A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FAFICA_12_Trades1 12. TRADES DISCIPLINA: Logística Internacional FONTE: SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FAFICA_12_Trades1 12. TRADES DISCIPLINA: Logística Internacional FONTE: SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras,"— Transcrição da apresentação:

1 FAFICA_12_Trades1 12. TRADES DISCIPLINA: Logística Internacional FONTE: SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, LUDOVICO, Nelson. Logística Internacional. São Paulo: Saraiva, LUDOVICO, Nelson. Logística Internacional. São Paulo: Saraiva, SEGRE, German. Manual Prático de Comércio Exterior. São Paulo: Atlas, SEGRE, German. Manual Prático de Comércio Exterior. São Paulo: Atlas, SOSA, Roosevelt Baldomir. Glossário de Aduana e Comércio Exterior. São Paulo: Aduanas, SOSA, Roosevelt Baldomir. Glossário de Aduana e Comércio Exterior. São Paulo: Aduanas,

2 Trade (definição) TRADE = comercial; de comércio, comercializar, comprar, comércio TRADING COMPANY Criada pelo Decreto-Lei 1.248/72, é denominada oficialmente Empresa Comercial Exportadora. Criada pelo Decreto-Lei 1.248/72, é denominada oficialmente Empresa Comercial Exportadora. Caracteriza-se pela aquisição de mercadorias no mercado interno para posterior exportação. Caracteriza-se pela aquisição de mercadorias no mercado interno para posterior exportação. Trabalha com equipes próprias de vendas e com representantes no exterior. Trabalha com equipes próprias de vendas e com representantes no exterior.

3 Características das operações das Tradings Companies Exportação de produtos de diferentes fornecedores de forma consolidada; Exportação de produtos de diferentes fornecedores de forma consolidada; Necessidade de menor capital de giro, devido às operações casadas; Necessidade de menor capital de giro, devido às operações casadas; Melhor atendimento aos clientes, por oferecer variada gama de produtos; Melhor atendimento aos clientes, por oferecer variada gama de produtos; Redução dos custos operacionais; Redução dos custos operacionais; Estoques que permitam regularidade de fornecimento; Estoques que permitam regularidade de fornecimento; Atuação em diversos mercados. Atuação em diversos mercados.

4 Tradings em PE e AL. Brasil Negócios Mundial, Exportação E Importação S.A. RUA GERVÁSIO PIRES, Nº 685, BAIRRO DE SANTO AMARO - Recife Copertrading Comércio Exportação E Importação S.A. RUA SÁ E ALBUQUERQUE, 235, JARAGUÁ - Maceió Cotrasa Comercial Exportadora S.A. RUA BARÃO DE JARAGUÁ, TÉRREO – JARAGUÁ - Maceió Internacional Commodity Trade S/A RUA BENFICA, Nº 470 – MADALENA – Recife Lagense S.A. - Comércio, Administração E Participações VIA EXPRESSA, 99, TABULEIRO DO MARTINS - Maceió Laginha Agroindustrial S.A. FAZENDA LAGINHA S/N - ZONA RURAL – União Dos Palmares (AL)

5 Tradings em PE e AL Temape Terminais Marítimos De Pernambuco S.A. Rua Sport Clube Do Recife, 280, Sl. 410, 4º ANDAR - Recife Usina Caeté S/A Av. Menino Marcelo, 99 – Tabuleiro do Martins – Maceió Usina Central Olho D'água Estrada Dos Remédios, – Recife Usina Petribu S.A. Rod. PE 53, KM 5, S/N, Engenho Petribu – Lagoa de Itaenga S/A Leão Irmãos Açúcar E Álcool Av. Dr. Antônio Gouveia, Nº 61, ED. OCEAN TOWER, SALAS 304 A 307 – Pajuçara – Maceió PE = 6 AL = 6

6 Quando utilizar uma Trading Company Se a empresa não se considera suficientemente preparada para procurar ou negociar com o exterior ou ainda não deseja se empenhar a fundo antes de se convencer de que existe um bom mercado para seus produtos, poderá se utilizar de uma Trading Company para exportar. O sistema das tradings companies é chamado de Venda Interna Equiparada à Exportação (VIEE), por oferecer os mesmos benefícios fiscais à empresa produtora, como se fosse exportadora (método direto).

7 Utilização de uma Trading Company A utilização de uma trading company pode ser uma boa alternativa para que o fabricante possa averiguar se na realidade existe em outros países uma demanda contínua para seu produto. É uma alternativa prática para colocar os produtos em mercados chamados de difíceis, visando o saber como fazer. O fabricante receberá orientações da trading company, tais como tipo de embalagem a ser utilizada, qualidade internacional, preço, garantias, usos e costumes etc.

8 Papel das Tradings Companies O papel das Tradings Companies repercutiu positivamente na imagem dos produtos brasileiros no exterior, graças ao profissionalismo e especialização dessas empresas. Porque são suas atividades fins, elas desenvolvem ações junto a mercados que dificilmente exportadores brasileiros, pos si só, investiriam sem a certeza dos resultados esperados.

9 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Firmas estrangeiras operando no país do exportador. QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Agente de Compra VANTAGENS: o exportador não necessita realizar nada, além da venda interna. DESVANTAGENS: submissão a estes agentes; riscos da perda de oportunidade, caso exista exclusividade.

10 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Participar em concorrências internacionais QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Produtor VANTAGENS: conhecer exatamente os requisitos exigidos pelo consumidor. DESVANTAGENS: venda ocasional, sem continuidade; projetos de longo prazo de concretização.

11 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Comercial exportadora QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Trading Company VANTAGENS: não precisa fazer os trâmites de exportação; riscos legais equivalentes aos da venda interna; custo zero na busca de mercado. DESVANTAGENS: não entra em contato com compradores do exterior; não acompanha a performance do produto no mercado.

12 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Comercial importadora QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Produtor VANTAGENS: evita gastos adicionais para conhecer o mercado; oferece serviço pós- venda (reposição, assistência técnica etc.) DESVANTAGENS: pode manipular deficientemente os produtos, criando imagem negativa; perde o controle e a possibilidade de criar mais expectativa caso tenha exclusividade.

13 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Consórcio, pools, cooperativas de exportação QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Produtores VANTAGENS: custos baixos, nas promoções; departamento de exportação em conjunto; união de esforços. DESVANTAGENS: grupo pode não ser coeso; um elemento do grupo pode denegrir imagem dos outros.

14 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Corretor (Broker) QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Produtor VANTAGENS: consegue clientes; não detém controle físico da mercadoria; apenas comissionado, portanto não se incorre em demais gastos. DESVANTAGENS: não oferece serviços adicionais; não garante fidelidade; produtos não chegam ao conhecimento dos compradores.

15 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Agente QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Produtor VANTAGENS: busca clientes, comissionados; não incorre em gastos. DESVANTAGENS: não oferece serviços adicionais; não assessora; pode operar com concorrente.

16 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Representante QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Produtor VANTAGENS: venda em nome do produtor; obriga-se a não representar mais de uma marca de cada tipo de produto; ajuda o produtor a realizar vendas; oferece serviços. DESVANTAGENS: exportador assume todos os riscos, inclusive o controle do representante; se tiver exclusividade na sua zona, exportador perderá direito à conta do cliente.

17 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Distribuidor QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Produtor VANTAGENS: tem rede de filiais; importa direto e distribui; arca com despesas de distribuição; possui assistência técnica; financia promoções. DESVANTAGENS: tem política própria de vendas e pode estabelecer preços próprios; distribui produtos concorrentes.

18 Canais de entrada no exterior CANAL ELEITO: Criação de sucursal no exterior. QUEM REALIZA AS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO: Produtor VANTAGENS: Estar em contato direto com o mercado; dispor de assistência própria. DESVANTAGENS: elevados custos.

19 Agente (Agent) Denominação genérica que designa pessoas que podem tratar de negócios ou interesses de outrem, agindo como mandatário ou preposto. EXEMPLOS: Despachante Despachante Agente de compra e de venda Agente de compra e de venda Agente de frete Agente de frete Agente de navegação Agente de navegação Agente do Fisco Agente do Fisco Agente Fiscal Agente Fiscal Agente Aduaneiro Agente Aduaneiro

20 Agente Aduaneiro O agente aduaneiro (customs agent; customs appaiser) é qualquer pessoa que aja por conta da Aduana ou relativamente a esta. EXEMPLOS: Conferente Aduaneiro Conferente Aduaneiro Fiscal Aduaneiro Fiscal Aduaneiro Fiscal Alfandegário Fiscal Alfandegário Despachante Aduaneiro Despachante Aduaneiro

21 Agente Comercial Qualquer pessoa que represente uma firma ou estabelecimento comercial, em cujo nome compra ou vende mercadorias. Na linguagem consular indica a pessoa que trata, nos Consulados e Legações, de assuntos comerciais de interesse do país que representam. Legação = missão mantida por um governo em país onde ele não tem embaixada.

22 Agente Consolidador Em inglês: goupage agent. Pessoa que consolida, na mesma partida, e sob o mesmo embarque, num mesmo equipamento de transporte, cargas destinadas a diversos consignatários. Há também o Agente Desconsolidador, que é a pessoa que recebe cargas consolidadas e se incumbe de reembarcar as diversas partidas aos consignatários indicados.

23 Agente Consular Chefe de repartição consular, incumbido, em Estado estrangeiro, de zelar pelos intresses dos nacionais aí residentes ou em trânsito, exercendo funções notoriais, e de tratar dos assuntos do país que representa, fiscalizando e autenticando documentos de exportação para dito país. Há também o Agente Diplomático que é pessoa credenciada pelo governo de um Estado para representário junto ao governo de outro.

24 Agente de Carga Em inglês: cargo agent. Pessoa ou empresa que, atuando em nome de um transportador, agencia contratação de transporte de carga.

25 Agente de Compra Em inglês: import agent; purchasing agent. Pessoa que, em nome do importador, prospecta os mercados exportadores e se encarrega de efetuar as aquisições. Tem relevo na técnica valorativa, pois que comissões de compra não são inclusões ao valor aduaneiro, não integrando, portanto, a base de cálculo tributária.

26 Agente de Frete Em inglês: freight agent. Agente que trabalha para uma empresa de transportes, no sentido de angariar cargas.

27 Agente de venda Pessoa que em nome do exportador se incumbe da colocação comercial das mercadorias adquiridas por importação. Tem relevo na técnica valorativa, pois que comissões de venda são inclusões ao valor aduaneiro, integrando, assim, a base de cálculo tributário.

28 Agente exclusivo Em inglês: exclusive agent; sole agent. Pessoa que detém, por via contratual, direitos exclusivos relativamente ao mandato que exerce.

29 Agente Expedidor Em inglês: forwarding agent; freight forwarder; forwarder; foreign forwarder. Indivíduo ou empresa que se especializa no manuseio de embarques de exportação ou de importação; transitário de carga; agente expedidor. Seus serviços incluem: a programação do transporte de uma carga deste o ponto de origem ao ponto de destino; obtenção de espaço para a carga; seguro do embarque; armazenamento; consolidação de lotes para embarque; desmembramento de lotes para entrega; preparação e processamento da documentação aduaneira etc.

30 Agente Marítimo Em inglês: shipping agent. Preposto de empresa de navegação, que se encarrega de receber e entregar as cargas desembaraçadas aos seus destinatários ou consignatários, cobrar os fretes devidos e tomar as providêncis necessárias para o fretamento; agente de navio.

31 Comércio Internacional Em inglês: foreign trade; international trade. Mesmo que Comércio Exterior. Compreende a troca de mercadorias e serviços de todos os tipos entre diferentes países e tudo o que for ligado a sua execução, incluindo o transporte e financiamento.


Carregar ppt "FAFICA_12_Trades1 12. TRADES DISCIPLINA: Logística Internacional FONTE: SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google