A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pilares da Competitividade: Reflexões e Conclusões José Fernando Mattos Porto Alegre, 23 de setembro de 2005.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pilares da Competitividade: Reflexões e Conclusões José Fernando Mattos Porto Alegre, 23 de setembro de 2005."— Transcrição da apresentação:

1 Pilares da Competitividade: Reflexões e Conclusões José Fernando Mattos Porto Alegre, 23 de setembro de 2005

2 A Competitividade do país Indicadores sociais e econômicos do Brasil : Escolaridade - Ensino Fundamental % % Ensino Médio 1990 – 15% 2001 – 71% IDH (saúde, educação e renda) , ,757 Inflação % % Taxa de juros Risco país etc...

3 Conclusão 1: Quando comparado a nós mesmos estamos melhorado!

4 PRINCIPAIS PILARES 1. Percepção Adequada

5 Time to Start a Business (days)

6 Firing Cost (weeks)

7 Recovery Rate in Bankruptcy (cents on the dollar)

8 Doing Business in 2005 – Alguns números do BRICM Fonte: Banco de dados do Doing Business

9 Abertura de empresas Fonte: Banco de dados do Doing Business

10 Contratação e demissão de funcionários Fonte: Banco de dados do Doing Business

11 Registro de propriedades Fonte: Banco de dados do Doing Business

12 Adesão a contratos Fonte: Banco de dados do Doing Business

13 Fechamento de empresas Fonte: Banco de dados do Doing Business

14 DOING BUSINESS 2006 Economias Facili dade de fazer negó cios Aber tura de uma empr esa Lida ndo com licen ças Contrat ação e demissã o de funcion ários Regist ro de propri edad es Obte nção de crédit o Prote ção de investi dores Paga mento de Impost os Comé rcio atrav és de fronte iras Ades ão a contr atos Fecha mento de uma empre sa Nova Zelândia Singapura Estados Unidos Chile México Rússia China Índia Brasil

15 DOING BUSINESS 2006 Nota: 1) Brasil, Rússia, Índia, China e México BRIC-M 1 vs Brasil Procedimentos (%) 100% 0%

16 DOING BUSINESS 2006 Países BRIC-M vs Brasil Procedimentos (%) 100% 0%

17 Teste PISA OCDE Resultado da pesquisa de Letramento feita em 41 países: 38 Brasil 39 Indonésia 40 Albânia 41 Peru

18 O Índice de Crescimento de Competitividade Índice de Crescimento de Competitividade Sub-índice Transferência de Tecnologia Sub-índice Informação e Tecnologia de Comunicações Índice de Tecnologia Índice Ambiente Macroeconômico Índice Instituições Públicas Sub-índice Contrato e leis Sub-índiceCorrupção Sub-índice Estabilidade Macroeconômica Sub-índice Inovação Ranking de Crédito do País Desperdício governamental

19 Relatório Global de Competitividade – Índice de Crescimento de Competitividade WEF 2004

20 O Índice de Competitividade Global 1.Instituições 2.Infra-estrutura 3.Macro-economia 4.Saúde e educação primária 5.Educação superior e treinamento 6.Eficiência do mercado (bens, mão-de-obra, financeiro) 7.Aptidão tecnológica 8.Tamanho do mercado 9.Sofisticação do negócio 10.Inovação Exigências básicas Essencial em economias impulsionadas por fator Melhorias em eficiência Essencial em economias impulsionadas por eficiência Inovação e Sofisticação Essencial em economias impulsionadas por inovação

21 Tendências

22 Conclusão 2: Quando comparado com os demais países temos piorado nos últimos anos!

23 PRINCIPAIS PILARES 2. Métricas Utilizadas

24 Retrato Competitivo do Brasil ICC – Índice de Crescimento Competitivo – 57 Ambiente macroecômico – 80 Estabilidade macroecoômica – 97 Instituições Públicas – 50 Contratos e legislação – 53 Corrupção – 45 Tecnologia – 42 Inovação – 59 Transferência de Tecnologia – 17 (de79 não inovadores) ICN – Índice de Competitividade dos Negócios – 37 Sofisticação das operações e estratégias das empresas – 29 Qualidade do ambiente de negócios do país - 42

25 Conclusão 3: As empresas estão fazendo a sua parte, o Estado ainda não!

26 PRINCIPAIS PILARES 3. Compromisso do Executivo

27 Conclusão 4: Os maiores desafios estão no governo e macro ambiente.

28 PRINCIPAIS PILARES 4. Compromisso do Estado ( 3 Poderes)

29 TEA e Vs. Renda Nacional

30 Atividade Empreendedora Total – Ranking

31 Conclusão 5: Temos de apoiar a atividade empreendedora diferenciando-a da luta por busca de ocupação dos desempregados!

32 PRINCIPAIS PILARES 5. Ensino e desenvolvimento da capacidade empreendedora

33 Brasil Pesquisa Acadêmica Artigos em destaque

34 Embrapa: pesquisa agropecuária Soja e derivados US$ 3 bilhões em º produtor mundial Maior produtividade do mundo

35 Patentes e Invest. Empresarial em P&D: Brasil e Coréia BrasilCoréia

36 Patentes de invenção INPI, 1997 a 2000

37 INPI - Brasil Principais patenteadores, Fonte: Eduardo M e Albuquerque Patentes e Atividades Inovativas: uma avaliação do caso brasileiro, 2003 (no prelo)

38 Cientistas e Engenheiros em P&D (rev. 2003) Fontes: Brasil: Sinopse do Ensino Superior 2001 e Indicadores MCT, 2000 EUA: R&D in Industry, 1998

39 Artigos (SCI) e Patentes registradas nos EUA

40 Números Participação do Brasil no PIB mundial ~1,0% Participação do Brasil em publicações científicas ~1,8% Participação do Brasil em patentes ~0,3%

41 Conclusão 6 : Já sabemos transformar dinheiro em conhecimento. Quando vamos começar a transformar conhecimento em dinheiro?

42 PRINCIPAIS PILARES 6. Articulação entre Educação, Ciência e Tecnologia

43 Estágios de Desenvolvimento Econômico Economia Impulsionada por Fatores CUSTO DOS INSUMOS Economia Impulsionada por Investimentos EFICIÊNCIA Economia Impulsionada pela Inovação VALOR EXCLUSIVO Diferencial Competitivo Medindo a competitividade

44 Fundamentos da competitividade

45 Conclusão 7 : Existe uma hierarquia na arquitetura da competitividade sustentada

46 PRINCIPAIS PILARES 7. Convergência Conceitual e Metodológica

47 A Semelhança da competitividade de países e empresas Hierarquia de arquitetura e ecologia competitiva Fatores Críticos Fases Empresas GovernoSociedade 1. Socialização da dignidade BA 2. Formação de Estrutura Básica 3.Diferencial Competitivo De Curto Prazo 5.Competitividade Sustentada no Longo Prazo Demografia Garantir Educação Básica Democracia Gestão e Disponibilidade e custo do Capital Pensamento Empreendedor Definir Estratégia Nacional Eliminar a Exclusão Instituições Sólidas Estratégia e Inovação Perus Galinhas Gansos Águias Ciência e Tecnologia Inclusão Beija Flores 4.Solidariedade Pré competitiva Gestão de cadeias de valor Clusters APLs Cooperar para Competir Méritocracia ?

48 A Semelhança da competitividade de países e empresas - China Hierarquia de arquitetura e ecologia competitiva Fatores Críticos Fases Empresas GovernoSociedade 1. Socialização da dignidade BA 2. Formação de Estrutura Básica 3.Diferencial Competitivo De Curto Prazo 5.Competitividade Sustentada no Longo Prazo Demografia Garantir Educação Básica Democracia Gestão e Disponibilidade e custo do Capital Pensamento Empreendedor Definir Estratégia Nacional Eliminar a Exclusão Instituições Sólidas Estratégia e Inovação Perus Galinhas Gansos Águias Ciência e Tecnologia Inclusão Beija Flores 4.Solidariedade Pré competitiva Gestão de cadeias de valor Clusters APLs Cooperar para Competir Méritocracia

49 A Semelhança da competitividade de países e empresas - Ìndia Hierarquia de arquitetura e ecologia competitiva Fatores Críticos Fases Empresas GovernoSociedade 1. Socialização da dignidade BA 2. Formação de Estrutura Básica 3.Diferencial Competitivo De Curto Prazo 5.Competitividade Sustentada no Longo Prazo Demografia Garantir Educação Básica Democracia Gestão e Disponibilidade e custo do Capital Pensamento Empreendedor Definir Estratégia Nacional Eliminar a Exclusão Instituições Sólidas Estratégia e Inovação Perus Galinhas Gansos Águias Ciência e Tecnologia Inclusão Beija Flores 4.Solidariedade Pré competitiva Gestão de cadeias de valor Clusters APLs Cooperar para Competir Méritocracia

50 A Semelhança da competitividade de países e empresas - Brasil Hierarquia de arquitetura e ecologia competitiva Fatores Críticos Fases Empresas GovernoSociedade 1. Socialização da dignidade BA 2. Formação de Estrutura Básica 3.Diferencial Competitivo De Curto Prazo 5.Competitividade Sustentada no Longo Prazo Demografia Garantir Educação Básica Democracia Gestão e Disponibilidade e custo do Capital Pensamento Empreendedor Definir Estratégia Nacional Eliminar a Exclusão Instituições Sólidas Estratégia e Inovação Perus Galinhas Gansos Águias Ciência e Tecnologia Inclusão Beija Flores 4.Solidariedade Pré competitiva Gestão de cadeias de valor Clusters APLs Cooperar para Competir Méritocracia

51 Conclusão 8 : Existe um pouco de Brasil em cada um dos 5 níveis da hierarquia competitiva.

52 PRINCIPAIS PILARES 8. Projeto de desenvolvimento estratégico do país

53 Pirâmide Etária BRIC-M

54 Mudança na Pirâmide Etária do Brasil

55 Pirâmide Etária BRIC-M

56

57

58

59 Estrutura etária Brasil

60 Conclusão 9 : Nosso problema não é de direção é de velocidade.

61 PRINCIPAIS PILARES 1. Aceleração é fruto de priorizações

62 Conclusão 10: Não podemos perder mais esta oportunidade. Todos somos responsáveis neste processo!

63 PRINCIPAIS PILARES 10. Pressão da sociedade

64

65 Obrigado! José Fernando Mattos


Carregar ppt "Pilares da Competitividade: Reflexões e Conclusões José Fernando Mattos Porto Alegre, 23 de setembro de 2005."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google