A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Síndrome dos edifícios doentes Franciéle de Moraes Angélica de Moraes Marcio.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Síndrome dos edifícios doentes Franciéle de Moraes Angélica de Moraes Marcio."— Transcrição da apresentação:

1 Síndrome dos edifícios doentes Franciéle de Moraes Angélica de Moraes Marcio

2 O que é?

3 Essa síndrome está relacionada a avanços tecnológicos nos últimos anos, principalmente edifícios projetados com muito vidro, todos fechados.

4

5 Causas principais limpeza interna inadequada falta de manutenção dos equipamentos de ar, má conservação dos dutos,

6 Caracteriza-se quando mais de 20% dos ocupantes de um edifício são afetados por:

7 astenia/fadiga cefaleias dificuldade de concentração hipersensibilidade a odores irritação ocular, nasal e/ou faríngea náuseas e tonturas/vertigens prurido cutâneo e/ou pele seca tosse seca

8 Tipos de contaminação

9 Biológica : como fungos, algas, protozoários, bactérias e ácaros, cuja proliferação é favorecida pela limpeza inadequada de carpetes, tapetes e cortinas,

10 Química: como o monóxido e o dióxido de carbono (CO e CO2), amônia, dióxido de enxofre e formaldeído, produzidos no interior dos estabelecimentos a partir de materiais de construção, materiais de limpeza, fumaça de cigarro, fotocopiadoras e pelo próprio metabolismo humano.

11 Histórico Em 1982, a Organização Mundial de Saúde – OMS reconheceu a existência da Síndrome do Edifício Doente quando comprovou-se que a contaminação do ar interno de um hotel na Filadélfia foi responsável por 182 casos de pneumonia e pela morte de 29 pessoas.

12 No Brasil, a necessidade de se combater a SED tornou-se evidente quando, em abril de 1998, o então Ministro das Comunicações, Sérgio Motta, faleceu após ter seu quadro clínico agravado em função de fungos alojados em dutos do sistema de climatização.

13 Em agosto de 1998, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, publica a Portaria nº 3.523, estabelecendo, para todos os ambientes climatizados artificialmente de uso público e coletivo, a obrigatoriedade de elaborar e manter um plano de manutenção, operação e controle dos sistemas de condicionamento de ar.

14 Fatores que afetam o meio ambiente Ar Condicionado por si só já gasta muita energia. Nesses prédios eles são o único meio de climatização, já que não existem janelas, ou seja,são usados diariamente durante varias horas gerando um consumo excessivo de energia.

15 Vale a pena lembrar que uma árvore isolada pode transpirar, em média, 400 litros de água por dia, produzindo um efeito refrescante equivalente a 5 condicionadores de ar com capacidade de kcal cada e funcionando 20 horas por dia

16 Portanto, é de extrema importância avaliar muito bem quais são as vantagens de se viver em um ambiente fresquinho porém, artificial.


Carregar ppt "Síndrome dos edifícios doentes Franciéle de Moraes Angélica de Moraes Marcio."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google