A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SANTUÁRIO DE APARECIDA 1. O que é uma Conferência Geral do Episcopado? 1.1 Precedentes: Colegialidade e comunhão dos bispos da América Latina e do.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SANTUÁRIO DE APARECIDA 1. O que é uma Conferência Geral do Episcopado? 1.1 Precedentes: Colegialidade e comunhão dos bispos da América Latina e do."— Transcrição da apresentação:

1

2 SANTUÁRIO DE APARECIDA

3

4 1. O que é uma Conferência Geral do Episcopado? 1.1 Precedentes: Colegialidade e comunhão dos bispos da América Latina e do Caribe: Colégio Pio Latino-Americano (Roma 1858) Concílio Plenário Latino-Americano (Roma 1899) Conferências Episcopais (princípios de 1900)

5 1.2 O que é uma Conferência Geral do Episcopado É uma reunião do Episcopado Latino-Americano e do Caribe convocada pelo Santo Padre para: a)Refletir sobre a realidade do Continente e suas questões comuns: b)Em oração discernir nela o que Deus quer; c)Ajudar-se mutuamente com orientações comuns e apoios solidários. É um momento de Cenáculo: Atos 1,12-14; 2,1-4

6 1.3 O que é uma Conferência Geral do Episcopado? Os agentes principais da CCGG Os principais agentes são as próprias CCEE convocadas pelo Santo Padre. Por isso, são as próprias CCEE as que implementam o processo antes-durante-depois em suas jurisdições. Propõem comissões para levar adiante a participação e contribuição de todas as Igrejas particulares, e entregam suas contribuições ao CELAM.

7 A serviço das CCEE está o CELAM em estreita colaboração com a Santa Sé, COORDENANDO E ANIMANDO os objetivos da CG oferecendo subsídios comuns a todas. No CELAM o último responsável é a própria Presidência acompanhada da Comissão Central e outras comissões ad hoc.

8 1.4 – Quantas CCEE tivemos? I.Rio de janeiro (1955) II. II.Medellín (1968) III. III.Puebla (1979) IV. IV.Santo Domingo (1992)

9 2. Metodologia das Conferências Gerais Pedido elaborado pelos bispos ao Papa da época: Rio de Janeiro ao Papa Pio XII; Medellín ao Papa Paulo VI; Puebla ao Paulo VI; Santo Domingo ao Papa João Paulo II; Aparecida ao Papa Bento XVI

10 2. Metodologia das Conferências Gerais Forma de Preparação: Rio de Janeiro: As CE apresentaram seus relatórios Na CG se conheceram e discutiram Não havia intenção de elaborar documento conclusivo Ao final se fez uma publicação no Vaticano com caráter pro-manuscrito, para uso privado dos participantes.

11 2. Metodologia das Conferências Forma de preparação: Medellín (1968) As temáticas foram preparadas pela equipe teológica do CELAM; Na CG os bispos discutiram as matérias apresentadas pelos perito no documento de trabalho; Se debateu para elaborar o documento conclusivo; Publicaram-se as conclusões.

12 2. Metodologia das Conferências Forma de preparação: Puebla (1978): As temáticas foram preparadas pela equipe de teólogos do CELAM. Elaboraram o Documento de Consulta; Mudança fundamental da Metodologia: O Documento de Consulta foi discutido e enriquecido nas bases. Das contribuições se fez um Documento de trabalho, que é o que se usou na Conferência; O Documento de trabalho das temáticas que se debateram, elaborou o documento conclusivo; Publicaram-se as conclusões

13 2. Metodologia das Conferências Forma de preparação: Santo Domingo (1992): As temáticas foram preparadas pela equipe teológica do CELAM. Elaborou-se o Documento de Consulta; O Documento de Consulta foi discutido e enriquecido nas bases. Foi elaborado um documento parcial que se submeteu de novo a consulta. Ao final se fez um Documento de Trabalho; Publicou-se as conclusões.

14

15 3. V Conferência Geral: 2007 Por que razão? 3.1 Uma mudança de época; 3.2 Nova situação da Igreja na nova sociedade; 3.3 Nova situação interna da Igreja; 3.4 Nova estratégia.

16 Sinais dos tempos a) o que não foi mudado b) o que mudou a globalização 3.1 Mudança de Época

17 CULTURA PLURALISMO RELIGIOSO DEMOCRACIA E PLURALISMO POLÍTICO A SOCIEDADE CIVIL

18 Mudanças culturais Secularismo Relativismo ético Mercado de símbolos Identidades homem-mulher-família … Democracia e pluralismo político A secularização Laicismo Crises e desencanto Falta de formação cívica …

19 Pluralismo religioso Pluralismo religioso Base católica corroida Alternativas religiosas Êxodo de católicos e causas … A sociedade civil A sociedade civil Rede de organizações Distâncias com a Igreja Poucas mudanças Tarefa: voltar a criar espaços

20 Situação interna da Igreja Nova vitalidade Santidade Comunhão Movimentos e comunidades Transparência Solidaridade Evangelização Serviços pastorais Meios de Comunicação Social Educação …

21 4. V CONFERÊNCIA GERAL: 2007 Seu itinerário Uma reunião episcopal e um processo eclesial Objetivos Núcleo temático Programa e subsídios

22 Objetivo geral da reunião episcopal: Refletir, orar e discernir no hoje da A-L+C, para formular orientações pastorais em comunhão com o Santo Padre para a Igreja e seu serviço ao mundo. Objetivo específico: Observar com espírito de fé, os procedimentos essenciais do mundo em que peregrina hoje a Igreja da A-L + C; Iluminação pelo Evangelho e do rico magistério pontifício diante destas novas causas; Discernimento de orientações pastorais para a atuação da Igreja neste contexto.

23 Objetivo Geral do processo eclesial que se está iniciando: Fazer da Igreja da A-L+C um povo de discípulos e missionários de Jesus Cristo com consciência de missão e ação (responsabilidade transformadora) no mundo. Objetivos específicos : a)Colocar na vida de cada católico sua condição de discípulo e missionário – vínculo pessoal e seguimento de JC – e pedagogia pastoral correspondente: b)Despertar neste Povo de Discípulos para uma participação missionária lúcida e responsável na missão da Igreja solidária e transformadora de seu mundo em coerência com o Evangelho de JC; c)Amadurecer sua espontaneidade mariana ao nível de Maria, Mãe e Modelo de Discípulos e Missionários.

24 Discípulos e missionários de JC para que nele nossos povos tenham vida Eu sou o caminho, a verdade e a vida (Jo 14,6) Núcleo Temático: Entregue pelo Papa Bento XVI no dia 07 de julho de 2005

25 DP – Documento de Participação Sua lógica: Parte-se de um sujeito católico Que olha a Igreja nas suas riquezas e nas suas carências (VER) No início do III milênio: uma mudança de época marcada pela globalização que, junto a outras carências de nossos povos e da própria Igreja, traçam grandes desafios. A mudança diz respeito agora à natureza da cultura contemporânea (VER) Exige que a Igreja forme discípulos e missionários que usufruam dos grandes exemplos de seus santos. Para que nossos povos tenham vida nele, vida natural e sobrenatural (atuar).

26 0. Introdução I.O anseio de felicidade, de verdade, de fraternidade e de paz a)Um anseio universal b)À luz da revelação II.Desde a chegada do Evangelho vivemos nossa fé com gratidão a)Nossos povos receberam a benção do encontro com JC vivo b)Uma Igreja, viva, fermentada pela experiência da graça de Deus.

27 III.O início do 3º milênio a)Vivemos no meio das dores de parto de uma nova época; b)A globalização, um desafio para a Igreja; c)As esperanças e as tristezas de nossos povos nos desafiam d)Os católicos e a Igreja diante de outros desafios Fé, agnosticismo e a busca de Deus A presença da Igreja, suas luzes e sombras

28 IV. IV.Discípulos e missionários de JC a) a)Pelo encontro com JC; b) b)Discípulos de JC; c) c)Discípulos em comunhão eclesial; d) d)Discípulo para a missão. V. V.Para que nossos povos tenham vida Anexo I – Santos discípulos e missionários Anexo II – Conteúdos e métodos de uma missão.

29 Processo Eclesial Processo Episcopal Missão continental Participação em a 31 - maio de

30 2. A programação Preparação Outubro 2005 a Novembro de 2006 Realização Maio de 2007 Projeção Maio 2007 a (2011) Início na XXX Assem-bléia Ord – Lima (março 2005) Seguem nas CCEE e Igrejas Particulares Subsídio: DP Antes: Doc de Síntese Depois: Doc Final Nas CCEE e Igrejas Particulares (missão continental) Participação, Identificação e adesão Discernimento e Plano Impulso e ação (plano global ) Teologia Pastoral: Pós-ressurreição CenáculoEnvio em Missão

31 6. Subsídios A.Sinal corporativo (acompanha todas as etapas do processo) Uma logo Um tema Uma oração Cânticos

32 B. Eventos e gestos comunicacional: a)Encontros de Movimentos Eclesiais e Novas Comunidades. Em Bogotá (PCL + CELAM), março de 2006 b)Congresso de teologia-pastoral mariana na cidade do México (CELAM), setembro de 2006 c)A V Conferência Geral em Aparecida – Brasil (CELAM), 13 a 31 de maio de 2007 d)Congresso Missionário de A-L em Quito, 2007 (OMP + COMLA + CELAM)

33 C. Estudos contextualizados da parte do CELAM i.Bíblico: sobre o discipulado ii.Foco de observação: AL: sociedade em mudança Católicos e políticos: uma identidade em tensão Seitas iii.Seminários especializados: Sobre o presbiterato (março 2006) Leigos construtores da sociedade: em postos de decisão (setembro 2006) Leigos construtores da sociedade: cultura e animação (setembro 2006) Articuladores de opinião pública (setembro 2006) iv.Históricos

34 7. Fontes de informação Setor de imprensa do CELAM Portal da V CG no CELAM: RIIAL (PCCS) Organismos Nacionais de Comunicação das CCEE Organismos Diocesanos (departamentos e secretariados) Setor de imprensa diocesano Meios de comunicação (eclesiais e laicos)

35 PROCESSO DE PARTICIPAÇÃO DOCUMENTO DE PARTICIPAÇÃO PARÓQUIAS GRUPOS MOVIMENTOS INSTITUIÇÕES OUTROS O PROCESSO DE PARTICIPAÇÃO IMPLICA NA PROPOSTA DE CONTRIBUIÇÃO POR PARTE DE TODOS OS NÍVEIS DA IGREJA. ESTA ETAPA CULMINARÁ EM NOVEMBRO DE CONFERÊNCIASEPISCOPAIS ORGANISMOS LATINO AMERICANOSBISPADOS

36 PROCESSO DE PARTICIPAÇÃO ESQUEMA PARA O ENVIO DAS CONTRIBUIÇÕES PARÓQUIASGRUPOSMOVIMENTOSINSTITUIÇÕESOUTROS BISPADOS SECRETARIADOS DEPARTAMENTOS DEPARTAMENTOS CONFERÊNCIASEPISCOPAIS CELAM NOVEMBRO DE 2006 O CELAM RECEBERÁ AS CONTRIBUIÇÕES DAS CONFERÊNCIAS EPISCOPAIS MEDIANTE UM MECANISMO ELETRÔNICO QUE SERÁ CHAMADO DE SISTEMA DE PARTICIPAÇÃO ONLINE – SPOL.

37 O BRASIL TEM UM PASSO INTERMEDIÁRIO: OS REGIONAIS DIOCESES - ARQUIDIOCESES PARÓQUIAS, GRUPOS, MOVIMENTOS, INSTITUIÇÕES, ETC.

38

39

40

41

42 Oração para a V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e Caribenho Senhor Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida, rosto humano de Deus e rosto divino do homem, acendei em nossos corações o amor ao Pai que está no céu e a alegria de sermos cristãos. Vinde ao nosso encontro e guiai nossos passos para seguir-vos e amar-vos na comunhão de vossa Igreja, celebrando e vivendo o dom da Eucaristia, carregando nossa cruz, e ungidos por vosso envio. Dai-nos sempre o fogo de vosso Santo Espírito, que ilumine nossas mentes e desperte entre nós o desejo de contemplar-vos, o amor aos irmãos, sobretudo aos aflitos, e o ardor por anunciar-vos no início deste século. Discípulos e missionários vossos, queremos remar mar adentro, para que nossos povos tenham em Vós vida abundante, e com solidariedade construam a fraternidade e a paz. Senhor Jesus, Vinde e enviai-nos! Maria, Mãe da Igreja, rogai por nós. Amém. BENTO PP. XVI


Carregar ppt "SANTUÁRIO DE APARECIDA 1. O que é uma Conferência Geral do Episcopado? 1.1 Precedentes: Colegialidade e comunhão dos bispos da América Latina e do."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google