A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SENHOR, QUE QUERES QUE EU FAÇA? Senhor, que queres que eu faça? Senhor, que queres de mim? Mostra-me os teus caminhos, Senhor, que queres de mim? 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SENHOR, QUE QUERES QUE EU FAÇA? Senhor, que queres que eu faça? Senhor, que queres de mim? Mostra-me os teus caminhos, Senhor, que queres de mim? 1."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 SENHOR, QUE QUERES QUE EU FAÇA? Senhor, que queres que eu faça? Senhor, que queres de mim? Mostra-me os teus caminhos, Senhor, que queres de mim? 1. Eu quero tua mão se abrindo, Teu rosto sorrindo, Pedindo perdão. Eu quero tua vida, servindo E nunca exigindo Amor, gratidão. 2. Eu quero justiça, bondade, Amor, igualdade, Paz e comunhão. Eu quero meu povo eleito, Buscando seu jeito De libertação. 3. Eu quero que venhas a mim O meu céu sem fim, Onde tudo é novo. Não quero que chegues sozinho No mesmo caminho, Ferindo meu povo.

4 Ó Deus Pai e Criador, em vós vivemos, nos movemos e somos! Sois presença viva em nossas vidas, pois nos fizestes à vossa Imagem e semelhança. Proclamamos as maravilhas de vosso amor Presentes na criação e na história. Por vosso Espírito, tudo se renova E ganha vida. Nosso egoísmo muitas vezes desfigura a obra de vossas mãos, causando morte e destruição. Junto aos avanços, presenciamos tantas ameaças à vida. Que nesta Quaresma acolhamos a graça da conversão, tornando-nos mais atentos e fieis ao Evangelho. Que o compromisso de nossa fé nos leve a defender a promover a vida no seu início, no seu crescimento e também no seu declínio. Vosso Filho Jesus Cristo, crucificado - ressuscitado, nos confirma que o amor é mais forte que a morte. Como seus discípulos Queremos escolher a vida Maria, Mãe da Vida, que protegeu e acompanhou seu Filho, da gestação à Ressurreição, interceda por nós. Amém. Oração da Campanha da Fraternidade 2008

5 Hino da Campanha da Fraternidade – – Com carinho, desenhei este planeta; com cuidado, aqui plantei o meu jardim. Com alegria, eu sonhei o paraíso, Para a vida, Dom de amor que não tem fim. Ref. Ponho, então à tua frente Dois caminhos diferentes: Vida e morte, e escolherás. Sê sensato: escolhe a vida! Parte o pão, cura as feridas! Sê fraterno e viverás. 2 – Fiz o homem e a mulher à minha imagem; Por amor e para o amor, eu os criei. Com meu povo celebrei uma aliança. O caminho da justiça eu ensinei. 3 – Com tristeza vejo a vida desprezada, nos meus filhos e em toda a natureza. Me entristece tantas vidas abortadas, Dói em mim a violência e a pobreza. 4 – Pelas margens desta vida há tanta gente que implora por justiça e dignidade. Respeitar, cuidar da vida, é o que te peço; Vai! Transforma a tua fé em caridade.

6 HINO DAS CRIATURAS Mulheres - O céu, a terra, o mar, Homens - te louvam, Senhor; Mulheres - Te louvam a flor, o fruto, o pão; Homens - te louvam, Senhor... Todos - Te louvam, Senhor! Homens - O sol, a lua, as estrelas, Mulheres - te louvam, Senhor. Homens - Te louvam o dia, a noite, a luz, Mulheres - te louvam, Senhor. Todos - Te louvam, Senhor! Todos - Num hino vibrante de glória e louvor de um mundo que diz gratidão ao seu Criador. Te louvam Senhor!

7

8 Objetivo Geral da CF Levar a Igreja e a sociedade a defender e a promover a vida humana, desde a sua concepção até a sua morte natural, compreendida como dom de Deus e co-responsabilidade de todos na busca de sua plenificação, a partir da beleza e do sentido da vida em todas as circunstâncias, e do compromisso ético do amor fraterno.

9 Para atingir o objetivo geral, a CF tem os seguintes objetivos específicos: Desenvolver uma concepção de pessoa (antropologia integral ) capaz de fundamentar adequadamente, sem reducionismos, as ações em defesa da vida humana; Fortalecer a família como espaço primeiro da defesa da vida, através da maternidade e da paternidade responsáveis, do acolhimento aos idosos, doentes e sofredores; Fomentar a cultura da vida por meio da educação, para o desenvolvimento pleno da afetividade, a co-responsabilidade entre homem e mulher, e a solidariedade entre todos; Trabalhar em unidade com pessoas de diversas posições culturais e diferentes religiões na busca da promoção da vida; Desenvolver nas pessoas a consciência crítica diante das estruturas que geram a morte e promovem a manipulação e comercialização da vida humana; Propor e apoiar políticas públicas que garantam a promoção e defesa da vida; Crescer na fé, vivida como amor a deus e amor aos irmãos, respeitando a sacralidade de cada pessoa, imagem e semelhança de Deus e habitação da Trindade, valorizando os elementos de defesa da vida presentes em todas as religiões.

10

11

12

13

14 Será que nossos olhos se acostumaram a ver as ameaças que a vida vem sofrendo hoje?

15 VER: Entre a cultura da vida e a cultura da morte

16

17

18

19

20

21 A vida humana esvazia-se de seu sentido e do seu valor em si mesma. O ser humano só tem valor de acordo com as funções que desempenham na sociedade Muitos são considerados descartáveis para a sociedade: os idosos, os ainda não- nascidos, os doentes, os miseráveis, os famintos, os analfabetos, os marginalizdos.

22 A vida afetiva torna-se efêmera…

23 É a era da ciência e da tecnologia… Sempre estiveram a favor da vida? O que se pode fazer em nome da ciência?

24 Tempo de…

25

26 Fecundaçao = vida A vida não-nascida

27 Pesquisas comprovam: Os fetos sentem dor durante o aborto!!!!

28 Alguns dados sobre o aborto … Muitas mulheres vítimas de estupro que levam a gravidez até o fim, passam a amar seus filhos incondicionalmente. Na Inglaterra e no País de Gales, após a liberação do aborto, de 1969 a 2002, houve um aumento de 700% no número de aborto. Na Espanha, de 1986 a 2004, o aumento foi de 467 casos para ( %). Na China foram realizados abortos provocados só em 2001.

29

30 Até onde vai o desejo de ter filhos? Reprodução assistida Inseminação artificial Barriga de aluguel Clonagem Bebê de proveta

31 Das células tronco a clonagem de embriões… Eugenia Seleção do sexo Acúmulo de embriões

32 Eutanásia X Distanásia Todos temos direito a uma morte digna

33 A sociedade ameaçando a vida…

34

35

36

37 Ameaças ao meio ambiente…

38

39 Defender a VIDA

40 Promover a VIDA

41 JULGAR

42 Perceber Beleza e bondade como formas de chegar ao caminho de Deus. (p 68) Deus define o que é bom ou mau. Basta a nós escolhermos o caminho que queremos seguir. (p 69) Gn, A VIDA É SEMPRE UM BEM.

43 Compreender: - A Antropologia adequada Nossa interioridade é exatamente o que nos distingue como pessoa dos demais seres. (p 71) A subjetividade expressa na capacidade de autocompreensão (p 71) O ser humano é único, agrega o masculino e feminino. Interioridade que se abre para a comunhão: complementaridade entre homem – mulher. O HOMEM COMO IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS

44 Escolher Deus indica o caminho da felicidade e da vida. A fé em Deus como plenitude à opção em favor da vida. Dt 30, 15 – 19 O ENCONTRO COM CRISTO NOS CONVIDA A ESCOHER A VIDA

45 Acolher Amor incondicional Aceitação do outro Aquisição da postura humana Compreensão do valor de pessoa e dignidade Somos parte de um povo, mas temos um valor único e irrepetível.

46 Revelação – A vida na Igreja Os Dez Mandamentos Espírito Santo como anunciador da verdade Nova forma de dialogar – a língua nova (At, 2) Científico x Religioso? - Discernimento

47 Discernimento entre os caminhos da vida e os caminhos da morte Sobre a pessoa humana: perceber a si mesmo e o outro como totalidade corporal, psíquica e espiritual. Diante dos avanços da ciência: a prática científica como busca ao que é bom, submetendo-se ao juízo ético. Diante da esterilidade conjugal: filhos são um dom e não um direito. Diante da gestação indesejada: contrariedade a qualquer atentado à vida humana. Diante da manipulação do embrião: respeito à pessoa humana que se desenvolve. Diante da vida afetivo-sexual: chamado à castidade no momento do batismo.

48 Diante da pobreza: luta contra o que causa exclusão e marginalização social. Diante da violência: criação de espaços e comportamentos de acolhida. Diante do sofrimento: compaixão que leva a atos concretos. Diante da morte: a vida não é tirada, mas transformada.

49 A Igreja apresenta como critérios para analisar os problemas relacionados à defesa da vida o Evangelho e a sua doutrina bimilenar, além de sua história de esforço contínuo para que a vida aconteça sempre mais de acordo com o plano de Deus. Se deixarmos de lado esses critérios, além de cairmos da superficialidade, corremos o risco de nos tornarmos uma instituição filantrópica em nada diferente das demais. (p 96) Somente no Verbo encarnado se esclarece verdadeiramente o mistério do ser humano


Carregar ppt "SENHOR, QUE QUERES QUE EU FAÇA? Senhor, que queres que eu faça? Senhor, que queres de mim? Mostra-me os teus caminhos, Senhor, que queres de mim? 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google