A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UMA NOVA CULTURA Durante muitos anos, fomos obrigados a ilustrar as nossas apresentações científicas com dados extrapolados dos países do Primeiro Mundo,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UMA NOVA CULTURA Durante muitos anos, fomos obrigados a ilustrar as nossas apresentações científicas com dados extrapolados dos países do Primeiro Mundo,"— Transcrição da apresentação:

1 UMA NOVA CULTURA Durante muitos anos, fomos obrigados a ilustrar as nossas apresentações científicas com dados extrapolados dos países do Primeiro Mundo, nem sempre condizentes com a nossa realidade. A indisponibilidade e o desconhecimento de nossas próprias informações epidemiológicas estimularam, por muitas décadas, essa prática comum. Hoje, no endereço eletrônico é possível o acesso a uma ampla base de dados do Ministério da Saúde, de onde derivam as informações aqui veiculadas. O registro atual, que traz as principais informações sobre Pneumonia Adquirida na Comunidade (PAC) e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), é uma iniciativa que visa criar uma nova cultura na Classe Médica Brasileira. Jorge L. Pereira-Silva Professor Adjunto Doutor da Faculdade de Medicina da UFBA. Presidente do Departamento de Imagem da SBPT. Page Down

2 TEXTO EXPLICATIVO REFERENTE AO SLIDE Nº 1
No período compreendido entre 1990 e 2002, registrou-se, no Brasil, um crescimento populacional de 21,2%, correspondendo a novos habitantes. Exceto na faixa etária dos 5 aos 9 anos, o crescimento foi global e mais expressivo na população adulta.

3 CRESCIMENTO POPULACIONAL NO BRASIL POR FAIXA ETÁRIA (1990 – 2002)
Faixa Etária (anos) 1990 2002 % <4 2,0 5 – 9 0,8 10 – 14 6,3 15 – 19 24,0 20 – 29 20,1 30 – 39 30,8 40 – 49 45,5 50 – 59 39,5 60 – 69 34,6 70 – 79 50,2  80 73,8 TOTAL 21,2 IBGE – Censos Demográficos e Contagem Populacional e MS/SE/DATASUS

4 TEXTO EXPLICATIVO REFERENTE AO SLIDE Nº 2
A população brasileira está mais longeva. Em números absolutos, contamos com habitantes com mais de 60 anos de idade, ou seja, cerca de 4,5 milhões a mais em relação ao que se registrou em 1990. Essa é uma faixa etária onde predominam os casos de DPOC e PAC, onde há maior número de comorbidades, onde se registram maiores taxas de internamentos e óbitos por essas duas enfermidades no Brasil.

5 Crescimento em valores absolutos (>60a):
CURVA DE CRESCIMENTO POPULACIONAL NO BRASIL CONFORME A FAIXA ETÁRIA ( ) Crescimento em valores absolutos (>60a): % Faixa etária IBGE – Censos Demográficos e Contagem Populacionaal e MS/SE/DATASUS

6 TEXTO EXPLICATIVO REFERENTE AO SLIDE Nº 3
Excetuando-se as condições relacionadas à gravidez, parto e puerpério, PAC é a principal causa de internações hospitalares no Brasil ( casos em 2002). A asma brônquica, a 3a causa, responsabilizou-se por internações, enquanto a DPOC foi a 4a causa ( ).

7 NÚMERO E CAUSAS DE INTERNAÇÕES NO BRASIL Janeiro a Dezembro de 2002
ENFERMIDADE n Gravidez, parto, puerpério Pneumonia Câncer Asma DPOC Diabetes AVC IAM 46.538 Ministério da Saúde – Sistema de Informações Hospitalares do SUS

8 TEXTO EXPLICATIVO REFERENTE AO SLIDE Nº 4
Em uma análise quantitativa, as internações por PAC, asma e DPOC superam, individualmente, aquelas causados por diabetes, doenças cerebrovasculares e infarto do miocárdio.

9 NÚMERO E CAUSAS DE INTERNAÇÕES NO BRASIL Janeiro a Dezembro de 2002
Pneumonia Câncer Asma DPOC Diabetes AVC IAM Gravidez, parto, puerpério: Ministério da Saúde – Sistema de Informações Hospitalares do SUS

10 TEXTO EXPLICATIVO REFERENTE AOS SLIDES Nos 5 e 6
Os coeficientes de morbidade por PAC registram 442,3/ habitantes, de internações em indivíduos menores de 1 ano, sofrendo um decréscimo na idade escolar e nos adultos jovens, voltando a crescer na maturidade.

11 COEFICIENTE DE INTERNAÇÕES POR PNEUMONIA NO BRASIL - 2002
FAIXA ETÁRIA INTERNAÇÕES POPULAÇÃO n/10.000 <1 442,3 1-4 168,3 5-9 64.909 38,1 10-14 31.867 17,9 15-19 26.424 14,3 20-29 45.758 14,8 30-39 41.216 15,8 40-49 39.780 20,1 50-59 40.616 31,6 60-69 43.368 51,7 70-79 46.890 101,3 80 38.936 207,8 Total 454,8 Fonte: IBGE – Censos Demográficos e Contagem Populacional e MS/SE/Datasus.

12 COEFICIENTE DE INTERNAÇÕES POR PNEUMONIA NO BRASIL
2002 n/10.000 < 80 Fonte: IBGE – Censos Demográficos e Contagem Populacional e MS/SE/Datasus.

13 TEXTO EXPLICATIVO REFERENTE AOS SLIDES Nos 7 e 8
Excetuando-se as mortes associadas a causas externas, PAC é a 4a causa de óbitos no Brasil (n= em 2000), depois das enfermidades cardiovasculares, neoplasias malignas e doenças cerebrovasculares.

14 PRINCIPAIS CAUSAS DE ÓBITOS NO BRASIL 2000
Coração Câncer Cerebrovasculares 84.688 Pneumonia 29.345 Externas Fonte: IBGE – Censos Demográficos e Contagem Populacional e MS/SE/Datasus.

15 PRINCIPAIS CAUSAS DE ÓBITOS NO BRASIL 2000
Fonte: IBGE – Censos Demográficos e Contagem Populacional e MS/SE/Datasus.

16 TEXTO EXPLICATIVO REFERENTE AOS SLIDES Nos 9 e 10
O coeficiente de mortalidade por PAC no Brasil obedece a um padrão semelhante ao da curva de morbidade: maior naqueles menores de 1 ano (93,6/ ), caindo na idade escolar e nos adultos jovens e sofrendo um aumento significativo dentre os idosos.

17 COEFICIENTE DE ÓBITOS POR PNEUMONIA NO BRASIL - 2000
FAIXA ETÁRIA ÓBITOS POPULAÇÃO n/ <1 3.007 93,6 1-4 1.318 10,0 5-9 262 1,6 10-14 196 1,1 15-19 302 1,7 20-29 865 2,9 30-39 1.300 5,1 40-49 1.842 9,6 50-59 2.070 16.6 60-69 3.212 64,6 70-79 5.289 117,0 80 9.543 520,9 Total 29.345 172,8 Fonte: IBGE – Censos Demográficos e Contagem Populacional e MS/SE/Datasus. Ignorada: 139

18 COEFICIENTE DE ÓBITOS POR PNEUMONIA NO BRASIL
2000 n/ < 80 Fonte: IBGE – Censos Demográficos e Contagem Populacional e MS/SE/Datasus.


Carregar ppt "UMA NOVA CULTURA Durante muitos anos, fomos obrigados a ilustrar as nossas apresentações científicas com dados extrapolados dos países do Primeiro Mundo,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google