A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IX Curso de Atualização em Pneumologia e Tisiologia Distúrbios Respiratórios do Sono Apresentação de casos clínicos Dr. Flávio Magalhães Dra. Anamelia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IX Curso de Atualização em Pneumologia e Tisiologia Distúrbios Respiratórios do Sono Apresentação de casos clínicos Dr. Flávio Magalhães Dra. Anamelia."— Transcrição da apresentação:

1

2 IX Curso de Atualização em Pneumologia e Tisiologia Distúrbios Respiratórios do Sono Apresentação de casos clínicos Dr. Flávio Magalhães Dra. Anamelia Costa Faria Dr. Geraldo Lorenzi Filho

3 Caso 6: JCB, 61 anos, masc Ronco, IMC = 24 kg/m 2, HAS de difícil controle, FA crônica, AVC há 6 meses. Solicitada polissonografia.

4 Prevalência da SAS Vol 165. pp , (2002)

5 HAS droga-resistente ICC HAS DAC FA Pacientes com DRS Pacientes sem DRS SAS E DCV

6 Prevalência das co-morbidades na AOS Hipertenção Arterial 35% Cardiopatia isquêmica Fibrilação Atrial Insuficiência cardíaca 50% 50% 30% Leun g % AVC

7 problema

8 Epidemiologia da SAOS Prevalência anos HomensMulheres IAH 5/h24%4% IAH 5/h + sonolência 9%2% IAH 15/h9%4% Young T et al. N Engl J Med 1993;328:1230–1235. Young T et al. AJRCCM 2002;165:1217–1239.

9 Epidemiologia da SAOS Incidência estimada de apnéia moderada a severa: 0,6% PSG para cada habitantes 1. Peppard PE,Young T. Sleep 2001;24:A255–A256.

10 Epidemiologia da SAOS Incidência estimada de apnéia moderada a severa: 0,6% PSG para cada habitantes 1. Peppard PE,Young T. Sleep 2001;24:A255–A256. BRASIL: 100 milhões a

11 Epidemiologia da SAOS Incidência estimada de apnéia moderada a severa: 0,6% PSG para cada habitantes 1. Peppard PE,Young T. Sleep 2001;24:A255–A256. BRASIL: 100 milhões a PSG / ano (apenas diagnóstico)

12 Problema: subdiagnóstico AJRCCM. 2004;169:668–672 ?

13 Suspeita: Hummmm... HAS HAS Ronco Ronco Com esse pescoço... Com esse pescoço...

14 Qual o melhor parâmetro entre a circunferência do pescoço, o índice de massa corporal, a escala de sonolência de Epworth, a idade e o gênero para predizer índice de apnéia-hipopnéia medido por polissonografia noturna? Análise de 938 exames. Flavio José Magalhães da Silveira Ricardo Luiz de Menezes Duarte Anamélia Costa Faria José Carlos Biagini Jr.

15 Objetivos Determinar a correlação das variáveis clinicas [idade, gênero, circunferência do pescoço (CP), índice de massa corpórea (IMC), e Escala de Sonolência de Epworth (ESE)] com o Índice de Apnéia/Hipopnéia (IAH) e com a saturação mínima de O² (MinSO²) obtida por polissonografia diagnóstica (PSG), e encontrar o melhor preditor independente de IAH 15/hr.

16 Introdução idade gênero circunferência do pescoço (CP) índice de massa corporal (IMC) escala de sonolência de Epworth (ESE) são parâmetros usados para prever o índice de apnéia-hipopnéia (IAH) e a saturação mínima de oxigênio (Sat m )

17 Materiais e Métodos Análise retrospectiva de uma coorte de 1469 pacientes (idade > 16 anos) submetidos à PSG noturna (equipamento Embla ® ) em clínica especializada, de janeiro e setembro de Variáveis: Gênero Idade ( 40 vs. < 40 anos) IMC ( 30 vs. < 30 Kg/m 2 ) CP ( 40 vs. < 40 cm) ESE ( 10 vs. < 10 pontos) IAH ( 15 vs. < 15 eventos/h) Sat m

18 Métodos de análise estatística testes Mann-Whitney ANOVA coeficiente de correlação de Spearman (r s ) técnicas uni e multivariada (regressão logística múltipla) com odds ratio ajustado [OR a ] e intervalo de confiança a 95% (IC 95%)

19 Resultados 1469 pacientes (67.7% homens) Idade (média) = 45.0 anos IMC (média) = 27.3 Kg/m 2 CP (média) = 40.0 cm ESE (média) = 10.0 IAH (média) = 25.0/hr. MinSO 2 (média) = 86.0% As médias de IAH e de CP foram estatistica/ maiores em homens (vs. mulheres): 30.9 vs. 15.9/hr., e 42.0 vs cm.

20 Resultados rsrs p valor CP x IAHr s = 0,502p < 0,001 IMC x IAHr s = 0,491p < 0,001 Idade x IAHr s = 0,214p < 0,001 ESE x IAHr s = 0,179p < 0,001 Sat m x IAHr s = -0,584p < 0,001 coeficiente de correlação de Spearman (r s )

21 Resultados (995 homens) OR a 95% CIp value IMC 30 Kg/m p < CP 40 cm p < Idade 45 anos p < 0.001

22 Correlação (CP x IAH) r s = 0,502 p < 0,001

23 Resultados (474 mulheres) OR a 95% CIp value Age 45 years p < NC 35 cm p < BMI 30 Kg/m p < 0.001

24 Conclusões houve correlação da CP, IMC, idade e ESE com o IAH, porém, a CP mostrou-se com melhor correlação. a CP, o IMC, a idade e o gênero são preditores independentes de IAH 15 eventos/h.

25

26

27 Questionário de Validação: screening ACHaR (SACS) * A pnéias presenciadas C ircunferência do pescoço H ipertensão a rterial R onco *

28

29 Diagnóstico Solicitação de polissonografia

30 SAOS – DIAGNÓSTICO PSG Polissonografia Noturna EEG EOG EMG ECG Fluxo Cinta torácica Cinta abdominal Oxímetro Decúbito Ronco Neurofisiológica Pneumológica Padrão Ouro para Dx dos DRS – até quando?

31 PSG respiratória: DRS moderado / severo Embletta

32 PSG respiratória: DRS moderado / severo Compass

33 PSG respiratória: DRS moderado / severo Stardust II Channel set: respiratory effort, air from nasal pressure transducer, or nasal/oral thermitor, auto-cpap flow, Spo2, pulse rate (from oximeter), body position data (supine or not supine), patient event marker, auto CPAP pressure evolution (w/REMstar auto interface), Events: flow limitation, apnea, hypopnea, and snoring (with Rem star auto interface). Software detection: apnea, hypopnea, snoring (w/ nasal pressure transducter), flow limitation (w/ REMstar auto interface), desaturations, bradycardia and tachycardia.

34 PSG respiratória: DRS moderado / severo IAH/h (cateter nasal) Sat O² Pulso screening??

35 PSG respiratória - Embletta

36

37 Há 15 dias não uso o CPAP: estou com RINITE – nunca tive isto antes....

38 A. Aegyptus

39

40 Obrigado!


Carregar ppt "IX Curso de Atualização em Pneumologia e Tisiologia Distúrbios Respiratórios do Sono Apresentação de casos clínicos Dr. Flávio Magalhães Dra. Anamelia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google