A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FÓRUM TÉCNICO RISCOS PATRIMONIAIS E RESSEGUROS Participação Nelson Fontana Claudio Saba Renato Cunha Bueno Sincor-SP - Gestão 2010-2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FÓRUM TÉCNICO RISCOS PATRIMONIAIS E RESSEGUROS Participação Nelson Fontana Claudio Saba Renato Cunha Bueno Sincor-SP - Gestão 2010-2014."— Transcrição da apresentação:

1 FÓRUM TÉCNICO RISCOS PATRIMONIAIS E RESSEGUROS Participação Nelson Fontana Claudio Saba Renato Cunha Bueno Sincor-SP - Gestão

2 AMEAÇAS E OPORTUNIDADES PARA CORRETORES NOS RISCOS PATRIMONIAIS Nelson Fontana Comissão Técnica de Riscos Patrimoniais

3 CARTEIRA DE RISCOS PATRIMONIAIS NO BRASIL MERCADO: R$ BILHÕES RISCOS PATRIMONIAIS: R$ BILHÕES (8,6%)

4 DETALHAMENTO DA CARTEIRA DE RISCOS PATRIMONIAIS Prêmios diretos (emitido – cancelado) R$ ,00 Prêmio retido (direto – cedido) R$ ,00 Cessão média24,8%

5 VISÃO GERAL DOS DIVERSOS RAMOS

6 % DE CESSÃO

7 SINISTRALIDADE

8 GRANDES SEGURADORES RO E RN

9 PRINCIPAIS SEGURADORES SEGURO COMPREENSIVO EMPRESARIAL

10 MAPA GERAL SEGUROS COMPREENSIVOS EMPRESARIAIS

11 RISCOS DECLINÁVEIS QUAL É O PROBLEMA ? Recusa sistemática de seguros (novos e renovações) de segurados que atuam em ramos que envolvem riscos mais agravados (ex. supermercados, indústria química, madeira etc); Causas diretas: a) Contratos de resseguros excluem da aceitação automática ramos de atividade; b) Riscos de médio e pequeno porte não geram prêmios suficientes para custeio de colocações facultativas

12 CAUSAS INDIRETAS Experiência e custo de resseguros – contratos de resseguros (em especial, os não proporcionais) são precificados a partir da experiência da carteira (cláusula de excedentes técnicos) Margem de solvência – Seguradoras operando no limite. Susep pressionando por aumento do capital. Opção: operação mais seletiva.

13 AÇÕES DO SINCOR-SP Reuniões FenSeg – contratação de seguros tem que ser feita com as seguradoras no Brasil. Exclusividade é via de mão dupla. Seguradoras não podem recusar seguros pelo ramo de atividade do segurado, se ele operar dentro de padrões de segurança que tornem o risco aceitável.

14 AMEAÇAS E OPORTUNIDADES PARA OS CORRETORES DE SEGUROS Foco dos corretores Compreensivo empresarial Requisitos para aceitação (ex. valores) Classe deve pressionar - capilaridade da rede de corretores é a chave da competitividade das seguradoras varejistas Corretores especializados Engenharia de risco - relatórios e assessoria Equipe de negociadores Corretores de seguros Formação de mercados Linhas de aceitação diferenciadas com volume de sustentável de prêmios. Riscos pequenos e médios Riscos médios e grandes

15 INSPEÇÃO DE RISCOS INDUSTRIAIS E COMERCIAIS RECOMENDAÇÕES Claudio Saba

16 Resseguro no mercado livre concorrência livre colocações e aceitações são livres seguradora e resseguradora procuram lucro cada companhia é diferente relacionamentos do longo prazo novos produtos

17 Mercado Segurador Livre SeguradoCorretor Resseguradora Seguradora Corretor Re Resseguradora

18 Resseguro Capacidade Financeira Proteção contra desvios de sinistralidade Conselhos e assessoria técnica Substituição de capital do acionista Equalização de balanço

19 Expectativas Crescer Prosperar servir / Antecipar as necessidades dos segurados Servir as necessidades dos acionistas Não pôr em risco a operação e as finanças da seguradora

20 MERCADO COMPETITIVO Cada contrato é o resultado de uma negociação. Você não obtém o que é justo. Você obtém o que negocia (e documenta)

21 Informação - qualidade - quantidade Retenção da companhia de seguros Considerações comerciais Fatores que influenciam o custo de resseguro

22 DADOS A LACUNA DE INFORMAÇÕES É PREENCHIDA PELO PRÊMIO

23 Cosseguro Uma forma de tornar bom um risco ruim Um relacionamento de parceiros desiguais Resseguro facultativo não é

24 Especializada X Generalista Líder X Seguidora

25 RETENÇÃO LÍQUIDA Valor máximo que a seguradora conserva a seu cargo Também chamado Pleno (ou Pleno de Retenção)

26 Obrigado Claudio Saba

27 RESSEGURO MUDANÇAS DA REGULAMENTAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES Renato Cunha Bueno Comissão de Resseguros

28 Sou um corretor de seguros, mas além disso o que sou eu? Prestador de serviços? Agente? Vendedor? Ou, na verdade, um pouco de tudo?

29 ANTIGAMENTE... Nós e as tarifas. Um mundo forte e engessado!

30 O PRESENTE Nós e o mercado aberto, ou meio aberto O conhecimento do passado nem sempre resolve o presente

31 O RESSEGURO E O CORRETOR DE SEGUROS Quando o resseguro ajuda, quando o resseguro atrapalha Resoluções CNSP – Susep – 225, 226 e 232 Requerimento de informações do deputado Beto Mansur

32 RISCOS DECLINÁVEIS... ou seriam riscos declinados?

33 A falta de informações, com sorte, é preenchida por prêmios Taxa não corrige risco!

34 Liberdade de subscrição e suas consequências Inspeções de riscos Sistemas de proteção e as normas Bombeiros, isolamento, DMP e PMP Favelas, vizinhos... Gerenciamento de risco Treinamentos

35 A solução definitiva é o desenvolvimento sensorial, estratégico e educacional

36 Muito obrigado! Renato da Cunha Bueno Marques


Carregar ppt "FÓRUM TÉCNICO RISCOS PATRIMONIAIS E RESSEGUROS Participação Nelson Fontana Claudio Saba Renato Cunha Bueno Sincor-SP - Gestão 2010-2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google