A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Professor Alfredo Scheid Lopes Eng o Agr o, MS, PhD, Professor Emérito da UFLA, Lavras, MG Consultor Técnico da ANDA, São Paulo, SP Professor Luiz Roberto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Professor Alfredo Scheid Lopes Eng o Agr o, MS, PhD, Professor Emérito da UFLA, Lavras, MG Consultor Técnico da ANDA, São Paulo, SP Professor Luiz Roberto."— Transcrição da apresentação:

1 Professor Alfredo Scheid Lopes Eng o Agr o, MS, PhD, Professor Emérito da UFLA, Lavras, MG Consultor Técnico da ANDA, São Paulo, SP Professor Luiz Roberto Guimarães Guilherme Eng o Agr o, MS, PhD, Professor Adjunto UFLA Carlos Alberto Pereira da Silva Administrador de Empresas Diretor Executivo da ANDA FERTILIZANTES, PRODUÇÃO DE ALIMENTOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL FERTILIZANTES, PRODUÇÃO DE ALIMENTOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

2 FERTILIZANTES E CORRETIVOS vs PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE PRINCÍPIO DE SUBSTITUIÇÃO DA TERRA VALORIZAÇÃO DA AGRICULTURA: SOLUÇÃO DEFINITIVA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

3 O GRANDE DESAFIO MUNDIAL 199020002025 POPULAÇÃO MUNDIAL (BILHÕES) 5,2 6,2 8,3 DEMANDA DE ALIMENTOS (BILHÕES t) 1,97 2,45 3,97 PRODUTIVIDADE (t/ha) 2,5 2,9 4,5 Fonte: Borlaug e Dowswell, 1993.

4 Fonte: Bot e outros, 2000) MundoAm. do Sul Am. Central/ Norte ÁsiaBrasilFrançaChina EUA Hectares per capita Terra Agricultável Real (1995), Potencial (1994), sem descontar áreas marginais e Potencial Equivalente (1994), após descontadas as áreas marginais, em hectares per capita TERRAS AGRICULTÁVEIS DO BRASIL SÃO AS MAIS EXTENSAS DO MUNDO

5 ÁREA AGRICULTÁVEL DO BRASIL (550 milhões ha) vs ÁREA TOTAL DE 32 PAÍSES DA EUROPA

6 MATO GROSSO vs CINTURÃO DO MILHO (CORN BELT) NOS ESTADOS UNIDOS Fonte: J. L. Coelho, John Deere, 2001. Columbus Nashville Duluth Des Moines Mato Grosso Meio Oeste (E. U. A)

7 FERTILIZANTES E CORRETIVOS vs PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE

8 PRODUÇÃO AGROVEGETAL (MS 16 CULTURAS) E CONSUMO DE NUTRIENTES, BRASIL 70/71 A 02/03

9 CONSUMO MÉDIO DE NUTRIENTES (1990-1991) 52 97 114 278 295 602 0 100 200 300 400 500 600 BRASIL VENEZUELA EUA FRANÇA CHINA HOLANDA kg/ha N-P 2 O 5 -K 2 O Fonte: IFA, 1992. 52 224 741 (1987/88)

10 CONSUMO MÉDIO DE NUTRIENTES (1998) kg/ha N-P 2 O 5 -K 2 O 110 114 272 277 545 0 100 200 300 400 500 600 BRASIL VENEZUELA EUA FRANÇA CHINA HOLANDA Fonte: IFA, 1999; ANDA, 2003 2002: 138 kg/ha

11 28 7 22 17 8 55 26 16 63 15 8 41 0 10 20 30 40 50 60 70 CereaisRaízes e tubérculosFertilizantes Fonte: World Resources 1998-1999 – www.wri.org BrasilChinaÍndiaPaíses em desenvolvimento Incremento (%) INCREMENTO NO CONSUMO DE FERTILIZANTES E NA PRODUTIVIDADE (1984-1994)

12 CONSUMO DE FERTILIZANTES - BRASIL - 2002 kg N+P 2 O 5 +K 2 O/ha MANDIOCA FEIJÃO ARROZ MILHO CITRUS SOJA CANA CAFÉ Fonte: ANDA, 2003 10 32 119 122 138 195 Alimentos básicos Culturas de exportação 83 0 50 100 150 200 250

13 RELAÇÃO DE CONSUMO DE NUTRIENTES BRASIL (TOTAL e SEM SOJA) E PAÍSES COM AGRICULTURA TECNIFICADA - 1999 NP2O5P2O5 K2OK2ONP2O5P2O5 K2OK2ONP2O5P2O5 K2OK2O COM SOJASEM SOJA PAÍSES C/ AGRICULTURA TECNIFICADA Fonte: ANDA, 2000. 0,71 1,07 1,11 1,00 2,50 1,00 1,11 Relações

14 BALANÇO DE NUTRIENTES NA AGRICULTURA BRASILEIRA - 1998 ASSUMINDO EFICIÊNCIAS MÉDIAS DE UTILIZAÇÃO DE 60% PARA NITROGÊNIO, 30% PARA O FÓSFORO E 70% PARA O POTÁSSIO: DÉFICIT DE 888 MIL TONELADAS DE N, MESMO CONSIDERANDO TODO O N DA SOJA E DO FEIJÃO COMO PROVENIENTE DA FIXAÇÃO BIOLÓGICA. DÉFICIT DE 414 MIL TONELADAS DE P 2 O 5. DÉFICIT DE 413 MIL TONELADAS DE K 2 O. Fonte: Yamada e Lopes, 1999.

15 PRODUTIVIDADE MÉDIA - 2002 BRASIL vs OUTROS PAÍSES t/ha ARROZMILHOTRIGOFEIJÃOSOJA Fonte: FAO, 2003. BRASIL 3,3 3,0 1,5 0,7 2,6 6,3 8,0 CHINA EUA FRANÇA 7,4 1,8 2,4

16 PRODUTIVIDADE MÉDIA ATUAL – 2002 BRASIL – BONS PRODUTORES Arroz: 6 t/ha (sequeiro) Arroz: 8 - 9 t/ha (irrigado) Feijão: 3,5 t/ha (irrigado) Milho: 10 - 12 t/ha Soja: 4 t/ha Milho: 6 - 7 t/ha (safrinha) Algodão: 350 @/ha

17 PRODUÇÃO AGRÍCOLA BRASILEIRA (RANKING MUNDIAL) Fonte: FAO 1 o - Citrus, Café e Cana-de-açúcar 2 o - Soja, Carne bovina 3 o - Milho 4 o - Fumo, Suínos, Cacau 6 o - Algodão 9 o - Arroz 10 o - Leite, Amendoim

18 BALANÇO ECONÔMICO DA CALAGEM (3 t/ha) MOCOCA, SÃO SIMÃO e GUAÍRA) kg/ha Em kg/ha: Custo do calcário Aumento de produção: No 1 o ano No período 360 422 7.677 150 473 1.746 120 245 2.609 (5 anos) (3 anos)(4 anos) Fonte: Raij & Quaggio, 1984.

19 CONSUMO DA CALCÁRIO - BRASIL 1984 - 2002 CAPACIDADE INSTALADA: 50 MILHÕES t/ANO DEMANDA ESTIMADA: 75 MILHÕES t/ANO 0 5 10 15 20 25 8488929600 02 Milhões t Ano Fonte: ABRACAL, 2003.

20 PRINCÍPIO DE SUBSTITUIÇÃO DA TERRA

21 ESTADOS UNIDOS 17 CULTURAS ALIMENTOS 1940 252 MILHÕES t 129 MILHÕES ha 1990 596 MILHÕES t 119 MILHÕES ha - 10 MILHÕES ha COM AS PRODUTIVIDADES DE 1940 SERIAM NECESSÁRIOS 180 MILHÕES DE ha A MAIS! Fonte: Borlaug e Dowswell, 1993.

22 0 50 250 200 150 100 38-4048-5058-6068-7078-8088-90 Milhões ha EUA - Área total poupada pelo uso de tecnologia; 17 culturas, 1938- 40 a 1988-90. Área usada Área poupada Anos Fonte: Borlaug & Dowswell, 1996. Produção: 1938 - 40 : 252 Milhões t 1988 - 90 : 596 Milhões t

23 0 50 250 200 150 100 19616570758085 Milhões ha CHINA - Área total poupada pelo uso de tecnologia; todos os cereais, 1961- 92 9092 Área usada Área poupada Anos Fonte: Borlaug & Dowswell, 1996. Produção: 1961 : 147 Milhões t 1992 : 400 Milhões t

24 PRODUTIVIDADE MÉDIA DE ALGUMAS CULTURAS CHINA vs BRASIL, 2002 415 MILHÕES t vs 95 MILHÕES t FAO, 2003. CHINABRASIL t/ha 6,3 3,3 3,0 3,8 1,8 1,5 5,1 2,6 ARROZMILHOTRIGOSOJA

25 0 50 250 200 150 100 19616570758085 Milhões ha ÍNDIA - Área total poupada pelo uso de tecnologia; todos os cereais, 1961- 92 9092 Área usada Área poupada Anos Fonte: Borlaug & Dowswell, 1996. Produção: 1961 : 87 Milhões t 1992 : 200 Milhões t

26 0 20 100 80 60 40 1970 75 80859095 Milhões ha BRASIL - Produção agro-vegetal (base seca) 16 culturas, 1970 a 1998. 9697 Área usada Área poupada Anos Fonte: Adaptado de Cardoso, 1998 (Manah S/A). t/ha 2 1 0 98 (e) 1,45 2,70 120 Produção Produtividade (milhões t) (t/ha) 1970 - 49,6 1,45 1997 - 140,9 2,69 1998 - 145,1 2,70 3

27 VALORIZAÇÃO DA AGRICULTURA: SOLUÇÃO DEFINITIVA

28 A FORÇA DO AGRONEGÓCIO A CONSCIENTIZAÇÃO POPULAR A DECISÃO POLÍTICA AS AÇÕES EMERGENCIAIS AÇÕES: A PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

29 A CONSCIENTIZAÇÃO POPULAR AÇÕES:

30 A FORÇA DO AGRONEGÓCIO A CONSCIENTIZAÇÃO POPULAR AÇÕES:

31 INSUMOS E BENS DE PRODUÇÃO Sementes Calcário Fertilizantes Rações Defensivos vegetais Produtos veterinários Tratores Colheitadeiras Implementos Equipamentos Máquinas Motores PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA Produção animal Lavouras permanentes Lavouras temporárias Horticultura Silvicultura Extração vegetal Indústria animal PROCESSAMENTO E TRANSFORMAÇÃO Alimentos Têxteis Vestuário Madeira Bebidas Álcool Papel Fumo Óleos, essências DISTRIBUIÇÃO E CONSUMO Restaurantes Hotéis Bares Padarias Fast food Self service Supermercados Comércio atacadista Exportação A VISÃO PRAGMÁTICA DO AGRIBUSINESS CONSUMIDORES Serviços de apoio: veterinários, agrônomos, P&D, bancários, marketing, vendas, transporte, armazenagem, portuários, assistência técnica, informação de mercados, bolsas, seguros, outros. Fonte: Araújo; Wedekin & Pinazza, 1990 ANTESDENTRODEPOIS DA PORTEIRA

32 O AGRONEGÓCIO NO BRASIL - 1996 PRODUTO INTERNO BRUTO : R$779 BILHÕES AGRONEGÓCIO : R$161 BILHÕES (21%) ANTES DA PORTEIRA (7,4 Bi; 4,6 %) DENTRO DA PORTEIRA (68,1 Bi; 42,3 %) DEPOIS DA PORTEIRA (85,5 Bi; 53,1 %) Fonte: Pinazza e Alimandro, 1999 37 % dos empregos; 25 % do valor da produção; 40 % das exportações

33 O AGRONEGÓCIO NO BRASIL - 2002 PRODUTO INTERNO BRUTO : R$ 1.463 BILHÕES AGRONEGÓCIO : R$ 424,3 BILHÕES (29%) ANTES DA PORTEIRA (26,3 Bi; 6,2 %) DENTRO DA PORTEIRA (125,8 Bi; 29,6 %) DEPOIS DA PORTEIRA (272,2 Bi; 64,2 %) Fonte: CNA, 2003

34 Barreiras (BA) Balsas (MA) Rondonópolis (MT) Juazeiro (BA) Petrolina (PE) Paracatu (MG) Chapecó (SC) Dourados (MS) Barretos (SP) Brasil (%) 12,3 6,5 6,4 5,6 4,7 4,5 4,2 4,0 3,2 Crescimento anual do PIB (%) em municípios ou regiões com grande desenvolvimento da agricultura (1975-1996). Fonte: Regis Bonelli, IPEA (Veja, pg 135, 13/06/2001)

35 Índice de Desenvolvimento Humano (IDH - ONU), em 23 municípios com agricultura desenvolvida: início 70s e anos 90 (Brasil). Fonte: Regis Bonelli, IPEA (Veja, pg 135, 13/06/2001) Início 70s ALTO MÉDIO BAIXO 14 9 3 16 4 Anos 90 Saúde, Educação, Habitação

36 SORRISO (MT) = 17 anos = 55.000 habitantes 550.000 ha (Soja, milho, algodão, arroz); Potencial = 800.000 ha 50 sc/ha x 550.000 ha = 27.500.000 sc 27.500.000 sc / 500 sc = 55.000 carretas 55.000 carretas x 22 pneus = 1.210.000 pneus 2.300 km p/ Paranaguá (ida e volta = 4.600 km) 4.600 km/ 2,5 km/L = 1840 L/carreta 1840 L x 55.000 carretas = 101,2 milhões L de óleo 550.000 ha x 0,4 t adubo/ha = 220.000 t 220.000 t / 27 t/carreta = 8.148 carretas 5.185 carretas x 3 chapas = 24.444 homens/dias, etc., etc., etc.,

37 BALANÇA COMERCIAL, BRASIL (1972 – 2001)

38 INDICADORES DO DESEMPENHO DA AGRICULTURA BRASIL 1980 - 2002 (1980 = ÍNDICE 100)

39 EMPREGOS GERADOS (POR R$ MILHÃO)

40 A DECISÃO POLÍTICA A FORÇA DO AGRONEGÓCIO A CONSCIENTIZAÇÃO POPULAR AÇÕES:

41 BRASIL - CRÉDITO CONCEDIDO E PIB NA AGRICULTURA (US$ BILHÕES) 7075 8085 90 95 CRÉDITO PIB ANOS Fonte: Pinazza e Alimandro, 1999.

42 BRASIL - PIB NA AGRICULTURA E CRÉDITO CONCEDIDO 1970 a 2001 - Crédito Concedido / PIB Agrícola 7075 8085 90 95 ANOS Fonte: Pinazza e Alimandro, 1999. 2,22 0,08 0,18 00

43 INVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL OFICIAL 1979-1999 (Deflacionado) em bilhões de R$ 0 10 20 30 40 50 60 7981838587899193959799 54,0 11,8 FONTES DE CRÉDITO PARA A AGRICULTURA 1999/2000 US$ 23,3 BILHÕES - Industrias de insumos - Companhias de trading - Industrias de processamento - Outras Crédito oficial Recursos próprios do agricultor 58 % 14 % 28 % Fonte: ABAG, BACEN, 2001

44 1 - Carga tributária - Alimentos industrializados: Brasil = 32,7%; França = 5,5%; Espanha e Holanda = 6%; Alemanha = 7%; Portugal = 8% 2 - Transportes - frete até o porto/tonelada: Brasil = US$32; EUA = US$15;Argentina = US$17 3 - Taxas portuárias - por tonelada: Roterdã (Holanda) = US$3; Brasil = US$9 a 12 GARGALOS DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

45 4 -Taxa de juros: 22% em 1998; 26,5 % em 2003 Internacional : 5,5 % 5 - Barreiras tarifárias e não tarifárias: Pesquisa nos 25 maiores importadores de óleo de soja (40% do consumo mundial): Crescimento anual 2,76% = com as barreiras Crescimento anual 8,38% = sem as barreiras

46 Subsídios à agricultura mundial em 1998 (OCDE - 29 Países) 366 Bilhões de dólares (42% do valor da produção) CEE = 142 Bilhões Estados Unidos = 87 Bilhões Japão = 56 Bilhões 6 - Protecionismo dos países desenvolvidos:

47 A REGIÃOS DOS CERRADOS NO BRASIL Fonte: IBGE, 2000.

48 PRODUÇÃO EM 1990 (GRÃOS E CARNE) DA REGIÃO DOS CERRADOS ATIVIDADE ÁREA PRODUTIVIDADE PRODUÇÃO (MILHÕES ha) (t/ha/ano) (MILHÕES t) CULTURAS ANUAIS SEQUEIRO 10,0 2,0 20,0 IRRIGADO 0,3 3,0 0,9 GADO DE CORTE 35,5 0,05 1,7 TOTAL 45,8 22,6 Fonte: Macedo, 1995

49 POTENCIAL DE PRODUÇÃO DA REGIÃO DOS CERRADOS NA ÁREA JÁ ABERTA (1990) UTILIZANDO TECNOLOGIAS DISPONÍVEIS ATIVIDADE ÁREA PRODUTIVIDADE PRODUÇÃO (MILHÕES ha) (t/ha/ano) (MILHÕES t) CULTURAS ANUAIS SEQUEIRO 20 3,2 64 IRRIGADO 5 6,0 30 GADO DE CORTE 20 0,2 4 TOTAL 45 98 Fonte: Macedo, 1995

50 POTENCIAL DE PRODUÇÃO DA REGIÃO DOS CERRADOS Assumindo: a) 1/3 da área ( 71 milhões ha) para preservação ambiental; b) disponibilidade de água para irrigar 10 milhões ha; c) aumento de produtividade compatível com tecnologias atuais. Fonte:, Macedo,1995 ATIVIDADE ÁREA PRODUTIVIDADE PRODUÇÃO (MILHÕES ha) (t/ha/ano) (MILHÕES t) CULTURAS ANUAIS SEQUEIRO 60,0 3,3 192 IRRIGADO 10,0 6,0 60 GADO DE CORTE 60,0 0,2 12 CULTURAS PERENES 6,0 15,0 90 TOTAL 136,0 354

51 EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE ALGODÃO EM MATO GROSSO, 1990 - 2003 Fonte: CONAB, 2003 X 1.000 t 58 1.525

52 EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE SOJA EM MATO GROSSO, 1990 - 2003 9092949698000203 (e) Mlhões t Fonte: CONAB, 2003. Ano 2,6 13,1

53 A SOJA LÁ E CÁ Comparação dos custos de produção EUA (Heartland) 2000/01 Brasil (MT) 2001/02 Produtividade (sc/ha) 45,0 50,4 Custo variável (US$/sc) 3,71 4,49 Custo fixo (US$/sc) 8,01 1,74 Custo total (US$/sc) 11,72 6,23 Produtividade (sc/ha) 45,0 50,4 Custo variável (US$/sc) 3,71 4,49 Custo fixo (US$/sc) 8,01 1,74 Custo total (US$/sc) 11,72 6,23 Custos variáveis (US$/ha) 187,1 224,3 Custos fixos (US$/ha) 404,2 87,1 Custo Total (US$/ha) 591,4 311,4 Custos variáveis (US$/ha) 187,1 224,3 Custos fixos (US$/ha) 404,2 87,1 Custo Total (US$/ha) 591,4 311,4 Fonte: USDA e CONAB

54 Fonte: J. L. D. Coelho, Informação pessoal

55 Participação Atual da Região dos Cerrados na Produção Brasileira 41% do gado de corte 21% da produção de café 34% do arroz 52% da soja 20% do milho Fonte: Resck, D., 2002, Informação pessoal.

56 Fonte: http://www.estado.estadao.com.br/editorias/2002/03/31/ger014.html

57 OPORTUNIDADES: 1- Entrada da China na OMC - 1,3 bilhão. 2 – Retomada no crescimento econômico dos países do leste europeu. 3 – Malásia, Coréia do Sul e outros países emergentes na Ásia. 4 – Globalização também no social. 5 – Acima de tudo: 25 a 30 milhões de pessoas que ainda passam fome nesse país gigante.

58 EXPANSÃO DO PLANTIO DIRETO NO BRASIL E REGIÃO DOS CERRADOS

59 POTENCIAL DE MITIGAÇÃO DO AQUECIMENTO GLOBAL (PMAG) EM DIFERENTES SISTEMAS DE USO DO SOLO. (C-CO 2,, g/m 2 /ano) -250 -200 -150 -100 -50 0 50 100 150 114 14 41 Conv. PD CM Org. Culturas anuais - 20 - 105 Alfafa Poplar Culturas perenes - 211 - 31 - 4 1 Inicial Int. cult. Int. não cult. Flor. Comunidade Sucessional Conversão: C-CO 2 = 1; N 2 O = 280; CH 4 = 56; + Insumos. (Fonte: Robertson et al., 2000).

60 AS AÇÕES EMERGENCIAIS A FORÇA DO AGRONEGÓCIO A CONSCIENTIZAÇÃO POPULAR A DECISÃO POLÍTICA AÇÕES: A PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

61 ÍNDICE DE PREÇOS REAIS DOS PRODUTOS DA CESTA BÁSICA Set. 1975 a Jul. 2000 0 0,2 0,4 0,6 0,8 1 1,2 D-/94 S-75 M-77 S-78 M-80 S-81 M-83 S-84 M-86 S-87 M-89 S-90 M-92 S-93 D-95 J-97 D-98 J-00 Fonte: Portugal, 2002.

62 Declaração de Apoio à Proteção da Natureza com Agricultura e Silvicultura de Alta Produtividade CENTER FOR GLOBAL FOOD ISSUES Norman Borlaug, PhD – Prêmio Nobel da Paz Oscar Arias, PhD – Prêmio Nobel da Paz Patrick Moore, PhD – Co-fundador do Greenpeace George McGovern – Embaixador dos Famintos na ONU Eugène Lapointe – Presidente do World Conservation Trust James Lovelock – Autor da The Gaia Hypothesis Per Pinstrup-Andersen, PhD – Prêmio Alimento do Mundo 2001 www.highyieldconservation.org

63 A DEMANDA CRESCENTE NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS É UM DOS MAIORES DESAFIOS DA HUMANIDADE. O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, AQUELE QUE ATENDE AS EXIGÊNCIAS DO PRESENTE, SEM COMPROMETER A CAPACIDADE DAS GERAÇÕES FUTURAS EM ATINGIR SUAS NECESSIDADES, SOMENTE PODERÁ SER ALCANÇADO ATRAVÉS DA INTERAÇÃO HARMÔNICA ENTRE O HOMEM E O AMBIENTE. A AGRICULTURA É A BASE DE SUSTENTAÇÃO DO HOMEM; MANEJAR ADEQUADAMENTE O SOLO É GARANTIR A CONTINUIDADE DA VIDA NO PLANETA. ALFREDO SCHEID LOPES PROFESSOR EMÉRITO FUNDADOR DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS LAVRAS, SETEMBRO DE 1995.

64 SUB-SAARA NA ÁFRICA Agricultura: 70% dos empregos, 40% das exportações, 1/3 do PIB. 2/3 dos 650 milhões de habitantes pequenas propriedades com baixa produtividade. Como resultado 194 milhões de africanos, maioria crianças, passam fome. Preços de uréia no Quênia: US$400,00/t vs US$90,00/t na Europa.

65 UM ESTUDO DE CASO NA AGRICULTURA DE SOBREVIVÊNCIA NA ÁFRICA Produtividade atual (t/ha) 1 2 3 1234 Ervas daninhas Insetos e doenças Seca Linha de sobrevivência > 2 t/ha Fertilidade do solo Com segurança alimentar Culturas adequadas Estação de crescimento (meses) Produtividade potencial (t/ha) Fonte: Conway & Toenniessen, 2003, Science, 299, 1187-1188 Produtividade potencial (t/ha) Estação de crescimento (meses) 123 4 1 2 3 Linha de sobrevivência Ervas daninhas Insetos e doenças Seca < 1 t/ha Sem segurança alimentar Produtividade atual (t/ha)

66 Quanto mais alimentos conseguirmos tirar da terra, menos terra iremos tirar da natureza. AEASP MUITO OBRIGADO !!! E-mail: ascheidl@ufla.br NÃO PERMITAMOS QUE O BRASIL PERCA O BONDE DA HISTÓRIA!!!


Carregar ppt "Professor Alfredo Scheid Lopes Eng o Agr o, MS, PhD, Professor Emérito da UFLA, Lavras, MG Consultor Técnico da ANDA, São Paulo, SP Professor Luiz Roberto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google