A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dra Taís Helena Mastrocinque Dep de Pediatria e Puericultura Santa Casa de São Paulo - Nefrologia Pediátrica.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dra Taís Helena Mastrocinque Dep de Pediatria e Puericultura Santa Casa de São Paulo - Nefrologia Pediátrica."— Transcrição da apresentação:

1 Dra Taís Helena Mastrocinque Dep de Pediatria e Puericultura Santa Casa de São Paulo - Nefrologia Pediátrica

2 SÍNDROME METABÓLICA (Herança Dominante, poligênica) Reaven,1988 – Síndrome X Obesidade centrípeta Resistência à insulina Dislipidemia ( HDL, Triglicérides) Dislipidemia ( HDL, Triglicérides) Hipertensão arterial Hipertensão arterial Outros achados Outros achados Sensibilidade ao sal Diabetes mellitus tipo II Microalbuminúria (OMS) Distúrbios hematológicos/tendência à hipercoagulabilidade Estados pró-inflamatórios Disfunção endotelial, risco cardiovascular Hiperuricemia Esteatose hepática Acantose nigricans Síndrome dos ovários policísticos

3 Constelação de fatores de risco que predispõe um indivíduo a desenvolver Diabetes Mellitus tipo II desenvolver Diabetes Mellitus tipo II e Doença Aterosclerótica e Doença Aterosclerótica ATP III

4

5 Estudo de Bogalusa. Am J Cardiol 1992; 70: From Fourth DecadeFrom First DecadeFrom Third Decade

6 DEFINIÇÃO - CRIANÇAS Diferentes definições em várias publicações Não há consenso sobre critérios e valores de corte Deve-se valorizar a circunferência abdominal como fator de risco para doença cardiovascular

7 SÍNDROME METABÓLICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES CRITÉRIOS NCEP/ATP III MODIFICADO 10 A 16 ANOS (IDF) ADIPOSIDADECA p 90CA p 90* NÚMERO DE ANORMALIDADES 2 critérios abaixo METABOLISMO GLICÊMICO Glicemia jejum 110 mg/dl ou DM2 Glicemia jejum 100 mg/dl ou DM2 TRIGLICÉRIDES TG 110 mg/dlTG 150 mg/dl HDL HDL 40 mg/dl PRESSÃO ARTERIAL PAS ou D p 90 PA S ou D 130 X 85 mmHg ou em uso de anti-hipertensivo *Recomendações para população da América Central e do Sul (Fernandez et al. J Pediatr 2004; ) Coluna em azul: ATP III modificado (Cook et al. Arch Pediatr Adolec Med 2003; 157: 821-7) NCEP/ATP: National Cholesterol Education Programs Adult Treatment Panel

8 COMPONENTES DA SÍNDROME METABÓLICA - DIAGNÓSTICO Índice de Massa Corpórea - IMC Circunferência Abdominal – CA Resistência Insulínica (RI) Hipertensão Arterial (HA) DislipidemiaHiperuricemia Esteatose Hepática

9 SÍNDROME METABÓLICA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA- IMC NCHS- 2000: Sobrepeso: IMC > p85 Obesidade: IMC > p95 A partir de 2009, novas curvas - OMS Sobrepeso: IMC > p95 Obesidade: IMC > p97 Obesidade grave: IMC > p99 O IMC mostra boa correlação com obesidade grave na fase adulta e SM: Bogalusa, J Pediatr. Jan 2007: 150(1): O IMC parece representar fator independente de espessamento médio-intimal carotídeo na idade adulta: Bogalusa, Int J Obes (Lond). May 2008: 32(5):

10

11 SÍNDROME METABÓLICA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA- CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL CA > p90: boa correlação e especificidade com SM (Freedman, The Bogalusa Heart Study: Am J Clin Nutr 1999; 69:308-17) Medida na cicatriz umbilical Ponto médio entre a última costela e a crista ilíaca melhor correlação Relação CA/estatura > 0,5 risco SM (Maffeis e cols) A adiposidade central pode ser medida por RM ou Dual Energy X ray absorptiometry (DXA)- padrão-ouro

12

13

14 SÍNDROME METABÓLICA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA- RESISTÊNCIA INSULÍNICA LABORATÓRIO HOMA-IR (homeostatic model assesment) produto da insulinemia de jejum (mUI/mL) e da glicemia de jejum (mmol/L) dividido por 22,5 CORTE PARA ADULTOS: 2,5 Não há padronização para crianças e adolescentes. Varia com estágio puberal. Proposta: Tabelas com percentil 95 para sexo, idade e estágio puberal Cuartero et al, An Pediatr (Barc). 2007; 66(5):

15 SÍNDROME METABÓLICA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA- RESISTÊNCIA INSULÍNICA GTT ORAL Diagnóstico de hiperinsulinemia Qualquer pico superior a 150 U/ml ou > 75 U/ml no tempo 120 min Valores de glicemia > 140mg/dl aos 60 minutos têm melhor correlaçãocom SM que basais e aos 120 min (Sabin et al.) RELAÇÃO GLICEMIA/INSULINEMIA Normal: > 7 FENÓTIPO ASSOCIADO: acantose nigricans, obesidade troncular, estrias,alta estatura, hiperandrogenismo (hirsutismo, acne, irregularidade menstrual).

16 ACANTOSE NIGRICANS PACIENTE COM 13 ANOS 165 cm, 106 Kg, IMC >> p 97, CA >> p 90 GLICEMIA DE JEJUM 82 mg/dl INSULINEMIA DE JEJUM 55mU/l RELAÇÃO GLICOSE/INSULINA = 1,5

17 SÍNDROME METABÓLICA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA - HIPERTENSÃO Correlação positiva com obesidade e SM Aumento da prevalência de HA primária com da obesidade Adolescentes com PA 120 X 80 mmHg – pré-hipertensos Adicionar a hiperuricemia à HA como fator de risco adicional Effect of allopurinol on blood pressure of adolescents with newly diagnosed essential hyertension: a randomized trial. Feig et al. JAMA Aug 27; 300(8):

18 Definição e Classificação da Hipertensão Arterial na Infância e Adolescência The Fourth Report on the Diagnosis, Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure in Children and Adolescents Pediatrics Vol.114 No. 2 August 2004 < p 90 PA normal p Pré-hipertensão Estágio 1 PAS ou PAD entre p95 e p99 +5 mmHg Estágio 1 PAS ou PAD entre p95 e p99 +5 mmHg Estágio 2 PAS ou PAD mais que 5 mmHg acima do p99 / lesões de órgãos-alvo Estágio 2 PAS ou PAD mais que 5 mmHg acima do p99 / lesões de órgãos-alvo * valores acima do p 95, confirmados em 3 ocasiões diferentes, empregando-se metodologia adequada. p 95 Hipertensão arterial

19 SÍNDROME METABÓLICA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA- DISLIPIDEMIA DESEJÁVELLIMÍTROFEAUMENTADO Colesterol T < LDL< HDL TG < Valores de lípides em crianças e adolescentes (mg/dl) I Diretriz Brasileira sobre Prevenção da Aterosclerose em crianças e adolescentes, 2005 Percentis dos valores de lipídios em crianças e Adolescentes de 5 a 19 anos de ambos os sexos Anormal: LDL > p95 e HDL < p5 Limítrofes: LDL p90-p95 e HDL p5-p10 Pediatrics, 2008

20 Hiperuricemia Relacionada à RI e HA Uric Acid and Cardiovascular Risk Daniel et al. N Engl Med 2008 (23) Serum uric acid and its association with Metabolic Syndrome and carotid atherosclerosis in obese children Pacifico et al. Eur J Endocrinol 2009 Jan 160(1): Esteatose Hepática não alcoólica Em crianças obesas: 22,5 a 53% (USG) Marcadores Inflamatórios PCR ultrassensível, TNF, IL 6, leptina, PAI-1, fibrinogênio SÍNDROME METABÓLICA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

21 Fatores de risco maiores Tabagismo Nefropatia História familiar de DCV em: Identificação de Fatores de Risco Adicionais CV Fatores de risco adicionais Uso de anticoncepcionais Uso de esteróides anabolizantes Anfetaminas Drogas ilícitas (cocaína) e álcool

22 O PROBLEMA DA OBESIDADE OBESIDADE VISCERAL + resistência insulínica = SM: risco de doença cardiovascular e DM2

23 O PROBLEMA DA OBESIDADE A prevalência da obesidade na infância duplicou nos últimos 15 anos em muitas regiões do mundo devendo ser reconhecida como problema médico e de saúde pública prioritário. No Brasil a prevalência de sobrepeso e obesidade é maior que a de desnutrição.

24 O PROBLEMA DA OBESIDADE Epidemia mundial Epidemia mundial 250 milhões de obesos no mundo 250 milhões de obesos no mundo USA: 25% sobrepeso (6-17a) USA: 25% sobrepeso (6-17a) IBGE: 22% em algumas regiões IBGE: 22% em algumas regiões 6 milhões de jovens brasileiros 6 milhões de jovens brasileiros Bogalusa Heart Study crianças (5-17 anos): 11% de obesidade; 39% dos obesos – pelo menos 2 fatores de risco para DCV (Freedman et al. The Journal of Pediatrics. Jan 2007)

25 OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA DADOS ESTATÍSTICOS Prevalência de SM- 6-10% IBGE adolescentes com sobrepeso: 4% 18% ( ) e 7.5% 15,5% ( ) Menores 5 anos: 6,6% (PNDS-2006) Prevalência de SM- 6,8% dos adolescentes com sobrepeso e 28,7% dos obesos (NHANES III – 9%, > ) Silva et al. Diabetes Care 2005; 28: % dos recursos do SUS são gastos com tratamento de HA, DM e doença coronária

26 O PROBLEMA DA OBESIDADE O mau hábito alimentar é o principal fator etiológico Obesidade nos pais Sedentarismo Adolescente obeso adulto obeso Desmame precoce

27 O PROBLEMA DA OBESIDADE O PROBLEMA DA OBESIDADE 18% - FAST- FOOD 17% - GULOSEIMAS E SORVETES 14% - REFRIGERANTES E SUCOS ARTIFICIAIS 13% - SALGADINHOS DE PACOTE 10% - DOCES E BOLOS 72% DO TOTAL DE ANÚNCIOS DE ALIMENTOS ALIMENTOS: 9,7% DO TOTAL MAIOR FREQUÊNCIA DAS 14:30 ÀS 18:30 HS TV A CABO Pesquisa de Monitorização da Propaganda de Alimentos Visando a Prática Da Alimentação Saudável (Auditório OPAS, Junho 2008)

28 O PROBLEMA DA OBESIDADE O PROBLEMA DA OBESIDADE ANVISA (2006) – GORDURA TRANS NOS RÓTULOS OMS: máximo 2 g de gordura trans/dia A lei desobriga a declaração de quantidades < 0,2g/25g de alimento O consumo exagerado ultrapassa a quantia diária recomendada Comparação entre 5 marcas de salgados mais vendidas no Brasil Batatas Ruffles – campeã em calorias Pipoca de microondas: campeã gorduras trans Celso Cukier ( Instituto de Metabolismo e Nutrição); Claudia Malotti (pesquisadora do Labor3); José Carlos Reis (Engefood); Heloísa Padilha (RG Nutri); Ludmilla Eler (hospital Sírio-Libanês) e Monica Elias Jorge (USP)

29 PIG FATORES DE RISCO PRÉ-NATAIS DE HIPERINSULINISMO PIG GIG PT

30 PESO AO NASCER E SÍNDROME METABÓLICA NO ADULTO PESO AO NASCER E SÍNDROME METABÓLICA NO ADULTO Silveira, VMF & Horta, BL. Revista de Saúde Pública, (42)1, fev 2008 Metanálise de dados das bases Pubmed e Lilacs: (1966 a 2006, 224 estudos selecionados) Com exceção de 2 estudos, os demais revelaram associação inversa entre peso ao nascer e síndrome metabólica em relação a RN nascidos com peso normal BAIXO PESO AO NASCIMENTO AUMENTA O RISCO DE SM NA IDADE ADULTA

31 Modelos experimentais em animais: doenças renais e cardio-vasculares resposta fetal adaptativa às condições adversas pré-natais. Norma B et al. Advances in Chronic Kidney Disease 2008 (15) no 2, Os RN GIG filhos de mães diabéticas também estão predispostos à obesidade e resistência insulínica durante a infância efeito deletério do ambiente diabetogênico intra-uterino. O mesmo pode ocorrer em filhos de mães com GTT alterado. Charles MA. Ann Endocrinol (Paris), 2005

32 TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA REDUÇÃO DE PESO PLANO ALIMENTAR EXERCÍCIOS FÍSICOS Redução da CA Melhora da sensibilidade à insulina Redução da glicemia Redução da PA TG HDL-col NÃO MEDICAMENTOSO – PRIMEIRA ESCOLHA

33 Perda de peso sustentável de 5 a 10% do peso inicial Obesos: redução de 500 a 1000 Kcal GET/dia Perda de 1 a 2 Kg/mês IMC < p95 2 a 4 anos: ganhar < 1 Kg/ 2 cm de crescimento linear > 4 anos: manter peso durante o crescimento linear TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA NÃO MEDICAMENTOSO – PRIMEIRA ESCOLHA

34 TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA DIETA Carboidratos: 50 a 60% das calorias totais (CT) Modelo DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) Preferência para hortaliças, leguminosas, grãos integrais e frutas Fibras: 20 a 30 g/dia Alimentos integrais Gorduras: Total: 25 a 35% das calorias totais AGS: < 10% das CT AGPI: até 10% CT (ômega 3: peixes) AGMI: até 20% CT (azeite de oliva – dieta do Mediterrâneo) Colesterol: < 300 mg/dia Proteínas: 0,8 a 1,0 g/kg peso/ dia ou 15% CT

35 TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA EXERCÍCIO FÍSICO 30 A 60 MINUTOS TODOS OS DIAS DA SEMANA (melhora da função endotelial, melhora da sensibilidade insulínica) ESTILO DE VIDA TV, video-games, computador Cada hora de TV/dia em 2% a probabilidade de sobrepeso CONTROLE DA PA Acima do p95 por mais de 6 meses de tto conservador farmacológico (Task Force)

36 TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA Crianças e adolescentes: TG mg/dl dieta TG mg/dl centro de referência TG 1000 mg/dl fibratos ou niacina em > 10 anos Estatinas: pravastatina e atorvastatina LDL > 190 mg/dl (sem fator de risco) LDL > 160 mg/dl (com fator de risco) Ácidos graxos ômega a 8 g/dia

37 TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DA OBESIDADE SIBUTRAMINA (> 16 ANOS) Promove saciedade e aumenta o gasto energético ORLISTAT (> 12 ANOS) – USA Inibidor da lipase intestinal, absorção de gorduras (TG) Associar a polivitamínico

38 TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA TRATAMENTO DA RESITÊNCIA INSULÍNICA Glicemia casual > 200 mg/dl Glicemia de jejum > 126 mg/dl Manutenção de Hb glicada < 7% DROGA DE ESCOLHA: METFORMINA

39 TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA CIRURGIA BARIÁTRICA Bypass gástrico com Y de Roux Banda gástrica ajustável CFM E MINISTÉRIO DA SAÚDE Obesidade grave e IMC > 40Kg/m 2 Obesidade moderada, IMC > 35Kg/m 2 + Comorbidades: DM II, dislipidemia, HA, hérnias, apnéia do sono Adolescentes obesos: 95% da estatura final e falha na perda de peso em 6 meses

40 200 obesos 30% com SM Ambulatório de HA (Nefrologia, Cardiologia, Herbiatria) Estudo comparativo entre o uso de sibutramina e metformina em relação à redução de peso e melhora da sensibilidade à insulina: 27 pacientes com IMC >p95 com RI / idade média 14,3 anos Metformina 1g/dia n=14 Sibutramina 10 mg/dia n=13 IMC / CA / DXA / GTTo / glicemia e insulinemia Após 6 meses: Perda ponderal > 7% no grupo sibutramina (35,7%) Em ambos houve melhora da sensibilidade insulínica Dr Luis Felipe Ribeiro Dra Cristiane Kochi Dr Luis Eduardo Calliari Dr Carlos Alberto Longui Serviço de Endocrinologia Pediátrica da SCMSP

41 Vera Lucia Perino Barbosa Efeitos de um Programa Interdisciplinar de Curto Prazo na Composição Corporal e na Aptidão Física em Crianças e Adolescentes Obesos e com Sobrepeso. Tese apresentada ao curso de Pós-Graduação em Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, nível de Doutorado para exame geral de qualificação. Área de Concentração: Ciências da Saúde Orientador: Prof. Dr. Osmar Monte São Paulo-2008

42 Exercícios Nutrição Psicologia Crianças Adolescentes Mudanças na dietaEstilo de vida Mudança de comportamento Família Nemet et al., 2005; Golan, Crow, 2004 Programa de Intervenção N= 214 GE 70 F (12,1a) 42 M GC 57 F (12 a) 45 M

43 alimentação mais saudável e equilibrada Mudanças na Família Sabia et al 2004; Golan, Crow 2004 Família Sensibilizar Educar Informar mudança de hábitos e comportamentos reuniões

44 Exercícios Físicos GE Tabela de Borg ( FC 55 a 65%) – Percepção do esforço

45 Após intervenção: Melhora nos parâmetros antropométricos no grupo com excesso de peso Melhora de todos os índices de aptidão física em ambos os grupos

46 Pequenas mudanças - Grandes resultados

47 SÍNDROME METABÓLICA PREVENÇÃO SAÚDE PÚBLICA ESCOLAS FAMÍLIA MULTIDISCIPLINARIDADE

48 OBRIGADA !! Nefrologia Pediátrica Dra Taís H Mastrocinque Cardiologia Pediátrica Dra Liane H Catani Herbiatria Dra Lucimar A Françoso Dra Geni Worcman Beznos

49

50 CRITÉRIOS - ADULTOS Presença de pelo menos 3 dos seguintes componentes: Circunferência abdominal > 102 cm (homens); : monitorizar ( 90)** > 88 cm (mulheres); 80 – 88: monitorizar ( 80)** Triglicerídeos > 150 mg/dl HDL colesterol < 40 mg/dl e 50 mg/dl Pressão arterial 130/85 mmHg Glicemia de jejum 110 mg/dl (100)* Obs.: a presença de diabetes mellitus não exclui o diagnóstico National Cholesterol Education Programs Adult Treatment Panel III (NCEP-ATP III) *2003 ADA IFG Criteria (Diabetes Care) ** IDF (Ethnic South and Central Americans)

51 CRITÉRIOS - CRIANÇAS Outros estudos utilizam para crianças percentis de IMC ou CA, PA, perfil lipídico e insulinemia como referência De Ferranti et al, NHANES Srinivasan et al, Bogalusa Weiss et al, Cincinnati

52 O Estudo de Bogalusa de lesões ateroscleróticas de aorta e coronárias em indivíduos de 6 a 30 anos falecidos por diferentes causas demonstrou através de histologia e microscopia eletrônica, infiltração de macrófagos na parede das coronárias precedendo a deposição de lípides intra-celular precocemente na infância. Am J Cardiol 1992; 70: American Heart Associations Scientific Sessions, nov 2008 New Orleans: Estudo de placas de gordura em 70 crianças obesas, média de 13 anos através da medida ultrassonográfica da espessura da parede carotídea revelando espessamento e introduzindo o conceito de idade vascular. (Geetha Raghuveer, Kansas City School of Medicine) Reuters

53 SÍNDROME METABÓLICA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA- CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL J Ped (Rio J.) 83(2), 2007 De Almeida e col. Avaliados 624 indvíduos entre 7 e 18 anos de duas escolas públicas Insulinemia, glicemia, leptina e colesterol total. Avaliados peso, estatura e cicunferência abdominal e montadas tabelas de contingência e avaliada presença ou ausência de de CA de acordo com as tabelas de Freedman (p90) e Taylor (p80). A tabela de Taylor é melhor do ponto de vista de triagem A tabela de Freedman é mais adequada para estudos clínicos pela maior especificidade

54 Selected percentiles of waist circumference by race, sex, and age American Journal of Clinical Nutrition, Vol. 69, No. 2, , February 1999 Relation of circumferences and skinfold thicknesses to lipid and insulin concentrations in children and adolescents: the Bogalusa Heart Study1–3 David S Freedman, Mary K Serdula, Sathanur R Srinivasan, and Gerald S Berenson Freedman

55 Am J Clin Nutr 2000;72:490–5. Printed in USA. © 2000 American Society for Clinical Nutrition Evaluation of waist circumference, waist-to-hip ratio, and the conicity index as screening tools for high trunk fat mass, as measured by dual-energy X-ray absorptiometry, in children aged 3–19 y1–3.Rachael W Taylor, Ianthe E Jones, Sheila M Williams, and Ailsa Goulding Suggested cutoffs for identifying high trunk fat mass and waist circumference in growing children Taylor

56 Fatores inflamatórios Adipocitocinas Cortisol Estresse oxidativo Fatores vasculares Hereditariedade Estilo de vida OBESIDADE GRAVE (IMC > p97) ACANTOSE NIGRICANS AUMENTO DE CA HIPERTENSÃO OBESIDADE FATORES RELACIONADOS À SÍNDROME METABÓLICA PRESSUPÕE PRESENÇA DE OBESIDADE VISCERAL E RESISTÊNCIA INSULÍNICA

57 OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA DADOS ESTATÍSTICOS Calcaterra et al: 191 crianças e adolescentes obesas caucasianas Prevalência total de SM: 13,9% Em moderadamente obesos: 12% Obesos graves: 31,1% SM correlação positiva com de IMC (p<0,001) Clinical Endocrinology (2008) 68, (Pavia, Italia) Weiss et al: 4 e 19 anos: 439 obesos 31 com sobrepeso e 21 com IMC normal. SM: 38,7% dos moderadamente obesos; 49,7% dos obesos graves N Engl L Med 2004,350: (Israel)

58 HIPERTENSÃO ARTERIAL E OBESIDADE Giacchetti G et al: Int J Obes Relat Metab Disord: 2000 jun; 24 (2): S142-3, Italy Maior expressão de RNAm do AGT no tecido adiposo visceral que subcutâneo com correlação + com IMC AGT pode ser determinante da distribuição de gordura e pode estar envolvido na síndrome plurimetabólica / obesidade centrípeta

59 HIPERTENSÃO ARTERIAL E OBESIDADE Flynn JT; Alderman MH: Pediatr Nephrol 2005; 20 (7): , Bronx NY 70 crianças hipertensas (13,3 +/-4 anos) Afastado HA secundária 62,9 % HA sistólica 86,2% história familiar 52,9% obesos (IMC p 95) IMC: correlação + com CT e TG 24% com hipertrofia de VE CONCLUSÕES: Em crianças obesas a hiperlipidemia acompanha a HA primária Hipertrofia de VE é comum

60 O PROBLEMA DA OBESIDADE O PROBLEMA DA OBESIDADE Pesquisa do Ministério da Saúde: Auditório da Organização Panamericanade Saúde (OPAS) Junho de 2008 Pesquisa de Monitorização da Propaganda de Alimentos Visando a Prática Da Alimentação Saudável horas de televisão peças publicitárias PREDOMINAM PROPAGANDAS DE ALIMENTOS COM ALTO TEOR DE GORDURAS, SAL E AÇÚCAR

61 Modelos experimentais em animais: doenças renais e cardio-vasculares resposta fetal adaptativa às condições adversas pré-natais. Stocker C et al. Proc Nutr Soc may; 64(2): , United Kingdom Norma B et al. Advances in Chronic Kidney Disease 2008 (15) no 2, Relação entre retardo de crescimento intra-uterino e maior suscetibilidade a resistência insulínica (RI), obesidade visceral, DM tipo II (SM do adulto) Modelo em ratas: Prole de ratas submetidas a restrição proteica e nascidos com baixo peso desenvolvem RI, obesidade e HA quando submetidos a dieta palatável Maior exposição a glicocorticóides no final da gestação RI Atividade de 11beta-HSD tipo II placentária

62 TRATAMENTO DA SÍNDROME METABÓLICA Metas lipídicas propostas para prevenção de doença aterosclerótica Baixo Risco Médio Risco Alto Risco R Muito Alto LDL-C < 160* < 130 < 100** < 100 < 70** HDL-C > 40 > 45 se DM > 40 > 45 se DM TG < 150 * Valor tolerado, recomenda-se < 130 de acordo com III Diretrizes Brasileiras de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose; ** valor opcional baseado na atualização do ATP III

63

64 HISTÓRIA NATURAL DA ATEROSCLEROSE INFARTO AVC GANGRENA ANEURISMA ESTRIAS DE GORDURA DE LÍPIDES SURGEM CÁPSULAS FIBRO MUSCULARES PLACAS FIBROSAS CALCIFICAÇÃO HEMORRAGIA ULCERAÇÃO TROMBOSE HORIZONTE CLÍNICO IDADE EM ANOS Estudo de Bogalusa. Am J Cardiol 1992; 70:

65

66 obesidade resitência à insulina obesidade visceral adipocitocinas inflamação stress oxidativo anormalidades vasculares cortisol Síndrome Metabólica obesidade visceral dislipidemia hipertensão hiperglicemia doença vascular ateromatosa DM II ETNIAGENÉTICA ESQUEMA REPRESENTATIVO DOS COMPONENTES DA SM Steinberg et al. Metabolic Syndrome in Children and Adolescents Circulation, fev 2009

67 Fluxograma do Grupo Experimental Recrutamento e Pedidos de Exames Laboratoriais na Santa Casa Avaliação clinica, avaliação da maturação, idade, etnia, sexo, prevalência de obesidade e sobrepeso Intervenção para promoção de saúde. Coleta de dados final Psicologia: Dinâmica de grupo semanal. Nutrição: Aulas teóricas. Aulas na cozinha experimental. (Semanal) Reunião com Equipe Interdisciplinar: Grupo Focal - Pais. (Mensal) Exercícios físicos: 3 vezes na semana (duração 2:00 hs) 3, 4,5 e 6 semanas: Fase Intermediária – exercícios de baixa intensidade 1 e 2 semanas: Fase de Adaptação anatômica 7 semana : Fase de recuperação – Retorno ao início do programa 8, 9,10,11 e 12 semanas: exercícios de intensidade moderada Coleta de dados iniciais: Antropometria (Peso, Estatura e Circunferências ), Composição corporal (DEXA), Dobras Cutâneas, Neuromotores (Agilidade, Flexibilidade, Abdominais, Força de membros superiores e inferiores), Ultrassom, Questionários (Nutrição e Atividade Física).


Carregar ppt "Dra Taís Helena Mastrocinque Dep de Pediatria e Puericultura Santa Casa de São Paulo - Nefrologia Pediátrica."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google