A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DIREÇÃO DEFENSIVA Lauro Volaco – Diretor do IBC Instituto Brasileiro para a Competitividade

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DIREÇÃO DEFENSIVA Lauro Volaco – Diretor do IBC Instituto Brasileiro para a Competitividade"— Transcrição da apresentação:

1 DIREÇÃO DEFENSIVA Lauro Volaco – Diretor do IBC Instituto Brasileiro para a Competitividade

2 INTRODUÇÃO Classificação de acidentes de trabalho TípicoTrajetoDoença do trabalho

3 INTRODUÇÃO Típico Decorrente da característica da atividade profissional que o indivíduo exerce.

4 INTRODUÇÃO Trajeto Ocorre no trajeto entre o domicílio do colaborador e o local de trabalho, e vice-versa.

5 INTRODUÇÃO Doença do trabalho Produzida ou desencadeada pelo exercício de determinada função.

6 ACIDENTES DE TRÂNSITO - BRASIL 90% falhas humanas 4% falhas mecânicas 6% má condição de vias

7 ACIDENTE ZERO. OBJETIVOS DA DIREÇÃO DEFENSIVA QUEBRA ZERO. FALHA ZERO. PERDA ZERO.

8 Evitar acidentes Diminuir conseqüência dos acidentes inevitáveis. DEFINIÇÃO DE DIREÇÃO DEFENSIVA

9 Evitar acidentes mesmo com condições adversas. Evitar acidentes mesmo com os erros ou irresponsabilidade dos outros. DEFINIÇÃO DE DIREÇÃO DEFENSIVA

10 FATORES PARA CAUSAR UM ACIDENTE Causa principal: fator relevante Excesso de velocidade. Desrespeito à sinalização. Falta de habilidade. Falta de embasamento teórico. Imprevisibilidade de outros motoristas. Interferência de pedestres, ciclistas e animais na pista. Interferência das condições adversas.

11 TEORIA E MUDANÇA COMPORTAMENTAL Conhecer regras não é suficiente para evitar acidentes Precisa mudar comportamento e praticar as regras com disciplina

12 FATORES QUE CONTRIBUEM PARA OCORRER UM ACIDENTE Negligência Imperícia Imprudência

13 FATORES QUE CONTRIBUEM PARA OCORRER UM ACIDENTE Falha humana Falha mecânica Má condição das vias

14 ELEMENTOS BÁSICOS PARA A DIREÇÃO DEFENSIVA CONHECIMENTO ATENÇÃO PREVISÃO HABILIDADE AÇÃO

15 CONDIÇÕES ADVERSAS ILUMINAÇÃO TEMPO VIAS TRÂNSITO VEÍCULO CARGA PASSAGEIROS CONDUTOR

16 CONDIÇÕES ADVERSAS Álcool. Efeitos do álcool para quem dirige: 1 lata Compromete a visão periférica. 2 latas Confundem a percepção de velocidade. 4 latas Causam sono e prejudicam os reflexos. 6 latas Tiram a concentração e a capacidade de realizar manobras rápidas. 9 latas Tornam a visão embaçada. >25latas Podem causar desmaios e crises respiratórias.

17 CONDIÇÕES ADVERSAS DO CONDUTOR: ÁLCOOL Limites alcoólicos no mundo, para motoristas (gramas de álcool por litros de sangue) : 0,8 g USA, Canadá, México, Nova Zelândia, Reino Unido. 0,7 g Bolívia, Equador, Honduras. 0,5 g França, Alemanha, Argentina, Austrália, Espanha, Itália 0,3 g Rússia, Japão, Índia. 0,2 g Brasil, Noruega, Suécia. 0,1 g Albânia, Argélia. 0,0 g Azerbaijão, Colômbia, Hungria, Nepal,Etiópia. Álcool. CONDIÇÕES ADVERSAS

18 mortes/ano no Brasil: ano % dos casos: motorista bêbado. Quando houve acidente fatal: 75% dos condutores estavam alcoolizados. CONDIÇÕES ADVERSAS Álcool.

19 Caminho do álcool no corpo humano: 15 minutos após a ingestão, começa o processo digestivo no estômago. Em 30minutos, o álcool chega ao intestino, onde é absorvido e entra na corrente sangüínea. CONDIÇÕES ADVERSAS

20 Caminho do álcool no corpo humano: Levado por todo o corpo pela circulação sangüínea, o álcool chega ao cérebro. Ao mesmo tempo o fígado começa a metabolizar o que está no sangue. A eliminação do álcool de uma lata de cerveja, demora em média 45 min. CONDIÇÕES ADVERSAS

21 Álcool. Drogas e medicamentos. Sono e fadiga. Atenção. Previsão. Habilidade.

22 CONDIÇÕES ADVERSAS Velocidade. Colisões com veículos da frente. Colisões com veículos de trás. Colisões com veículos em sentido contrário. Colisões em ultrapassagens.

23 CONDIÇÕES ADVERSAS Colisão em curvas. Colisão em cruzamentos. Colisão em marcha à ré. Colisão entre veículos de pequeno e grande porte.

24 CONDIÇÕES ADVERSAS Colisão de veículos com motocicletas. Colisão com pedestres. Colisão com ciclistas. Colisão com animais. Colisão com elementos fixos. Celular.

25 O melhor procedimento para qualquer situação adversa é tentar evitá-la. CONDIÇÕES ADVERSAS Faça certo da primeira vez e sempre. AÇÃO = Combinação de decisão e habilidade. Teoria sem a prática não muda comportamentos e terá como resultado, o mesmo que o de hoje. Cabe à você mudar este rumo.

26 CONTATO LAURO VOLACO Fone: Mail: Skype: lauro.volaco MSN:


Carregar ppt "DIREÇÃO DEFENSIVA Lauro Volaco – Diretor do IBC Instituto Brasileiro para a Competitividade"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google