A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estados Nacionais Ibéricos Guerra de Reconquista: processo de expulsão dos mouros (muçulmanos); Guerra de Reconquista: processo de expulsão dos mouros.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estados Nacionais Ibéricos Guerra de Reconquista: processo de expulsão dos mouros (muçulmanos); Guerra de Reconquista: processo de expulsão dos mouros."— Transcrição da apresentação:

1

2 Estados Nacionais Ibéricos Guerra de Reconquista: processo de expulsão dos mouros (muçulmanos); Guerra de Reconquista: processo de expulsão dos mouros (muçulmanos); Nobres europeus apóiam a luta contra os muçulmanos, em defesa da cristandade, no contexto das cruzadas; Nobres europeus apóiam a luta contra os muçulmanos, em defesa da cristandade, no contexto das cruzadas; Afonso Henrique não aceita submeter-se ao rei de Leão e acaba com a relação de vassalagem do Condado de Portucale; Afonso Henrique não aceita submeter-se ao rei de Leão e acaba com a relação de vassalagem do Condado de Portucale; O rei expande o território, tomando dos árabes. O rei expande o território, tomando dos árabes.

3 Disputas com o reino de Leão, confirmam a independência; Disputas com o reino de Leão, confirmam a independência; Revolução de Avis consolida a monarquia absoluta em Portugal na luta contra Castela; Revolução de Avis consolida a monarquia absoluta em Portugal na luta contra Castela; Na Espanha, a aliança política entre Isabel de Castela e Fernando de Aragão (os reis católicos) permite a consolidação da monarquia absoluta na Espanha e garante a expulsão dos árabes, de Granada. Na Espanha, a aliança política entre Isabel de Castela e Fernando de Aragão (os reis católicos) permite a consolidação da monarquia absoluta na Espanha e garante a expulsão dos árabes, de Granada.

4 Monarquia nacional francesa e inglesa Magna Carta (1215) – estabelece a liberdade civil na Inglaterra. Magna Carta (1215) – estabelece a liberdade civil na Inglaterra. A Guerra dos Cem Anos foi uma disputa entre Inglaterra e França pela região de Flandres, na pretensão do rei inglês Eduardo III ao trono da França. A Guerra dos Cem Anos foi uma disputa entre Inglaterra e França pela região de Flandres, na pretensão do rei inglês Eduardo III ao trono da França. A guerra enfraqueceu a nobreza francesa, fortalecendo o poder real francês e, principalmente, desenvolveu um sentimento nacional, lançando a idéia de nação. A guerra enfraqueceu a nobreza francesa, fortalecendo o poder real francês e, principalmente, desenvolveu um sentimento nacional, lançando a idéia de nação.

5 Guerra das Duas Rosas: Dinastia Lancaster (rosa vermelha), representando os interesses da velha nobreza feudal e a Dinastia York (rosa branca), representando a nova nobreza inglesa aliada à burguesia. Guerra das Duas Rosas: Dinastia Lancaster (rosa vermelha), representando os interesses da velha nobreza feudal e a Dinastia York (rosa branca), representando a nova nobreza inglesa aliada à burguesia. Ao fim da guerra as duas dinastias foram unidas com o casamento entre Henrique Tudor, descendente dos Lancaster, e Elizabeth de York, o que deu início ao absolutismo inglês. Ao fim da guerra as duas dinastias foram unidas com o casamento entre Henrique Tudor, descendente dos Lancaster, e Elizabeth de York, o que deu início ao absolutismo inglês.

6 Absolutismo (XV e XVIII) Reis - comandavam a justiça, economia e sociedade; Reis - comandavam a justiça, economia e sociedade; Absoluto = sem limites? Absoluto = sem limites? Absolutismo: um jogo de interesses entre Rei, nobreza e burguesia. Absolutismo: um jogo de interesses entre Rei, nobreza e burguesia. Luis XIV (maior representante do absolutismo) : O Estado sou eu (rei da França entre 1643 e 1715). Luis XIV (maior representante do absolutismo) : O Estado sou eu (rei da França entre 1643 e 1715).

7 Pensadores que defenderam o Absolutismo Thomas Hobbes: o homem é o lobo do homem. Escreveu Leviatã, onde afirmar que o rei era importante para controlar o instinto animal do homem. Caso não houvesse um rei forte a sociedade corria risco de extinção; Thomas Hobbes: o homem é o lobo do homem. Escreveu Leviatã, onde afirmar que o rei era importante para controlar o instinto animal do homem. Caso não houvesse um rei forte a sociedade corria risco de extinção; Jacques Bossuet: o rei e representante de Deus na Terra e, por isso, deveria ser respeitado em todas as decisões; Jacques Bossuet: o rei e representante de Deus na Terra e, por isso, deveria ser respeitado em todas as decisões; Nicolau Maquiavel ( ): Para Maquiavel, um príncipe não deve medir esforços nem hesitar, mesmo que diante da crueldade ou da trapaça, se o que estiver em jogo for a integridade nacional e o bem do seu povo. Nicolau Maquiavel ( ): Para Maquiavel, um príncipe não deve medir esforços nem hesitar, mesmo que diante da crueldade ou da trapaça, se o que estiver em jogo for a integridade nacional e o bem do seu povo.

8 " sou de parecer de que é melhor ser ousado do que prudente, pois a fortuna( oportunidade) é mulher e, para conservá-la submissa, é necessário (...) contrariá-la. Vê-se, que prefere, não raramente, deixar-se vender pelos ousados do que pelos que agem friamente. Por isso é sempre amiga dos jovens, visto terem eles menos respeito e mais ferocidade e subjugarem-na com mais audácia". " sou de parecer de que é melhor ser ousado do que prudente, pois a fortuna( oportunidade) é mulher e, para conservá-la submissa, é necessário (...) contrariá-la. Vê-se, que prefere, não raramente, deixar-se vender pelos ousados do que pelos que agem friamente. Por isso é sempre amiga dos jovens, visto terem eles menos respeito e mais ferocidade e subjugarem-na com mais audácia". "Os fins justificam os meios" "Os fins justificam os meios" "Não se pode chamar de "valor" assassinar seus cidadãos, trair seus amigos, faltar a palavra dada, ser desapiedado, não ter religião. Essas atitudes podem levar à conquista de um império, mas não à glória "Não se pode chamar de "valor" assassinar seus cidadãos, trair seus amigos, faltar a palavra dada, ser desapiedado, não ter religião. Essas atitudes podem levar à conquista de um império, mas não à glória "Homens ofendem por medo ou por ódio" "Homens ofendem por medo ou por ódio"

9 História MERCANTILISMO RENASCIMENO COMERCIAL A VIDA URBANA FOI REATIVADA COM A FORMAÇÃO DOS BURGOS. A MOEDA FOI RESTAURADA COMO VIGOROSO SÍMBOLO DE PODER. SURGIMENTO DE NOVAS FEIRAS, ROTAS COMERCIAIS MARÍTIMAS E TERRESTRES.

10

11 História MERCANTILISMO APESAR DAS VARIAÇÕES DE ESTADO PARA ESTADO E DE ÉPOCA PARA ÉPOCA, HOUVE UMA SÉRIE DE PRINCÍPIOS COMUNS QUE ORIENTARAM A POLÍTICA MERCANTILISTA: METALISMO O METALISMO BASEAVA-SE NA TESE DE QUE A RIQUEZA DE UM PAÍS DEPENDERIA DE SUA CAPACIDADE DE ACUMULAR METAIS PRECIOSOS. ASSIM, QUANTO MAIS OURO E PRATA POSSUÍSSE O PAÍS, MAIS RICO E PODEROSO SERIA. OS METAIS PRECIOSOS PERMITIRIAM AO GOVERNO COMPRAR ARMAS, CONTRATAR SOLDADOS, CONSTRUIR NAVIOS, PAGAR FUNCIONÁRIOS E CUSTEAR GUERRAS.

12 História MERCANTILISMO BALANÇA COMERCIAL FAVORÁVEL OS GOVERNANTES ACREDITAVAM QUE DEVIAM EXPORTAR MAIS DO QUE IMPORTAR PARA TER UMA BALANÇA COMERCIAL FAVORÁVEL, ISTO É, UM EXCEDENTE DAS EXPORTAÇÕES SOBRE AS IMPORTAÇÕES. DESTA FORMA, ENTRARIA MAIS MOEDAS DO QUE SAIRIA, DEIXANDO O PAÍS EM BOA SITUAÇÃO FINANCEIRA.

13 História MERCANTILISMO PROTECIONISMO O ESTADO RESTRINGIA AS IMPORTAÇÕES IMPONDO PESADAS TAXAS ALFANDEGÁRIAS AOS PRODUTOS ESTRANGEIROS, OU ATÉ MESMO PROIBINDO QUE CERTOS ARTIGOS FOSSEM IMPORTADOS. ESSAS MEDIDAS VISAVAM NÃO APENAS DIMINUIR AS IMPORTAÇÕES, MAS IGUALMENTE PROTEGER A PRODUÇÃO NACIONAL, QUE ERA BASTANTE ESTIMULADA, DA CONCORRÊNCIA ESTRANGEIRA.

14 História MERCANTILISMO INGLATERRA (COMERCIALISMO) FRANÇA (INDUSTRIALISMO) PORTUGAL (BULIONISMO OU METALISMO) ESPANHA (BULIONISMO) TIPOS DE MERCANTILISMO

15 FATORES QUE PROVOCARAM A EXPANSÃO Centralização Política: Estado Centralizado reuniu riquezas para financiar a navegação; Centralização Política: Estado Centralizado reuniu riquezas para financiar a navegação; O Renascimento: Permitiu o surgimento de novas idéias e uma evolução técnica; O Renascimento: Permitiu o surgimento de novas idéias e uma evolução técnica; Objetivo da Elite da Europa Ocidental em romper o monopólio Árabe-Italiano sobre as mercadorias orientais; Objetivo da Elite da Europa Ocidental em romper o monopólio Árabe-Italiano sobre as mercadorias orientais; A busca de terras e novas minas (ouro e prata) com o objetivo de superar a crise do século XIV; A busca de terras e novas minas (ouro e prata) com o objetivo de superar a crise do século XIV; Expandir a fé; Expandir a fé;

16

17 Por que Portugal sai na frente? Precoce centralização Política; Domínio das Técnicas de Navegação (Escola de Sagres); Participação da Rota de Comércio que ligava o mediterrâneo ao norte da Europa; Capital (financiamento de Flandres); Posição Geográfica Favorável; ESCOLA DE SAGRES – Centro de Estudos Náuticos, fundado pelo infante Dom Henrique, o qual manteve até a sua morte, em 1460, o monopólio régio do ultramar.

18 Navegações portuguesas A primeira expedição portuguesa, comandada pelo rei dom João I, termina com a conquista de Ceuta, em 21 de agosto de A primeira expedição portuguesa, comandada pelo rei dom João I, termina com a conquista de Ceuta, em 21 de agosto de O cabo da Boa Esperança, no extremo sul do continente, é contornado em 1487 por Bartolomeu Dias ( ), O cabo da Boa Esperança, no extremo sul do continente, é contornado em 1487 por Bartolomeu Dias ( ), A primeira ligação por mar entre Europa Ocidental e Índia é feita em 8 de julho de 1497 por Vasco da Gama ( ). A primeira ligação por mar entre Europa Ocidental e Índia é feita em 8 de julho de 1497 por Vasco da Gama ( ). Em 22 de abril de 1500, uma nova esquadra liderada por Pedro Álvares Cabral chega à costa brasileira. Em 22 de abril de 1500, uma nova esquadra liderada por Pedro Álvares Cabral chega à costa brasileira.

19

20 Navegações espanholas Patrocinam a viagem de Cristóvão Colombo ao Oriente em 1492; Patrocinam a viagem de Cristóvão Colombo ao Oriente em 1492; Entre 1503 e 1513, o navegador florentino Américo Vespúcio ( ) viaja ao continente a serviço da Espanha; Entre 1503 e 1513, o navegador florentino Américo Vespúcio ( ) viaja ao continente a serviço da Espanha; Fernão de Magalhães ( ) começa em 1519 a primeira viagem de circunavegação da Terra. Fernão de Magalhães ( ) começa em 1519 a primeira viagem de circunavegação da Terra.

21

22

23

24

25 Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso, ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, Mas nele é que espelhou o céu.

26 E era isso... Por enquanto... Por enquanto...


Carregar ppt "Estados Nacionais Ibéricos Guerra de Reconquista: processo de expulsão dos mouros (muçulmanos); Guerra de Reconquista: processo de expulsão dos mouros."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google