A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 ENCONTRO ANUAL DOS TRABALHADORES DE REUNIÃO MEDIÚNICA DO CEIR 05 DE JUNHO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 ENCONTRO ANUAL DOS TRABALHADORES DE REUNIÃO MEDIÚNICA DO CEIR 05 DE JUNHO."— Transcrição da apresentação:

1 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 ENCONTRO ANUAL DOS TRABALHADORES DE REUNIÃO MEDIÚNICA DO CEIR 05 DE JUNHO DE 2011 DOMINGO 8:30 AS 12:30 HORAS

2 Programação 8:30 a 8:40: Página e prece 8:40 a 8:50: Objetivos do encontro e apresentação geral 8:50 a 9:30: Avaliação / Sugestões / Qualificação 9:30 a 10:00: Intervalo 10:00 a 12:30: Conversando sobre a apostila Reunião Mediúnica – Antes, durante e depois. (Daniel / Robertta / Marcos / Hugo / Kleber / Vera)

3 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 AVALIAÇÃO / SUGESTÕES / QUALIFICAÇÃO Expositor: Alberto

4 Avaliação / sugestões / qualificação Por que atualizar a prática mediúnica? Melhorar a qualidade da prática mediúnica Oferecer melhores condições aos benfeitores Fazia-se (faz-se) errado? Não!!! Práticas antigas. Resultados positivos; muita caridade Queremos mudar? Se podemos melhorar, por que não melhorar?

5 Avaliação / sugestões / qualificação Como eram (são) nossas reuniões? Abertas ao público Dar a mão Comunicações induzidas 1 comunicação de cada vez Dirigente único Sem passe Sem avaliação Pouco estudo

6 Avaliação / sugestões / qualificação Propostas apresentadas / implementadas: Reunião privativa Dar a mão Atendimento fraterno Comunicações espontâneas Até 2 comunicações simultâneas Vários esclarecedores / dirigentes Passe Avaliação Intensificar estudo

7 Avaliação / sugestões / qualificação Avanços alcançados: Fechamento do portão Mudança para segundo andar Sala privativa Novos grupos Ajuste na reunião de sábado Estudo teórico da mediunidade

8 Avaliação / sugestões / qualificação Próximos passos: Mudança da sala mediúnica Visita aos demais grupos (2ª e 5ª) Novo grupo de educação da mediunidade Sugestões?

9 Avaliação / sugestões / qualificação Qualificação de hoje: Miguel Tavares de Gouveia Apostila: prática, concisa, objetiva Referências bibliográficas Leitura prévia O regimento interno Os expositores A dinâmica das exposições

10 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 INTERVALO

11 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 REUNIÃO MEDIÚNICA INTRODUÇÃO A REUNIÃO MEDIÚNICA NÃO É UM TRABALHO UNILATERAL Expositor: Daniel

12 Introdução Allan Kardec utilizou-se das reuniões mediúnicas não só para receber instruções doutrinárias, mas também para assistir aos Espíritos sofredores e aqueles transviados do bem. Na mesma época da Codificação, houve questionamento da validade daquele procedimento. O intercâmbio mediúnico deveria se limitar apenas às comunicações dos Espíritos superiores para nos instruírem. Qual seria o verdadeiro objetivo da Reunião mediúnica?

13 Introdução Não poderiam os Benfeitores espirituais realizarem a assistência aos desencarnados necessitados na própria Espiritualidade, sem utilizar o concurso dos médiuns, isto é, do elemento encarnado? R: Existem situações em que há realmente necessidade da participação dos colaboradores encarnados: Espíritos ligados à materialidade; o contato das forças magnéticas dos encarnados; o problema da linguagem dos Benfeitores Espirituais. O Codificador reagiu, de imediato, a tal argumentação, inserindo no LM item 281 oseguinte esclarecimento: Existem vantagens no contato com os espíritos sofredores.

14 A reunião mediúnica não é um trabalho unilateral Pelo exposto, podemos compreender que uma reunião mediúnica não é um trabalho unilateral, ao contrário, significa a participação conjugada dos encarnados e dos Benfeitores espirituais. O rendimento da reunião, portanto, depende do trabalho, tanto de um como do outro. Não podemos esperar que os espíritos façam tudo por nós. Na realidade, segundo informações dos Espíritos, nas atividades espirituais, entram em jogo três tipos de energias: a dos Benfeitores espirituais, a do elemento encarnado (os participantes da reunião) e aquelas tomadas da natureza.

15 Que influencia exercem as energias nas reuniões mediúnicas? Benfeitores Espirituais – fluidos superiores e sutis. Natureza - são fluidos energéticos não causam problemas. Encarnados - podem conter propriedades malsãs influenciando decisivamente no resultado das reuniões. O tarefeiro deve ser a solução e não o problema. Todas estas energias imprimem uma dinâmica própria nas reuniões, sendo elas manipuladas pela Espiritualidade em benefício dos desencarnados. A reunião mediúnica não é um trabalho unilateral

16 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 PERGUNTAS

17 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 REUNIÃO MEDIÚNICA: ANTES DA REUNIÃO A DEVIDA PREPARAÇÃO DO TAREFEIRO A CHEGADA DOS MÉDIUNS NO AMBIENTE E O TIPO DE CONVERSAÇÃO ANTES DA REUNIÃO OS CUIDADOS NA ÁREA FISIOLÓGICA AS ATIVIDADES DOS BENFEITORES ANTES DA REUNIÃO Expositora: Robertta

18 A devida preparação do tarefeiro Imaginem-se os companheiros no lugar dos necessitados de socorro e compreenderão a responsabilidade que assumem. Cada componente do conjunto é peça importante do mecanismo de serviço. Todo grupo é instrumentação." Desobsessão - André Luiz – cap. 1

19 A chegada dos médiuns e o tipo de conversação Se somos impelidos a conversas, durante os momentos que precedem a atividade assistencial, seja a nossa palestra algo de bom e edificante que auxilie e pacifique o clima do recinto, ao invés de conturbá-lo." Desobsessão - André Luiz- cap. 12

20 Os cuidados na área fisiológica Ora se a espiritualidade realiza um esforço significativo para reforço e equilíbrio na área fisiológica, espera que o tarefeiro encarnado colabore evitando (...)." Apostila – pág. 16

21 As atividades dos benfeitores antes da reunião Tem uma preparação antecipada de até 40 hs, quando são trazidos os participantes desencarnados ou psiquicamente se faz a sincronia fluídica dos mesmos com os médiuns quando irão mediunizar. Nas Fronteiras da Loucura - Manoel Philomeno de Miranda- cap. 17

22 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 PERGUNTAS

23 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 Durante a Reunião REUNIÃO MEDIÚNICA

24 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 REUNIÃO MEDIÚNICA: DURANTE A REUNIÃO INTRODUÇÃO A MECÂNICA DA REUNIÃO MEDIÚNICA – 4 FASES FASE DA HARMONIZAÇÃO PREPARATÓRIA PRECE DE ABERTURA MANIFESTAÇÃO DOS ESPÍRITOS DESENCARNADOS MANIFESTAÇÃO COLETIVA DOS ESPÍRITOS GUIAS MANIFESTAÇÃO INICIAL DO MENTOR Expositor: Marcos

25 Introdução Orientação básica Universalidade do ensino dos espíritos Esclarecedor = Doutrinador Mediunizar = Incorporar Passividade – Sustentação Tamanho da equipe da reunião

26 Introdução "Sendo o recolhimento e a comunicação dos pensamentos as condições essenciais a toda reunião séria, fácil é de compreender-se que o número excessivo dos assistentes constitui uma das causas mais contrárias à homogeneidade"

27 Mecânica das Reuniões Fase de harmonização preparatória Manifestação dos espíritos Radiação e Passes Manifestação dos Mentores

28 Mecânica das Reuniões Fase de harmonização preparatória Importante enfatizar que a fase de harmonização preparatória tem a finalidade, não só de os companheiros se desencharcarem de resíduos fluídicos tóxicos e de sintonizarem-se previamente com os Benfeitores Espirituais, bem como dispor o ambiente à edificação moral, fazendo a integração vibratória do grupo, para o socorro fraterno a ser desenvolvido.

29 Mecânica das Reuniões Fase de harmonização preparatória -15 min -Prece de abertura Preferentemente, a prece não deve ser decorada; que o dirigente ore com suas próprias palavras, uma vez que doutrinariamente está no pensamento o poder da oração.

30 Mecânica das Reuniões Manifestação dos espíritos -Duração de 1 a 1,5 h -"Ocorre que, se condicionar, o início do trabalho a incorporações dos chamados Espíritos Guias, é criar um estado de animismo nos médiuns que, enquanto não ouçam as palavras sacramentais não se sentem inclinados a uma boa receptividade. Isto é criação nossa, não é da Doutrina Espírita". (Diretrizes de Segurança, q. 35)

31 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 PERGUNTAS

32 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 REUNIÃO MEDIÚNICA: DURANTE A REUNIÃO MANIFESTAÇÃO DOS ESPÍRITOS DESENCARNADOS – 2ª FASE O ESCLARECIMENTO A CONVERSAÇÃO INTERFERÊNCIA DO MENTOR ESPIRITUAL Expositor: Hugo

33 Tópicos a serem abordados O Esclarecimento / A Conversação A Interferência do Mentor Espiritual

34 O Esclarecimento / A Conversação A Interferência do Mentor Espiritual Tópicos a serem abordados

35 O Esclarecimento / A Conversação Diante deles, os desencarnados que sofrem, embora alguns não se dêem conta, coloca-te na posição de quem usa a terapêutica espiritual do amor em si mesmo. (...) Por isso, unge-te de compreensão e fala-lhes com a ternura de irmão e o respeito de amigo. O amor que lucila em ti e te apazigua, leni-los-á e o argumento sincero, sem floreios nem azedume, despertá-los-á. Joanna de Ângelis No Livro Leis Morais da Vida – Capítulo 60 (Terapêutica do Amor) Psicografia de Divaldo Pereira Franco

36 Objetivo do Esclarecimento Porque o termo Doutrinação? Os Espíritos Comunicantes O Diálogo (e não O Monólogo): Os Instantes Iniciais A Linguagem O Necessário Conhecer O Centro de Interesse do Espírito O Tempo Discussão / Debate? O uso da Linguagem Enérgica O Esclarecedor Eles apresentam o resultado da imprevidência e do desacato às soberanas leis do equilíbrio, ora colhidos pela dor que os amesquinha. Não se conscientizaram das responsabilidades que lhes repousavam sobre os ombros. Fugindo ao dever, derraparam pelas encostas sombrias da turbação íntima em que ainda se encontram. (...) Vêm em busca de auxílio. Joanna de Ângelis Todo conceito nobre ajudá-los-á. Todavia, permeia- te dos ensinos que lhes ministres. Incorpora-os ao comportamento cotidiano, não apenas porque te ajudarão a ascender e libertar-te das paixões, como porque os teus ouvintes te acompanharão a verificarem se apenas falas, ou se vives as disciplinas que ministras, lutando contra as imperfeições que profligas. Em última análise, quem se faz instrutor deve valorizar o ensino, aplicando-o em si próprio. As palavras repassadas de lealdade, que fluem da fonte inexaurível da experiência pessoal, possuem cativante, envolvente magnetismo que lhes atesta a excelência. Joanna de Ângelis (...) A tua preocupação deve ser a de esclarecer e medicar a ulceração que lhe consigas identificar. Os resultados pertencerão ao Senhor. Nem vencer o interlocutor, nem mesmo convencê- lo, antes socorrê-lo, deve ser a inspiração que te emule ao diálogo. Joanna de Ângelis Evita a astúcia do sofisma pelo jogo das palavras. Não te encontras numa pugna verbal, da qual devas sair vencedor. Não aparentes uma posição superior, conselheiral, rebuscada, autoritária ou excessivamente piedosa, simulada, com rasgos de uma emoção que não sintas. Sê, então, autêntico, no sentido positivo. O bem é simples e a sua linguagem singela dispensa as pesadas bagagens da aparência. Joanna de Ângelis O Esclarecimento / A Conversação

37 Formação doutrinária muito sólida, com apoio insubstituível nos livros da Codificação Kardequiana Familiaridade com o Evangelho de Jesus Autoridade Moral Fé Amor Paciência Sensibilidade Tato Energia Vigilância Humildade Destemor Prudência Aptidões BásicasDesejáveis e Importantes Hermínio C. Miranda No Livro Diálogo com as Sombras, página 91 O Esclarecimento / A Conversação

38 A Interferência do Mentor Espiritual Tópicos a serem abordados

39 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 PERGUNTAS

40 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 CONVERSAÇÕES MARGINAIS A REVELAÇÃO DE QUE JÁ DESENCARNOU COOPERAÇÃO MENTAL DO GRUPO PRECEITOS DE ESPONTANEIDADE REUNIÃO MEDIÚNICA: DURANTE A REUNIÃO MANIFESTAÇÃO DOS ESPÍRITOS DESENCARNADOS – 2ª FASE Expositor: Kleber

41 Conversações Marginais Caso excepcional Provocação do comunicante Esclarecedor: equilíbrio + energia evangélica

42 A revelação de que já desencarnou Livro E a Vida Continua – A.Luiz Livro Diretrizes de Segurança - Divaldo Requisitos: habilidade + carinho Envolvimento + consolo + esclarecimento

43 Cooperação mental do grupo Pensamento elevado e na reunião Evitar dúvidas e atitudes suspeitosas Apoio vibratório: simpatia + solidariedade Evitar pensamentos de crítica, censura, ironia Dirigente: apelo à cooperação do grupo Os Mensageiros = instabilidade pensamentos = displicência mental

44 A dificuldade de concentração: 2. Condicionamentos psíquicos = automatismos 4. Sementeira da Fraternidade = A concentração deve ser um estado habitual da mente em Cristo e não uma situação passageira junto ao Cristo. 1. Criar hábito de pensamentos positivos = dieta mental / meditação 3. Os Mensageiros= Boa concentração exige vida reta! Cooperação mental do grupo

45 Preceitos de espontaneidade Espontaneidade = preceito doutrinário Evitar interferência no planejamento espiritual Facilidade comunicações = afinidade fluídica Médium: tendência obedecer esclarecedor / dirigente 1. Livro Mecanismos da Mediunidade 2. Indução: animismo

46 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 PERGUNTAS

47 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 EDUCAÇÃO MEDIÚNICA HIPNOSE CONSTRUTIVA ANIMISMO E MISTIFICAÇÃO COMUNICAÇÕES DE PERSONALIDADES CÉLEBRES QUANTIDADE DE COMUNICAÇÕES POR MÉDIUM REUNIÃO MEDIÚNICA: DURANTE A REUNIÃO MANIFESTAÇÃO DOS ESPÍRITOS DESENCARNADOS – 2ª FASE Expositora: Vera

48 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 COMUNICAÇÕES SIMULTÂNEAS LIMPEZA PSÍQUICA DO MÉDIUM MÉDIUM EM DÚVIDA HIATOS ENTRE AS COMUNICAÇÕES O PASSE NAS REUNIÕES MEDIÚNICAS ENCERRAMENTO DA 2ª PARTE DA REUNIÃO REUNIÃO MEDIÚNICA: DURANTE A REUNIÃO MANIFESTAÇÃO DOS ESPÍRITOS DESENCARNADOS – 2ª FASE

49 Educação mediúnica Enfermeiros e paciente O médium tem total controle Evitar: - descontrole das manifestações - manifestação após o encerramento

50 Hipnose construtiva Sonoterapia Projeção de quadros mentais Ministração de medicamentos

51 Animismo e mistificação Analisar: sem censura ou escândalo Esclarecer: com paciência e caridade

52 Comunicações de personalidades célebres Ponderação Bom senso Estudo

53 Quantidade de comunicações por médium 2 comunicações e o mentor Exceções: - reduzido nº de médiuns psicofônicos, - grande relevância Qualidade e não quantidade Razão da limitação

54 Comunicações simultâneas Até 2 comunicações Razão para a não simultaneidade Educação mediúnica: autodomínio, observação, estudo, vigilância

55 Limpeza psíquica do médium Comunicação do mentor Combinação fluídica Passe no médium Concentração e oração

56 Médium em dúvida ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? Observar a si mesmo Persistência e perseverança Entregar-se para a experiência ensinar a distinguir

57 Hiatos entre as comunicações Períodos longos e freqüentes entre as comunicações Causas: - precárias condições psíquicas dos médiuns ou - deficiente padrão vibratório do ambiente Providência: prece e apelo aos participantes

58 O passe nas reuniões mediúnicas Deve ser utilizado sem exagero Aplicados pelos sustentadores durante as comunicações Aconselha-se o passe: comunicante em sofrimento, aflição, lesões perispiríticas, para adormecer, dissolver ação hipnótica, desintegrar apetrechos fluídicos, facilitar a comunicação, facilitar ou provocar regressão de memória, exaustão do médium Prece

59 Encerramento da 2ª fase da reunião Finalizando a reunião A oração

60 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 PERGUNTAS

61 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 REUNIÃO MEDIÚNICA: DURANTE A REUNIÃO 3ª FASE DA REUNIÃO – RADIAÇÃO E PASSES Expositor: Daniel

62 Radiação e Passes Após dar por encerrada a 2ª parte (Manifestações dos Espíritos desencarnados), o dirigente rogará aos companheiros vibrações de tranqüilidade para os sofredores. Todos devem formar correntes mentais com as melhores idéias que sejam capazes de articular, podendo recorrer à prece silenciosa ou usar mentalização edificante. Devemos estar conscientes de que todo pensamento é onda criativa.

63 Radiação e Passes Os pensamentos de paz e fraternidade emitidos pelo grupo constituirão adequado clima de radiações benfazejas, facultando aos amigos espirituais presentes, recursos em forma de socorros urgentes; Logo que o conjunto entre em silêncio na ocasião das radiações, os médiuns passistas se deslocarão de seus lugares e, conquanto se conservem no trabalho íntimo nas ideações construtivas do apoio vibratório aos sofredores (radiação), atenderão aos passes, ministrando-os a todos os componentes do grupo.

64 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 REUNIÃO MEDIÚNICA: DURANTE A REUNIÃO 4ª FASE DA REUNIÃO – MANIFESTAÇÃO DOS MENTORES ESPIRITUAIS

65 Manifestação dos Mentores Espirituais Após a "Radiação e Passes", o dirigente solicitará de todos a continuidade da concentração mental, no aguardo da manifestação do Mentor Espiritual da reunião ou algum outro Instrutor desencarnado que deseje transmitir aviso ou anotação edificante para estudo e meditação. (Desobsessão, cap.54; Nas Fronteiras da Loucura, cap.18) Se for aconselhável, gravar a mensagem.

66 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 REUNIÃO MEDIÚNICA: DEPOIS DA REUNIÃO ESTUDO CONSTRUTIVO DAS PASSIVIDADES COMPORTAMENTO APÓS A REUNIÃO

67 Estudo construtivo das passividades Após a prece final com que se encerra a reunião, é interessante que o dirigente, médiuns e demais integrantes da equipe realizem estudo construtivo das passividades. Esse trabalho deve obedecer a rígida disciplina, deve ser objetivo, abstendo-se de comentários longos. Evitar, também, comentar ocorrências rotineiras (sem nenhuma utilidade para avaliação), bem como casos pessoais, enfim, tudo que não objetive instrução e orientação relevantes.

68 Comportamento Após a Reunião Após o término da reunião, todos deverão retirar-se imediatamente da sala, mantendo o pensamento elevado e sem provocar ruídos ou alaridos, afim de manter elevada a psicosfera em que demoram as Entidades em tratamento, considerando que, após o encerramento dos trabalhos no plano dos encarnados, o serviço de socorro e enfermagem prossegue na esfera espiritual.

69 Comportamento Após a Reunião A conversação estabelece imãs de atração e cria correntes mentais entre os comentaristas, devem ser evitadas, ao sair da sala de reunião, de volta à casa e no próprio lar, conversas ou referências a respeito das manifestações havidas na reunião. Os companheiros encarnados, após os trabalhos mediúnicos, se mantiverem o clima psíquico elevado, poderão, contribuir com a Espiritualidade Superior, ao serem desdobrados durante o sono de modo a participarem de atividades relevantes com a continuidade da própria reunião, no plano espiritual.

70 Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 PERGUNTAS


Carregar ppt "Título 1 Sub-Título 1 Título Principal Elaborado por: nome do autor Junho/2010 ENCONTRO ANUAL DOS TRABALHADORES DE REUNIÃO MEDIÚNICA DO CEIR 05 DE JUNHO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google