A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Século XIX Segunda Revolução Industrial.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Século XIX Segunda Revolução Industrial."— Transcrição da apresentação:

1 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Século XIX Segunda Revolução Industrial

2 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Antecedentes Difusão do Liberalismo político e da livre-competição do mercado Fortalecimento da Burguesia Articulação de zonas industriais e regiões produtoras de matéria-prima Desenvolvimento de novos métodos de produção agrícola Relativa estabilização política depois das revoluções do século XVIII e da primeira metade do XIX Crescimento demográfico Conquista de novas áreas coloniais: Austrália, África e Ásia (centros mineradores e agrícolas além mar)

3 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial INDUSTRIALIZAÇÃO E CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO Maior oferta de empregos nas cidades Melhoria da produção agrícola (alimentação mais abundante) Avanços obtidos no campo da medicina e higiene: redução da taxa de mortalidade por varíola, tifo, tuberculose, cólera. População européia aumenta de 190 milhões de habitantes (séc. XVIII) para 430 milhões (séc. XIX)

4 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial OS PROGRESSOS TECNOLÓGICOS E AS TRANSFORMAÇÕES ECONÔMICAS Transformações do sistema capitalista: Capitalismo Comercial passa para Capitalismo Monopolista e Financeiro Apoio do Estado: investimento na criação de infra-estrutura de transportes e comunicações entre centros produtores e consumidores, instalação de indústrias (associação entre Estado e capital privado) Transformação na produção com as inovações técnicas Conversão do ferro em aço: produção em larga escala com baixo preço - Utilização : Construção civil, ferrovias, máquinas e ferramentas Novas fontes de energia: eletricidade, petróleo Máquinas com maior potência energética Extraordinário Aumento da produção industrial: novas indústrias e novos processos mecânicos Inovações nos transportes: trens elétricos, navios a óleo diesel e automóveis Inovações nas telecomunicações: telefone, cinema, telégrafo sem fio, rádio Aumento da necessidade de matérias primas (petróleo, borracha, alumínio...)

5 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial PRINCIPAIS AVANÇOS DA MAQUINOFATURA Em 1733, John Kay inventa a lançadeira volante. Em 1767 James Hargreaves inventa a spinning janny, que permitia a um só artesão fiar 80 fios de uma única vez. Em 1768 James Watt inventa a máquina a vapor. Em 1769 Richard Arkwright inventa a water frame. Em 1779 Samuel Crompton inventa a mule, uma combinação da water frame com a spinning jenny com fios finos e resistentes. Em 1785 Edmond Cartwright inventa o tear mecânico.

6 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Motor a vapor

7 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Situação das principais potências Industriais Segunda Revolução Industrial InglaterraFrançaAlemanha

8 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Inglaterra Berço da Revolução Industrial continuou liderando a expansão econômica, irradiando tecnologia para Europa Investimento na América Latina para favorecer a produção de matérias primas (tabaco, café, minérios) Voltar

9 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial França Aperfeiçoou a indústria têxtil com a criação do tear e do pente mecânico Voltar

10 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Alemanha (Unificada em1871): desenvolvimento de grandes indústrias ligadas a produção bélica Bismarck *Se estendeu ao EUA e mais lentamente ao Japão EUA = Reconstrução e Era do Progresso Japão = Era Meiji Voltar

11 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Capitalismo Comercial (Revolução Industrial na Inglaterra) Livre concorrência nas empresas Predomínio da indústria sobre o comércio e as finanças ( Final do século XIX) Controle dos bancos e instituições financeiras (empréstimos e ações) sobre a indústria e o comércio Formação de grandes empresas devido a acumulação de capital Controle do mercado pelas grandes empresas Monopólios: Extinguiram a livre- concorrência e as pequenas e médias empresas Capitalismo Monopolista ou Financeiro X

12 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial TENDÊNCIA A CONCENTRAÇÃO DE EMPRESAS DA CONCORRÊNCIA AO MONOPÓLIO Predomínio dos grandes complexos industriais e financeiros: em detrimento das pequenas empresas Aumento do custo de máquinas e fábricas Exigência de maior organização técnica; laboratórios, serviços de venda, propaganda, transporte Grandes investimentos com estoque de matéria-prima e com salários Grade concorrência exigia produção a baixo custo Concentração da produção nas mãos da alta burguesia (grande força política) Protecionismo alfandegário: forte resistência dos produtores agrícolas (até então sem concorrentes estrangeiros) * Quando países novos como EUA, Canadá, Argentina e Austrália intensificam sua produção de cereais, inverte-se esse quadro

13 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Grandes Empresas Industriais Absorção dos pequenos estabelecimentos Influência dos bancos sobre a indústria Limitação da concorrência Controle de preços e mercados Busca por aumentar os lucros e evitar crises

14 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Concentração Vertical e Horizontal Vertical Truste Fusão de empresas em uma única Concentração de todas as fases de produção Holding (EUA) Não há fusão Uma empresa central controla outras subsidiárias A maioria das ações pertencem a empresa central Horizontal Cartel (Alemanha) Pool (Países anglo-saxões) Consórcio (Itália) Controle da fase final da produção Associação de produtores Evita uma competição danosa aos interesses individuais Pressão para obter maiores lucros As empresas conservam a autonomia jurídica e técnica Repartição das fases de produção Divisão das áreas de venda Repartição dos fornecedores e da clientela

15 Prof.ª Izabela Gonçalves Concluindo... Surgimento de grandes complexos industriais e financeiros Aumento do custo de máquinas e fábricas Exigência de maior organização técnica; laboratórios, serviços de venda, propaganda, transporte Grandes investimentos com estoques Grande concorrência exigia produção a baixo custo Concentração da produção nas mãos da alta burguesia Protecionismo alfandegário Segunda Revolução Industrial

16 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Impactos... Crise de Superprodução: saturação do mercado com o aumento excessivo da produção (grandes impactos na economia) Primeira Grande Depressão ( ): reativação da política protecionista para resguardar a produção interna Medidas protecionistas causam dificuldades para as indústrias

17 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Novas Fontes de Energia Aplicações Elétrica Maquinaria Industrial Iluminação Transportes Energia Hidráulica Hidrelétricas, muito utilizadas em países com pouco recurso de carvão (Itália) Petróleo Novo combustível para motores Indústria de exploração e refino de combustível (EUA, Rússia e Oriente Médio)

18 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Curiosidades A Segunda Revolução Industrial havia se implantado desde o início do século XIX, mas se desenvolveu notoriamente entre 1870 e 1890, aumentando a quantidade de empregos para mulheres, especialmente em lojas e escritórios. Na Inglaterra, o governo central e local empregava mulheres em 1881, mas em 1911 (Eric J. Hobsbawm, A Era dos Impérios , p. 283)

19 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Enem Um operário desenrola o arame, o outro o endireita, um terceiro corta, um quarto o afia nas pontas para a colocação da cabeça do alfinete; para fazer a cabeça do alfinete requerem-se 3 ou 4 operações diferentes,... SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Investigação sobre a sua Natureza e suas Causas. Vol. I. São Paulo: Nova Culturas, 1985.

20 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Enem 2001 (cont.) A respeito do texto e do quadrinho são feitas as seguintes afirmações: I. Ambos retratam a intensa divisão do trabalho, à qual são submetidos os operários. II. O texto refere-se à produção informatizada e o quadrinho, à produção artesanal. III. Ambos contêm a idéia de que o produto da atividade industrial não depende do conhecimento de todo o processo por parte do operário. Dentre essas afirmações, apenas a) I está correta. b) II está correta. c) III está correta. d) I e II estão corretas. e) I e III estão corretas. V F V

21 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Pucmg PRODUÇÃO DE CARVÃO, FERRO FUNDIDO E AÇO NA GRÃ-BRETANHA, ALEMANHA E ESTADOS UNIDOS NO FINAL DO SÉCULO XIX E INÍCIO DO SÉCULO XX. A análise e contextualização histórica das informações apresentadas pela tabela acima permitem afirmar: a) No final do século XIX, a economia dos países capitalistas centrais passou por uma típica crise de superprodução, o que pode ser verificado através do crescimento acelerado da produção de carvão, ferro e aço. b) A unificação política tardia da Alemanha pode ser apontada como um fator impeditivo do avanço das forças capitalistas naquele país, o que fica claro quando se observa o seu desempenho econômico no período em questão. c) Às vésperas da Primeira Grande Guerra, a Grã-Bretanha mantinha inconteste sua posição hegemônica no cenário internacional, pois mantinha uma posição de liderança no setor siderúrgico e na produção de carvão. d) Como resultado da Guerra de Secessão nos Estados Unidos, a economia norte- americana fica muito fragilizada, apresentando um ritmo de crescimento muito modesto no decorrer do último quartel do século XIX.

22 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial (Unirio 96) Na segunda metade do século XIX configurou-se uma nova etapa do processo de desenvolvimento da Revolução Industrial, que, dentre outras, apresentou a seguinte característica: a) declínio das exportações de capitais para áreas de investimento fora da Europa industrializada, tais como a África e a Ásia. b) fim da política de expansão imperialista dos países europeus que haviam alcançado a industrialização. c) supremacia do sistema familiar de produção, que passou a atender às necessidades do mercado consumidor. d) concentração da produção industrial em grandes empresas com o fortalecimento do capital monopolista. e) consolidação da livre concorrência entre as empresas capitalistas facilitada pelo retorno da legislação colonial.

23 Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial (Unirio 95) Na segunda etapa da Revolução Industrial, iniciada por volta de 1860, caracterizou-se um(a): a) fortalecimento das corporações de mercadores. b) aumento da utilização da mão-de-obra servil. c) supremacia do capitalismo financeiro. d) intensificação das trocas comerciais através das feiras. e) predominância do sistema familiar de produção.


Carregar ppt "Prof.ª Izabela Gonçalves Segunda Revolução Industrial Século XIX Segunda Revolução Industrial."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google