A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TIPOS DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS PROFª.: MERCÊS MOTA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TIPOS DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS PROFª.: MERCÊS MOTA."— Transcrição da apresentação:

1 TIPOS DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS PROFª.: MERCÊS MOTA

2 Direta=> transmissão por contato direto do organismo doente com o organismo sadio, através do beijo, ato sexual ou espirro no rosto do indivíduo sadio; Indireta: através de objetos ( copos, talheres, agulhas etc.) usados e tocados pelo indivíduo doente e posteriormente utilizados por um indivíduo sadio; Específica: quando os agentes de infecção(micro ou macro) atingem o ser humano através de outro organismo (moscas, mosquitos, piolhos, etc.), denominado vetor.

3 VIAS DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS Pele=> através de ferimentos, arranhões, picadas de insetos e mordeduras de animais; Ar=> durante aglomeração de pessoas em ambientes com deficiência de circulação de ar; Alimentos=> pela ingestão de alimentos mal lavados, estragados ou mal cozidos; Objeto=> através de objetos inanimados, tais como peças de vestuário, calçados, toalhas, utensílios etc.

4 Relação Sexual=> em consequência da higiene inadequada dos órgãos genitais ou através do ato sexual; Vetores=> o vetor pode ser apenas um simples veiculador de agentes patogênicos, conduzindo-os do portador para o receptor sem que, necessariamente, haja propagação da doenças; Sangue=> através de transfusões de sangue e seus derivados;

5 Placenta=> a transmissão ocorre da mãe para o filho durante a vida dentro do útero, através da placenta. ENTENDENDO A MICROBIOLOGIA A microbiologia engloba o estudo de bactérias (bacteriologia), fungos e cogumelos(micologia), vírus(virologia) e de formas intermediárias de bactérias e vírus, denominadas rickéttsias (rickettsiologia).

6 BACTÉRIAS As bactérias são seres vivos unicelulares que podem se apresentar isolados ou reunidos com outros microrganismos semelhantes, constituindo colônias. O tamanho da célula bacteriana não permite sua visualização a olho nu. As bactérias podem ser móveis ou imóveis; quando móveis, são dotadas de flagelos, estruturas presas ao corpo da bactéria que permitem sua movimentação/locomoção.

7 Algumas bactérias formam esporos, que são células em repouso, resistentes à perda de umidade, ao calor e a agentes químicos. É um estágio de proteção da bactéria; esta, quando encontra boas condições de reprodução, é reativada.

8 Esquema básico da estrutura da célula bacteriana

9 CLASSIFICAÇÃO As bactérias podem ser classificadas de dois modos: Em relação com o hospedeiro e o meio ambiente Saprófitas=> são aquelas que vivem na matéria orgânica, como o leite e a carne, e que geralmente não nos causam mal,sendo até benéficas ao nosso organismo, como as bactérias que habitam o trato gastrintestinal. Patogênicas=> são aquelas que causam doenças específicas, como sífilis e tuberculose.

10 De acordo com a forma das células: Cocos- arredondadas Bacilos- em forma de bastões Espirilos- espiraladas Vibriões- em forma de vírgula

11 FORMAS BÁSICAS DAS BACTÉRIAS Cocobacilo espirilosvibrião Quando ocorrem agrupamentos de cocos temos agregações bacterianas que, dependendo do tipo de arranjo celular, são classificadas em: Diplococos- cocos agrupados dois a dois. Causam doenças como meningite, sinusite, otite etc.

12 Estafilococos- cocos agrupados em cacho de uva. Podem causar empiema, meningite, etc. Estreptococos- cocos agrupados em forma de cadeias( colar de pérolas). Provocam alguns tipos de pneumonia, faringite, etc.

13 Colônias bacterianas diplococos e estreptococos estafilococos

14 METABOLISMO DAS BACTÉRIAS Vamos estudar o metabolismo, considerando a forma de nutrição e respiração das bactérias. Quanto à nutrição, existem bactérias com capacidade de sintetizar substâncias orgânicas a partir de substâncias inorgânicas, utilizando a energia química que se desprende nas reações.

15 Esse grupo é formado por bactérias classificadas como autotróficas. Já um outro grupo, composto por bactérias classificadas como heterotróficas, corresponde àqueles microrganismos que necessitam de substâncias orgânicas para nutrir-se, como os animais.

16 Quanto à respiração, as bactérias são classificadas em aeróbias e anaeróbias. As bactérias aeróbias são aquelas que só sobrevivem e crescem na presença de oxigênio (exemplo: bacilo da tuberculose).

17 As bactérias que só crescem e sobrevivem na ausência total ou em quantidades mínimas de oxigênio são chamadas anaeróbias estritas (bacilo do tétano, por exemplo): caso sejam indiferentes à presença ou à ausência do oxigênio, elas são denominadas anaeróbias facultativas (exemplo: os estreptococos que causam faringite).

18 REPRODUÇÃO BACTERIANA A reprodução é realizada por cissiparidade (divisão binária), que consiste na divisão de uma célula em duas células-filhas perfeitamente iguais. Reprodução bacteriana por cissiparidade

19 VÍRUS Os vírus são seres vivos que só são capazes de se reproduzir no interior de células de outros organismos (animais, vegetais ou até mesmo bactérias), por isso são obrigatoriamente considerados parasitos. Não são formados por células, são constituídos por proteínas e outras substâncias e têm tamanho reduzido, sendo bem menores que as bactérias.

20 ESTRUTURA DOS VÍRUS Esquema simplificado de um vírus bacteriófago Capsídeo é o material envoltório dos vírus, um invólucro protetor constituído de proteínas, que além de proteger o ácido nucléico (DNA ou RNA), tem a capacidade de combinar-se quimicamente com substâncias presentes na superfície celular. O capsídeo é formado por unidades protéicas denominadas de capsômeros.vírusproteínasDNARNAcelular capsômeros

21 Morfologia dos vírus Atualmente distinguimos três formatos básicos de vírus: Vírus poliédricos- dotados de simetria cúbica, como os da poliomielite e do herpes simples; Vírus tubulares- com simetria helicoidal, como os da gripe e da caxumba; Vírus complexos- por exemplo, o vírus da varíola e os bacteriófagos. Bacteriófagos formam um grupo especial de vírus que infectam as bactérias. Pelas suas características, fornecem material ideal para o estudo da multiplicação viral, da relação hospedeiro/parasito da genética molecular.

22 Formas de vírus Vírus da poliomielite Vírus do mosaico do tabaco Rotavírus

23 Processo de replicação do vírus e infecção No processo de infecção de uma célula por um vírus, somente o ácido nucléico penetra e ali se multiplica. A parte da proteína que envolve o ácido nucléico contribui para caracterizar a especificidade do vírus. As etapas de infecção e replicação do vírus são, resumidamente, as seguintes: O vírus se aproxima de uma célula; O vírus se fixa numa membrana celular; Ocorre a injeção do material genético(DNA ou RNA);

24 O vírus assume o comando do metabolismo da célula infectada pelo material genético; Ocorre a formação de novos vírus; Acontece o rompimento da célula pelos novos vírus formados, que ficam livres para infectar novas células. Todo o processo descrito dura aproximadamente 30 minutos, e provoca a destruição da célula infectada, ou seja, seu rompimento pelo acúmulo de novos vírus.

25 FUNGOS Sob denominação de fungos estão reunidos seres vivos semelhantes aos vegetais que se alimentam de matéria orgânica, mas não utilizam a clorofila para respirar. Tais microrganismos existem em toda a natureza e participam dela às vezes num sentido construtivo, outras vezes destrutivo. No sentido construtivo os fungos atuam na fermentação do pão, da cerveja e do vinho, além de serem utilizados pelos cientistas para produzir medicamentos,os efeitos danosos dos fungos podem ser observados nas dermatofitoses, que são as micoses dos cabelos, pêlos, pele e unhas.

26 Os fungos não são capazes de sintetizar o próprio alimento, mas aproveitam a matéria orgânica de outros seres vivos. Os que se aproveitam de vegetais e animais mortos são considerados saprófitos, ocupando o lugar de decompositores e facilitando a reciclagem da matéria da natureza, situação que ocorre com a maioria dos fungos. Exemplo: mofos e leveduras.

27 Quando a matéria orgânica é aproveitada de seres vivos (animais e vegetais), ocasionando danos para estes, os fungos são considerados parasitos. As doenças causadas por esses parasitos são conhecidos como micoses, infecções que pouco diferem das infecções bacterianas. Como exemplo citamos as unicomicoses (micose das unhas) e pé-de-atleta.

28 Tipos morfológicos de fungos Esféricos filamentos sem septos filamentos com septos

29 Dentre os tipos de fungos, os ascomicetos são os mais numerosos. Muitos são saprófitos, como os que vivem sobre os excrementos de animais(coprófagos). Outros são parasitos, como os que causam a ferrugem do cafeeiro e os que provocam o carvãoda cana-de-açúcar. Entre os ascomiscetos encontram-se em leveduras, os mofos do queijo, da geléia, doces e frutas. Os basidiomicetos são os mais conhecidos por se encontrarem entre eles as espécies comestíveis(cogumelo de chapéu).

30 RICKÉTTSIAS As rickéttsias são formas microbianas intermediárias entre as bactérias e os vírus. São parasitos intracelulares obrigatórios, têm o tamanho das bactérias e apresentam formas variadas de cocobacilos no exame ao microscópio ótico comum.(aumento de 1000 vezes).

31 A maioria das rickéttsias é mantida na natureza por um ciclo que envolve um inseto transmissor (geralmente pulgas, carrapatos ou piolhos) e um animal-reservatório (geralmente roedores, como o rato). Nas rickettsioses, os indivíduos geralmente apresentam febre, erupções cutâneas, cefaléia e aumento do fígado e do baço.

32 Entendendo a parasitologia Estudaremos a parasitologia como um ramo da zoologia que estuda os animais parasitos. Serão estudados os seres vivos que pertencem aos grupos dos protozoários (protozoologia) dos helmintos (helmintologia) e dos artrópodes.

33 PROTOZOÁRIOS Os seres denominados protozoários são organismos microscópicos e unicelulares que vivem em ambientes aquáticos, sendo que algumas espécies são parasitos de seres humanos ou de animais e podem causar doenças: Malária, leishmaniose e doença de Chagas, por exemplo.

34 Os protozoários podem ser caracterizados por sua morfologia, sua respiração e pelo tipo de reprodução. Quanto à sua morfologia, apresentam inúmeras variações, podendo ser esféricos, ovais ou alongados. Alguns são revestidos por cílios, outros por flagelos, e há os que não possuem nenhuma estrutura de locomoção específica.

35 CÍLIOS são filamentos finíssimos existentes na superfície de protozoários, enquanto FLAGELO é um filamento único, semelhante a um chicote. Os dois tipos de filamentos permitem a locomoção dos protozoários

36 A locomoção também pode caracterizar um protozoário; a movimentação dos protozoários pode ser realizada através de pseudópodos (pseudo=falso; podo= pé), flagelos e cílios. FlagelosCílios Pseudópodos

37 No que se refere à respiração, podem realizar dois tipos básicos: respiração aeróbia- aquela que se processa num meio rico em oxigênio- e respiração anaeróbia- aquela que se processa em um meio com pouco oxigênio. Já a reprodução dos protozoários pode ser de dois tipos dependendo de sua classe: Reprodução sexuada: ocorre em consequência da união das células de reprodução-gametas. Reprodução assexuada: ocorre sem união dos gametas.

38 Quanto à nutrição, os protozoários podem ser classificados em autotróficos – aqueles que sintetizam sua própria alimentação(p.ex.: síntese de energia a partir da luz solar), e Heterotróficos- aqueles que não sintetizam seu alimento, necessitando absorver elementos do meio ambiente.

39 HELMINTOS Os helmintos constituem um extenso grupo de seres, pois englobam todos os vermes. Possuem tamanhos diversos e formas variadas, podendo ser achatados(platelmintos), com a tênia e o esquistossoma, ou arredondados (nematelmintos), como a lombriga e as filárias.

40 ARTRÓPODES Embora esse grupo contenha animais muito diferentes uns dos outros, os artrópodes apresentam algumas características em comum: O corpo é recoberto e protegido por uma carapaça que protege as estruturas internas mas, ao mesmo tempo, impede seu crescimento. Por essa razão, os artrópodes sofrem mudanças periódicas para poderem crescer;

41 Cada pata é formada de peças móveis, ligadas entre si, sendo esta a razão principal do nome dado ao grupo- artrópodes, que significa patas(podos) articuladas(artro). CARAPAÇA- significa revestimento rígido, esqueleto externo; é uma proteção que alguns animais apresentam (caranguejos, por exemplo).

42 Classe dos artrópodes O grupo dos artrópodes, que é muito numeroso, foi dividido em quatro classes: Primeira classe: insetos: moscas, mosquitos, baratas, piolhos, percevejos; Segunda classe: crustáceos: camarões, siris, caranguejos, lagostas; Terceira classe: aracnídeos: aranhas, escorpiões, carrapatos, ácaros; Quarta classe: miriápodes: lacraias, piolhos-de- cobra ou gongolôs.

43 A seguir, uma tabela com exemplos de doenças e seus agentes de acordo com a via de transmissão Vias de transmissão Natureza do agente Doença AlimentosBactériasCólera,botulismo,febre tifóide, shigelose VírusDiarréia viral, hepatite A, poliomielite ProtozoáriosAmebíase, giardíase, toxoplasmose HelmintosAscaridíase, oxiuríase, teníase, tricuríase

44 Vias de transmissão Natureza do agente Doença ARBactériasCoqueluche, difteria, meningite, pneumonia, tuberculose FungosHistoplasmose VírusCaxumba, gripe, rubéola, sarampo, varíola ProtozoáriosToxoplasmose

45 Vias de transmissão Natureza do agente Doença OBJETOSBactériasTétano VírusHepatite B, AIDS

46 Vias de transmissão Natureza do agente Doença PeleArtrópodesEscabiose(sarna), pediculose(piolho) BactériasErisipela, impetigo, hanseníase, leptospirose,tétano FungosCandidíase Helmintos Vírus Ancilostomíase, esquistossomose, estrongiloidíase Herpes, raiva

47 Vias de transmissão Natureza do agente Doença PlacentaBactériaSífilis VírusAids

48 Vias de transmissão Natureza do agente Doença RELAÇÃO SEXUAL BactériasSíflis, gonorréia, FungosCandidíase VírusAIDS, hepatite B ProtozoáriosTricomoníase

49 Vias de transmissão Natureza do agente Doença SANGUE E DERIVADOS BactériasSepticemia, sífilis VírusAIDS, hepatite B ProtozoáriosDoença de Chagas

50 Vias de transmissão Natureza do agente Doença VetoresBactériasPeste bubônica HelmintosFilariose ProtozoáriosDoença de Chagas, leishmaniose, malária Rickéttsias Vírus Tifo epidêmico Dengue, febre amarela


Carregar ppt "TIPOS DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS PROFª.: MERCÊS MOTA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google