A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PALAVRÃO: obscenidade ou conteúdo lingüístico na sala de aula Adalnice Passos Lima Maria Salete Milanez EPLE - 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PALAVRÃO: obscenidade ou conteúdo lingüístico na sala de aula Adalnice Passos Lima Maria Salete Milanez EPLE - 2007."— Transcrição da apresentação:

1 PALAVRÃO: obscenidade ou conteúdo lingüístico na sala de aula Adalnice Passos Lima Maria Salete Milanez EPLE - 2007

2 PALAVRÃO: notícia CAPANEMA (PA) Pesquisa sobre palavrão gera processo a professora Caso de Raimunda Gomes Castro Domingo, 2 de setembro de 2007

3 PALAVRÃO: curiosidades Nunca as palavras de baixo calão e gíria tiveram uso tão generalizado quanto agora. ANTIGÜIDADE: registros escritos traziam descrições ricas em cores das formas humanas. CONGRESSO dos EUA: multa de US$ 500.000 para quem usar linguagem ofensiva.

4 PALAVRÃO: cursiosidades LITERATURA Shakespeare dificilmente conseguia redigir uma estrofe sem nela inserir palavrões. zounds – Gods wounds(Ferimentos de Deus) sblood – Gods blood (Sangue de Deus)

5 PALAVRÃO: estudo É recente (França 2001) Como agressão verbal é preciso considerar: - intenção e entonação de quem fala; - reação e interpretação do ouvinte; - contexto. Fontes para estudo do palavrão: - Fragmentos de textos literários; - Artigos de jornais e revistas; - Letras de músicas atuais; - Bate papos na Internet; - Depoimentos de estudantes.

6 PALAVRÃO: estudo GÍRIA - Linguagem de grupo - Identificação e defesa do grupo - Referentes variados - Surge, cumpre papel histórico e desaparece - Efêmera - Criativa JARGÃO - Palavra técnica vulgarizada - Confere poder, autoridade, status

7 PALAVRÃO: estudo PALAVRÃO - Linguagem obscena - Referentes específicos (sexuais e religiosos) - Resistente à passagem do tempo - Vocábulo chulo, ofensivo, rude, obsceno, agressivo, imoral - Forma inadequada na norma culta - Licença poética

8 PALAVRÃO: estudo EXPERIMENTO Ao relacionar palavras com cores, os participantes apresentaram dificuldades para estabelecer a relação das cores com palavrões. CONCLUSÃO - O insulto aciona caminhos do cérebro responsáveis pelos pensamento. - O som e a visão de palavras obscenas excitam.

9 PALAVRÃO: estudo Linguagem Tabu - reflexão medos e fixações de cada cultura Função do palavrão - Prevenir possíveis agressões físicas - Reduzir estresse/tensões emocionais - Evitar o enfarte do miocárdio - Expressar carinho Categorias de insulto - Pessoal – para agredir o outro - Ritual – sem intenção de magoar o outro - Solidário – para marcar proximidade entre indivíduos

10 PALAVRÃO: problemática JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO - Não publica palavrões – respeito aos leitores - Normas para uso do palavrão - garantia da flexibilidade necessária para atender as crônicas e cadernos para o público jovens.

11 PALAVAÇAO: problemática SALA DE AULA - coibir - Conversar com os alunos partindo dos princípios gerais (não bater) para o específico (não falar palavrão) - Estabelecer normas específicas (não falar palavrão) - Lembrar para não falar palavrão quando houver deslize. Obs.: para crianças menores o palavrão deve ser proibido. PESQUISA COM PROFESSORES - Cunho Etnográfico

12 PALAVRÃO: dicionário Dicionário do palavrão e termos afins Souto Maior Início da coleta de dados: 1968. Vetado pela censura por ser considerada obra atentatória aos bons costumes. 9.000 palavrões no Francês e no Alemão 3.000 palavrões no Português

13 Referências ALBUQUERQUE, R. O palavrão é necessário. Jornal de Debates. São Paulo. Disponível em http://www.jornaldedebates.ig.com.br/index.aspx?cnt_id=15&art_id=149. Acesso em 30/08/2007. http://www.jornaldedebates.ig.com.br/index.aspx?cnt_id=15&art_id=149 ANGIER, N. Antes de aprender a falar, nós já praguejamos. Instituto Comportamento, Direito e Conflitos. São Paulo. Seção Destaques. Disponível em http://iced.org.br/dest_10.htm. Acessado em 30/08/2007. http://iced.org.br/dest_10.htm APPA, R. C. Um pesquisador pioneiro e premiado... e coisa inédita nos meios acadêmicos... muito humilde. Letra Magna. São Paulo, n. 7, ano IV. Disponível em http://www.letramagna.com/dinoentre.htm. Acesso em 30/08/2007. http://www.letramagna.com/dinoentre.htm CAZARRÉ, L. Linguagem: Palavrões, gírias e anglicismos. Por Trás das Letras. Rio de Janeiro. Seção Diretório. Disponível em http://www.portrasdasletras.com.br/pdtl2/sub.php?op=polemica/docs/palavroesgirias. Acessado em 30/08/2007. http://www.portrasdasletras.com.br/pdtl2/sub.php?op=polemica/docs/palavroesgirias CEROLIM, F. Se for, parem as prensas. Jornal de Debates. São Paulo, 25 maio 2007. Seção Comportamento. Disponível em http://www.jornaldedebates.ig.com.br/index.aspx?cnt_id=15&art_id=8683 Acessado em 30/08/2007. http://www.jornaldedebates.ig.com.br/index.aspx?cnt_id=15&art_id=8683

14 GANEM, M. A ciência do palavrão. Ciência Hoje on line. São Paulo, 15 maio 2005. Seção Notícias. Disponível em http://cienciahoje.uol.com.br/controlPanel/materia/view/2950. Acessado em 30/08/2007. http://cienciahoje.uol.com.br/controlPanel/materia/view/2950 LUDKE, M. e ANDRÉ, M. Pesquisa em Educação: Abordagens qualitativas. São Paulo, EDU, 1986. MATIAS, R.P.S.M. Como dizer não ao palavrão. Nova Escola, São Paulo, n.166, outubro 2003, Seção S.O.S. sala de aula. Disponível em http://novaescola.abril.com.br/index.htm?ed/166_out03/html/sos. Acesso em 30/08/2007 http://novaescola.abril.com.br/index.htm?ed/166_out03/html/sos MATTOS, C. L. G. A abordagem etnográfica na investigação científica. Disponível em http://www.ines.org.br/paginas/revista/A%20bordag%20_etnogr_para%20Monica.htm. Brasília, I. N. E. S. Acesso em 30/08/2007. http://www.ines.org.br/paginas/revista/A%20bordag%20_etnogr_para%20Monica.htm


Carregar ppt "PALAVRÃO: obscenidade ou conteúdo lingüístico na sala de aula Adalnice Passos Lima Maria Salete Milanez EPLE - 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google