A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONTROLE DE ROEDORES Fernanda Silveira Flôres Vogel.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONTROLE DE ROEDORES Fernanda Silveira Flôres Vogel."— Transcrição da apresentação:

1 CONTROLE DE ROEDORES Fernanda Silveira Flôres Vogel

2 POR QUE CONTROLAR ROEDORES??? - potencial risco à saúde pública & prejuízos econômicos - convivência homem X roedores - Roedores são animais superiores mais adaptados, aparelhados, capazes de sobreviver e bastante prolíferos - controle obrigatoriamente deve ser baseado no número de roedores que sobreviveram e não nos que morreram

3 - campos: destroem sementes recém plantadas e atacam cereais - culturas preferidas: arroz, milho, cana de açúcar, cacau e dendê 1/5 da produção mundial é perdida pelos roedores - agroindústrias fábricas de ração; refinadoras de óleo vegetal, usinas de açúcar e álcool * granja com infestação pesada: 10% perda de ração por ingestão ou contaminação * 25% dos incêndios

4 * comem 10% do seu próprio peso a cada dia * Kg / ano * contaminação de uma quantidade muito maior: fezes, pêlos e urina * um único rato produz cerca de cíbalas em um só ano

5

6 TRANSMISSÃO DE DOENÇAS - Leptospirose - peste bubônica - tifo murino - triquinose - raiva - salmonelose - hantavirose - disseminação mecânica

7 CLASSE: Mamiphera ORDEM: Rodentia FAMÍLIA: Muridae GÊNERO:MusRattus ESPÉCIEM. musculusR. novergicus R. rattus Ratazana Camundongo Rato preto

8 Rattus rattus

9

10 Rattus novergicus

11

12 Mus muscullus

13

14 CAMUNDONGO NÃO É RATO!!!!!

15 HABITAT - camundongo mais próximo do homem - ratazana solo: escava e habita túneis - rato preto (telhado) telhado e forro***

16 CARACTERÍSTICA RATAZANA RATO PRETO CAMUNDONGO CAUDAmais curta que mais comprida mesmo tamanho cabeça +corpo CORPOpesado, grosso leve, delgado ORELHApequena grande OLHOSpequenos grandes NARIZafilado arredondado PÉScompridos pequenos CABEÇAgrande pequena

17

18 BIOLOGIA

19 * LOCALIZAÇÃO * REPRODUÇÃO *SENTIDOS - visão - cor - olfato - audição - tato = vibrissas

20 NEOFOBIA & NEOFILIA COMPORTAMENTO SOCIAL DINÂMICA POPULACIONAL

21 SINAIS DE ROEDORES * sons * fezes * urina * trilhas * roeduras * ninhos * observação visual * odor

22 AVALIAÇÃO DA INFESTAÇÃO

23 * INFESTAÇÃO BAIXA * INFESTAÇÃO MÉDIA * INFESTAÇÃO ALTA

24 IndicadoresBaixaMédiaAlta Trilhasausentesalgumasvárias Manchas de gordura por atrito corporal ausentes pouco perceptível evidências em vários locais Roedurasausentesalgumas visíveis em diversos locais Fezesalgumasvários locaisnumerosas e frescas Tocas ou ninhos 1 a 3 / 300 m² área ext 4 a 10 / 300 m² área ext + de 10 / 300 m² área ext Ratos vistos não constatado alguns em ambiente escuro vários em ambiente escuro e alguns a luz do dia

25 CAPTURA 100 armadilhas 3 dias 22horas às 5h da manhã

26 CAPTURA baixa infestação - 01 a 05 roedores capturados média infestação - 06 a 15 roedores capturados alta infestação - 16 a 29 roedores capturados altíssima infestação - acima de 30

27 COMBATE

28 MÉTODOS DE CONTROLE ANTI-RATIZAÇÃO DESRATIZAÇÃO

29 ANTI-RATIZAÇÃO Programas 3A (água, abrigo e alimento) Controle de restos e resíduos de alimentos e rações Implantação de barreiras físicas Limpeza e remoção de entulhos e vegetações Drenagem ou fechamento de recipientes com água

30 ANTI-RATIZAÇÃO Agilizar os serviços de coleta de lixo Aprimorar a utilização de aterros sanitários Participação da comunidade no controle e prevenção, melhorando as condições de moradia da população

31 DESRATIZAÇÃO

32 MÉTODOS MECÂNICOS OU FÍSICOS

33 * RATOEIRAS - dispensam o uso de raticidas - permite a visualização do resultado - eliminam o problema dos ratos mortos - neofilia e neofobia - deixar ratoeiras desarmadas - iscas - oferta de alimento disponível no habitat - odor humano

34 GAIOLAS PLACAS DE COLA APARELHOS DE ULTRA-SOM CAMPO ELETROMAGNÉTICO

35 MÉTODOS BIOLÓGICOS * predador natural - gatos, cães, corujas, raposas, cobras e serpentes,... * patógenos Salmonete enteritides

36 MÉTODOS QUÍMICOS RATICIDAS OU RODENTICIDAS ???

37 * RODENTICIDAS - Toxidez - uso: livre, profissional e em campanhas de saúde pública - RATICIDAS AGUDOS E CRÔNICOS AGUDOS: tóxicos nervosos morte dentro de 24 horas CRÔNICOS: anticoagulantes dose única dose múltipla

38 RATICIDAS AGUDOS * Estricnina e arsênico: gosto amargo; inespecificidade * 1080 (monofluoracetato de sódio): periculosidade - não tem cheiro nem gosto e nem cor; ausência de antídoto * Sulfato de tálio: insípido, inodoro e incolor; inespecificidade * Pirimil-uréia: acidentes fatais em humanos * calciferol, brometalina

39 RATICIDAS CRÔNICOS * morte em mais de 24horas após a ingestão * anticoagulantes * derivados da cumarina ou da indandiona * antígeno: vitamina K1 injetável (*K3) DOSE MÚLTIPLA DOSE ÚNICA

40 RATICIDAS ANTICOAGULANTES DE DOSE MÚLTIPLA * efeito cumulativo - precisam ser ingeridos por dias consecutivos (2-5) * roedores não percebem o que está causando a morte e continuam ingerindo * são eficazes mesmo em doses baixas

41 RATICIDAS ANTICOAGULANTES DE DOSE MÚLTIPLA * intervalo entre as duas ingestões não pode ultrapassar 2 dias * renovar sempre a isca por 2 semanas ou até que cesse a ingestão - clorofacinona, cumacloro, cumatetralil

42 RATICIDAS ANTICOAGULANTES DE DOSE ÚNICA * hidroxicumarínicos - 2° geração * bromodifacoum e bromadiolone * efeito letal mesmo em dose única * morte em 3-5 dias * mais tóxicos !!!!!!!!!!

43 Resultados negativos

44 * FENÔMENO DE RESISTÊNCIA

45 * RODENTICIDAS NÃO FUNCIONAM

46 - as iscas estão sendo bem aceitas - estão sendo ingeridas, mas não se consegue controlar os roedores - as iscas não foram bem aceitas, ou seja, não estão sendo ingeridas e, portanto, os roedores não estão sendo controlados

47 TIPOS DE FORMULAÇÕES DOS RATICIDAS ISCA BLOCO SÓLIDO RESISTENTE À UMIDADE PÓ DE CONTATO

48 ISCAS

49 * atrair o roedor * ser apetecível - induzir o roedor a comer de forma contínua - deve ser tão interessante a ponto de ele deixar de consumir seu alimento habitual * cor * consistência: preferem tamanhos maiores e não farinhas * adição de atrativos especiais *adição de eméticos * teor proteína deve ser = ou maior a 5%

50 BLOCO SÓLIDO RESISTENTE À UMIDADE * áreas úmidas ou com muita chuva - prejudica a palatabilidade * iscas envoltas por uma capa de parafina * prolongar a vida útil das iscas * esgotos * postos de vigilância permanente

51 PÓ DE CONTATO * pó finíssimo que deve ser polvilhado na trilha dos animais ou ao redor da água ou da fonte de alimento * CUIDADO: risco de contaminação com alimentos * mecanismo de ação * pós higroscópicos * uso profissional

52 TÉCNICAS E MÉTODOS DE APLICAÇÃO DE RATICIDAS ISCAGEM PRÉ-ISCAGEM COCHOS PROTETORES EMPREGO DE BLOCOS RESISTENTES À UMIDADE

53 PRÉ-ISCAGEM * raticidas agudos * espalhar por dias antes a mesma isca sem o raticida

54 ISCAGEM * forma de iscagem para camundongo, ratazana e rato preto * efeito cumulativo: NÃO ESQUECER DE REPOR AS ISCAS * dose única: repetir a iscagem 8 dias depois da primeira * raticida premix

55 COCHOS PROTETORES * caixas apropriadas * proteção intrínseca e extrínseca das iscas * postos permanentes de envenenamento

56 EMPREGO DE BLOCOS RESISTENTES À UMIDADE * ratos de telhado?? * ratazanas - melhores resultados - esgotos

57 EFEITO BUMERANGUE

58 CONSTRUÇÃO Sub-solo e sótão Porões e áreas (utilizadas para depósito e outras finalidades) favoráveis a esconderijos. Vedar aberturas que propiciem entrada de ratos. Eliminar os possíveis esconderijos. Anti-ratização + Desratização. Pisos e paredes Não compactado; com material escavado; com vãos, rachaduras, buracos, paredes duplas, remendos, etc. Reconstruir com material maciço. Anti-ratização + Desratização.

59 Teto Sem forro, com aberturas. Com forro em material não maciço, com vãos ou buracos. Reformar. Proteger contra a entrada de roedores. Telar as aberturas de ventilação. Anti-ratização + Desratização. Portas Com vãos, aberturas e outras danificações. Colocar chapa metálica para eliminar o vão entre a porta e a soleira. Vedar outras aberturas existentes. Anti-ratização + Desratização. Janelas Com vãos, aberturas e outras danificações. Corrigir os defeitos existentes e telar as janelas, principalmente as dos depósitos de gêneros alimentícios. Anti-ratização + Desratização.

60 ESGOTOS Rede pública: coletores, tubulações, caixas, ralos e vasos danificados. Inspecionar e reparar a rede. Fixar telas metálicas de malha de 6mm nos ralos de acesso a rede. Desratização + Anti-ratização. Rede particular: fossas e sumidouros abertos ou estourados. inspecionar, esgotar, reparar ou reconstruir. Desratização + Anti-ratização.

61 Aviários e Galinheiros Presença de ração e esterco. Limpar as instalações e proteger o aviário contra a entrada de ratos, através de preferência, ficar afastado do solo. Anti-ratização. Desratização


Carregar ppt "CONTROLE DE ROEDORES Fernanda Silveira Flôres Vogel."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google