A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminário de Inovação Florianópolis, 21/06/07 Ednalva Fernandes C. de Morais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminário de Inovação Florianópolis, 21/06/07 Ednalva Fernandes C. de Morais."— Transcrição da apresentação:

1 Seminário de Inovação Florianópolis, 21/06/07 Ednalva Fernandes C. de Morais

2 Seminário de Inovação Objetivo: discutir a importância de inovar para competir. Tópicos: conceitos de inovação, ambiente e ferramentas requeridas para inovação na MPE. Ambiente de inovação – filme 8º. Hábito, no. 7

3 Seminário de Inovação por que inovar ? Questão de sobrevivência e competitividade Ser diferenciado no mercado Ter maiores índices de lucratividade

4 Seminário de Inovação O que é Inovação? "A inovação é o instrumento específico dos empreendedores, o processo pelo qual eles exploram a mudança como uma oportunidade para um negócio diferente ou um serviço diferente". Drucker (1987)

5 Seminário de Inovação O que é Inovação? A inovação tecnológica representa um processo de aprendizagem contínuo e cumulativo das empresas para melhorar seus produtos/serviços, seus processos e as formas de gestão, seu modelo de interação social, de modo a aumentar sua produtividade, seus conhecimentos e sua competitividade.

6 Seminário de Inovação Quais foram as principais inovações nos últimos 25 anos ? Internet computador celular tv digital...

7 Seminário de Inovação A Inovação Tecnológica de Processo é a adoção de métodos de produção novos ou significativamente melhorados, incluindo métodos de entrega dos produtos. Tais métodos podem envolver mudanças no equipamento ou na organização da produção, ou uma combinação dessas mudanças, e pode derivar do uso de novo conhecimento.

8 Seminário de Inovação produtos tecnologicamente novos; Frotas rastreadas por satélite – combinação de diferentes tecnologias Fonte: Site acessado em 24/04/07www.autotrac.com.br

9 O Radar da Inovação Presença (onde) Processos (como) Ofertas (o quê) Clientes (quem) Rede SoluçõesAgregação de valor Organização Experiência do cliente Cadeia de fornecimento Marca Plataforma Prahalad (2004). O Futuro da competição. Ed. Elselvier.

10 Os seis passos para a inovação e criação de valor Desafie os modelos mentais Crie limitações Remova os obstáculos e ofereça proteção Envolva-se em um ambiente de cooperação Ajude as pessoas a separar o joio do trigo Saiba compreender e apoiar o processo

11 Desafiando modelos mentais Filme 8º. Hábito, no. 9 – Pedras grandes

12 Os diferentes tipos de inovação... As Inovações Tecnológicas em Produtos e Processos (TPP) compreendem as implantações de produtos e processos tecnologicamente novos e substanciais melhorias tecnológicas em produtos e processos. Uma inovação TPP é considerada implantada se tiver sido introduzida no mercado (inovação de produto) ou usada no processo de produção (inovação de processo). Uma inovação TPP envolve uma série de atividades científicas, tecnológicas, organizacionais, financeiras e comerciais.

13 Seminário de Inovação A Inovação Organizacional na empresa inclui a introdução de estruturas organizacionais significativamente alteradas; a implantação de técnicas de gerenciamento avançado; a implantação de orientações estratégicas novas ou substancialmente alteradas. Em princípio, a mudança organizacional conta como inovação apenas se houver mudanças mensuráveis nos resultados, tais como aumento de produtividade ou vendas.

14 Seminário de Inovação A inovação tecnológica de produto pode assumir duas formas abrangentes: produtos tecnologicamente novos; produtos tecnologicamente aprimorados;

15 Seminário de Inovação Inovação Incremental Fonte: Juliana Carpanez Do G1, em São Paulo, rádio CBN (12/04/2007) G1 Autômato tem cara de açucareiro, corpo de aspirador de pó e base de enceradeira.

16 Seminário de Inovação Inovação Incremental Trata-se de um tipo específico de inovação que ocorre quando há pequenos melhoramentos/aprimoramen tos de um produto ou processo já existente, inclusive uma nova aplicação.

17 CONCEITOS BÁSICOS: INOVAÇÃO e TECNOLOGIA

18

19 Os diferentes tipos de inovação...

20

21

22

23 Onde estamos buscando conhecimento para inovação...?

24 Os diferentes tipos de inovação... Demandas das empresas: Gestão Processo Produto Percentual 73% 21% 6% Área das demandas atendidas: Administração Organizacional Recursos Humanos Finanças e Custos Marketing e Vendas Comércio Exterior Produto e Manufatura 17% 10% 27% 18% 5% 23% Fonte: Banco de Dados do PEIEx, em 17/04/2007.

25 Seminário de Inovação EXERCÍCIOS CRIATIVIDADE / INOVAÇÃO 1) Identifique em relação à sua área de atuação três paradigmas que foram quebrados no passado e três que serão quebrados no futuro próximo. 2) Apresente 3 exemplos de inovação em empresas que atuam nos setores mais representativos de seu Estado. 3) Apresente inovações que representem vantagens competitivas para a sua empresa. Extraído com adaptações do livro Oficina do Empreendedor (2000). Fernando Dolabela. Pág.190.

26 Ambiente de Negócios

27

28 O empreendedor...

29 Ele tem um SCRIPT... Ambiente de Negócios

30 Seminário de Inovação Ele tem que Inovar...!

31 ...Fatores Sistêmicos Planejamento...

32 Seminário de Inovação Ser empreendedor... "Reenquadrar" é permitir-se olhar a situação atual como se ela fosse inteiramente diferente de tudo que já vivemos. "Reenquadrar" é buscar ver através de novos ângulos, de forma a perceber que, fracasso ou sucesso, tudo pode ser encarado como aprendizagem. Desta forma, todo o medo se extingue e toda experiência é como uma nova porta que pode nos levar à energia que precisamos, à motivação de continuar buscando o que queremos, à auto-estima que nos sustenta.

33 Sonhar Acreditar Realizar Implementar Avaliar Ser empreendedor...

34 Seminário de Inovação É preciso ter visão!

35 Premissas da Inovação Ter equipe e liderança bem alinhadas para o foco da inovação, criatividade e competitividade. Filme Max Max

36 Ambiente de Inovação

37 Atores e resultados....

38 Ambiente de Inovação

39 Mecanismos de apoio à Inovação Incubadora - Conceito INCUBADORA Emprendedorismo PTC

40 O que é a Incubadora de Empresas ? A Incubadora de Empresas é um programa de apoio à criação e consolidação de micro e pequenas empresas, cuja vertente básica de atuação consiste no oferecimento de um ambiente favorável ao desenvolvimento sustentável de negócios (treinamentos e consultorias em áreas estratégicas, orientação para projetos, informações estratégicas). Ver site

41 Ferramentas de apoio à Inovação Como Inovar? 1. Por quê 2. O quê 3. Quem 4. Como 5. Quando 6. Onde 7. Quanto

42 Observar o cenário de competição Fonte: _de_Porter.png, acessado em 12/04/07. _de_Porter.png

43 Ter ferramentas de mensurar os resultados Balanced ScoreCard (BSC) Missão Valores essenciais Estratégia Balanced scorecard Visão Iniciativas estratégicas Objetivos pessoais Resultados estratégicos Objetivos realizados Clientes encantados Processos eficazes Equipe motivada e preparada Por que existimos? Em que acreditamos? O que queremos ser? Implementação e foco O que precisamos fazer? Nosso plano de jogo O que eu preciso fazer? Resultados almejados

44 Estrutura do BSC

45 Definição de indicadores Da mesma forma serão definidos indicadores para sistema de qualidade, equipe e negócio Para a indústria é comum o uso da metodologia Seis Sigma cujo objetivo é a redução de erros a índice próximo a zero.

46 Definição de indicadores ObjetivosIndicadoresMetas Prod uto Reduzir o índice de devolução dos produtos vendidos Índice de devolução mensal (%) Nº de peças devolvidas _____________________ x 100 Nº de peças vendidas 1,0 % Reduzir refugo interno Índice de refugo mensal (%) Nº peças refugadas _________________ x 100 Nº peças produzidas 1,5 % Reduzir retrabalho interno Índice de retrabalho mensal (%) Nº peças retrabalhadas _________________ x 100 Nº peças produzidas 2,0 % 1. Para processos tecnológicos.

47 Seminário de Inovação Fonte: MBC, apresentação de metas para implantação do PQDF, (2001).

48 Investimentos Públicos para Inovação 0,6%

49 Investimentos da Indústria em Inovação

50 Onde buscar recursos para Inovação? setoriais/

51 Fontes de financiamento Sebrae BNDES Fundos Setoriais Saúde, Agronegócio, TICs, Energia, Verde Amarelo,.... mais ou menos 20 fundos setoriais ver:

52 As políticas públicas de Inovação O objetivo central das ações propostas pelo governo federal é intensificar o processo de crescimento industrial do País, com base em cinco estratégias principais: aumento da especialização da estrutura produtiva, segundo cadeias de produção altamente integradas na economia do país; crescimento intersetorial da produção mais equilibrado; agregação de valor aos produtos exportados; aumento da eficiência produtiva das empresas e melhoria da qualidade dos produtos; e redução do Custo Brasil.

53 Requisitos p/ Inovação Qualidade com Produtividade e Encantamento do cliente... O cliente quer viver uma experiência inesquecível...

54 Ferramentas para a Inovação Programa de Qualidade Ciclo PDCA P DC A Plan Do Control Action

55 Qualidade e Produtividade se faz com gestão de processos Qualidade e Produtividade = Gestão de Processos

56 Organizações maduras atingem seus objetivos de qualidade, prazos e custos de forma consistente e eficiente. Organizações imaturas criam objetivos, mas com muita freqüência perdem seus objetivos por largas margens de erro. Em muitos casos, a qualidade não é a desejada e os prazos e custos podem ser muito maiores do que os planejados O conceito básico sob o termo maturidade é de que as organizações maduras fazem as coisas de modo sistemático e de que as imaturas atingem seus resultados graças aos esforços heróicos de indivíduos, usando abordagens que eles criam mais ou menos espontaneamente.

57 Qualidade e Produtividade = Gestão do Conhecimento JED – Just Enough Discipline - Equilíbrio entre o conhecimento fluído e o institucional – mix de liberdade e controle com a equipe para alcançar inovação, flexibilidade e eficiências operacionais necessárias ao êxito do projeto

58 Qualidade e Produtividade = Gestão do Conhecimento Fluido Espontâneo Criativo Dinâmico Experimental Institucional Estruturado Codificado Controlado Medido Conhecimento Fonte: David Klein, 2004

59 A espiral de criação de conhecimento Modos de conversão de conhecimento por meio de interações entre o conhecimento tácito de um indivíduo (pessoal, específico do contexto e difícil de ser articulado) e seu conhecimento explícito ( transmissível em linguagem sistêmica formal) que é compartilhado nos níveis de grupo organizacional e interorganizacional

60 Desafios para Gerentes da Era do Conhecimento O maior desafio para os gerentes da nova economia é acumular e aplicar conhecimento das práticas de gerência centradas em seres humanos que capacitam as pessoas a serem tudo que podem ser. Criar contextos sociais que maximizam a criatividade e a produtividade humanas. Manter o ambiente da empresa (interno e externo) em equilíbrio mas ao mesmo tempo criar uma segunda força para assegurar que o ambiente empresarial permaneça dinâmico sob risco de atrofia da criatividade, flexibilidade e eficiência. Acomodar as diferenças de competências, habilidades e atitudes

61 Gestão de Pessoas para a Qualidade e Produtividade C onhecimento – o quê fazer H abilidade – como fazer A titude – o quê eu devo fazer Teoria do CHA

62 Gestão de Pessoas para a Qualidade e Produtividade C uidar A ssessorar R epreender E stimular Teoria do CARE

63 Gestão de Pessoas É preciso ter estratégias claras e objetivas É preciso ter metas e todos precisam conhecê-las e estarem comprometidos e motivados a realizá-las!!! Filme 12 - Goal

64 Plano de Ação Estabelecer responsabilidades, prazos, custos, marcos críticos e possibilitar acompanhamento e métricas de resultados do projeto ou programa. Utilizar o Termo de Abertura de Projetos – TAP (PMI)

65 Contatos Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnologico – UnB


Carregar ppt "Seminário de Inovação Florianópolis, 21/06/07 Ednalva Fernandes C. de Morais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google