A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mecânico automotivo Freios Convencionais Técnico Joacir Gomes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mecânico automotivo Freios Convencionais Técnico Joacir Gomes."— Transcrição da apresentação:

1 Mecânico automotivo Freios Convencionais Técnico Joacir Gomes

2 Experiência Profissional 06 anos experiência em treinamento Mecânico de competição Stock Car Treinamento fábrica Audi, Renault e Chrysler Treinamento rede de concessionários GM-SUL Professor de curso técnico de mecânica veicular e eletrônica embarcada. Associado a ASE. 08 Certificações ASE.

3 Dinâmica das aulas Aula teórica. Testes de retenção. Perguntas dirigidas. Simulados ASE. Aplicabilidade com o seu dia a dia.

4 Sumário de Aulas Módulo de Freios Convencionais Aula 01 – Princípios físicos da frenagem Aula 02 – Freios a tambor Aula 03 – Freios a disco Aula 04 – Circuito hidráulico dos sistemas de frenagem Aula 05 – Indicador de queda de pressão e válvulas auxiliares Aula 06 – Sistemas de freios assistidos

5 Aula 01 Princípios Físicos da Frenagem ObjetivoObjetivo: Propiciar aos participantes conceitos básicos de física aplicada a tecnologia veicular de freios para melhor entender os dispositivos envolvidos nos freios convencionais dos veículos.

6 Inércia Propriedade dos corpos em modificar seu estado de repouso ou de movimento, e é diretamente proporcional a massa, quanto maior a massa maior será a dificuldade de modificar este movimento ou retira-lo do estado de repouso. Animação Inércia

7 Princípios Físicos da Frenagem Atrito – Força que se opõe ao deslizamento de uma superfície sobre a outra. Fricção resistência a um movimento entre duas superfícies de contato, só existe fricção quando ocorre o atrito entre duas superfícies.

8 Coeficiente de Atrito Coeficiente de atrito (Cx) = fator que indica o grau de dificuldade de deslizamento entre as superfícies. Ex.1= Ao deslocar um bloco de madeira de 90,72 kg sobre uma superfície de ferro fundido é necessário 45,36 kgf qual o Cx atrito? Cx atrito = força deslocamento = massa do objeto

9 Coeficiente de Atrito Força de deslocamento = 45,36 Kgf Massa madeira = 90,72kg Cx atrito = 0,5 Ex. 2 = Bloco de bronze Força de deslocamento = 18,40 Kgf Massa bronze = 90,72 Cx atrito = 0,2

10 Fatores do Coeficiente Atrito Massa – Quanto maior a massa maior a pressão sobre a superfície. –Aplicação de força sobre o pedal de freio. Materiais – Cada material possui um coeficiente de atrito diferente. –O material de atrito dos freios deve possuir um coeficiente determinado que não provoque um travamento prematuro durante a frenagem. Superfície de contato – Quanto maior a superfície de contacto maior será o coeficiente de atrito com a mesma pressão

11 Fatores do Coeficiente Atrito Superfície de contato – Quanto maior a superfície de contacto maior será o coeficiente de atrito com a mesma pressão aplicada. –Nos sistemas de freios este princípio é muito importante, para dimensionar os sistemas de freios, pastilhas, discos, tambores e lonas. Natureza da superfície – A rugosidade ou aspereza influencia grandemente coeficiente de atrito. –Um pneu sobre o solo recoberto de asfalto,pedra,neve ou gelo pode variar o coeficiente de 0,6 a 0,01.

12 Fatores do Coeficiente Atrito Temperatura: Com o aumento da temperatura as superfícies alteram suas propriedades. –Ex. os pneus do carro em travamento durante uma frenagem de emergência atinge tal temperatura que sua superfície começa a derreter prejudicando a aderência entre o pneu e o solo. Animação Fatores de influencia

13 Atrito estático e atrito de deslizamento Atrito estático: Força necessária para para vencer a aderência, se opondo ao deslocamento de um corpo imóvel. Atrito de deslizamento: a força necessária para manter o corpo em atrito com movimento. –Nos freios este efeito é explorado nos sistemas de ABS, e podemos sentir este efeito quando em frenagem de emergência com o piso molhado.

14 Conceitos de Hidráulica Os fluídos líquidos são incompressíveis, pouco importa a força sobre eles o seu volume será inalterado. Os fluídos gasosos são compressíveis qualquer força aplicados sobre os gases provocam alterações em seu volume. –Se o ar estiver presente no circuito de freios este se comprimirá tornando o pedal menos rígido ou esponjoso.

15 Conceitos de Hidráulica - Pressão Pressão é a força aplicada a um fluido dividido pela sua área. A pressão se divide uniformemente por todos os pontos de um recipiente. Quando fazemos uma leitura em um manômetro de 50Kg/cm2, entende-se que a cada 1cm2 temos 50 Kg sobre cada cm2 de um recipiente, independente da forma deste recipiente. Animação Pressão sobre os fluidos

16 Conceitos de hidráulica - Pressão P = F Ex. A P = 50/2 = 25 Lb/Pol 2 Ao aplicarmos uma força de 50Lb em uma área de 2 pol 2 teremos uma pressão de 25Lb/Pol 2, se variarmos tanto a área quanto a força aplicada ao fluido estaremos variando a pressão. Animação Áreas desiguais

17 Conceitos de Hidráulica - Força F = P x A Quando o tema é força transmitida, a variação da área ou da pressão irão determinar a força de saída do pistão. Ex.: Ao aplicarmos uma pressão de 50 Lbs/pol 2 em uma área de 5 Pol 2 a pressão de saída será de 250 lbs. Animação Áreas x pressão

18

19 Conceitos de hidráulica - Força No veículo usamos estes conceitos para justificar 80% da força de frenagem nas rodas dianteiras. Porquê e como?

20 Eficácia de Frenagem Ocorre quando as rodas não travam. O peso do veículo deve estar adequado ao projeto inicial. Quando dobramos a velocidade do veículo quadruplicamos a energia necessária para imobilizá-lo.

21 FIM Obrigado!


Carregar ppt "Mecânico automotivo Freios Convencionais Técnico Joacir Gomes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google