A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CE_12_GATT1 CE_12_GATT Acordo Geral de Tarifas e Comércio ( GATT ) DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CE_12_GATT1 CE_12_GATT Acordo Geral de Tarifas e Comércio ( GATT ) DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior."— Transcrição da apresentação:

1 CE_12_GATT1 CE_12_GATT Acordo Geral de Tarifas e Comércio ( GATT ) DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: Prof. Bosco Torres

2 CE_12_GATT2 Origem do GATT Com o impasse para a criação da OIC (Organização Internacional do Comércio), resolveu-se fazer um acordo para negociação das tarifas tributárias e negociação das tarifas tributárias e regras de comércio internacional visando a liberalização do comércio mundial. regras de comércio internacional visando a liberalização do comércio mundial. Prof. Bosco Torres

3 CE_12_GATT3 Origem do GATT O acordo foi inicialmente assinado por 23 países como base do sistema de comércio internacional. O acordo foi chamado de G eneral A greement on T ariffs and T rade ( GATT ), traduzido no português para Acordo Geral de Tarifas e Comércio. Prof. Bosco Torres

4 CE_12_GATT4 O GATT era um Tratado O GATT não consistia em uma organização, mas num tratado que passou a ser ampliado e ao qual novos acordos foram agregados com sucessivas rodadas de negociação. TRATADO = convenção entre dois ou mais países referente a comércio. (trato = acordo) Prof. Bosco Torres

5 CE_12_GATT5 GATT, base para a criação da OMC Em sua evolução através dos tempos, o GATT tornou-se na prática, embora não legalmente, um organismo internacional sediado em Genebra (Suíça). O GATT era o coordenador e supervisor das regras de comércio internacional, servindo como base institucional para a criação da atual Organização Mundial do Comércio (OMC). Prof. Bosco Torres

6 CE_12_GATT6 Faces do GATT O GATT acabou ganhando status de organização internacional especial, à medida que apresentava duas faces distintas: 1a. – constituia-se num conjunto de regras procedimentais sobre as relações comerciais entre os países signatários. 2a. – constituia-se num fórum de negociações comerciais que procurava aproximar as posições de seus signatários. Prof. Bosco Torres

7 Regras básicas do GATT 1 - Cláusula da Nação Mais Favorecida (NMF) 2 – Lista de Concessões 3 – Tratamento Nacional 4 – Transparência 5 – Eliminação das Restrições Quantitativas Prof. Bosco Torres CE_12_GATT7

8 8 1 - Cláusula da Nação Mais Favorecida (Nmf) Proíbe a discriminação entre países que são partes contratantes do Acordo Geral, estabelecendo que toda vantagem, favor, privilégio ou imunidade concedidos a uma parte contratante (País) devem ser estendidos imediatamente e incondicionalmente a qualquer outra parte. Prof. Bosco Torres

9 CE_12_GATT9 2 – Lista de Concessões Estabelece a lista dos produtos e das tarifas máximas que devem ser praticadas no comércio internacional. Cada parte contratante (país) deve cumprir no comércio com outras partes os favorecimentos previstos nas Listas de Concessões. Prof. Bosco Torres

10 CE_12_GATT10 3 – Tratamento Nacional Conhecida como regra de não-discriminação entre produtos, ela proíbe a discriminação entre produtos nacionais e importados.não-discriminação entre produtos, ela proíbe a discriminação entre produtos nacionais e importados. Prof. Bosco Torres

11 CE_12_GATT11 4 – Transparência Estabelece que leis, leis, regulamentos, regulamentos, decisões judiciais e decisões judiciais e regras administrativas regras administrativas efetivadas por qualquer parte contratante devem ser publicados prontamente a fim de permitir que governos e agentes de comércio externo tomem conhecimento dos mesmos. Prof. Bosco Torres

12 CE_12_GATT12 5 – Eliminação das Restrições Quantitativas PROÍBE restrições quantitativas às importações através de Quotas, Licenças de importação e de exportação Outras medidas caracterizadas como barreiras não tarifárias. Regras especiais foram estabelecidas para produtos agrícolas e têxteis. Prof. Bosco Torres

13 EXCEÇÕES DAS REGRAS DO GATT a) Itens Protegidos b Salvaguardas ao Balanço de Pagamentos c) Países em Desenvolvimento d) Concessões Acordadas e) Formação de Blocos Econômicos Prof. Bosco Torres CE_12_GATT13

14 CE_12_GATT14 a) Itens Protegidos O Artigo XX prevê que nada no Acordo deve impedir a adoção de medidas para proteção do seguinte: moral pública, moral pública, saúde humana, animal ou vegetal; saúde humana, animal ou vegetal; comércio de ouro e prata; comércio de ouro e prata; marcas, patentes e direitos autorais; marcas, patentes e direitos autorais; tesouros artísticos e históricos; tesouros artísticos e históricos; recursos naturais esgotáveis (água, ar, solo, flora, fauna) recursos naturais esgotáveis (água, ar, solo, flora, fauna) garantias de bens essenciais (alimentação, vestuário etc.) garantias de bens essenciais (alimentação, vestuário etc.) Prof. Bosco Torres

15 CE_12_GATT15 b) Salvaguardas ao Balanço de Pagamentos Permitem restrição da importação de mercadorias como medida de proteger o balanço de pagamentos por qualquer parte contratante dentro de um período de crise, conforme Artigo XII. Prof. Bosco Torres

16 c) Países em Desenvolvimento Têm regras especiais no Artigo XVIII para proteger – seus balanços de pagamentos e – suas indústrias nascentes. Prof. Bosco Torres CE_12_GATT16

17 CE_12_GATT17 d) Concessões Acordadas O Artigo XIX permite que em caráter temporário a parte contrantante fique livre para suspender as concessões acordadas através de tarifas ou quotas, retirar ou modificar as concessões, se um produto está sendo importado em quantidades crescentes e se um produto está sendo importado em quantidades crescentes e sob condições de causar a ruptura do mercado doméstico, sob condições de causar a ruptura do mercado doméstico, incorrendo em prejuízo à economia local. incorrendo em prejuízo à economia local. Prof. Bosco Torres

18 CE_12_GATT18 e) Formação de Blocos Econômicos Mesmo tendo como um dos principais objetivos a eliminação do tratamento discriminatório no comércio internacional, o GATT não impede a formação de blocos econômicos regionais ou aduaneiros que objetivem a eliminação de barreiras ao comércio entre si. Prof. Bosco Torres

19 CE_12_GATT19 Rodadas de negociação do GATT Ao longo dos 47 anos de sua existência (1947 a 1994), o GATT teve seu mecanismo discutido e ampliado durante 9 (nove) Rodadas de Negociações Multilaterais de comércio (Multilateral Trade Negociations – MTN). Prof. Bosco Torres

20 1a. Rodada de Negociação A 1 a Rodada de Negociações do GATT ocorreu enquanto a Carta de Havana ainda estava sendo elaborada. Essa rodada resultou em concessões tarifárias, afetando um comércio de US$ 10 bilhões, cerca de 1/5 do total do comércio mundial. Ela ocorreu na cidade de Genebra (Suíça), em 1947, com a participação de 23 países, entre eles o Brasil. CE_12_GATT20 Prof. Bosco Torres

21 CE_12_GATT21 2a. Rodada de Negociação A 2a. rodada aconteceu na cidade de Annency (França), entre Contou com a participação de 13 países e resultou em reduções de tarifas. Prof. Bosco Torres

22 3a. Rodada de Negociação Aconteceu na cidade de Torquay (Inglaterra), Envolveu 38 países, que acordaram a redução de tarifas. CE_12_GATT22 Prof. Bosco Torres

23 4a. Rodada de Negociação Aconteceu em Genebra (Suíça), Os 26 países participantes acordaram reduções de tarifas aplicáveis a 2,5 bilhões de dólares em negócios. CE_12_GATT23 Prof. Bosco Torres

24 CE_12_GATT24 5a. Rodada de Negociação A quinta Rodada do GATT ( ) negociada em Genebra resultou em reduções de tarifas. Esta foi a 1ª. vez que a Comunidade Econômica Européia, hoje chamada de União Européia, negociou como uma entidade, em nome de cada país membro. Houve uma intensa negociação, mas os resultados foram modestos: apenas concessões tarifárias. Prof. Bosco Torres

25 Enquanto isso, em 1962 … A Lei da Expansão do Comércio dos Estados Unidos [U.S. Trade Expansion Act] autorizou o presidente a negociar reduções mútuas de tarifas de até 50 por cento, com outros países. A lei também criou o cargo de representante especial para negociações comerciais no Escritório Executivo do Presidente, para chefiar delegações dos Estados Unidos em negociações comerciais, bem como comitês de política comercial que envolvessem vários órgãos do governo. CE_12_GATT25 Prof. Bosco Torres

26 6a. Rodada de Negociação A 6ª. rodada do GATT ( ), ocorreu em Genebra (Suíça), com 74 países-membros. Essa Rodada resultou em reduções de tarifas que variavam de 35 a 40 por cento. Resultou, também, no Acordo Antidumping do GATT, estabelecendo as normas para a regulamentação nacional contra a exportação de bens a preços desleais. CE_12_GATT26 Prof. Bosco Torres

27 CE_12_GATT27 7a. Rodada de Negociação Tóquio (Japão), Ao final já eram 94 países-membros. Reformou-se o sistema jurídico do Gatt e fez-se nove acordos sobre: 1 – Barreiras Técnicas 2 – Subsídios 3 – Antidumping 4 – Valoração aduaneira 5 – Licença de importação 6 – Compras Governamentais 7 – Comércio de Aeronaves 8 – Acordo sobre Carne Bovina 9 - Acordo sobre Produtos Lácteos Prof. Bosco Torres

28 CE_12_GATT28 7a. Rodada de Negociação Nessa 7a. Rodada, houve progressos com a legalização de tratamento preferencial tarifário e não tarifário para as exportações dos países em desenvolvimento nos mercados das economias desenvolvidas, segundo o Sistema Geral de Preferências (Generalized System of Preferences – SGP). Porém, foram mantidas as restrições para produtos industrializados, agrícolas, têxteis e alimentares. Prof. Bosco Torres

29 CE_12_GATT29 7a. Rodada de Negociação Na 7a. Rodada de Tóquio, houve CONFRONTAÇÃO entre países em desenvolvimento mais avançados, como o BRASIL, e países do mundo desenvolvido, como EUA, em busca de reciprocidade nas concessões. Prof. Bosco Torres

30 CE_12_GATT30 8a. Rodada de Negociação Punta Del Este (Uruguai), Essa Rodada foi uma das mais importantes do Gatt. Houve muitas divergências sobre novos temas, principalmente porque considerava-se que fossem mais favoráveis aos interesses das nações desenvolvidas: Houve muitas divergências sobre novos temas, principalmente porque considerava-se que fossem mais favoráveis aos interesses das nações desenvolvidas: - Investimento e Comércio (Trims – Trade Related Investment Measures) - Propriedade Intelectual (Trips – Trade Related Intelectual Property Rights) - Serviços (Gats – General Agreement on Trade in Services). Prof. Bosco Torres

31 CE_12_GATT31 8a. Rodada de Negociação A Rodada do Uruguai foi a mais longa por conta das inúmeras discussões e conflitos de interesses. Finalmente, em abril de 1994, foi assinado o acordo, inclusive com a prescrição da criação da Organização Mundial do Comércio (OMC). Em janeiro de 1995, começou a funcionar a OMC, uma organização intergovernamental. Como o próprio GATT, que continua a liberalizar o comércio internacional, a OMC é regida por vários acordos legais. Prof. Bosco Torres

32 CE_12_GATT32 8a. Rodada de Negociação Nessa 8a. Rodada, houve avanços importantes, como a redução de tarifas médias para produtos industriais e para produtos agrícolas, bem como o melhoramento das regras de outros temas como: - Antidumping, Subsídios, Salvaguardas, Regras de Origem - Licenças de Importação - Barreiras Técnicas - Medidas Fitossanitárias - Valoração aduaneira - Inspeção de pré-embarque - Investimentos relacionados ao comércio Prof. Bosco Torres

33 CE_12_GATT33 8a. Rodada de Negociação Outro importante avanço foi a adoção de um Sistema de Solução de Controvérsias para os membros da recém-criada OMC, deixando os membros que adotarem medidas incompatíveis com as regras da organização passíveis de retaliações. Prof. Bosco Torres

34 CE_12_GATT34 8a. Rodada de Negociação Os resultados da Rodada do Uruguai constituíram-se desde então como a base na qual deve ser apoiado o comércio internacional em sua amplitude, a fim de promover melhores condições para práticas comerciais entre as nações, e conduzir novas negociações multilaterais dentro dos princípios básicos da nova organização (OMC): – Reciprocidade e – Não-discriminação. Prof. Bosco Torres

35 9a. Rodada de Negociação Em novembro de 2001 se iniciou a última rodada de negociações comerciais multilaterais da OMC, conhecida como a Rodada de Doha (Qatar, Oriente Médio). Ainda não terminou. De lá para cá, já se passaram mais de 6 anos e duvida-se do sucesso das negociações. A rodada de Doha das negociações da OMC visa diminuir as barreiras comerciais em todo o mundo, com foco no livre comércio para os países em desenvolvimento. CE_12_GATT35 Prof. Bosco Torres

36 9a. Rodada de Negociação As conversações centram-se na separação entre os países ricos, desenvolvidos, e os países ricos, desenvolvidos, e os maiores países em desenvolvimento (representados pelo G20). os maiores países em desenvolvimento (representados pelo G20). Os subsídios agrícolas são o principal tema de controvérsia nas negociações. A rodada de Doha começou em Doha, e negociações subseqüentes tiveram lugar em: Cancún (México), em 2003; Genebra (Suíça), em 2004; Paris (França), em 2005; Hong Kong (China), em dez/2005; e Potsdam (Alemanha), em CE_12_GATT.36 Prof. Bosco Torres

37 9a. Rodada de Negociação O objetivo era a adesão à Agenda de Desenvolvimento de Doha e, a partir daí, negociar a abertura dos mercados agrícolas e industriais. A intenção declarada da Rodada era tornar as regras de comércio mais livres para os países em desenvolvimento. Em dezembro de 2001 a China e Taiwan foram admitidas na OMC. Em junho/2007, em Potsdam (Alemanha), a rodada de Doha foi suspensa. Em 2008, mais uma vez não chegou a um acordo. CE_12_GATT37 Prof. Bosco Torres

38 GATT GATT – Acordo Geral de Tarifas e Comércio Em decorrência de várias negociações de comércio internacional, reduzindo as barreiras tarifárias mundiais, criou-se a OMC – Organização Mundial do Comércio determinando uma nova fase internacional para a globalização e livre-comércio no final do século XX. CE_12_GATT38 Prof. Bosco Torres GATT OMC

39 CE_12_GATT39 Rodadas de Negociação. Prof. Bosco Torres

40 CE_12_GATT40 Tabela do GATT. Prof. Bosco Torres

41 CE_12_GATT41 Tabela do GATT. Prof. Bosco Torres


Carregar ppt "CE_12_GATT1 CE_12_GATT Acordo Geral de Tarifas e Comércio ( GATT ) DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google