A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

21 de agosto de 2009 Geografia - Malu Beatriz Veronezi nº5 Bruna Ataíde nº6 Bruna Lacerda nº7 Rafael Lourenço nº29 Raissa Escussel nº30.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "21 de agosto de 2009 Geografia - Malu Beatriz Veronezi nº5 Bruna Ataíde nº6 Bruna Lacerda nº7 Rafael Lourenço nº29 Raissa Escussel nº30."— Transcrição da apresentação:

1

2 21 de agosto de 2009 Geografia - Malu Beatriz Veronezi nº5 Bruna Ataíde nº6 Bruna Lacerda nº7 Rafael Lourenço nº29 Raissa Escussel nº30

3 Introdução A saúde pública está diretamente relacionada com o bem estar da população paulistana, assim, a resolução dos diversos problemas que ela enfrenta atualmente, na cidade de São Paulo, é muito importante. Nesse trabalho iremos analisar o perfil do serviço público de saúde da metrópole, apontando suas qualidades e defeitos.

4 A Saúde no Brasil Desde a constituição de 1988, com a criação do SUS, o modelo de saúde no Brasil passou de segmentada para universal. Antes disso, quem não colaborava com o INAMPS (Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social) não podia ser atendido em órgãos públicos, tendo que recorrer aos particulares. Agora, qualquer cidadão tem direito de utilizar gratuitamente a rede de saúde brasileira, não importando a classe social.

5 O que são e para que servem os sistemas de saúde? Objetivos: Garantir meios adequados para que os indivíduos façam frente a riscos sociais, como o de adoecer e necessitar de assistência, para os quais, por meios próprios, não teriam condições de ter. Assim, os sistemas de saúde tem como compromisso garantir o acesso aos bens e serviços disponíveis em cada sociedade para a manutenção e a recuperação da saúde.

6 O Sistema de Saúde no Brasil O Sistema de Saúde Brasileiro é constituído por pelo menos dois subsistemas: um governamental (SUS) e outro privado (SSAM).

7 Ele foi estruturado para atender doentes em condições agudas (de causa simples, duração limitada e diagnóstico eficaz, como a gripe). Além de oferecer consultas, exames e internações ele promove campanhas de vacinação e ações de prevenção e de vigilância sanitária. Cerca de 60% da população utiliza somente o SUS para cuidar da saúde Seu maior desafio é implantar esse sistema em um país de grande extensão territorial, com carências de recursos para o financiamento, marcado por grande heterogeneidade regional, desigualdade e exclusão social. SUS – Sistema Único de Saúde

8

9 Princípios do SUS Universalidade no acesso; Igualdade no tratamento; Equidade na distribuição de recursos.

10 Estrutura do SUS ASSISTENCIAIS Hospitais: rede própria (estadual e municipal) e rede contratada Ambulatórios Especializados; Unidade Básica de Saúde/Centros de Saúde; Serviços de Diagnose e Terapêutica (radiologia e laboratórios clínicos) FUNÇÕES Ministério da Saúde e Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

11 SSAM - Sistema Supletivo de Assistência Médica Originário dos anos 1940 pelos sistemas de previdência privada de empresas estatais (deveria ser complementar ao SUS); Financiado por meio do pagamento com recursos próprios pelo adquirente do plano ou por renúncia fiscal: abatimento do imposto de renda devido para pessoa física (integral) ou jurídica (95%). Organiza-se me várias modalidades (lucrativas ou não) sendo as principais: medicina de grupo, planos odontológicos e seguro saúde (lucrativas); cooperativas médicas ou odontológicas e auto-gestão (não lucrativas); Objetivam o lucro ou a prestação de serviços de saúde para comunidades fechadas.

12 Estrutura do SSAM ASSISTENCIAIS: Hospitais: rede própria e rede contratada; Serviços Clínicos Especializados e Ambulatórios Consultórios; Serviços de Diagnose e Terapêutica (radiologia e laboratórios clínicos) FUNÇÕES: Operadoras de planos, unidades de auto-gestão e cooperativas

13 Campanhas de Vacinação

14 Vacina para Poliomielite As campanhas de vacinação com as duas vacinas contra pólio tem erradicado a poliomielite da maioria dos países do mundo e reduzido a incidência mundial de 350 mil casos em 1988 para pouco mais de mil em 2007.

15 1986 com a criação do Zé Gotinha, personagem símbolo da campanha pela erradicação da Poliomielite no Brasil Zé Gotinha

16

17

18 Falhas do Sistema Público de Saúde 1.Mudança no perfil da população De acordo com um estudo realizado pela OMS, houve uma significativa mudança no perfil da população. Cada vez mais as doenças crônicas (duração longa, diagnóstico impreciso e causas múltiplas, como câncer ou diabetes). Assim, é necessária a adaptação do SUS para tais doenças, além de maior investimento, já que elas requerem um tratamento prolongado.

19 2. Gastos O SUS representa a segunda maior despesa do setor público, sendo nele investido R$40 bilhões por ano, garantindo de R$120 a R$150 por habitante anualmente. Para São Paulo destina-se R$126,43 por habitante. Porém os gastos públicos na saúde não chegam nem a metade do total investido nesse setor.

20 3. Profissional mal pago Estima-se que ao mesmo tempo que um profissional da rede particular ganha cerca de R$42 por consulta, um médico do SUS ganha R$10. Enquanto o Conselho Federal de Medicina sugere que o salário mínimo de um médico de plantão de 10 horas seria R$ os médicos do SUS ganham apenas R$ Para fazer um parto,por exemplo, o SUS paga menos da metade do que na rede privada de saúde. Além da má remuneração, os profissionais públicos são em sua maioria recém-formados sem tem feito residência médica (ensino de pós-graduação destinada a médicos, sob a forma de curso de especialização), sendo deles exigidas cargas horárias exaustivas em um ambiente com pouca infra-estrutura

21 4. Demora no atendimento Para o atendimento básico o atraso não é tão significante, mas quando se precisa marcar uma consulta com especialistas a média de espera é de 3 semanas entre o encaminhamento médico e a consulta. Há relatos, porém, de 9 meses de espera.

22 5. Estatísticas negativas - 13 milhões de hipertensos e 4,5 milhões de diabéticos não têm acesso ao SUS; - Estima-se que 25% dos portadores de tuberculose, malária e hanseníase estejam sem tratamento; - 10 milhões de obesos não são atendidos de forma adequada no sistema público; - A fila para próteses é de aproximadamente 1 milhão de pessoas; - Cerca de 90 mil pessoas aguardam uma vaga para radioterapia;

23 GRIPE SUÍNA - [ 11/08 ] Pais têm dificuldade para achar remédio indicado para crianças Cruzeiro On Line Três dias após o anúncio da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo de que as 115 unidades da Assistência Médica Ambulatorial (AMA) distribuiriam o medicamento oseltamivir, utilizado contra a gripe suína, pais ainda tinham dificuldade na 2ª feira (10) para achar o antiviral em suspensão, apresentação indicada para crianças. Das 24 AMAs consultadas pela reportagem, 9 não tinham a apresentação e 2 contavam com, no máximo, dois frascos disponíveis. O abastecimento do remédio em comprimidos, no entanto, estava adequado na maioria dos casos. Mas na AMA Vila Prel, no Campo Limpo, zona sul, não havia o medicamento nem em suspensão nem em comprimidos. A atendente de telemarketing Ângela Silva, de 40 anos, ficou sem o oseltamivir para seu filho Robert, de 1 ano e 10 meses, que tem asma. "Eles não têm nada", afirmou ela, que foi procurar a droga em outros locais. Atualidade

24 Conclusão Concluímos que a saúde no Brasil sofreu mudanças nos últimos anos, principalmente pela própria mudança do perfil da população.Deste modo, Órgãos como o SUS e o SSAM e muitos programas como os de vacinação, saúde da família, combate a dengue,etc, foram criados para melhorar o sistema público de atendimento. Porém, tal sistema ainda apresenta muitas falhas como o mal investimento e o mal pagamento dos profissionais que atuam nessa área e por isso deve continuar se adaptando para melhor atender a população.

25 Questões 1- O SUS (Sistema Único de Saúde) foi criado para atender a população de forma universal, e não segmentada como a saúde era anteriormente a Quanto a ele, pode-se afirmar que: a) Ele só pode ser utilizado pela parcela da população que contribui com o INAMPS, deixando as outras pessoas nas mãos do atendimento particular. b) Diferencia-se do SSAM (Sistema Supletivo de Assistência Médica) por ter segmentos com atividades lucrativas c) Apesar de receber um investimento de aproximadamente R$40 bilhões por ano, isso não é suficiente para que o serviço atinja a qualidade esperada. d) Uma de suas grandes qualidades é o pagamento dos profissionais, que, como funcionários públicos, recebem mais do que os da rede particular (R$10 por consulta). e) Divide o volume investido igualmente em todos os estados do Brasil, já que estes possuem territórios e características semelhantes. f) A mudança de perfil da sociedade não interfere no serviço dele esperado, já que não cabe a população a fiscalização do sistema.

26 2- O SUS (Sistema Único de Saúde), desde sua criação em 1988, vem melhorando o acesso público de serviços de saúde, com diversos programas como campanhas de vacinação, transplante de órgãos, farmácia popular, entre outros. Porém, este ainda apresenta falhas importantes em sua estrutura, devidas a erros no planejamento ou na implantação do mesmo. Identifique 3 falhas e dê sugestões para corrigi-las no futuro. Como falhas do SUS, podemos citar a insuficiência de investimentos, já que, apesar do volume de dinheiro que este recebe, não é suficiente para suprir todas as necessidades e ampliar o serviço para melhor atendimento. Além disso, destacamos os profissionais,que, além de em sua maioria, não serem completamente preparados, tem seus salários muito baixos em relação a rede particular, piorando o atendimento. A demora no atendimento, já que a duração da espera por uma consulta demora no mínimo 3 semanas. Como solução, apontamos o maior investimento do governo visando a ampliação do serviço e maior remuneração dos profissionais, já que isso apresentaria uma melhora a longo prazo.

27 3- Considere o texto e a charge a seguir: -Artigo 196 da Constituição Federal : a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. Entre a charge e as frases é possível perceber que uma grande disparidade. Descreva de forma consistente alguns aspectos que podem ser apontados como responsáveis para essa diferença. " Todos têm direito a um atendimento digno e respeitoso- frase extraída do cartão do SUS AAAAAAAAQc/hV2sDD5F7HU/s400/Ship+SUS4.net.jpg

28 A partir das frases e da charge acima, concluímos que há uma grande diferença entre a teoria e a prática.Muitos projetos do governo são na teoria de ótimo nível,mas quando colocados em prática não atingem essa perfeição. Essa diferença é evidente quando tratamos do SUS, já que em seu projeto há a igualdade e qualidade no atendimento,mas isso depende de vários fatores dentre eles a questão financeira.Os gastos com a saúde dobram os investimentos feitos e mesmo assim os pacientes não têm atendimento com as mínimas condições de higiene e médica. O governo deveria investir mais nessa área de saúde que é uma das mais importantes para um bom desenvolvimento do país. Entretanto, ele não o faz e a má distribuição das verbas enviadas para a saúde agrava a situação do SUS e das instituições de saúde.

29 = d_area= AAAAAAAAQc/hV2sDD5F7HU/s400/Ship+SUS4.net.jpg Bibliografia


Carregar ppt "21 de agosto de 2009 Geografia - Malu Beatriz Veronezi nº5 Bruna Ataíde nº6 Bruna Lacerda nº7 Rafael Lourenço nº29 Raissa Escussel nº30."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google