A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PLANO DE AMPLIAÇÕES E REFORÇOS PAR 2009 – 2011 Versão Executiva Janeiro de 2009 ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PLANO DE AMPLIAÇÕES E REFORÇOS PAR 2009 – 2011 Versão Executiva Janeiro de 2009 ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico."— Transcrição da apresentação:

1 PLANO DE AMPLIAÇÕES E REFORÇOS PAR 2009 – 2011 Versão Executiva Janeiro de 2009 ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico

2 2 TÓPICOS 1.Introdução 2.Resultados do PAR 3.Evolução da carga do SIN 4.Destaques do PAR Principais Ampliações e Reforços propostos para a Rede Básica e para a Rede Básica de Fronteira 6.Evolução dos Limites de Intercâmbio nas Interligações Inter-Regionais 7.Principais resultados de confiabilidade da rede

3 Proposta de Ampliações e Reforços na Rede Básica e Rede de Fronteira 1. Introdução ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico

4 4 INTRODUÇÃO O PAR (Plano de Ampliações e Reforços) é elaborado anualmente pelo ONS – com a participação dos agentes de transmissão, geração, distribuição, importadores/exportadores, consumidores livres conectados à Rede Básica – levando em conta as propostas de novas obras, as solicitações de acesso, as variações nas previsões de carga, os atrasos na implantação de instalações de geração e transmissão, bem como as informações oriundas do planejamento e da programação da operação elétrica e energética e da operação em tempo real. – Ampliação – é a implantação de novo elemento funcional – linha de transmissão ou subestação – na rede básica. - Reforço - é a implementação de novas instalações de transmissão, substituição ou adequação em instalações existentes, para aumentar a capacidade de transmissão ou a confiabilidade do SIN, ou, ainda, que resulte em alteração física da configuração da rede elétrica ou de uma instalação.

5 5 INTRODUÇÃO – cont. O PAR é produzido em consonância com o planejamento da expansão da transmissão a cargo do MME e, seguindo os padrões de desempenho estabelecidos nos Procedimentos de Rede, que são documentos elaborados pelo ONS com a participação dos agentes que, aprovados pela ANEEL, estabelecem: os procedimentos e os requisitos técnicos necessários ao planejamento, implantação, uso e operação do sistema interligado nacional; e as responsabilidades do ONS e dos Agentes. Assim, o PAR ciclo 2009 – 2011, apresenta os resultados e conclusões dos diversos estudos elaborados e a visão do ONS sobre as ampliações e os reforços da rede básica, necessários para preservar ou atingir o adequado desempenho da rede, garantir o funcionamento pleno do mercado de energia elétrica e possibilitar o livre acesso, no horizonte 2011.

6 6 GRUPOS ESPECIAIS DIRETORIA ONS PROCESSO: SOLICITAÇÃO AOS AGENTES DOS DADOS E INFORMAÇÕES PARA AS ANÁLISES. CONSOLIDAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA (ONS E AGENTES) SIMULAÇÕES E ANÁLISES – REALIZADAS NOS GRUPOS ESPECIAIS (ONS E AGENTES) ELABORAÇÃO DE MINUTA DO PAR (ONS E AGENTES) APRESENTAÇÃO E APROVAÇÃO DA DIRETORIA DO ONS ENCAMINHAMENTO AO PODER CONCEDENTE AGENTES PARTICIPAÇÃO O PROCESSO DE ELABORAÇÃO Poder Concedente ( MME)

7 Proposta de Ampliações e Reforços na Rede básica e Rede de Fronteira 2. Resultados do PAR ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico

8 8 Cerca de km em 9 anos RESULTADOS DO PAR - EXPANSÃO DA REDE B Á SICA xxx = Extensão total xxx = Aumento anual xxx = Previsão até 2011 xxx = Extensão total xxx = Aumento anual xxx = Previsão até 2011 A atuação conjunta do MME (Ministério de Minas e Energia), ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), EPE (Empresa de Pesquisa Energética) e Concessionários Transmissores tem resultado em significativa expansão da Rede Básica, permitindo atender o crescimento do mercado, aumentar a confiabilidade da operação do SIN e garantir o escoamento das usinas existentes e planejadas. Cumpre destacar que o sistema de transmissão associado ao escoamento das usinas do rio Madeira já licitadas – Santo Antonio e Jirau – distantes km da região sudeste, não foi contemplado neste resumo. Isto se deve ao fato de que a alternativa de transmissão a ser implantada – alternativa cc ou alternativa híbrida – dependerá do resultado do leilão a ser realizado após a emissão desse PAR Taxa Média 1,0% a.a. Taxa Média 3,5% a.a. Taxa Média 6,0% a.a. (Previsto) Modelo Anterior Modelo vigente através das Leis nº 9648/98 e 10848/04

9 9 RESULTADOS DO PAR QUADRO RESUMO DAS AMPLIAÇÕES E REFORÇOS NA REDE BÁSICA E FRONTEIRA REDE BÁSICA – REDE DE DISTRIBUIÇÃO / PROPOSTOS NO PAR HORIZONTE 2011 EmpreendimentoTotal Geral Empreendimento já com outorga de concessão Empreendimento pendente de outorga de concessão Linha de Transmissão Km 100 % km 79,5 % Km 20,5 % Transformação MVA 100 % km 51,3 % MVA 48,7 % A tabela a seguir resume as ampliações e os reforços propostos previstos para o período 2009 a 2011 com os acréscimos de quilômetros de linha de transmissão e de MVA de transformadores. Os valores pendentes de outorga de concessão – à época de emissão do PAR – são resultantes de acréscimos de 74 linhas de transmissão e 109 novas unidades transformadoras. Para essas obras propostas é previsto um investimento da ordem de R$ 4,6 bilhões. Cumpre destacar que o sistema de transmissão associado ao escoamento das usinas do rio Madeira já licitadas – Santo Antonio e Jirau – distantes km da região sudeste, não foi contemplado neste resumo, cuja data de implantação deve ser de 2012.

10 Proposta de Ampliações e Reforços na Rede básica e Rede de Fronteira 3. Evolução da carga do SIN ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico

11 11 As previsões de carga para o SIN utilizadas neste PAR, elaboradas por distribuidores e consumidores livres e consolidadas em conformidade com os Procedimentos de Rede, apresentam taxas médias de crescimento da ordem de 4,5 % a.a. no período 2007 (verificado) a Considerando os subsistemas, as taxas médias de crescimento das previsões de demanda (ponta de carga) para o período foram as seguintes: Norte: 3,8 % a.a.; Nordeste: 3,4 % a.a.; Centro-Oeste: 7,7 % a.a.; Acre-Rondônia: 9,5 % a.a. Sudeste: 3,7 % a.a.; e Sul: 4,7 % a.a. DESTAQUES DO PAR : EVOLUÇÃO DA CARGA DO SIN

12 Proposta de Ampliações e Reforços na Rede básica e Rede de Fronteira 4. Destaques do PAR ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico

13 13 Neste PAR foram analisadas as condições para viabilizar a operação de um conjunto de novas unidades geradoras previstas para o período. Usinas Hidrelétricas DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES GERADORES USINACAP. MW UFPonto de ConexãoPrevisão Operação Ano Obras da Rede Básica necessárias para despacho pleno Monjolinho77RSSE 230/138 kV Passo Fundo 2009 Não h á obras adicionais na rede b á sica 14 de Julho100RSSE 230 kV Monte Claro (conexão radial por meio de uma LT 230 kV de 17 km, CS) 2009Implantação da LT 230 kV Monte Claro – Garibaldi e adequação do setor de 230 kV da SE Garibaldi. Passo São João77RSSE 69 kV Missões (conexão radial por meio de uma LT 69 kV de 30 km, CD) 2009Complementação do seccionamento da LT 230 kV Santo Ângelo – São Borja 2 e adequação do setor de 230 kV da SE Missões. Implantação de 2º e 3º transformadores 230/69 kV – 2x50 MVA.

14 14 DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES GERADORES – cont. USINACAP. MW UFPonto de ConexãoPrevisão Operação Ano Obras da Rede Básica necessárias para despacho pleno Corumbá III (2 unidades) 93,6GOSE 138 kV Mangueiral2009 Não h á obras adicionais na Rede B á sica Baguari 140 MGSE Gov. Valadares 230 kV2009/10Interligação de barramentos 230 kV de Usiminas 1 e 2 (não integrantes atualmente da rede básica) Barra de Braúna 39MGSE Muriaé e Cataguazes 138 kV 2009 Não h á obras adicionais na rede b á sica Retiro Baixo82MGSE Curvelo 138 kV2009 Não h á obras adicionais na rede b á sica São Salvador452GOSE Cana Brava 230 kV2009 Não h á obras adicionais na rede b á sica Salto do Rio Verdinho e Foz do Rio Claro 160 (total) GOColetora 1 – SE Itaguaçu 230 kV 2009/2010 LT 500 kV São Simão – Itaguaçu – 23 km e TR 500/230 kV – 675 MVA SE Itaguaçu Salto, Caçu e Barra dos Coqueiros 263 (total) GO Coletora 2 – SE Barra dos Coqueiros 230 kV 2009/2010 LT 230 kV Itaguaçu – Barra dos Coqueiros – 49 km Serra do Facão360GOSE Catalão 138 kV2010 Não h á obras adicionais na rede b á sica Usinas Hidrelétricas

15 15 USINACAP. MW UFPonto de ConexãoPrevisão Operação Ano Obras da Rede Básica necessárias para despacho pleno Dardanelos261MTSE Juína (Futura)2010LTs 230 kV Jauru – Juba, Juba – Brasnorte, Brasnorte – Nova Mutum, Brasnorte – Parecis, Brasnorte - Juína e SEs Juba, Brasnorte, Parecis e Juína 230/138 kV. Cidezal Parecis Rondon Sapezal Telegráfica Figueirópolis 133MTSE Parecis 230 kV2010 Estreito1087TOSE Imperatriz 500 kV2010 Não h á obras adicionais na rede b á sica Foz do Chapecó855 RS SC SEs 230/138 kV Xanxerê e 230/69 kV Guarita, por meio de três linhas de 230 kV 2010Adequação do setor de 230 kV da SE Guarita e da SE Xanxerê. Anta29RJSE 138 kV da usina de Simplício 2010 Não h á obras adicionais na rede b á sica Simplício306RJSE 138 kV Rocha Leão da Ampla 2011 Não h á obras adicionais na rede b á sica DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES GERADORES - cont. Usinas Hidrelétricas

16 16 USINACAP. MW UFPonto de ConexãoPrevisão Operação Ano Obras da Rede Básica necessárias para despacho pleno UTE Euzébio Rocha (antiga UTE Cubatão) 2 unidades de 199 MW e 51 MW 250SPLT 230 kV Baixada Santista – Henry Borden 2009 Troca de disjuntores superados em Henry Borden 230kV: 1 disj. (4L) da LT 230 kV para UTE Euzébio Rocha e 1 disj. (3K) anel Pau Ferro I94PESE Pau Ferro 230 kV2009 Não h á obras adicionais na Rede B á sica Termomanaus142,2PESE Pau Ferro 230 kV2009 Não h á obras adicionais na Rede B á sica UTE Camaçari Muricy I 148BANova SE Pólo 230 kV 2009 Não h á obras adicionais na Rede B á sica UTE Camaçari Pólo de Apoio I 148BANova SE Pólo 230 kV 2009 Não h á obras adicionais na Rede B á sica Candiota 3350RSSE 230 kV UTE Presidente Médici (conexão radial por meio de uma LT 230 kV de 0,3 km, CS) 2010LT 230 kV Presidente Médici – Santa Cruz 1. Adequação da capacidade do barramento de 230 kV da SE UTE Presidente Médici. Complementação do seccionamento da LT 230 kV Itaúba – Charqueadas e adequação do setor de 230 kV da SE Santa Cruz 1. DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES GERADORES - cont. Usinas Termoelétricas

17 17 DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES GERADORES – cont. USINAMWUFPonto de ConexãoPrevisão Operação Ano Obras da Rede Básica necessárias para despacho pleno Tocantinópolis165MASE Miranda II 230 kV2010 Não h á obras adicionais na Rede B á sica Nova Olinda165MASE Miranda II 230 kV2010 Não h á obras adicionais na Rede B á sica Termonordeste170,8RNSE Paraíso 230 kV2010 Não h á obras adicionais na Rede B á sica Campina Grande162PBSE Campina Grande II 230 kV2010 Não h á obras adicionais na Rede B á sica Termoparaíba170,8PBSE Mussuré II 230 kV2010 Não h á obras adicionais na Rede B á sica UTE Global I140BASE Jacaracanga 230 kV 2010 Não h á obras adicionais na Rede B á sica UTE Global II148BASE Jacaracanga 230 kV 2010 Não h á obras adicionais na Rede B á sica UTE Sapeaçu II (antiga Itapebi) 145,8BASE Sapeaçu 230 kV 2010 Não h á obras adicionais na Rede B á sica UTE Sapeaçu I (antiga Monte Pascoal) 146,5BASE Sapeaçu 230 kV 2010 Não h á obras adicionais na Rede B á sica UTE Três Lagoas (Fase II) Unidades 5 e SPSeccionamento das LTs 138 kV Ilha Solteira – Jupiá e Jupiá – Três Irmãos 2011 Não h á obras adicionais na Rede B á sica Usinas Termoelétricas

18 18 DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES GERADORES – cont. USINAMWUFPonto de ConexãoPrevisão Operação Ano Obras da Rede Básica necessárias para despacho pleno Alegria I51 RNSE Açu 230 kV2009 Implanta ç ão do 2 0 circuito 230 kV A ç u II – Para í so, com 135 km de extensão Seccionamento do circuito 230 kV Campina Grande II – Natal II C2, na SE Para í so, em dezembro de 2008 Alegria II 100 Usinas Eólicas

19 19 O PAR também considerou a criação de novos pontos de conexão à Rede Básica do SIN para melhor atender concessionários de distribuição e consumidores livres. A seguir são relacionados os novos pontos de conexão, previstos para entrar em operação no horizonte , a partir de fevereiro DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN

20 20 DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES DISTRIBUIDORES E CONSUMIDORES LIVRES – cont. Agentes Distribuidores ACESSANTETIPOUFPONTO DE CONEXÃO CELESCDSCFutura SE 230/138 kV Joinville Norte CELESCDSCFutura SE 230/138 kV Videira 2 COPEL-DDPRFutura SE 230/138 kV Foz do Iguaçu Norte AES SULDRSFutura SE 230/13,8 kV Santa Cruz 1 AES SULDRSFutura SE 230/138 kV Scharlau CELESCDSCFutura SE 230/69 kV Forquilhinha COPEL-DDPRFutura SE 230/69 kV Distrito Industrial São José dos Pinhais RGEDRSFutura SE 230/69 kV Caxias 6 D- Distribuidor

21 21 D- Distribuidor DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES DISTRIBUIDORES E CONSUMIDORES LIVRES ACESSANTETIPOUFPONTO DE CONEXÃO CELGDGO Novo Setor 138 kV na SE Corumb á 345 kV AMPLADRJFutura SE 345/138/13,8 kV Venda das Pedras CEMIGDMGFutura SE 345/138 kV Pirapora 2 CEMIGDMGFutura SE 345/138 kV Santos Dumont 2 ENERGISADMGFutura SE 345/138 kV Padre Fialho BANDEIRANTEDSPNovo Setor 88 kV na SE Itapeti 345 kV COMPARTILHADADSPFutura SE 440/138 kV Araras COMPARTILHADADSPFutura SE 440/138 kV Atibaia 2 CPFLDSPFutura SE 440/138 kV Mirassol 2 CPFLDSPFutura SE 440/138 kV Getulina CPFLDSPFutura SE 500/138 kV Itatiba CPFL PIRATININGADSPFutura SE 440/88 kV Salto ELETROPAULODSPFutura SE 440/88 kV Jandira ELETROPAULODSPFutura SE 345/88 kV Piratininga II CELPEDPEFutura SE 230/69 kV Suape III CEMARDMA Futura SE 230/69 kV São Lu í s III CEMARDMAFutura SE 230/69 kV Balsas Agentes Distribuidores

22 22 D- Distribuidor G - Gerador DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES DISTRIBUIDORES E CONSUMIDORES LIVRES – cont. ACESSANTETIPOUFPONTO DE CONEXÃO CEPISADPI Futuro setor 69 kV na SE Ribeiro Gon ç alves COELBADBAFutura SE 230/69 kV Narandiba COELBADBAFuturo setor 138 kV na SE Senhor do Bonfim COELBADBAFutura SE 230/138 kV Teixeira de Freitas COELBADBAFuturo setor 138 kV na SE Ibicoara COELBA, ENERGIPE, CEAL, CELPE e CHESF D/GBAFutura SE 230/69 kV Zebu COSERNDRNFutura SE 230/69 kV Natal III COSERNDRN Futuro setor 138 kV na SE Para í so CEMATDMTFutura SE 230/138 kV Brasnorte CEMATDMTFutura SE 230/138 kV Juba CEMATDMTFutura SE 230/138 kV Nobres ENERGISA PARAÍBADPBFutura SE 230/69 kV Santa Rita II COELBADBA Futura SE 230/69 kV P ó lo COELBADBAFuturo setor 138 kV na SE Bom Jesus da Lapa Agentes Distribuidores

23 23 DESTAQUES DO PAR : NOVAS CONEXÕES AO SIN DE AGENTES DISTRIBUIDORES E CONSUMIDORES LIVRES – cont. CL – consumidor livre ACESSANTETIPOUFPONTO DE CONEXÃO Castertech FundiçãoCLRSLT 230 kV Caxias – Caxias 2 (Seccionamento) Aracruz CeluloseCLRSSE 230 kV Guaíba 2 Berneck AglomeradosCLPRSE 230 kV Cidade Industrial de Curitiba SBMCLRJFutura SE 500/138 kV SBM CSACLRJFutura SE 500/138 kV CSA ValesulCLRJFutura SE 500/138 kV CSA CSNCLRJFutura SE 500/138 kV CSN SOLVAYCLSP Futura SE 440/88 kV seccionamento da LT Embugua ç u – Santo Angelo VOLLOUREC & SUMITOMO CLMGSeccionamento da LT 345 kV Lafaiete – Ouro Preto 2 SAMARCOCLMGSeccionamento da LT 345 kV Vitória – Ouro Preto 2 VALE DO RIO DOCE – VARGEM GRANDE CLMGSeccionamento da LT 345 kV Taquaril – Ouro Preto 2 MMXCLMGSE 230 kV Itabira 2 CEMATCLMTFutura SE 230/138 kV Sadia SADIACLMTFutura SE 230/13,8 kV Sadia Consumidores Livres

24 24 DESTAQUES DO PAR : INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS ISOLADOS - ACRE/RONDÔNIA

25 25 No PAR são propostas obras para complementar a integração dos estados Acre e Rondônia ao SIN. Os reforços propostos visam elevar o limite de transmissão para aqueles estados e, conseqüentemente, reduzir a necessidade de geração térmica local. As seguintes obras ainda estão sem outorga de concessão definida: um terceiro circuito de Jauru até Porto Velho e um segundo circuito de Porto Velho até Rio Branco – indicado pelos estudos de integração dos aproveitamentos hidrelétricos do rio Madeira; e DESTAQUES DO PAR : INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS ISOLADOS – ACRE/RONDÔNIA – cont. REGIÃO LOCALIDADE DESCRIÇÃO DA OBRA BENEFÍCIOS/ABRANGÊNCIA DO IMPACTO Rondônia 3 bancos de capacitores manobráveis de 18,5 Mvar cada na SE Vilhena 230 kV 3 bancos de capacitores manobráveis de 18,5 Mvar cada na SE Pimenta Bueno 230 kV 1 banco de capacitor manobrável de 18,5 Mvar na SE Ji-Paraná 230 kV 1 CE - compensador estático (-50/100 Mvar) na SE Vilhena 230 kV Aumento do limite de recebimento pelo sistema Acre / Rondônia

26 26 DESTAQUES DO PAR : INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS ISOLADOS – ACRE/RONDÔNIA – cont. CONSEQUÊNCIAS DA INTERLIGAÇÃO Aumento da confiabilidade de atendimento às capitais Rio Branco e Porto Velho; Redução da dependência de geração térmica a óleo, subsidiada através da CCC. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS Extensão: 1000 km em 230 kV (de Samuel a Jauru) Configurações de EquipamentosAno RACRO - MWFACRO MW Carga Pesada Carga Média Carga Leve Com o CE de Vilhena e com os capacitores adicionais de Vilhena e Ji-Paraná Com o CE de Vilhena e com os capacitores adicionais de Vilhena, Pimenta Bueno e Ji-Paraná. Considera também o terceiro circuito entre Jauru e Porto Velho e o segundo circuito entre Porto Velho e Samuel LIMITES DE INTERCÂMBIO RACRO: Recebimento Acre/Rondônia FACRO: Fornecimento Acre/Rondônia

27 27 DESTAQUES DO PAR : INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS ISOLADOS – MANAUS/MACAPÁ

28 28 DESTAQUES DO PAR : INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS ISOLADOS – MANAUS/MACAPÁ – cont. O decreto n , de 20/07/07, inclui no Programa Nacional de Desestatização – PND os empreendimentos de transmissão necessários para viabilizar a integração das cidades de Macapá-AP e Manaus-AM ao SIN Esse sistema de transmissão integra o Plano de Aceleração do Crescimento – PAC e fez parte do leilão n 0 004/2008 – ANEEL No PAR são propostas as obras para viabilizar a integração de Manaus e Macapá ao SIN. Essa integração permite reduzir a necessidade de geração térmica local; bem como, atender as comunidades isoladas nas proximidades da linha de transmissão CARACTERÍSTICAS BÁSICAS Atendimento à cidade de Manaus: circuito duplo na tensão de 500 kV, na rota pela margem esquerda do rio Amazonas - com extensão aproximada de km – entre as subestações de Tucuruí e Manaus Atendimento à cidade de Macapá: circuito duplo na tensão de 230 kV - com extensão aproximada de 340 km – entre as subestações de Jurupari e Macapá

29 Proposta de Ampliações e Reforços na Rede básica e Rede de Fronteira 5. Principais Ampliações e Reforços propostos para a Rede Básica e a Rede Básica de Fronteira ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico

30 30 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS A seguir, distribuídas por regiões, as principais obras indicadas no PAR , ainda sem outorga de concessão definida, incluídas as suas localizações.

31 31 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Sistema Regional Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) SE 230 kV Pato Branco (PR) Banco de capacitores de 30 Mvar, 230 kV LT 525 kV Foz do Iguaçu – Cascavel Oeste (PR) LT 525 kV Salto Santiago – Itá C2 (PR/SC) Região Metropolitana de Curitiba Reencabeçamento da LT 230 kV Campo Comprido – Umbará C2 na SE Gralha Azul e da LT 230 kV Cidade Industrial de Curitiba – Gralha Azul na SE Umbará LT 230 kV Curitiba - Uberaba SE Distrito Industrial São José dos Pinhais Novo setor 230/69 kV – 1º e 2º transformadores, 2x150 MVA Região Central do Paraná SE 230 kV Ponta Grossa Sul Banco de capacitores de 50 Mvar, 230 kV Região Leste de Santa Catarina SE 525/230 kV Biguaçu 2º banco de autotransformadores, 672 MVA Região Norte de Santa Catarina SE 230/138 kV Joinville Adequação de duas conexões de 230 kV dos transformadores SE 230/138 kV Canoinhas Substituição de 2 transformadores de 75 MVA por unidades de 150 MVA

32 32 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Região Oeste de Santa Catarina SE 230/138 kV Xanxerê Substituição dos transformadores de 75 e 84 MVA por unidades de 150 MVA Região Metropolitana de Porto Alegre LT 230 kV Porto Alegre 9 – Nova Santa Rita LT 230 kV Porto Alegre 9 – Porto Alegre 8 LT 230 kV Porto Alegre 9 – Porto Alegre 4 Região Nordeste do Rio Grande do Sul LT 230 kV Monte Claro - Garibaldi SE 230/69 kV Caxias 6 – 1º banco de autotransformadores monofásicos, 3x55 MVA, mais unidade reserva de 55 MVA. Seccionamento da LT 230 kV Caxias – Caxias 2, circuito duplo, 1 km Região Noroeste do Rio Grande do Sul SE 230/138 kV Santa Marta Complementação das conexões dos transformadores em 230 kV e 138 kV

33 33 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Região Metropolitana de Campo Grande – Mato Grosso do Sul LT 230 kV Dourados – Imbirussu Substituída pelas linhas de 230 kV Imbirussu – Sidrolândia e Sidrolândia – Anastácio, de acordo com recente estudo da EPE. Região Metropolitana de São Paulo SE Interlagos 345 kV - Bancos de capacitores ( ) Mvar SE Guarulhos 345 kV - Bancos de capacitores ( ) Mvar Região de Mogi das Cruzes – SP SE Itapeti – Implantação de pátio de 88 kV com 2 bancos de AT 345/88 kV – 400 MVA e bancos de capacitores 138 kV / 200 Mvar (Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da Bandeirantes)

34 34 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Região Metropolitana de São Paulo, Noroeste da Capital SE Jandira – Nova subestação em seccionamento da LT 440 kV Embu Guaçu – Gerdau, com 3 bancos de AT 440/ kV MVA e bancos de capacitores 88 kV / 150 Mvar (Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da Eletropaulo) SE Anhangüera – Terceiro banco de AT 345/88 kV MVA Região de Campinas – SP SE Itatiba – Nova subestação em seccionamento da LT 500 kV Campinas – Ibiuna, com 2 bancos de AT 500/138 kV MVA e bancos de capacitores 138 kV / 200 Mvar (Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da CPFL) Região de Sorocaba – SP SE Salto – Nova subestação em seccionamento da LT 440 kV Bauru – Cabreúva, com 1 banco de AT 440/ kV MVA e banco de capacitor 88 kV / 30 Mvar (Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da CPFL PIRATININGA) Região do Vale do Paraíba – SP SE Taubaté – 3º banco de AT 440/138 kV MVA Região Central do Estado de São Paulo SE Ribeirão Preto – 4º banco de AT 440/138 kV MVA Usinas do Rio Grande – SP/MG SE Mascarenhas de Moraes – 2º banco de AT 345/138 kV MVA Subsistema Sudeste do SIN SE Tijuco Preto – Instalação de unidade reserva monofásica de autotransformador 750/345/20 kV – 1X500 MVA

35 35 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Região Central e Mantiqueira-MG SE Lafaiete 345/138 kV – 3º autotransformador – 150 MVA Recapacitação das LTs 345 kV Neves – Três Marias; Neves – Barreiro e Ouro Preto - Taquaril Região Sul - MG SE Poços de Caldas - 2º banco de AT 345/138 kV – 225 MVA e banco de capacitores 345 kV / 150 Mvar Estados MG e ES SE Padre Fialho 345/138 kV – AT 150 MVA – TR 138/138 kV defasador sob carga +/- 30° - 1 CE (-84;100) Mvar e 2 BC de 33 Mvar manobrados pelo CE Seccionamento da LT 345 kV Vitória – Ouro Preto 2

36 36 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS - continuação ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Região Central - MG SE Santos Dumont 345/138 kV – AT 375 MVA – 1 CE (-84;100) Mvar e 2 BC de 42 Mvar manobrados pelo CE Seccionamento da LT 345 kV Barbacena 2 – Juiz de Fora SE 230 kV João Monlevade – Banco de Capacitores de 50 Mvar SE 230 kV Itabira 2 – Banco de Capacitores de 50 Mvar O plano de compensação reativa proposto pela CEMIG Distribuidora, que prevê um montante da ordem de 700 Mvar até 2010, atende as necessidades apresentadas. Neste PAR está recomendada a instalação pela CEMIG de 108 Mvar no menor prazo possível. SE Pirapora 2 500/345kV – Reator de barra manobrável de 80 Mvar/345 kV SE Usiminas 230 kV – Interligação dos barramentos 1 e 2 LT 230 kV Mesquita – Ipatinga 1 C1 e C2 - Recondutoramento LT 230 kV Ipatinga 1 – Usiminas - Recondutoramento LT 230 kV Mesquita – Usiminas - Recondutoramento SE Barreiro - 1º e 2º bancos de AT 345/138 kV 375 MVA

37 37 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Região oeste do Rio de Janeiro SE Santa Cruz ll 138 kV - construção de novo pátio de 138 kV com (3+1) unidades AT monofásicas de 200 MVA para interligar a futura subestação CSA 500 kV. Solucionar os problemas de carregamento no eixo Jacarepaguá – Stª Cruz – Angra e na transformação 345/138 kV da SE Jacarepaguá e eliminar necessidade de geração térmica. Obra em avaliação pela EPE Brasília SE Brasília Sul 345/230 kV: 3º banco de AT 345/230 kV – 3 x 75 MVA e conexões SE Brasília Sul 345 kV: instalação de um vão completo no barramento de 345 kV SE Brasília Geral 230/34,5 kV: 4º banco AT 230/34,5 kV – 60 MVA em substituição aos dois bancos de 30 MVA restantes SE Samambaia 345/138 kV: 3º banco de AT 345/138 kV – 3 x 75 MVA, conexões e equipamentos superados na SE Brasília Sul, já autorizados pela ANEEL. Norte de Goiás LT 230 kV Serra da Mesa – Niquelândia – Barro Alto C2: construção do 2º circuito desse tronco, circuito simples, 954 MCM, com 192 km, 4 EL 230kV SE Barro Alto 230/69 kV: 2º TR 230/69 kV - 3 x 16,7 e conexões SE Barro Alto 230 kV: adequação do barramento de 230 kV LT 230 kV Brasília Sul – Barro Alto: implantação de seccionamento na LT 230 kV Brasília Sul – Barro Alto, 2x0,05 km, para eliminar o atendimento em derivação (tape) da SE Águas Lindas 230/69 kV – 2 X 50 MVA de propriedade da CELG

38 38 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Região Oeste de GoiásSE Rio Verde 230/138 kV: 3º banco TR 230/138 kV – 100 MVA Região Metropolitana de Goiânia e Sul do Estado - GO Recapacitação de linhas 230 kV Anhanguera – Goiânia Leste, Anhanguera – Cachoeira Dourada e Bandeirantes – Xavantes C2 SE Bandeirantes 345/230 kV: 5º banco ATR 345/230 kV – 225 MVA LT 230 kV Anhanguera – Firminópolis: implantação de seccionamento de linha de transmissão (passará a ser denominada Carajás – Firminópolis) na SE Palmeiras 230/69 kV e adequações necessárias nessa subestação SE Palmeiras 230/69 kV: 2º TR 230/69 kV – 50 MVA SE Planalto 230/69 kV: repotencialização de dois transformadores de 41,7 para 50 MVA SE Anhanguera 230/138 kV: 3º TR 230/138 kV – 100 MVA SE Firminópolis 230 kV: implantação de compensação capacitiva de 2x25Mvar/230 kV SE Carajás 230/138 kV: 2º banco de AT 3 x 75 MVA e conexões SE Palmeiras 230 kV: implantação de compensação capacitiva de 2x25Mvar/230 kV Sul de Goiás SE Corumbá 345 kV (GO): construção de pátio 138 kV com 2 bancos de AT (6+1) x 25 MVA e obras associadas de distribuição

39 39 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Mato Grosso SE Coxipó – 5 0 banco de transformadores de 230/138 kV – 100 MVA SE Jauru – 2º banco de AT 230/138 kV – 300 MVA SE Nobres – 1º e 2º bancos de AT 230/138 kV – 100 MVA SE Barra do Peixe – 2º banco de AT 230/138 kV – 50 MVA SE Sadia – 1º banco de AT 230/138 kV – 75 MVA LT 230 kV Brasnorte – Nova Mutum, circuito duplo LT 230 kV Jauru – Juba, circuito duplo LT 230 Brasnorte – Juba, circuito duplo LT 230 kV Brasnorte – Parecis, circuito duplo LT 230 kV Brasnorte – Juína, circuito duplo LT 230 kV Nova Mutum – Sorriso (C2), circuito simples LT 230 kV Sorriso – Sinop (C2), circuito simples LT 500 kV Cuiabá – Jauru, circuito simples

40 40 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Rondônia SE Vilhena - 3 bancos de capacitores 18,5 Mvar/230 kV SE Pimenta Bueno – 3 bancos de capacitores 18,5 Mvar/230 kV SE Ji-Paraná - Banco de capacitor 18,5 Mvar/230 kV LT 230 KV Jauru – Vilhena – Pimenta Bueno – Ji-Paraná – Ariquemes – Samuel – Porto Velho C3 LT 230 kV Porto Velho – Abunã – Rio Branco C2 Aumento do limite de recebimento pelo sistema Acre / Rondônia Maranhão SE Imperatriz – 2º AT 500/230/13,8 kV – 3x150 MVA SE São Luís II – 2º CE (-100, +150) Mvar – 230 kV PiauíSE Teresina – 2º AT 500/230 kV – 3x100 MVA CearáSE Milagres – 2º AT 500/230 kV – 3x200 MVA Ceará e Rio Grande do Norte LT 230 kV Banabuiú - Mossoró II C2

41 41 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Rio Grande do Norte SE Natal III (nova) - 2 TR 230/69 kV, 2x150 MVA Seccionamento das LTs 230 kV Campina Grande II – Natal II C3/C4 Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da COSERN. Paraíba SE Santa Rita II (nova) - 2 TR 230/69 kV, 150 MVA Seccionamento da LT 230 kV Goianinha – Mussuré II (04F1) e construção de 12,6 km, circuito duplo. Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da SAELPA. Paraíba e PernambucoLT 230 kV Pau Ferro – Santa Rita II Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia SE Zebu (nova) - 2 TR 230/69 kV, 2x100 MVA LT 230 kV Paulo Afonso III – Zebu II C1/C2

42 42 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Bahia SE Camaçari IV (Nova) – 1 AT 500/230 kV, e fase reserva (3+1)x200 MVA, seccionamento da LT 500 kV Jardim – Camaçari II SE Pólo - 1 TR 230/69 kV, 1x100 MVA Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da COELBA. LT Pituaçu – Narandiba C1/C2 – operação dos circuitos existentes na tensão nominal de 230 kV Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da COELBA: SE Narandiba. SE Jardim – 2º AT 500/230 kV – 3x200 MVA LT 230 kV Eunápolis – Teixeira de Freitas II C2 SE Sobradinho – 3º AT 500/230 kV – 3x100 MVA

43 43 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. A seguir, distribuídas por regiões, as principais obras indicadas no PAR , incluídas as suas localizações, cuja outorga de concessão foi definida após a emissão do PAR, ATÉ A DATA DE 15/01/2009.

44 44 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Região Oeste do Rio Grande do Sul SE 230/69 kV Missões Complementação do seccionamento da LT 230 kV Santo Ângelo – São Borja. Adequação do arranjo do setor de 230 kV 2º e 3º transformadores 230/69 kV – 2x50 MVA (Viabilização da integração da UHE Passo São João) (Leilão 006/2008 – Obras licitadas à Eletrosul em ) Região Noroeste do Rio Grande do Sul SE 230 kV Guarita Adequação do arranjo do setor de 230 kV (Viabilização da integração da UHE Foz do Chapecó) (REA 1546/2008 – autorizada à CEEE-GT) Área Norte do Estado de MG LT 345 kV Pirapora 2 – Várzea da Palma 1 – Instalação de 2 EL 345 kV nos dois terminais – Resolução 1614/08 de 14/10/2008 Área da Mantiqueira - MG SE São Gonçalo do Pará 500/138 kV – 3º TR 300 MVA autorizado à Cemig pela autorização 1614/08 LT 500 kV Bom Despacho 3 – Ouro Preto 2, circuito simples, 209 km Recapacitação da LT 345 kV Neves – T. Marias, 246 km, 75º/90ºC – Leilão de 03/10/2008 Região Sul - MG SE Poços de Caldas - 1º banco de AT 345/138 kV – 225 MVA e banco de capacitores 345 kV / 150 Mvar – Autorizado pela Resolução de 12/08/2008

45 45 PRINCIPAIS OBRAS PROPOSTAS – cont. ÁREA DE INFLUÊNCIA DA OBRA DESCRIÇÃO DA OBRA Maranhão SE Miranda II (nova) - 1 AT 500/230/13,8 kV e fase reserva, (3+1)x150 MVA Seccionamento das LTs 500 kV Presidente Dutra – São Luís II C1/C2 SE Balsas (nova), com 1 TR 230/69 kV, 1x100 MVA LT 230 kV Ribeiro Gonçalves – Balsas Piauí SE Ribeiro Gonçalves, novos setores de 230 kV e 69 kV, com um AT 500/230 kV e fase reserva, (3+1)x100 MVA e 1 TR 230/69 kV 1x50 MVA Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da CEPISA. Pernambuco SE Suape II (nova) - 1 AT 500/230 kV e fase reserva, (3+1)x200 MVA Seccionamento da LT 500 kV Recife II – Messias, construção de 24 km, circuito duplo Seccionamento da LT 230 kV Pirapama II – Termopernambuco (C1/C2) e construção de 2 km de duas LTs 230 kV, circuito duplo. SE Suape III (nova) - 2 TR 230/69 kV, 2x100 MVA Seccionamento da LT 230 kV Pirapama II – Termopernambuco. Integração de Distribuidora – novo ponto de conexão da CELPE. BahiaSE Narandiba (nova) - 2 TR 230/69 kV, 2x100 MVA

46 Proposta de Ampliações e Reforços na Rede básica e Rede de Fronteira 6. Evolução dos Limites de Intercâmbio nas Interligações Inter-Regionais ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico

47 47 A seguir são apresentadas os principais limites nas interligações regionais, bem como a evolução da capacidade de transmissão nestas interligações. EVOLUÇÃO DOS LIMITES DE INTERCÂMBIO

48 48 EVOLUÇÃO DOS LIMITES DE INTERCÂMBIO – cont. Itaipu Imperatriz Ivaiporã 50 Hz 60 Hz Exportação do Norte (1A) MWmed (2008) Recebimento do Nordeste (2A) Cenário Norte Exportador MWmed (a partir de DEZ/2009) Cenário Sudeste Exportador 4.600/3.700 MWmed (a partir de DEZ/2009) Recebimento do Sudeste (3A) MWmed (2010/2011) MWmed (2012) Exportação do Sul (4A) MWmed (2010/2011) MWmed (2012) Recebimento do Sul (4B) MWmed (2010/2011) MWmed (2012) 1A 2A 3A 4A4B O diagrama mostra as interligações que possibilitam as transferências de energia entre os subsistemas

49 49 Itaipu Imperatriz Ivaiporã 50 Hz 60 Hz EVOLUÇÃO DAS INTERLIGAÇÕES INTER – REGIONAIS Obras de Influência Sudeste/Sul Ano 2009 (LT 525 kV Bateias-Curitiba C2 LT 230 kV Maringa-Londrina, Seccion. LT 230 kV Apucarana-Figueira, Jaguariaíva-Itararé e TR Itararé 230/138 kV Ano 2009 (LT 525 kV Bateias-Curitiba C2 LT 230 kV Maringa-Londrina, Seccion. LT 230 kV Apucarana-Figueira, Jaguariaíva-Itararé e TR Itararé 230/138 kV Ano 2010 – eliminação das restrições de equipamentos terminais na SE e bancos de capacitores shunt em S. Paulo Ano 2010 – eliminação das restrições de equipamentos terminais na SE e bancos de capacitores shunt em S. Paulo Ano 2012 – LT 525 kV Foz-C. Oeste e bancos de capacitores shunt em S. Paulo Ano 2012 – LT 525 kV Foz-C. Oeste e bancos de capacitores shunt em S. Paulo Norte/Nordeste/Sudeste Ano 2009 Ano 2009 LT 500 kV São Simão-Marimbondo- R.Preto-Poços de Caldas, Jaguara- Estreito-R.Preto e TR 500/440 kV SE R.Preto e LT 500 kV São Simão-Marimbondo- R.Preto-Poços de Caldas, Jaguara- Estreito-R.Preto e TR 500/440 kV SE R.Preto e LT 500 kV Colinas-RGonçalves-SJPiaui- MilagresLT 500 kV Colinas-RGonçalves-SJPiaui- Milagres

50 Proposta de Ampliações e Reforços na Rede básica e Rede de Fronteira 7. Principais resultados de confiabilidade da rede ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico

51 51 A confiabilidade da Rede Básica é apresentada no diagrama a seguir. Representa a evolução temporal prevista para o nível de confiabilidade probabilística do sistema de transmissão brasileiro, expresso pela severidade. Esta é expressa pela razão entre a energia não suprida e a ponta de carga do sistema. A análise foi elaborada com a aplicação de contingências simples em todos os elementos (linhas, transformadores de malha e de fronteira). A evolução da ponta de carga (MW) de todo o sistema (carga global), também mostrada nessa figura, tem a função de possibilitar uma comparação do crescimento da carga com os recursos de transmissão agregados ao sistema. PRINCIPAIS RESULTADOS DE CONFIABILIDADE DA REDE

52 52 PRINCIPAIS RESULTADOS DE CONFIABILIDADE DA REDE – Cont. O gráfico mostrado ilustra a evolução crescente da carga ao longo do horizonte estudado, em contraposição com o risco decrescente do sistema. Isso demonstra a eficácia das obras do PAR agregadas ao sistema no ciclo estudado


Carregar ppt "PLANO DE AMPLIAÇÕES E REFORÇOS PAR 2009 – 2011 Versão Executiva Janeiro de 2009 ONS Operador Nacional do Sistema Elétrico."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google