A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FACES DA MUDANÇA Avaliação em Tempos de Crise Por: Homero Reis, M.Sc.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FACES DA MUDANÇA Avaliação em Tempos de Crise Por: Homero Reis, M.Sc."— Transcrição da apresentação:

1 FACES DA MUDANÇA Avaliação em Tempos de Crise Por: Homero Reis, M.Sc.

2 Pilares Relacionais Segundo o Relatório DELORS/UNESCO 1.Aprender a CONHECER; 2.Aprender a FAZER; 3.Aprender a CONVIVER; 4.Aprender a SER.

3 Questões Básicas Como aprender a fazer, aprendendo a conhecer? Como aprender a ser aprendendo a conviver? Duas DIRETRIZES: o Serenidade nas relações; e o Cuidado com o outro

4 1ª FACE Processo de Construção do Conhecimento

5

6 Sobre a Obra 1.Autor: Pablo Picasso - Data: Título: Guernica (8mX3,50m – óleo sobre tela). 3.Contexto: bombardeamento, durante a Guerra Civil Espanhola, das cidade de Guernica & Luno, cidade santa do pais basco espanhol. 4.Emocionalidade: Indignação pela barbaridade humana. Expressa seu mais trágico protesto contra a guerra, a violência e a estupidez humana; 5.Construção: Reúne temas anteriores do autor, como o Minotauro e A Corrida; 6.Conseqüências: Marco inicial da fase mais sombria e violenta da obra de Picasso.

7

8

9

10

11

12

13

14

15 O Conhecimento Agregado O caldeirão criativo – Picasso partiu das imagens acumuladas em seus 56 anos de vida, imagens pessoais e culturais, trazidas por suas obras anteriores e também pelas obras de Goya, Velázques, Rubens, Delacroix e outros, acrescidas do impacto da notícia do bombardeio de Guernica.

16 2ª FACE A VISÃO PLURAL

17

18

19 3ª FACE A INTEGRALIDADE DO SER E DAS RELAÇÕES

20 Modelo Observador, Ação e Resultados APRENDIZAGEM DE 1º ORDEM - INSTRUMENTAL APRENDIZAGEM DE 1º ORDEM - INSTRUMENTAL APRENDIZAGEM DE 2º ORDEM - ONTOLÓGICA AVALIAÇÃO OBSERVADOR AÇÃO RESULTADOS

21 4ª FACE CONSTRUÇÃO DE NOVA BASE RELACIONAL PARA AVALIAÇÃO

22 Visão Relacional Clássica PESSOA A livre legítima autônoma diferente PESSOA A livre legítima autônoma diferente PESSOA N livre legítima autônoma diferente PESSOA N livre legítima autônoma diferente DOMÍNIO exercício da força unilateral visão unilateral não reconhecimento do outro

23 Avaliação Relacional Ontológica PESSOA A livre legítima autônoma diferente PESSOA A livre legítima autônoma diferente PESSOA N livre legítima autônoma diferente PESSOA N livre legítima autônoma diferente

24 5ª FACE A DINÂMICA DO GRUPO

25

26 Na história da humanidade encontramos acontecimentos que nos levam a profundas reflexões

27 Em 1816 uma fragata francesa encalhou próximo a costa de Marrocos. Não havia número suficiente de botes salva-vidas.

28 Os restos do navio foram a única balsa que manteve 149 pessoas vivas. A tempestade os arrastou ao mar aberto por mais de 27 dias sem rumo.

29

30 Gericault realizou um estudo substancial dos detalhes para produzir esta pintura: entrevistou os sobreviventes, os enfermos e inclusive viu os mortos. Horrorizado, reproduziu a íntima realidade humana nesta situacão.

31 A Balsa de Medusa de Theodore Gericault é a pintura de um acontecimento que comoveu a França. O naufrágio do navio A Medusa (2 de julho de 1816), trouxe repercussões que tocaram o mais profundo da alma Humana.

32 Nela, vemos como as diferentes atitudes humanas se manifestam nos momentos cruciais da vida. Leva-nos a pensar em que lugar estaríamos nesta pintura e de que forma enfrentamos as situações pelas quais passamos?

33 Nos deixamos derrotar e entregamos todas as nossas forças?

34 Duvidamos de tudo e de todos?

35 Não acreditamos que tenha solução?

36 Não deixamos de nos esforçar para chegar à vitória?

37 Somos os que mantemos a esperança acima de tudo?

38 Observe com atenção! Você verá que não há nenhum navio para resgatá-los. No entanto, há um grupo decidido a usar suas últimas forças para salvar toda a tripulação.

39 A balsa é como este grupo. Os tripulantes somos todos nós. As atitudes que cada um toma no dia-a-dia, determinam os resultados.

40

41 Avaliar é decidir pela vitória em cada circunstância que a vida nos coloca

42 Afinal, a vitória da esperança não é fazer- nos vencer. Antes, é não nos deixar cansar.

43

44 6ª FACE A DINÂMICA TEMPORAL

45 Navegando pelo Tempo a avaliação efetiva 1.O que éramos e o que somos; 2.Como tratamos da realidade presente; 3.Como projetamos nossas relações no futuro; 4.Como seremos lembrados; 5.A questão da ESSENCIALIDADE. O ESSENCIAL É INVISÍVEL AOS OLHOS. SOMOS FEITOS DA MESMA NATUREZA QUE NOSSOS SONHOS.

46 Entender a AVALIAÇÃO como um procedimento diário nos capacita Não importa o material que se tem, tudo pode ser transformado em arte quando a genialidade criativa e a honestidade relacional estão postas a serviço da beleza. Homero Reis; M.Sc. T O R N A R A V I D A U M A O B R A D E A R T E


Carregar ppt "FACES DA MUDANÇA Avaliação em Tempos de Crise Por: Homero Reis, M.Sc."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google