A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ERGONOMIA Ergonomia é o conjunto de conhecimentos científicos relativos ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos que.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ERGONOMIA Ergonomia é o conjunto de conhecimentos científicos relativos ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos que."— Transcrição da apresentação:

1 ERGONOMIA Ergonomia é o conjunto de conhecimentos científicos relativos ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos que possam ser utilizados com o máximo de conforto, segurança e de eficácia Wiesner (1972). Ergonomia de Software é o conjunto de regras, normas e recomendações utilizadas na concepção de ferramentas através do computador colocadas a disposição do usuário Schneiderman (1993).

2 MATERIAL DE REFERÊNCIA COM ABORDAGEM ERGONÔMICA è Norma ISO-9241 ( International Organization for Standardization) é uma federação mundial que tem por objetivo estabelecer recomendações ergonômicas que garantam a saúde e a segurança dos usuários de maneira confortável e eficiente através do uso do computador.

3 MATERIAL DE REFERÊNCIA COM ABORDAGEM ERGONÔMICA è Guias de Recomendações Ergonômicas Os guias de recomendações são compilações de recomendações recuperadas de artigos, trabalhos e relatórios com o objetivo de auxiliar projetistas e programadores na criação de interfaces homem- máquina ergonômicas (Vanderdonckt, 1993).

4 O QUE E COMO DIZEM AS RECOMENDAÇÕES Na apresentação de menus, o número de 5 2 opções não deve ser ultrapassado. A apresentação das opções de menu deve ser apropriada ao nível de experiência do usuário. O uso de mais de 3 sub-menus deve ser evitado (apud Vanderdonckt, 1993). Ex. positivo: Ex. negativo: Referências:

5 è Guias de Estilo de Fabricantes São regras de projeto para um sistema ou ambiente particular (Cybis, 1994). Ex. positivo: Ex. negativo: MATERIAL DE REFERÊNCIA COM ABORDAGEM ERGONÔMICA

6 Adaptação Ajuda na Adaptação Ajuda na Adaptação Disponibilidade Vantagens Desvantagens

7 38 % 44 % 19 % 13% Normas Recomendações Ergonômicas Guias de Fabricantes Nenhuma Leitura

8 OBJETIVOS A SEREM ATINGIDOS EM UMA INTERFACE O projeto de uma interface deve auxiliar o usuário no cumprimento de suas tarefas através de qualidade funcional e da excelente comunicação entre sistema e usuário, com um mínimo ou nenhuma dificuldade na execução da tarefa e um máximo de eficiência. Bastien e Scapin (1994) consideram que o projeto da interface deve basear- se nos seguintes critérios: l Gestão de Erros l Homogeneidade l Significado dos Códigos l Compatibilidade l Condução l Carga de Trabalho l Controle Explícito l Adaptabilidade

9 Os Critérios Ergonômicos A condução refere-se aos meios empregados para orientar, situar, conduzir, informar e ajudar o usuário na interação com o computador. Presteza (Convite) Agrupamento e distinção entre itens Agrupamento e distinção por formato Agrupamento e distinção por localização Feedback imediato Legibilidade

10 Os Critérios Ergonômicos Condução.... Presteza/Convite –orientações e informações necessárias presentes nas telas; –títulos para telas, janelas e caixas de diálogo; –rótulos para campos e mostradores de dados;

11 Os Critérios Ergonômicos Condução... Presteza/Convite –cabeçalhos para listas, colunas e tabelas de dados; –títulos para gráficos e seus eixos; –indicadores de continuidade para apresentações de dados, botões de comando e opções de menu; –convite às entradas nas linhas de comando;

12 Os Critérios Ergonômicos Condução... Presteza/Convite –nome da instituição responsável e informações sobre copyright; –recursos necessários (bem como o procedimento a ser tomado) para pôr o produto em funcionamento? (versão do browser, plug-ins, programas específicos); –identificação do Autor(es) ( );

13 Os Critérios Ergonômicos Condução... Presteza/Convite –última data de atualização e indicação sobre como é feita a atualização; –glossário para auxiliar o usuário na compreensão de termos técnicos; –mapa do site para a localização de seções e páginas; –nomes das páginas relacionando-se com os nomes dos links que as chamam; –indicação do tamanho de arquivos para download;

14 Os Critérios Ergonômicos Condução... Presteza/Convite –ajuda abrangendo a totalidade do sistema; –ajuda acessível (on-line), contextual e orientada à tarefas; –ajuda on line consistente com a em papel; –bolhas de ajuda –botão de ajuda nas caixas de diálogo e mensagens de erro;

15 Os Critérios Ergonômicos Condução... Agrupamento e distinção entre Itens Agrupamento e distinção por Localização –critério lógico para definir grupos de comandos, opções de menu, campos e mostradores de dados; –critério lógico para definir a seqüência das opções nos grupos;

16 Os Critérios Ergonômicos Condução... Agrupamento e distinção entre Itens Agrupamento e distinção por Formato –distinguir rótulos, dados entrados, valores default, instruções e orientações –diferenciar os campos para dados obrigatórios –diferenciar cabeçalhos de listas, colunas, tabelas e textos (em telas de resultados de busca) –diferenciar mensagens críticas –esmaecer opções não disponíveis

17 Os Critérios Ergonômicos Condução... Feedback imediato –tempo de resposta adequado à operação e homogêneo; –informação sobre a indisponibilidade do sistema –informação sobre o tempo de um processamento demorado –informação sobre o resultado de um tratamento

18 Os Critérios Ergonômicos Condução... Legibilidade –redação correta, livre de erros gramaticais e de pontuação; –estilo literário do texto favorecendo a compreensão dos conteúdos; –definir fontes legíveis de acordo com as necessidades de leitura (títulos sem serifa / textos com serifa) –definir um contraste texto-fundo adequado –fundo limpo para textos extensos que devem ser lidos rapidamente (sem figuras, logomarcas, etc)

19 Os Critérios Ergonômicos Condução... Legibilidade –linhas curtas ou texto em colunas; –não abusar de estilos na apresentação de textos –parágrafos separados por uma linha em branco;

20 Os Critérios Ergonômicos Condução... Legibilidade (cont.) –pontuar a apresentação de dados numéricos longos –definir uma diagramação lógica para os elementos de telas, janelas e caixas –garantir alinhamentos e o balanceamento das apresentações

21 Os Critérios Ergonômicos Carga de trabalho diz respeito a redução da carga perceptiva e/ou mnemônica do usuário e no aumento da eficiência num diálogo. Brevidade Concisão Ações Mínimas Densidade Informacional

22 Os Critérios Ergonômicos Carga de trabalho... Brevidade Concisão (entradas e saídas individuais) –definir títulos, rótulos e denominações concisas, –definir códigos arbitrários curtos –fornecer dados e opções de comando default –fornecer o preenchimento automático da vírgula, zeros decimais e de unidades de medida

23 Os Critérios Ergonômicos Carga de trabalho... Brevidade Ações Mínimas (diálogos) –definir barras de ferramentas –posicionar o cursor na posição inicial em um formulário ou de um campo –facilitar a navegação pelos campos de um formulário

24 Os Critérios Ergonômicos Carga de trabalho... Brevidade Ações Mínimas (diálogos) –ir direto a uma tela específica sem precisar passar por uma sequência de telas indesejadas; –fornecer links para pular à seção desejada na página sem ter que usar a barra de rolagem;

25 Os Critérios Ergonômicos Carga de trabalho... Densidade Informacional –apresentar somente dados e opções de comando pertinentes –solicitar somente dados pertinentes ao usuário –definir ícones em pequeno número –definir código de cores com poucas opções

26 Os Critérios Ergonômicos Carga de trabalho... Densidade Informacional –carga informacional equilibrada e bem distribuída; –carga de informação adequada aos usuários pre-definidos; –carga de informação equilibrada entre textos e outras mídias (gráficos, sons, animações, vídeos)

27 Os Critérios Ergonômicos Controle explícito diz respeito ao mesmo tempo ao controle que tem o usuário sobre a interface ou o software, e ao caráter explícito de suas ações Ações Explícitas do Usuário Controle do Usuário

28 Os Critérios Ergonômicos Controle explícito... Ações Explícitas do Usuário –separar a seleção e ativação de opções –o usuário deve comandar explicitamente o processamento demorado –evitar ações de dupla repercussão sobre o sistema

29 Os Critérios Ergonômicos Controle explícito... Controle do Usuário –definir opções para avançar, recuar, interromper, retomar, reiniciar, concluir diálogos seqüenciais –definir opção para interromper, retomar, reiniciar e finalizar tratamentos demorados –o usuário deve controlar a seqüência dos conteúdos;

30 Os Critérios Ergonômicos Adaptabilidade diz respeito a sua capacidade do sistema de reagir conforme o contexto, e conforme as necessidades e preferências do usuário. Flexibilidade/Personalização Consideração da Experiência do Usuário

31 Os Critérios Ergonômicos Adaptabilidade... Flexibilidade –proporcionar caminhos diferentes para o mesmo objetivo Personalização –possibilitar a personalização de telas –possibilitar a desativação temporariamente a apresentação de certas janelas; –possibilitar a modificação da ordem e a seqüência de entrada de dados, adaptando-a segundo a ordem de preferência do usuário

32 Os Critérios Ergonômicos Adaptabilidade... Consideração da Experiência do Usuário –fornecer estilos de diálogo de acordo com as habilidades dos usuários –fornecer níveis de apresentações e mensagens variados –disponibilizar teclas de atalho, mnemônicos, etc.

33 Os Critérios Ergonômicos Adaptabilidade... Consideração da Experiência do Usuário –possibilitar o controle da apresentação por meio de opções de escolha entre diferentes níveis de complexidade; –fornece acesso direto aos módulos mais avançados;

34 Gestão de erros diz respeito a todos os mecanismos que permitemevitar ou reduzir os erros, e por outro lado, corrigir qualquer erro observado. Proteção contra os erros Qualidade das mensagens de erro Correção dos erros Os Critérios Ergonômicos

35 Gestão de erros... Proteção contra os erros: –solicitar confirmações para ações perigosas –definir botão default não destrutivo –definir máscaras e partição para os campos de entrada –implementar sinais de alerta do preenchimento completo de campos –rótulos com exemplos de entradas e unidades de medida Os Critérios Ergonômicos

36 Gestão de erros... Qualidade das mensagens de erro: –definir mensagens úteis, –definir mensagens curtas e significativas, –definir mensagens sem códigos, –definir mensagens neutras e polidas, –posiciona adequadamente as informações nas mensagens, –alterar as mensagens no caso de seguidas re- apresentações

37 Os Critérios Ergonômicos Gestão de erros... Qualidade das mensagens de erro: –auxiliar e informar o usuário na superação do erro; –fornecer feedback encorajador e livre de conotação negativa; –evitar a monotonia oferecendo mensagens de erro variadas; –quando um conteúdo não é encontrado, apresentar uma mensagem de erro, retornando ao módulo originário;

38 Os Critérios Ergonômicos Gestão de erros... Correção de erros: –implementar funções de desfazer e refazer, –proporcionar o re-aproveitamento de entradas; –fornecer sempre uma opção retornar, no caso de navegação equivocada;

39 Os Critérios Ergonômicos Significado das denominações diz respeito a adequação entre o conteúdo da informação e a sua correspondente expressão na tela do sistema. Códigos e denominações. adequar o vocabulário de rótulos, títulos, cabeçalhos, mensagens, opções de menu –definir figuras significativas para os ícones –definir abreviaturas significativas –definir denominações dos links significativas e representativas do conteúdo que eles fornecem acesso;

40 Os Critérios Ergonômicos Consistência refere-se à consistência quanto as escolhas de projeto, conservadas idênticas em contextos idênticos, e diferentes para contextos diferentes. Consistência interna Diz respeito a coerência dentro de um mesmo sistema aplicativo. Consistência externa Diz respeito a coerência entre diferentes sistemas aplicativos.

41 Os Critérios Ergonômicos Consistência... Consistência interna identificação e arranjo de telas –localização, apresentação e formato de orientações, rótulos, campos de dados e comandos, –desenho de ícones, –atribuições das teclas de funções Consistência externa –respeitar os estilos de apresentação e diálogo dos ambientes

42 Os Critérios Ergonômicos A compatibilidade refere-se as relações favorecidas entre as habilidades e expectativas do usuário e a interface de uma dada aplicação.


Carregar ppt "ERGONOMIA Ergonomia é o conjunto de conhecimentos científicos relativos ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos que."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google