A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A IMPORTÂNCIA E PERSPECTIVAS DO SETOR FLORESTAL Eduardo Pagel Floriano UFSM 2007 A IMPORTÂNCIA E PERSPECTIVAS DO SETOR FLORESTAL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A IMPORTÂNCIA E PERSPECTIVAS DO SETOR FLORESTAL Eduardo Pagel Floriano UFSM 2007 A IMPORTÂNCIA E PERSPECTIVAS DO SETOR FLORESTAL."— Transcrição da apresentação:

1 A IMPORTÂNCIA E PERSPECTIVAS DO SETOR FLORESTAL Eduardo Pagel Floriano UFSM 2007 A IMPORTÂNCIA E PERSPECTIVAS DO SETOR FLORESTAL

2 FLORESTAS GLOBAIS MOSAICO DE IMAGENS GOES

3 FLORESTAS GLOBAIS

4 Fonte: FAO (2007) Florestas globais e os dez países com maior área florestal em 2005

5 Evolução do uso do solo no Brasil Censo 2006 (área em x 10 6 ha) Lavoura: 59,847 Pastagens: 158,754 Matas e florestas: 98,480 TOTAL: 317,081

6 Uso atual do solo no Brasil

7 SETOR FLORESTAL BRASILEIRO (2002) DADOS SÓCIO-ECONÔMICOS PIB Florestal = US$ 21 bilhões (4% do total) –Celulose e papel: US$ 7,5 bilhões –Siderurgia a carvão vegetal: US$ 4,2 bilhões –Madeira e móveis: US$ 9,3 bilhões Exportações = US$ 5,4 bilhões (10% do total) Impostos Recolhidos = US$ 2 bilhões Consumo de madeira (Nativas + Plantadas) = 300 milhões m 3 /ano Empregos Diretos + Indiretos = 2 milhões (total) = 500 mil (plantações) ÁREAS FLORESTAIS Florestas nativas: 530 milhões ha Unidades de Conservação Federal: 43,5 milhões ha Plantações Pinus + Eucalyptus: 4,8 milhões ha -> 6,126 milhões ha (ABRAF 2008) AUMENTO DE 27,6% EM 6 anos Plantio anual: 200 mil ha Fonte: Leite (2003).

8

9

10 Produção, Comércio e Consumo mundial de Produtos Florestais em 2000 (1.000 m 3 ) ProdutosConsumoExportaçãoImportaçãoProdução Fins Energéticos Toras Tábuas Painéis Polpa/Celulose Papel Total Fonte: Carneiro (2003).

11

12 PRODUÇÃO PROPORCIONAL DA EXTRAÇÃO VEGETAL E DA SILVICULTURA Fonte: IBGE.

13 BRASIL – TERRAS E FLORESTAS Tipo de cobertura ou de usoÁrea (km²)%Tipo%BrasilAnoFontes Extensão territorial ,00%2007IBGE (2007) Cobert.arbustiva-arbórea total ,13%56,10%2005FAO (2007) Florestas nativas totais ,00%55,47% Estimado Nativas manejadas ,50%3,05%2005FAO (2007) Nativas sem proteção ,50%42,43%2005Estimado Nativas protegidas ,00%9,98% FAO (2007) Florestas plantadas ,13%0,63%2005FAO (2007) Área cultivável total ,00%12,51% Estimado Em produção ,98%6,29%2002IBGE (2004) Disponíveis ou conversíveis ,02%6,22% Estimado Cobertura nativa total ,00%55,47% Estimado Amazônia ,20%39,49%2000Leite (2002) Cerrado ,97%9,41%2000Leite (2002) Caatinga ,07%3,92%2000Leite (2002) Pantanal ,53%1,40%2000Leite (2002) Mata Atlântica ,72%0,95%2000Leite (2002) Campos Sulinos ,51%0,28%2000Leite (2002) Infraestr. e outras coberturas ,00%31,39% Estimado

14 BENCHMARKING COM FINLÂNDIA Florestas Nativas (10 6 Ha) ,8 Florestas Plantadas (10 6 Ha) 5,0 5,5 Contribuição ao PIB 4% 9% Exportações (10 6 U$) 4,1 12,2 Balança Comercial (10 6 U$) 3,3 10,8 Produtividade Florestal (m³/ha/ano) 30 / 45 4 / 6 Consumo Madeira Ind. Plantações (10 6 m³) Apoio Orçamentário Governo 2002 Propflora (8,75%aa) Subsídios BNDES (TJLP+Spread) Financiamento (3%aa) Fonte: Leite (2003). (U$ 50x10 6 ) (U$ 57x10 6 ) Indicador Brasil Finlândia Área (10 6 km²) 8,5 0,4 População (10 6 ) 170 5,2 Renda Per Capita (U$)

15 Brasil – Participação Florestal no Comercio Exterior (2005) Parâmetros Setor Florestal Brasil US$ Bilhões % PIB27,83,5796,0 Exportações9,98,4118,3 Importações3,62,673,6 Saldo6,314,244,7 Fonte: SBS (2007).

16 BALANÇO GERAL DE OFERTA E DEMANDA – EUCALYPTUS ( milhões m 3 ) Fontes: SBS, STCP (2000) apud Leite (2003).

17 BALANÇO GERAL DE OFERTA E DEMANDA – PINUS ( milhões m 3 ) Fontes: SBS, STCP (2000) apud Leite (2003).

18 OPÇÕES EXISTENTES E COMPLEMENTARES Aumentar a produtividade (longo prazo) Financiar a produção florestal de proprietários rurais no entorno dos empreendimentos existentes Financiar a produção florestal das empresas (BNDES / Recursos próprios) Fonte: Leite (2003).

19 ESTÍMULOS EXISTENTES EM OUTROS PAÍSES ARGENTINA: garantia de estabilidade tributária por 30 anos isenção de imposto patrimonial depreciação acelerada (60% primeiro ano) CHILE: desoneração fiscal de 50% sobre faturamento bruto no ano de colheita isenção do imposto territorial URUGUAI: bônus de 50% sobre o custo do plantio no primeiro ano linhas de crédito com taxa libor + 2% - 80% do custo do plantio período de financiamento (Eucaliptos 12 anos / Pinus 15 anos) Fonte: Leite (2003).

20 VANTAGENS COMPARATIVAS DO BRASIL Solos e clima favoráveis Disponibilidade de terras ociosas Disponibilidade de mão-de-obra Conhecimento científico e tecnológico Produtividade Capacidade organizacional da iniciativa privada Experiências bem sucedidas com fomento Mercado Agregação de valor (cluster) Fonte: Leite (2003).

21 DIFICULDADES NO BRASIL Inexistência de políticas públicas Legislação complexa Autoridade difusa Clandestinidade da atividade madeireira Estigmas setoriais Monoculturas Latifúndios Ocupação de áreas agrícolas Florestas abandonadas Desvalorização da madeira Migrações populacionais Marginalização das comunidades locais Fonte: Leite (2003).


Carregar ppt "A IMPORTÂNCIA E PERSPECTIVAS DO SETOR FLORESTAL Eduardo Pagel Floriano UFSM 2007 A IMPORTÂNCIA E PERSPECTIVAS DO SETOR FLORESTAL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google