A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTRODUÇÃO Definições de Economia Economia é o estudo da organização social através da qual os homens satisfazem suas necessidades de bens e serviços escassos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTRODUÇÃO Definições de Economia Economia é o estudo da organização social através da qual os homens satisfazem suas necessidades de bens e serviços escassos."— Transcrição da apresentação:

1 INTRODUÇÃO Definições de Economia Economia é o estudo da organização social através da qual os homens satisfazem suas necessidades de bens e serviços escassos. Não houvesse escassez nem necessidade de repartir os bens entre os homens, não existiriam tampouco sistemas econômicos nem Economia. A Economia é, fundamentalmente, o estudo da escassez e dos problemas dela decorrentes.

2 INTRODUÇÃO Definições de Economia Economia é uma ciência social que estuda como os indivíduos e a sociedade decidem utilizar recursos produtivos escassos na produção de bens e serviços, de modo a distribuí-los entre os grupos da sociedade, com a finalidade de satisfazer as necessidades humanas. A ciência que estuda a escassez. A ciência que estuda o uso dos recursos escassos na produção de bens alternativos. O Estudo da forma pela qual a sociedade administra seus recursos escassos.

3 INTRODUÇÃO Definições de Economia A economia é o estudo de como as pessoas e a sociedade decidem empregar recursos escassos, que poderiam ter utilizações alternativas, para produzir bens variados e para os distribuir para consumo, agora ou no futuro, entre várias pessoas e grupos da sociedade. (Paul Samuelson, 1988)

4 INTRODUÇÃO O Problema da escassez necessidades humanas a serem satisfeitas são infinitas; recursos produtivos (máquinas, terras, etc) são insuficientes; escassez está presente em qualquer sociedade, independentemente do grau de seu desenvolvimento; a escassez implica na necessidade de escolha.

5 INTRODUÇÃO Bens e Serviços - Definições Bem é tudo aquilo que permite satisfazer uma ou várias necessidades humanas, isto é, um bem tem utilidade Os bens podem ser classificados em livres e econômicos, dependendo de sua raridade.

6 INTRODUÇÃO Bens e Serviços - Definições Bens econômicos são relativamente escassos, e pressupõem a utilização de esforço humano para sua obtenção. Sua característica básica é ter um preço. Ex: veículos, roupas, assistência médica

7 INTRODUÇÃO Bens Econômicos – Natureza Bens materiais são de natureza material, isto é, tangíveis (têm características como peso, volume, etc); Bens imateriais ou serviços são intangíveis, e acabam no mesmo momento de sua produção (prestação de serviços e utilização são praticamente instantâneos);

8 INTRODUÇÃO Bens Materiais - Destino Bens de consumo são aqueles diretamente utilizados para a satisfação das necessidades humanas. Podem ser de uso único (não duráveis) como os alimentos, ou de uso durável, que podem ser utilizados por muito tempo; Bens de capital são aqueles que permitem produzir outros bens (como máquinas e equipamentos);

9 INTRODUÇÃO Bens Materiais - Classificação Bens finais são aqueles que já passaram por todas as etapas de transformação, isto é, estão acabados; Bens intermediários são aqueles que ainda precisam ser transformados para atingir sua forma definitiva, sendo utilizados na produção de outros produtos (ex: aço, vidro, fertilizantes,etc);

10 INTRODUÇÃO Fatores de produção São todos os elementos utilizados na produção de bens e serviços que satisfarão as necessidades humanas. São classificados em 4 grandes grupos: - Recursos Naturais; - Trabalho ( m-d-o ); - Capital; - Capacidade gerencial.

11 INTRODUÇÃO Fatores de produção Terra ou recursos naturais (minerais, hídricos, etc); Trabalho - esforço humano (físico ou mental); Capital (ou bens de capital) - bens fabricados utilizados na produção de outros bens; Capacidade empresarial é a organização da produção, a reunião e combinação dos demais fatores de produção.

12 INTRODUÇÃO Fatores de produção São limitados ou escassos - Reservas petrolíferas, terras próprias para agricultura; - Quantidade de máquinas e equipamentos disponíveis em um certo período de tempo; - Quantidade de pessoas com capacitação disponíveis.

13 INTRODUÇÃO Fatores de produção - Remuneração O preço pago pela utilização dos fatores de produção constitui-se na renda dos proprietários de tais fatores. -Trabalhadores – salários; -Proprietários de terras – aluguéis; -Capitalistas (fornecedores de dinheiro) – juros; -Proprietários de empresas – lucros.

14 INTRODUÇÃO Agentes econômicos São as pessoas físicas e jurídicas que contribuem para o funcionamento do sistema econômico: - Famílias (Unidades Familiares); - Empresas (Unidades Produtivas); - Governo (Regulador).

15 INTRODUÇÃO Agentes econômicos - Famílias No papel de consumidores, adquirem produtos e serviços para satisfação de suas necessidades; No papel de proprietárias de fatores de produção, fornecem às empresas tais fatores (trabalho, terra, capital e capacidade empresarial); Recebem salários, aluguéis, juros e lucros, e com essa renda adquirem os produtos e serviços (maximizando sua satisfação).

16 INTRODUÇÃO Agentes econômicos – Empresas Unidades encarregadas de produzir e/ou comercializar bens e serviços, por meio da combinação dos fatores adquiridos junto às famílias; As decisões das empresas são guiadas pelo objetivo de maximizar o lucro.

17 INTRODUÇÃO Agentes econômicos – Governo Pode intervir no sistema econômico como produtor de bens e serviços; Atua como comprador de bens e serviços para a realização de suas próprias tarefas; Pode intervir no sistema econômico para disciplinar a conduta dos demais agentes econômicos.

18 INTRODUÇÃO Mercado Local em que compradores (o lado da demanda ou procura) e vendedores (o lado da oferta) se encontram para realizar transações; Não é necessária a existência de um local físico para a realização de transações (ex: internet); Mais adiante no curso estudaremos a formação de preços nos diferentes mercados.

19 QUESTÕES ECONÔMICAS FUNDAMENTAIS O que e quanto produzir? - escolha entre alternativas de quais bens, e em quais quantidades, serão produzidos. Como produzir? - combinação de recursos (fatores de produção) que implique no menor custo. Para quem produzir? - quem irá receber os bens e serviços (quem contribuiu para a sua produção ou quem mais necessita?

20 CURVA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

21

22

23 Curva (fronteira) de possibilidades de produção mostra todas as combinações possíveis entre milho e soja quando todos os recursos disponíveis estão sendo utilizados (pleno emprego de recursos); Ao longo da curva temos eficiência produtiva; dentro da área delimitada pela curva, temos uma ineficiência (ponto G); Pontos fora da área delimitada pela curva não são atingíveis com os recursos existentes.

24 CURVA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO Um aumento na produção de soja só é possível com uma diminuição na produção de milho; O custo de um produto pode ser expresso em termos da quantidade sacrificada do outro (custo de oportunidade); Custo de oportunidade exprime o custo em termos das alternativas sacrificadas; Pontos além da fronteira só podem ser alcançados por meio do aumento da disponibilidade dos fatores de produção.

25 CURVA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO Mudanças na curva de possibilidades de produção - o crescimento: - a capacidade de produzir bens e serviços pode aumentar com o tempo (aumento da força de trabalho, expansão do número de fábricas, etc); - o mesmo poderá ocorrer em função de progressos tecnológicos (com os mesmos fatores).

26 CURVA DE POSSIBILIDADES DE PRODUÇÃO

27 Os pontos da CPP representam as possíveis combinações dos fatores de produção na obtenção dos bens x e y. Deslocamentos positivos: decorrem da expansão ou melhoria dos fatores de produção disponíveis (Crescimento Econômico). Inovações tecnológicas: com a mesma quantidade de insumos obtém-se maior quantidade de produtos; Deslocamentos negativos: decorrem da redução, sucateamento ou progressiva desqualificação do fatores de produção disponíveis.

28 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA

29 A sociedade organiza sua economia de três formas básicas para resolver as questões fundamentais (o que, como e para quem produzir): -Economia de mercado (Capitalista); -Economia planificada centralmente (Socialista); -Economia mista (Setor Público);

30 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia de Mercado - economia capitalista, baseada no princípio da propriedade privada. - consumidores e empresas interagem por meio dos mercados para determinar as respostas às questões; - preços e quantidades são determinados pelo livre jogo da oferta e procura; - o preço exerce uma função econômica básica, orientando a produção e o consumo.

31 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia de Mercado - o Estado não deve intervir em nenhum aspecto da atividade produtiva, ficando restrito ao atendimento das necessidades básicas - o Estado deve estabelecer regras visando proteger a liberdade econômica

32 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia de Mercado Excesso de oferta (escassez de demanda) Formam-se estoques Redução de preços Existirá concorrência entre empresas para vender os bens aos escassos consumidores. Até o equilíbrio

33 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia de Mercado Excesso de demanda (escassez de oferta) Formam-se filas Tendência ao aumento de preços Existirá concorrência entre consumidores para compra. Até o equilíbrio

34 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia de Mercado O QUE e QUANTO produzir ? - (o que) Decidido pelos consumidores (soberania do consumidor). (quanto) Determinado pelo encontro da oferta e demanda de mercado. COMO produzir ? - Questão de eficiência produtiva. Resolvido no âmbito das empresas. PARA QUEM produzir ? - Decidido no mercado de fatores de produção (demanda e oferta de fatores de produção). Questão distributiva.

35 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia de Mercado

36 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia de Mercado Críticas: Grande simplificação da realidade; Os preços podem variar não devido ao mercado mas, em função de: força de sindicatos ( através dos salários que remuneram os serviços de mão-de-obra); poder de monopólios e oligopólios na formação de preços no mercado; intervenção do governo (impostos, subsídios, tarifas, política salarial, fixação de preços mínimos, política cambial);

37 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia Planificada Centralmente - Típica de países socialistas, em que prevalece a propriedade estatal dos meios de produção; - Resposta às questões fundamentais são dadas por um planejamento central, onde a maior parte das decisões é tomada pelo Estado; - Até o para quem produzir é centralizado pelo órgão de planejamento, que determina os salários das diferentes profissões.

38 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia Planificada Centralmente Processo Produtivo: os preços representam apenas recursos contábeis que permitem o controle da eficiência das empresas (não há desembolso onerário); Distribuição do Produto: os preços dos bens de consumo são determinados pelo governo; Repartição do lucro: Governo, investimento da empresa e o restante dividido entre os administradores e os trabalhadores.

39 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia Planificada Centralmente Propriedade Privada Problemas econômicos fundamentais resolvidos pelo mercado pelo orgão central Mercado Centralizada Maior eficiência alocativa Maior eficiência distributiva X Propriedade Pública

40 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia Mista - Os modelos anteriores nunca existiram em sua forma pura, existindo uma mescla dos mesmos que depende da maior ou menor intervenção do Estado; - Existem empresas privadas e empresas públicas; - O Estado utiliza-se de diversos instrumentos para orientar e controlar a economia.

41 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia Mista - O que produzir - influência via tributação, isenção ou redução de impostos, controle de crédito, empresas públicas, despesas do próprio Estado (ex: construção de estradas, indicando a necessidade de aço e cimento); - Os produtores seguem, geralmente, as indicações fornecidas pelo sistema de preços.

42 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia Mista - Como produzir - se o enfoque é o do setor público, o fundamental não é a obtenção de lucros, mas o atendimento das necessidades da coletividade; - Se o enfoque é o do setor privado, a questão é solucionada de acordo com a concorrência.

43 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia Mista - Para quem produzir - a questão, em geral, é resolvida pelo sistema de preços; - Para os detentores de renda mais baixa, o Estado pode oferecer outros serviços não acessíveis à essa camada (assistência médica, ensino gratuito, etc); - O Estado pode, ainda, garantir uma renda mínima para satisfação das necessidades básicas.

44 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Economia Mista Atuação do setor público com o objetivo de evitar distorções alocativas e distributivas: sobre a formação de preços, (via impostos, etc.); complemento da iniciativa privada (infra-estrutura, etc.); fornecimento de serviços públicos; fornecimento de bens públicos (não vendidos no mercado) Exemplo: educação, segurança, justiça, etc.); compra de bens e serviços do setor privado.

45 MICROECONOMIA E MACROECONOMIA Microeconomia: é o ramo da Teoria Econômica que estuda o funcionamento do mercado de um determinado produto ou grupo de produtos, ou seja, o comportamento dos compradores (consumidores) e vendedores (produtores) de tais bens. Estuda o comportamento de consumidores e produtores e o mercado no qual interagem. Preocupa-se com a determinação dos preços e quantidades em mercados específicos. Ex.: Evolução dos preços internacionais do café brasileiro. O nível de vendas no varejo, numa capital.

46 MICROECONOMIA E MACROECONOMIA Macroeconomia: é o ramo da Teoria Econômica que estuda o funcionamento como um todo, procurando identificar e medir as variáveis (agregadas) que determinam o volume da produção total (crescimento econômico), o nível de emprego e o nível geral de preços (Inflação) do sistema econômico, bem como a inserção do mesmo na economia mundial.


Carregar ppt "INTRODUÇÃO Definições de Economia Economia é o estudo da organização social através da qual os homens satisfazem suas necessidades de bens e serviços escassos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google