibrilação (2 min de massagem antes do choque – novo ACLS)

10 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral Circulation: - monitoramento com palpação do pulso - capnografia - acesso venoso - administração de fluídos a 1000ml de SF 0,9% ou Ringer - punção da veia femoral

11 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral TV com pulso: - pode ou não gerar pulso - avaliar o estado hemodinâmico - amiodarona ou lidocaína - preparação para cardioversão - se instável (síncope, dor torácica, hipotensão) – cardioversão imediata

12 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral FV/TV sem pulso: - desfibrilação imediata - uso de DEA em locais públicos - vasopressina 40U ev - adrenalina 1mg ev

13

14

15

16 Atividade elétrica sem pulso - AESP AESP: - estado de ritmo elétrico organizado sem pulso - ABC - história clínica breve - procurar por possíveis diferenciais diagnósticos

17 Atividade elétrica sem pulso - AESP Hipovolemia Hipóxia Hidrogênio (acidose) Hipo/hipercalemia Hipoglicemia Hipotermia Tóxicos Tamponamento cardíaco Tensão no tórax (pneumotórax) Tormbose (coronária ou pulmonar) Trauma

18 Bradicardia FC < 30 a 40 bpm BAV completo Hipoxemia Hipotermia Beta-bloqueadores Bloqueadores do canal de cálcio Atropina 1mg ev – total: 0,04mg/Kg Marcapasso transcutâneo

19

20 Assistolia Sem atividade elétrica no monitor Procura de causas reversíveis Seguir recomendações do ACLS Reavaliação - após 3 doses de adrenalina e atropina - 10 a 15 min de compressões torácicas - permanece em assistolia? – suspender esforços - sobrevivência = zero

21 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral Término das manobras: - momento de dificuldade para o líder de um time - deve ter o envolvimento de toda equipe - conduzir uma sessão de discussão do caso após o término das manobras

22 Modelo trifásico da terapia da PCR Colápso 4 min pós-PCR 10 min pós-PCR Tempo Fase elétrica da FV Fase circulatória Fase metabólica desfibrilação compressões desfibrilação Novas terapias: Hipotermia? Inibidores da apoptose? Antioxidantes? Bypass cardíaco?

23 Desfibrilação DEA – desfibrilador automático externo Locais públicos e hospitais

24 Hipotermia Melhora na sobrevida Temperatura entre ºC

25 Terapia farmacológica MedicaçãoDose ACLS Amiodarona300mg ev bolus, 1 mg/min ev em 6 h Atropina (assistolia)1mg ev bolus Atropina (bradicardia)0,5mg ev bolus Adrenalina1mg ev bolus Lidocaína1,5mg/kg ev bolus, 1- 4mg/min ev Sulfato de Mg1-2g ev bolus Bicarbonato1-2mEq/kg bolus Vasopressina40U ev bolus

26 Ressucitação cardiorespiratória- cerebral Ética Limitação dos esforços


Carregar ppt "RESSUCITAÇÃO CARDIORESPIRATÓRIA- CEREBRAL Fernando Henrique Gonçalves R3UTI 07/02/07."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google