A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CASO DA SEMANA Dra. Cyntia Akiho. RN, pré-termo; 5 dias de vida; APGAR 5 e 7 nos 1° e 5° minutos, respectivamente; Após nascimento evoluiu com crises.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CASO DA SEMANA Dra. Cyntia Akiho. RN, pré-termo; 5 dias de vida; APGAR 5 e 7 nos 1° e 5° minutos, respectivamente; Após nascimento evoluiu com crises."— Transcrição da apresentação:

1 CASO DA SEMANA Dra. Cyntia Akiho

2 RN, pré-termo; 5 dias de vida; APGAR 5 e 7 nos 1° e 5° minutos, respectivamente; Após nascimento evoluiu com crises convulsivas focais; Solicitado USG transfontanela.

3

4

5

6

7

8 Resultado do exame - Presença de hiperecogenicidade parenquimatosa, compatível com hemorragia parenquimatosa, medindo 20 x 17 x 15 mm, na região periventricular esquerda. Demais áreas do parênquima encefálico apresentando textura habitual. - Sistema ventricular de configuração normal. - Linha mediana centrada. - Impressão Diagnóstica: Sinais ecográficos compatíveis com hemorragia parenquimatosa à esquerda (grau IV).

9 HEMORRAGIA INTRACRANIANA

10 CLASSIFICAÇÃO DE PAPILE Grau I – Hemorragia subependimária isolada. Grau II – Hemorragia intraventricular sem dilatação ventricular. Grau III – Hemorragia intraventricular com dilatação ventricular. Grau IV – Hiperecogenicidade periventricular (infarto hemorrágico, quando assimétrico e leucomalácia preriventricular, quando simétrico).

11 HEMORRAGIA MATRIZ GERMINATIVA GRAU I PAPILE - Coágulo estendendo-se p/ dentro do corno frontal e corpo acima da hemorragia subependimária (S) - Área hiperecogênica no sulco tálamo caudado, que pode elevar o plexo coroide. - Deve ser vista em dois planos.

12 HEMORRAGIA INTRAVENTRICULAR GRAU II PAPILE - Resulta de HSE que rompeu ou hemorragia plexo coróide (termo) - Hidrocefalia por obstrução dos forames de luska e magendie

13 HEMORRAGIA INTRAVENTRICULAR GRAU III PAPILE

14 Fase tardia com nível e coágulos

15 HEMORRAGIA INTRAPARENQUIMATOSA GRAU IV PAPILE -Acreditava-se que a hemorragia intraprenquimatosa tratava-se de extensão da HSE e HIV, mas ocorre por isquemia; -Pode ocorrer isolada ou com HSE e HIV; -A HSE obstrui a confluência de vasos no ângulo do ventrículo lateral, levando a congestão e a isquemia venosa periventricular. -Locais mais frequentes : frontal e parietal. -Resulta de infarto hemorrágico periventricular -Se associado a HMG pode desenvolver hemiparesia. -Causas: trauma ao nascimento, malformações arteriovenosas, hipertensão, êmbolos, hipóxia, policitemia e distúrbios de coagulação.

16 HEMORRAGIA INTRAPARENQUIMATOSA GRAU IV PAPILE -Hiperecogênica, uniforme com margens irregulares -Pode ter efeito de massa adjacente -À medida que o coágulo se retrai, as bordas formam um halo ecogênico ao redor do centro, que se torna hipoecóico.

17 HEMORRAGIA INTRAPARENQUIMATOSA-cerebelar hemorragia no IV ventriculo - Subdiagnosticadas - Matriz germinativa do IV com extensão ao cerebelo - Hemorragia no hemisfério cerebelar esquerdo. - Hidrocefalia associada.

18 SEQUELAS PÓS HEMORRAGIA Cisto porencefálico Surgem após insultos isquêmicos e hemorrágicos, traumáticos. Áreas de tecidos normais que sofreram insulto, com área de subst branca gliotica, comunicando-se com o sistema ventricular.


Carregar ppt "CASO DA SEMANA Dra. Cyntia Akiho. RN, pré-termo; 5 dias de vida; APGAR 5 e 7 nos 1° e 5° minutos, respectivamente; Após nascimento evoluiu com crises."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google