A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CAFÉ COM TEOLOGIA – APOCALIPSE CONHECENDO O JESUS DO APOCALIPSE APOCALIPSE 1.10 – 20 Não temas; eu sou o primeiro e o último, e aquele que vive; estive.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CAFÉ COM TEOLOGIA – APOCALIPSE CONHECENDO O JESUS DO APOCALIPSE APOCALIPSE 1.10 – 20 Não temas; eu sou o primeiro e o último, e aquele que vive; estive."— Transcrição da apresentação:

1 CAFÉ COM TEOLOGIA – APOCALIPSE CONHECENDO O JESUS DO APOCALIPSE APOCALIPSE 1.10 – 20 Não temas; eu sou o primeiro e o último, e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos, e tenho as chaves da morte e do inferno. Apocalipse 1.17,18

2 O simples fato de João ser presenteado com a visão de Jesus Cristo, seu Senhor amado, na ilha de Patmos, trouxe-lhe experiências e ensinamentos profundos, que mudaram sua compreensão sobre o Mestre. Para explicar as mudanças que aconteceram em seu coração, e também para provocar as mesmas mudanças no coração dos seus leitores, João escolheu figuras do Antigo Testamento, especialmente de Daniel, as quais, esperava ele, trouxessem a real compreensão de quem Jesus era de fato. Vamos conhecer o Jesus do Apocalipse, o Jesus que João viu!

3 No dia do Senhor achei-me no Espírito e ouvi por trás de mim uma voz forte, como de trombeta, (10) João começa a receber sua revelação em espírito. Está certo o minúsculo na palavra espírito, porque não se trata do Espírito Santo, mas do espírito de João. A frase descreve um estado mental e espiritual fora do comum. Foi um estado de êxtase espiritual, de arrebatamento. No Novo Testamento, dois outros casos relatam com mais detalhes este tipo de experiência: Pedro, em At – 1155, e Paulo, em II Co No Velho Testamento, no livro de Jó, Eliú atesta que Deus fala aos homens por meio de sonhos, ou por meio de visões, em êxtases (Jó ).

4 Com João, Deus não falou em sonhos, mas através de um estado extático. Neste estado especial, João experimentou a presença de Deus de forma espetacular. Ouviu e viu coisas às quais poderia referir aos homens. O espírito de João estava acordado e com plenos poderes de raciocinar. João estava completamente consciente daquilo que viu e ouviu. Só que as coisas que Ele viu e ouviu não aconteceram fisicamente ao seu redor. O seu espírito estava completamente entregue a Deus e às coisas que Ele revelava. Seu corpo, porém, estava conscientemente presente (Diferente de Paulo?? II Co 12.2 e ). Veja que ele voltou-se para ver quem falava ( ), caiu aos pés de Cristo como morto (1.17), manteve diálogo (7.13, ). Deus usou um estado especial, espiritual, para revelar verdades especiais, espirituais.

5 ...e ouvi por trás de mim uma voz forte, como de trombeta, (10) João não ouviu uma trombeta tocando. Provavelmente também não ouviu um som altíssimo, gritando. Como de trombeta não faz referência ao volume, mas ao significado. Ele ouviu uma voz que pronunciava palavras. Ele entendeu as palavras, como em A voz da trombeta simboliza o grito de alarme, mostrando que alguma coisa extraordinária está para acontecer. O objetivo da trombeta é: esteja preparado quando ouvi-la (Ne ). Em Ex , o som de trombeta anuncia que o Deus Todo-poderoso tem coisas importantíssimas para dizer (Hb ). Agora, o mesmo som de trombeta anuncia que o Cristo glorificado, o Rei dos reis, o Senhor dos senhores, vai dizer as últimas e mais importantes notícias da história humana!

6 Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltado, vi sete candeeiros de ouro e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho de homem... (12,13) Os candeeiros que João viu tratavam-se de grandes pedestais de lâmpadas, provavelmente tendo como referência o candelabro que era parte essencial do tabernáculo no deserto (Ex ). No templo de Salomão também haviam candelabros diante do Santo dos Santos (I Rs ). Na visão do Profeta Zacarias, novamente aparece o candelabro com sete lâmpadas (Zc ). O candelabro que ilumina é visão recorrente no VT. Sua função exclusiva é iluminar. João viu os candelabros do passado, representando a igreja do presente e do futuro.

7 Como fica claro no verso 20, os candeeiros são as igrejas: São de ouro, o metal mais precioso e nobre conhecido na época. Nada neste mundo se compara ao valor e à nobreza da Igreja de Cristo; Eles levam luz na escuridão. Por isso as igrejas são candeeiros. Mt 5.14 – 1045, e Fp 2.15,16 – 1236, deixam clara essa missão da Igreja do Senhor; São em número de sete para incluir todas as igrejas em todas as épocas da história; As igrejas são meio para se chegar a Jesus. Por isso Jesus está no meio delas. João, antes de ver a Jesus, viu as igrejas. Assim deve ser com cada crente neste mundo. Assim deve ser a pregação do evangelho;

8 Jesus está no meio para indicar que Ele é o centro, a razão da igreja. Não são as pessoas, os líderes, as doutrinas, o nome, mas Jesus. Ele é glorificado em suas igrejas; Ele anda no meio dos candeeiros (cf. 2.1) para mostrar que Ele está em atividade hoje, mesmo depois de ter sido elevado aos céus. Jesus não deixou Sua Igreja órfã, abandonada, Ele está com ela exatamente como esteve antes de sua morte; Ele é o Cristo de poder e glória no meio da igreja. Não mais o Cristo da cruz, mas o Cristo da glória.

9 ...e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho de homem... (13) Os candeeiros não são o aspecto essencial da visão. Eles apenas formam a moldura brilhante para receber a majestade do Filho de Deus. João já sabia que era o Filho de Deus. Mas ele faz questão de registrar que se tratava do Filho de Deus encarnado, tornando-se Deus- Homem (como em Daniel ; 10.5, ). O próprio Jesus referia a si mesmo dessa maneira (Mt ; ; ; ; ; ; ; ; ). A expressão Filho do Homem é utilizada para garantir a essência da revelação divina: ela se dá em uma pessoa. O Jesus que João vê é o Jesus prometido por Deus. É o Jesus que encerra em si mesmo toda a plenitude da revelação de Deus (Hb ).

10 ...com uma veste que chegava aos seus pés e um cinturão de ouro ao redor do peito. (13) Para vestes talares, o original grego emprega um termo que só se encontra neste versículo: um vestido que se estendia até os pés. A mesma palavra é utilizada em Êxodo , para designar a roupa exterior azul do sacerdote que ia até os seus pés. Jesus é o sumo sacerdote por excelência, com toda a autoridade e dignidade própria do sumo sacerdote. Além da veste talar, o Filho do Homem também usava uma cinta de ouro à altura do peito. O cinto colocado à altura do peito indicava estar a serviço. Significa que esta pessoa está realizando algum trabalho a mando de alguém, como os anjos que saem para trazer os flagelos, (Ap ).

11 Também é interessante notar que os sacerdotes usavam cintos à altura do peito. Segundo Josefo, historiador judeu, os sacerdotes levíticos se cingiam à altura do peito, nos seus turnos de serviço. Mas é digno de nota que o cinto dos sacerdotes é parcialmente de ouro (Ex ), enquanto o de Jesus é de ouro puro. João descreve Jesus como um sacerdote no exercício pleno de suas funções, completamente nobre e puro. João descreve Jesus como alguém que nos representa e intercede por nós!

12 Sua cabeça e seus cabelos eram brancos como a lã, tão brancos quanto a neve, e seus olhos eram como chama de fogo. (14) Cabeça e cabelos brancos identificam Jesus com o Ancião de Daniel Em outras palavras, o Filho do Homem é Deus em pessoa. Temos comunhão com Deus através de seu Filho Jesus Cristo. Foi exatamente isto que Jesus disse a Felipe (João ). A brancura dos cabelos também indica honra (Lv ), sabedoria, pureza e santidade (Is ). Olhos como chama de fogo, certamente indicam o poder penetrante e onisciente do Senhor Jesus. Olhos como fogo também indicam que tal poder penetrante tem caráter punitivo. Seus olhos tudo vêem, especialmente, o pecado (I Tm ).

13 Seus pés eram como bronze numa fornalha ardente e sua voz como som de muitas águas. (15) Seus pés são de metal, indicando que Ele permanece para sempre, e nenhuma força é capaz de derrubá-lo (Dn ). Além, disso, quando Ele põe os pés sobre os inimigos, estes são queimados e consumidos pela sua ira (I Ts ). Tais pés mostram claramente que o Cristo que João vê vem em juízo (cf Ml ). A figura da voz de muitas águas também é emprestada do VT (Ez ; ). Esse som se assemelha ao som do trovão (Ap ). Trata-se de uma voz que ninguém pode abafar. É a voz do Senhor do Salmo Ele fala, e ninguém fala mais alto do que ele.

14 Tinha em sua mão direita sete estrelas, e da sua boca saía uma espada afiada de dois gumes. Sua face era como o sol quando brilha em todo o seu fulgor. (16) Apesar do Senhor dominar sobre toda criação, inclusive as estrelas (Is – 732, e Cl ), nesta passagem não se trata de estrelas do firmamento, mas o próprio Senhor explica que as estrelas são os anjos das sete igrejas (v. 20). Durante muito tempo, eu pensei que as estrelas, representando os anjos das igrejas, fossem literalmente anjos. No entanto, esta interpretação não tem o menor sentido dentro da visão neotestamentária de igreja. Por mais que o ministério dos anjos exista, e por mais que eles interajam com a igreja, via de regra, este ministério é imperceptível. É real, é sobrenatural, mas é imperceptível.

15 angelos significa mensageiro, e aparece no NT 175 vezes. 169 fazendo referência a anjos, e 6 vezes faz referência a homens (Lc ; ; Tg ; Mt ; Mc ; Lc 7.27 – 1050, citando Ml ). Isto significa que angelos pode ser aplicada a homens. Isto vale para o Apocalipse? O anjo da Igreja é aquele que recebe a mensagem. Apesar do conteúdo da carta ser destinado à toda Igreja, o anjo tem a responsabilidade de recebê-la e transmiti-la. 1. Eles são os responsáveis pela instrução da Igreja, os mensageiros de Deus na Igreja, os profetas de Deus; 2. A igreja enxerga autoridade nos seus pastores; 3. Eles são considerados responsáveis pela condição espiritual das igrejas; Por isto, anjos aqui não são literais, mas sim seus pastores e líderes, responsáveis pela ministração à igreja.

16 E o que dizer do uso da palavra estrelas? Ela foi emprestada de Daniel : Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos conduzirem à justiça, como as estrelas, sempre e eternamente. Comparados à estrelas, fica claro que os ministros da Igreja recebem reconhecimento por parte do Senhor e de João. Os líderes não estão na igreja para serem desprezados e afrontados, mas honrados e respeitados (Hb 13.7 e ). O Senhor quer reconhecer a importância de seus líderes. Comparados à mensageiros, eles tem a responsabilidade de ministrar à Igreja a mensagem de Cristo, e não a deles própria. Serão recompensados quando forem fieis e punidos quando forem infiéis.

17 Anjos ou estrelas, qualquer que seja a figura, o que realmente importa nesta visão é que eles estão na mão direita do Senhor Jesus. Esta figura também traz grandes ensinamentos: A autoridade e o poder dos ministros são derivados do Senhor Jesus. Enquanto estão ali, tem poder e autoridade; Seu ensino é recebido do Senhor; Na mão direita do Senhor eles são protegidos e guardados; Jesus não abre mão de seus líderes e suas igrejas.

18 ...e da sua boca saía uma espada afiada de dois gumes. (16) Esta figura claramente foi retirada do profeta Isaías (Is ; ). Além dessa figura, o NT apresenta algumas passagens que comparam a Palavra de Deus a uma espada (Ef 6.17 – 1235, e Hb ). A palavra que sai da boca de Jesus é exatamente aquela que está registrada na Bíblia. A Palavra de Jesus será aquela que trará juízo ao mundo inteiro: à igreja e aos que não crêem. O que importa não é a tradição da igreja, mas sim a Palavra de Deus, a mensagem de Cristo. Jesus julgará o mundo, inclusive a Sua Igreja (I Pe ), pela Sua palavra. Interessante que esta espada é afiada. Ela corta, fere, despedaça e condena! Mas também limpa e purifica!

19 Sua face era como o sol quando brilha em todo o seu fulgor. (16) Por ocasião da transfiguração de Jesus, seu rosto resplandecia como o sol (Mt ). Lá, como aqui, está em evidência a glória do Filho do Homem. Lá, antes da glorificação. Aqui, já glorificado. O brilho da glória do Deus-Homem é maior do que o sol (na sua força). É totalmente resplendente. É impossível olhar para ele diretamente. Nenhum homem pode fitá-lo sem sofrer dano. Isto significa que Jesus é Deus. Porque Deus não pode ser contemplado diretamente. Ele portanto é o Homem-Deus, e traz consigo a glória de Deus. Não é possível hoje, contemplar Jesus sem contemplar Deus. Todas as vezes que Jesus se manifesta, a glória de Deus se manifesta. E diante dela tudo cai. E foi isso que aconteceu com João!

20 Quando o vi, caí a seus pés como morto. (17) Mesmo os servos de Deus não podem reagir de outra maneira diante da manifestação da glória de Deus, da glória de Cristo. Foi a mesma coisa que aconteceu com Ezequiel (Ez ) e Daniel (Dn 10.8, ). O Cristo da Igreja, o Cristo da glória deve inspirar temor e respeito. A busca pela glória de Deus deve existir, mas com santidade e temor. Não me admira que poucas pessoas tenham visto a glória de Deus. Poucos estão preparados para este encontro. Poucos sobreviveriam a ele. Porém, ele pôs sobre mim a mão direita... O senhor tem uma mensagem, por isso precisa de seu servo de pé. Trata-se de um gesto de imensa bondade, um gesto fortalecedor e encorajador. A mão que carrega as estrelas toca João. Este é o toque mais precioso que alguém jamais pode receber: o toque do Cristo da glória. Com este toque, João está aprovado, pode permanecer diante da glória de Deus e receber as mensagens.

21 ...dizendo: Não temas! Eu sou o primeiro e o último e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos. (17,18) Jesus exorta a João sobre o que está acontecendo em sua época. A tradução literal seria Não continues a ter medo! Não tenha medo da perseguição. Não tenha medo de que a igreja abandone a fé. Não tenha medo de nada! Não tenha medo nem da glória de Deus. Eu estou aqui e sou o Cristo da glória. E eu zelo pela minha igreja e batalho contra o seus inimigos. O Eu Sou lembra o Eu Sou de êxodo Enquanto Alfa e Ômega aponta para a totalidade e eternidade da Palavra de Deus, Primeiro e Último aponta para a totalidade e eternidade da criação (Cl 1.15,16 - Is 41.4; 44.6; 48.12). Todos os planos de Deus tem seu começo e seu fim em Jesus; toda a história do povo de Deus tem nele o seu começo e o seu fim. E todos os planos de Deus estão embasados na ressurreição (I Co 15.19).


Carregar ppt "CAFÉ COM TEOLOGIA – APOCALIPSE CONHECENDO O JESUS DO APOCALIPSE APOCALIPSE 1.10 – 20 Não temas; eu sou o primeiro e o último, e aquele que vive; estive."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google