A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fórum QPC MISSÃO: Promover, fortalecer e integrar Programas Estaduais e Setoriais de QPC, visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fórum QPC MISSÃO: Promover, fortalecer e integrar Programas Estaduais e Setoriais de QPC, visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil."— Transcrição da apresentação:

1

2 Fórum QPC MISSÃO: Promover, fortalecer e integrar Programas Estaduais e Setoriais de QPC, visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil e a qualidade de vida de seus cidadãos. VISÃO: Ser o principal impulsionador dos Programas Estaduais e Setoriais de QPC na promoção do desenvolvimento sustentável do Brasil.

3 Mapa do Negócio Fórum QPC Disseminação de informações e orientações -Participação em eventos -Reuniões periódicas -Elaboração de documentos técnicos e institucionais -Articulação para novos programas Coordenação Geral -Secretaria executiva -Captação de recursos PRODUTO -Informações -Orientações -Agenda nacional a organizar -Alinhamento -Incentivar a criação e manutenção de programas CLIENTES -Programas Estaduais e Setoriais existentes -Programas Estaduais e Setoriais potenciais -MBC -FNQ -Gespública -Gera Ação Fornecedores Parceiros - MBC, Organizações setoriais e estaduais. Apoio estratégico e tático dos Programas Estaduais e Setoriais, FNQ ÓRGÃOS REGULADORES ESTRATÉGICOS MBC, FNQ, Gespública,Gera Ação, Governos, Federações INMETRO, SEBRAE FORNECEDOR/ CONCORRENTES/ CLIENTE -MBC, FNQ -Prêmios setoriais e gerais inconsistentes tecnicamente RETORNO DE INFORMAÇÕES -Atas -Avaliação -Pesquisas -Relatório -Reconhecimento

4 Análise de Cenários Articulação com o MBC por meio da participação no ConPI Articulação com FPNQ, coordenadora da Rede de Prêmios Estaduais Públicos e Privados Existência de prêmios estaduais e setoriais consolidados Importância da palavra produtividade associada à qualidade Maior sensibilidade das organizações para a adoção das melhores práticas de gestão Geração de parcerias Existência de The World Economical Forum e American Society Quality Existência de prêmios setoriais e estaduais inconsistentes tecnicamente Existência de prêmios de qualidade de fachada, podendo retirar credibilidade dos prêmios que efetivamente são consistentes. Ambientes econômico-financeiros de incertezas Desgaste da palavra qualidade Recursos humanos capacitados em modelo de gestão reconhecido nacionalmente restritos a algumas regiões do país Poucas lideranças envolvidas nos estados/ setores Consciência e comprometimento dos membros Capacidade de mobilização e articulação Abrangência e estrutura em rede Competência e habilidade dos membros Alinhamento a modelo de gestão reconhecido nacionalmente Valores associados as características agregadoras e de responsabilidade pública Captação de recursos Divulgação das ações Sistematização de processos Criação de orçamento consolidado Forças Impulsoras (cenários externos) Pontos Fortes (cenários internos) Forças Restritivas (cenários externos) Oport. de Melhoria (cenários internos)

5 Posicionamento Estratégico Clientes Clientes Articular com MBC/FNQ/GESPÚBLICA e Gera AçãoArticular com MBC/FNQ/GESPÚBLICA e Gera Ação Viabilizar e valorizar os PESQPCViabilizar e valorizar os PESQPC Disseminar as melhores práticas de gestãoDisseminar as melhores práticas de gestão Processos Processos Sistematizar os processos de GestãoSistematizar os processos de Gestão Comunicar/divulgarComunicar/divulgar Captar recursos para as açõesCaptar recursos para as ações Responsabilidade Pública Responsabilidade Pública Consolidação e crescimentoConsolidação e crescimento Pessoas Pessoas Estímulo à capacitação de lideranças e profissionaisEstímulo à capacitação de lideranças e profissionais

6 Posicionamento Estratégico Aplicação de métodos de gestão no funcionamento do Fórum Aplicação de métodos de gestão no funcionamento do Fórum Difusão de métodos de gestão e cases de sucesso/ práticas inovadoras adotadas Difusão de métodos de gestão e cases de sucesso/ práticas inovadoras adotadas Definição de Projetos e disponibilização de estrutura para a participação dos Programas Estaduais e Setoriais Definição de Projetos e disponibilização de estrutura para a participação dos Programas Estaduais e Setoriais Estímulo ao desdobramento dos projetos definidos pelo MBC/FNQ/GESPÚBLICA e Gera Ação Estímulo ao desdobramento dos projetos definidos pelo MBC/FNQ/GESPÚBLICA e Gera Ação

7 Fatores Críticos de Sucesso Articulação institucional Articulação institucional Identificação de Lideranças Identificação de Lideranças Entidade Sede e Estrutura mínima Entidade Sede e Estrutura mínima Sistematização de processos (possibilidade de troca de informações e diretrizes) Sistematização de processos (possibilidade de troca de informações e diretrizes) Motivação para o voluntariado Motivação para o voluntariado Comprometimento de lideranças Comprometimento de lideranças Capacidade de comunicação Capacidade de comunicação Uso de tecnologia de gestão Uso de tecnologia de gestão

8 Financeira Foco de Atuação Partes Interessadas Sustentação Estimular voluntariado Promover a educação continuada de membros e gestores Desenvolver a gestão do conhecimento Promover a articulação entre as diversas partes interessadas Promover o uso de tecnologias de gestão Garantir sustentabilidade financeira Buscar consistência técnica nos diversos programas e premiações existentes Disseminar conteúdos para a melhoria contínua dos programas Consolidação, crescimento e consistência dos programas de qualidade Promoção de Resultados nos Setores Prioritários da Rede QPC Gestão e Relacionamento Promover a qualidade, a produtividade e a competitividade no país Estimular cooperação e integração entre os programas Estimular criação / desenvolvimento e fortalecimento de programas regionais e setoriais Liderar o desenvolvimento e compartilhamento de melhores práticas Coordenar a permanente identificação e priorização de oportunidades e necessidades Articular a viabilização e coordenar a implementação das soluções Buscar parcerias e estabelecer redes Captar e aplicar recursos de forma eficiente Missão : Promover, fortalecer e integrar programas estaduais e setoriais de QPC, visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil e a qualidade de vida de seus cidadãos. Visão : Ser o principal impulsionador dos programas estaduais e setoriais de QPC na promoção do desenvolvimento sustentável do Brasil. Apoio no desenvolvimento de produtos

9 Financeira Foco de Atuação Partes Interessadas Sustentação Estimular voluntariado Promover a educação continuada de membros e gestores Desenvolver a gestão do conhecimento Promover a articulação entre os membros do fórum Promover o uso de tecnologias de gestão Garantir sustentabilidade financeira Buscar consistência técnica nos diversos programas e premiações Disseminar conteúdos para a melhoria contínua dos programas Consolidação, crescimento e consistência dos programas de qualidade Promoção de Resultados nos Setores Prioritários da Rede QPC Gestão e Relacionamento Promover a QPC no país e a qualidade de vida dos cidadãos Liderar o desenvolvimento e compartilhamento de melhores práticas Coordenar a permanente identificação e priorização de oportunidades e necessidades Articular a viabilização e coordenar a implementação das soluções Buscar parcerias e estabelecer redes Captar e aplicar recursos de forma eficiente Missão : Promover, fortalecer e integrar programas estaduais e setoriais de QPC, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do Brasil e a qualidade de vida de seus cidadãos. Visão 2010 : Ser o principal impulsionador dos programas estaduais e setoriais de QPC na promoção do desenvolvimento sustentável do Brasil. Estimular criação / desenvolvimento e fortalecimento de programas estaduais e setoriais Estimular cooperação e integração entre os programas e as premiações Apoio no desenvolvimento de produtos

10 Planejamento e Gestão da Estratégia Próximos Passos Redefinição da Estratégia Definição dos Projetos Execução Acompan hmento e Controle FOCO DE HOJE PDC A Avaliação

11 Macro Plano PROGRAMAS/PROJETOS T 4T1T2T3T4T 1 Capacitação dos gestores dos PESQPC 2 Avaliação pelos critérios dos 500 pontos 3 Caravanas da Qualidade 4 Disponibilizar aplicativos / SWs 5 Reunião anual dos presidentes dos conselhos dos programas estaduais 6 Plano de comunicação interna 7 Desenvolver instrumentos de avaliação de APLs 8 Desenvolvimento e criação de novos programas 9 Promover integração dos prêmios MPEs com os Programas Estaduais 10 Desenvolver ambiente de Benchmark 11 Definir / desenvolver projetos / produtos para setores prioritários 12 Plano de comunicação e Marketing 13 Promover a integração dos núcleos do GESPÚBLICA com os programas estaduais 14 Implementação de algumas experiências pilotos de integração região X setor para avaliar desdobramento e o modelo de governança 15 Estabelecer e divulgar manual de procedimentos

12 Macro Plano PROGRAMAS/PROJETOS T 4T1T2T3T4T 1 Capacitação dos gestores dos PESQPC 2 Avaliação pelos critérios dos 500 pontos 3 Caravanas da Qualidade 4 Disponibilizar aplicativos / SWs 5 Reunião anual dos presidentes dos conselhos dos programas estaduais 6 Plano de comunicação interna 7 Desenvolver instrumentos de avaliação de APLs 8 Desenvolvimento e criação de novos programas 9 Promover integração dos prêmios MPEs com os Programas Estaduais 10 Desenvolver ambiente de Benchmark 11 Definir / desenvolver projetos / produtos para setores prioritários 12 Plano de comunicação e Marketing 13 Promover a integração dos núcleos do GESPÚBLICA com os programas estaduais 14 Implementação de algumas experiências pilotos de integração região X setor para avaliar desdobramento e o modelo de governança 15 Estabelecer e divulgar manual de procedimentos

13 Macro Plano PROGRAMAS/PROJETOS T 4T1T2T3T4T 1 Capacitação dos gestores dos PESQPC 2 Avaliação pelos critérios dos 500 pontos 3 Caravanas da Qualidade 4 Disponibilizar aplicativos / SWs 5 Reunião anual dos presidentes dos conselhos dos programas estaduais 6 Plano de comunicação interna 7 Desenvolver instrumentos de avaliação de APLs 8 Desenvolvimento e criação de novos programas 9 Promover integração dos prêmios MPEs com os Programas Estaduais 10 Desenvolver ambiente de Benchmark 11 Definir / desenvolver projetos / produtos para setores prioritários 12 Plano de comunicação e Marketing 13 Promover a integração dos núcleos do GESPÚBLICA com os programas estaduais 14 Implementação de algumas experiências pilotos de integração região X setor para avaliar desdobramento e o modelo de governança 15 Estabelecer e divulgar manual de procedimentos

14 AÇÕES PROPOSTAS / PRAZOS: OBJETIVO: Disponibilizar aplicativos de software para clientes dos Programas. INDICADORES DE CONCLUSÃO DO PROJETO: Software disponível na Rede de Portais. STATUS DAS EXECUÇÕES DATA DE CONCLUSÃO DO PROJETO Dez/2007 Dezembro/ Sônia – ES; Celielza – SE; Freitas - GO. Sônia – ES; Celielza – SE; Freitas - GO. EQUIPE: NOME DO PROJETO DISPONIBILIZAR APLICATIVOS / SWs PADRINHO: Pierry Indicador Prazo - Software disponível na rede de Portais 1.Disponibilizar aplicativo de software do convênio FNQ x Petrobrás; 2.Divulgar aplicativo nos eventos dos Programas; 3.Identificar existência de outros aplicativos para gestão dos programas e divulgá-los. 1.-

15 Macro Plano PROGRAMAS/PROJETOS T 4T1T2T3T4T 1 Capacitação dos gestores dos PESQPC 2 Avaliação pelos critérios dos 500 pontos 3 Caravanas da Qualidade 4 Disponibilizar aplicativos / SWs 5 Reunião anual dos presidentes dos conselhos dos programas estaduais 6 Plano de comunicação interna 7 Desenvolver instrumentos de avaliação de APLs 8 Desenvolvimento e criação de novos programas 9 Promover integração dos prêmios MPEs com os Programas Estaduais 10 Desenvolver ambiente de Benchmark 11 Definir / desenvolver projetos / produtos para setores prioritários 12 Plano de comunicação e Marketing 13 Promover a integração dos núcleos do GESPÚBLICA com os programas estaduais 14 Implementação de algumas experiências pilotos de integração região X setor para avaliar desdobramento e o modelo de governança 15 Estabelecer e divulgar manual de procedimentos

16 AÇÕES PROPOSTAS / PRAZOS: OBJETIVO: Promover a geração de resultados e melhoria de gestão das organizações nos setores definidos como prioritários e promover a mobilização de organizações. INDICADORES DE CONCLUSÃO DO PROJETO: 500 organizações atingidas nos projetos. STATUS DAS EXECUÇÕES DATA DE CONCLUSÃO DO PROJETO Março/2008 Até Março/ EQUIPE: a definir NOME DO PROJETO DEFINIR / DESENVOLVER PROJETOS/PRODUTOS PARA SETORES PRIORITÁRIOS PADRINHO: Pierry Indicador Prazo N° de empresas atingidas nos projetos 1.Credenciar produtos de qualidade no mercado; 2.Levar aos Estados projetos para serem desenvolvidos, tais como: Setor Público: MG / Gespública; Educação: RJ / SP Saúde: RS Fornecedores: RS / BA / ES Terceiro Setor: RS / AM Gestão de Inovação: BA / MBC Turismo: BA / RJ APLs: A definir; Tecnologia de Informação: A definir 3. Para cada projeto: elaborar arquitetura, identificar metodologia e apresentar resultados práticos alcançados com a metodologia aplicada. 1.-

17 Macro Plano PROGRAMAS/PROJETOS T 4T1T2T3T4T 1 Capacitação dos gestores dos PESQPC 2 Avaliação pelos critérios dos 500 pontos 3 Caravanas da Qualidade 4 Disponibilizar aplicativos / SWs 5 Reunião anual dos presidentes dos conselhos dos programas estaduais 6 Plano de comunicação interna 7 Desenvolver instrumentos de avaliação de APLs 8 Desenvolvimento e criação de novos programas 9 Promover integração dos prêmios MPEs com os Programas Estaduais 10 Desenvolver ambiente de Benchmark 11 Definir / desenvolver projetos / produtos para setores prioritários 12 Plano de comunicação e Marketing 13 Promover a integração dos núcleos do GESPÚBLICA com os programas estaduais 14 Implementação de algumas experiências pilotos de integração região X setor para avaliar desdobramento e o modelo de governança 15 Estabelecer e divulgar manual de procedimentos

18 AÇÕES PROPOSTAS / PRAZOS: OBJETIVO: INDICADORES DE CONCLUSÃO DO PROJETO: 23 Programas Estaduais com Manual de Procedimentos STATUS DAS EXECUÇÕES DATA DE CONCLUSÃO DO PROJETO Dezembro/ EQUIPE: Sônia – ES; Celielza – SE; Freitas - GO. NOME DO PROJETO ESTABELECER E DIVULGAR MANUAL DE PROCEDIMENTOS N° de Programas com Manual de Procedimentos N° de Programas com Manual de Procedimentos PADRINHO: Pierry Indicador Prazo Orientar a implantação de uma estrutura de governança e gestão nos Programas Estaduais e setoriais. 1.Elaborar o Manual de procedimentos; 2.Validar o Manual; 3.Disponibilizar aos Programas. 1.-

19 Projeto: PROGRAMA DE MELHORIA DA GESTÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PMG-AP

20 CLIENTES Poderes Executivos: Federal Estadual Municipal Meta: 200 organizações (2008 e 2009)

21 PERFIL DO CLIENTE A imagem do serviço público (Executivo) é de ineficiência e inoperância por: Estrutura departamentalizada Funcionários sem treinamento e desmotivados Instalações inadequadas Falta de equipamentos ou de recursos financeiros e humanos Excesso de burocratização Procedimentos e fluxos que não privilegiam a rapidez e a eficiência.

22 METODOLOGIA PMG-AP: Programa de Melhoria da Gestão na Administração Pública Objetivo: melhoria da gestão dos serviços públicos alinhada com padrões nacionais e internacionais.

23 Fundamentos Gestão Pública

24 CARACTERÍSTICA DA METODOLOGIA GESTÃOANÁLISE CRÍTICAMELHORIAS NECESSIDADES REQUISITOS Partes Interessadas PROCESSO ATIVIDADES RECURSOSPROCEDIMENTOS Pessoal Equipamentos Local Capital Métodos de Trabalho Critérios de Aceitação PRODUTOS Partes Interessadas FALHAS INTERNAS INSATISFAÇÃO FALHAS EXTERNAS MEDIÇÃO DIRETRIZES POLÍTICAS PÚBLICAS Base do PMG Gerenciamento de Processos

25 Processos de Realização PROCESSOS DE REALIZAÇÃO DOS PROGRAMAS PROCESSOS DE EXECUÇÃO FINANCEIRA PROCESSOS DE APOIO

26 MACRO PROCESSO Sensibilizaçã o e Adesão 1 Convite aos gestores 2 Capacita- ção 3 Base Estratégi- ca 4 Projetos / Programas 6 Portal/ TI 7 Ritual de Acompanh amento 8 Avaliação da Gestão 9 Reconheci- mentos 10 Gestão de Processos 5

27 ARQUITETURA DO PROJETO - GOVERNANÇA Líder de Governo Comitê Gestor Secretarias Departamentos Apoio Entidades Nacionais e Programas Estaduais

28 ARQUITETURA DO PROJETO - GOVERNANÇA

29 PRODUTOS FORMATADOS EXISTENTES Symnetics / Macroplan, INDG / Consultorias, GESPUBLICA / MEG ENAP – Escola Nacional de Administração Pública Prêmios Estaduais

30 CONCEPÇÃO DA ESTRATÉGIA EXECUÇÃO DA ESTRATÉGIA ACOMPANHAMENTO DA ESTRATÉGIA MEDIÇÃO DA ESTRATÉGIA 3 4 ESTRUTURA Mapa Estratégico ESTRATÉGIA PLANEJAMENTO DA ESTRATÉGIA 2 Visão Sistêmica Programas de Governo - PPA Portal de Gestão 1 Indicadores Evolução do Processo P D C A

31 EXEMPLOS METODOLÓGICOS PROGRAMAS 1 Estratégia de Governo Alinhamento dos desafios da Prefeitura Visão Sistêmica de Governo Portal da Prefeitura Ferramenta de Gestão Programas Estratégicos - PPA Programas de Governo alinhados à estratégia e às necessidades da sociedade ESTRUTURAÇÃO ACOMPANHAMENTO E GESTÃO PLANO DE GESTÃO PROGRAMAS 2 PROGRAMAS 3 PROGRAMAS 4 PROGRAMAS 5 PROGRAMAS 6 PROGRAMAS 7 PROGRAMAS 8 PROGRAMAS 9 PROGRAMAS n Modelo de Gestão Prefeitura de Porto Alegre Indicadores

32 Fatores Críticos de Sucesso Modelo de Gestão Programas Estruturantes GMR GMD Racionalização das Estruturas Administrativas Modernização da Gestão por Órgão de Governo Articulação Governo – Programa Estadual ARQUITETURA DO PROJETO - GOVERNANÇA

33 Melhorar substancialmente a qualidade dos serviços públicos de saúde, educação, segurança pública, habitação e saneamento Agenda Estratégica Visão de Futuro Estratégias de Longo Prazo Construir um novo padrão de desenvolvimento econômico sustentável, gerador de oportunidades de trabalho Em 2020 a população gaúcha tem a melhor qualidade de vida da América Latina, com oferta de oportunidade de trabalho para todos e de serviços públicos de excelência, particularmente no campo educacional. O Rio Grande do Sul consolida um novo patamar de desenvolvimento socioeconômico e cada vez mais se diferencia pela crescente inovação tecnológica de suas empresas, o elevado nível educacional da população e o uso racional de seus recursos naturais Estimular a criação de um ambiente de inovação tecnológica e empreendedorismo Desenvolver e manter um ensino de excelência, tendo como referência padrões internacionais Promover o desenvolvimento da infra-estrutura econômica, por meio da integração de ações públicas e privadas, para ampliar a competitividade sistêmica Promover o uso racional dos recursos naturais Ampliar a capacidade de inovação tecnológica gaúcha Reduzir as desigualdades regionais por meio de programas especiais junto às regiões deprimidas, estimulando as suas vocações econômicas e culturais Reduzir a pobreza, erradicar a indigência e promover o desenvolvimento social e a redução das desigualdades Consolidar o equilíbrio fiscal e desenvolver a gestão pública orientada para resultados Fomentar o desenvolvimento do esporte e da cultura Oferecer ensino fundamental e médio de qualidade, com redução da repetência e da evasão escolar Modernizar a gestão da receita do Estado Intensificar a atração e promoção de investimentos privados ambientalmente sustentáveis Melhorar os níveis de aprendizagem, atuando intensivamente sobre a estrutura e agentes de ensino Iniciar a reforma do sistema previdenciário estadual Aumentar a competitividade e a sustentabilidade do agronegócio Assegurar que nenhuma criança fique sem saber ler e escrever ao final do 2º ano do ensino fundamental Racionalizar a despesa com esforço compartilhado entre todos os Poderes e reestruturar a dívida pública com a União Implantar o Plano Estadual de Irrigação e otimizar os usos múltiplos da água Ampliar e diversificar as oportunidades de acesso a cursos profissionalizantes de nível médio e a cursos tecnológicos de nível superior Implantar um modelo de gestão pública pautado em resultados Promover o turismo com ênfase na infra-estrutura e no turismo sustentável Implantar sistemas de atendimento às famílias abaixo da linha da pobreza com abordagem integrada Modernizar os serviços públicos Aumentar a eficiência dos órgãos reguladores ambientais e fortalecer os instrumentos de planejamento e gestão ambiental e de recursos hídricos Estimular o empreendedorismo, associativismo e parcerias com o terceiro setor Implantar remuneração relacionada ao desempenho institucional Ampliar os investimentos na infra-estrutura econômica e superar os principais gargalos de transporte Orientar e ampliar o acesso ao sistema de saúde pública por intermédio do Programa de Saúde da Família Atrair e promover investimentos nas regiões em apoio aos sistemas de produção local com base em planejamento estratégico Focalizar o atendimento integral de saúde nos primeiros anos de vida e na terceira idade Ampliar a capacidade e a regionalização da prestação de serviços de saúde especializada Desenvolvimento econômico sustentável: mais e melhores empregos para os gaúchos Desenvolvimento social: mais qualidade de vida para todos Finanças e gestão pública: um estado a serviço do cidadão Priorizar a diversificação da matriz energética, com ênfase nas energias renováveis Viabilizar o acesso da sociedade à cultura Estimular a conexão de novos domicílios à rede de esgotamento sanitário e ampliar as estações de tratamento Promover condições básicas de habitabilidade em parceria com municípios e organismos sociais Intensificar a prevenção à violência e à criminalidade Reduzir a criminalidade Reformar o sistema prisional Estimular a prática de esporte com foco nos jovens Oferecer perspectivas de futuro promissoras à juventude gaúcha Eixo Diretrizes Estratégicas de Governo

34 Visão Geral do Projeto

35 Programas Estruturantes Programas Estruturantes Revisão de Estruturas 10 Órgãos Grandes Grupos de Despesa: Educação, Saúde e Segurança Equilíbrio Fiscal e Modernização da Gestão Pública

36 ARQUITETURA DO PROJETO - GOVERNANÇA AVALIAÇÃO ANUAL DE GOVERNO Líder: Governador Coordenação: Secretário de Planejamento/ Gestão Composição: Governador e Secretários. Obs: excepcionalmente dirigentes dos Órgãos poderão ser convidados, quando necessário. REUNIÕES TRIMESTRAIS DE AVALIAÇÃO DO GOVERNO POR EIXOS Líder: Governador Coordenação: Secretário de Planejamento /Gestão Composição: Governadora, Secretário Executivo das Câmaras Setoriais, Secretários envolvidos nos respectivos eixos de Governo, Coordenadores executivos dos Programas Obs: excepcionalmente convidados específicos podem ser chamados. REUNIÕES DE GESTÃO ESTRATÉGIA DA SECRETARIA Líder: Secretário Coordenação: Assessor de Gestão/Planejamento da respectiva Secretaria Composição: Secretário da Pasta, Diretores da Secretaria, principais cargos-chave com responsabilidade gerencial e respectivos Gerentes de Programas

37 Programas Estruturantes Projetos Estruturantes Ações Estruturantes Nível Estratégico Nível Tático Nível Operacional Taxonomia empregada 11 Programas Estruturantes, sendo que 10 Programas com forte impacto nas Diretrizes Estratégicas 43 Projetos Estruturantes, sendo que: 27 Projetos com forte impacto nos Programas Estruturantes 11 Projetos com médio impacto nos Programas Estruturantes 5 Projetos com baixo impacto nos Programas Estruturantes 147 Ações Estruturantes, sendo que: 84 Ações com forte impacto nos Projetos Estruturantes 47 Ações com médio impacto nos Projetos Estruturantes 13 Ações com baixo impacto nos Projetos Estruturantes Obs.: 3 Ações com conteúdo em definição

38 Análise de Suficiência dos Projetos 27 Projetos com alto grau de contribuição para os respectivos programas estruturantes. 11 Projetos com médio grau de contribuição para os respectivos programas estruturantes. 5 Projetos com baixo grau de contribuição para os respectivos programas estruturantes.

39 Exemplo de Metas do Projeto Auxiliar o Governo do Estado do Rio Grande do Sul a reduzir qualitativamente suas despesas em no mínimo R$ 330 milhões em 17 meses. Qualidade do Gasto GMD: R$ 90 milhões IPE Saúde: R$ 80 milhões Sistema de Compras:R$ 60 milhões Racion. Estrut. Adm.:R$ 100 milhões

40 EXEMPLOS METODOLÓGICOS Projetos/Produtos do PMG-AP PMG - AP Prestação de serviços técnicos especializados para órgãos públicos, visando a execução do PMG – AP, através da implementação de projetos, observados parâmetros estabelecidos em plano de trabalho específico, previamente definido, sem ônus financeiro para o erário público. Projetos / Produtos que integram o PMG – AP: GMR / GMD (17 meses) Gestão Pública de Resultados (12/24 meses) Gestão Estratégica e Gestão de Processos (12/24 meses) Gestão de Processos - PMG Indicadores-Chaves e Solução de Problemas Críticos Implementando Sistemas de Gestão Normativos

41 EXEMPLOS METODOLÓGICOS Projetos/Produtos do PMG-AP è Diagnóstico básico (visita de consultores) è Workshop de sensibilização (fundamentos modernos de Gestão) è Elaboração de plano de ação (1ª Etapa) l Direcionadores estratégicos: PPA / L.D.O / L.O.A è Formação de equipes por áreas e/ou projetos è Capacitação e treinamento è Implementação de ferramentas gerenciais necessárias è Gerenciamento de projetos e processos è Desenvolvimento de indicadores è Pesquisa de satisfação com usuários e partes interessadas è Elaboração de planejamento estratégico (2ª etapa) l Mapa estratégico l Indicadores de medições (estratégicas e organizacionais) l Aplicação do sistema de avaliação da gestão è Giro do PDCA (melhoria contínua) GESTÃO PÚBLICA DE RESULTADOS: PROGRAMA INICIAL (Conteúdo para implementação )

42 RESULTADOS Prefeitura de Porto Alegre/RS – Resultado Orçamento Consolidado Governo do Estado RS – Ganho com arrecadação Prefeitura de Erechim/RS – Aumento da Receita SEDAI/RS – Sistema de Gestão por Indicadores

43 Carteira de Programas Estruturantes Valor do Programa Estruturante: R$ 89,3 milhões Objetivo Programa Estruturante: Alcançar o equilíbrio fiscal estrutural, possibilitando a ampliação da capacidade de investimentos públicos e a qualificação da prestação de serviços do Estado à sociedade. Parcerias: Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade-PGQP, Governo Federal e Banco Mundial Público-Alvo Programa Estruturante: Sociedade gaúcha Nome do Programa Estruturante: Ajuste Fiscal Justificativa do Programa Estruturante: Em dezembro de 2006, o Estado apresentava um déficit orçamentário de R$ 899 milhões e um investimento de apenas 5% da receita corrente líquida. O déficit orçamentário previsto inicialmente para 2007 era de R$ 2,4 bilhões, evidenciando a grave crise financeira do Estado e o risco de colapso na oferta de serviços públicos para o cidadão gaúcho. O saneamento econômico e financeiro do Estado é fundamental para a promoção do bem-estar da sociedade. Diretrizes Estratégicas Impactadas pelo Programa Estruturante: 27 - Modernizar a gestão da receita do Estado 28 - Iniciar a reforma do sistema previdenciário estadual 29 - Racionalizar a despesa com esforço compartilhado entre todos os Poderes e reestruturar a dívida pública com a União Data de Início: jan/2007 Status do Programa Estruturante: Secretário Responsável pelo Programa Estruturante: Aod Cunha de Moraes Jr Coordenador Executivo do Programa Estruturante: Ricardo Englert Projetos associados ao Programa Estruturante: Receita para Crescer - Modernização da Receita Fazendo mais com menos - Racionalização da Despesa Criação de Fundo de Previdência Complementar para Novos Servidores. Data de Término : dez/2010 Regiões Funcionais Beneficiadas pelo Programa Estruturante: Todas Meta(s) do Programa Estruturante (em 2010): Superávit orçamentário de R$ 86 milhões Investimento/Receita Corrente Líquida: 10%

44 Objetivo do projeto: Maximizar o ingresso de receitas próprias, implantando o ICMS eletrônico e aprimorando e intensificando a fiscalização setorial, mecanismos para a cobrança de devedores e a conscientização fiscal. Gerente de Projeto: Ivo Estevão Luft Júnior Parcerias: Público-Alvo do projeto: A sociedade gaúcha Nome do Projeto: Receita para Crescer - Modernização da Receita Meta(s) do Projeto (em 2010): Arrecadação do ICMS: R$ 800 milhões Ações Associadas: Elevação do patamar da arrecadação tributária: SUPER-META. Justificativa: Constituindo um dos eixos fundamentais do atual governo, o alcance do equilíbrio fiscal estrutural é condição necessária e indispensável para que o Estado possa readquirir condições de cumprir suas funções essenciais de prestação de serviços à Sociedade, inclusive retomando sua capacidade de investimentos. Neste sentido, para a realização do ajuste fiscal, é imprescindível o desenvolvimento de ações que possibilitem a maximização do ingresso de receitas próprias, seja pela aproximação da receita efetiva da receita potencial, seja pela elevação do potencial de receita tributária através de medidas que busquem equiparar a carga tributária estadual sobre o PIB ao nível da média nacional das unidades da Federação. Estratégias Impactadas pelo projeto: 27 - Modernizar a gestão da receita Estado Regiões Funcionais Beneficiadas pelo projeto : Todas Data de Início do Projeto: 01/08/2007 Data de Término do Projeto: 31/12/2010 Status do Projeto: Responsáveis pelas Ações: Ivo Estevão Luft Júnior Custo do Projeto: R$ 54 milhões Programa Estruturante Associado: Ajuste Fiscal Carteira de Projetos

45 Objetivo da Ação: Maximizar o ingresso de receitas próprias, implantando o ICMS eletrônico e aprimorando e intensificando a fiscalização setorial, mecanismos para a cobrança de devedores e a conscientização fiscal. Nome da Ação: Elevação do Patamar da Arrecadação – SUPER-META Parcerias: Público-Alvo da Ação: A sociedade gaúcha Meta(s) da Ação: Arrecadação com o ICMS (em R$ milhões): Em 2007 = Em 2008 = Em 2009 = Em 2010 = Regiões Funcionais Beneficiadas pela Ação: Todas Justificativa: Para o ajuste fiscal estrutural do Estado faz-se necessária a Modernização da Receita Estadual que propiciará a maximização do ingresso de receitas próprias, seja pela aproximação da receita efetiva da receita potencial, seja pela elevação do potencial de receita tributária através de medidas que busquem equiparar a carga tributária estadual sobre o PIB ao nível da média nacional das unidades da Federação. Data de Início da Ação: jul/2007 Data de Término da Ação: dez/2010 Status da Ação: Custo da Ação: R$ Responsável pela Ação: Ivo Estevão Luft Junior Programa Estruturante Associado: Ajuste Fiscal Projeto Associado: Modernização da Receita - Receita para Crescer Carteira de Ações

46 Priorização dos Programas Estruturantes

47 Agosto de 2010 em diante entre outubro de 2008 e julho de 2010 Grau de Risco envolvido na estruturação e execução do Programa médio alto Critério Grau de Estabilidade e Segurança das Fontes de Financiamento Baixo Médio Alto Critério Capacidade de Mobilizar Recursos de Parceiros Alto Médio Baixo Agosto de 2007 baixo Segurança Emancipar Saneamento Infra-Estrutura Ajuste Fiscal Modernização da Gestão Saúde Inovação e Emprego / AgroNegócio Educação/ Irrigação Tempo que o Programa necessita para entregar (gerar) resultados significativos Priorização dos Programas Estruturantes

48 Carteira de Projetos* 11 Programas 43 Projetos * Eventuais comentários (no formato texto explicativo, com fundo amarelo) nos templates denotam que até a data do fechamento deste relatório não houve um consenso final entre o parecer técnico da Symnetics e a(s) Secretaria(s) envolvida(s). A etapa de priorização dos Projetos Estruturantes não está concluída por falta do resultado da priorização dos projetos junto aos secretários a ser realizada internamente, sem o apoio da Symnetics.

49 Análise 1: Suficiência dos Programas / Projetos X Diretrizes Estratégicas de Governo – Avaliação Secretários-adjunto e técnicos Diretrizes Estratégicas não atendidas pelos programas estruturantes apresentam média e baixa prioridade

50 Análise 2: Suficiência dos Programas / Projetos X Diretrizes Estratégicas de Governo – Avaliação Força Tarefa Diretriz Estratégicas (de baixa importância) não atendidas pelos programas estruturantes

51 Carteira de Ações Eixo Finanças e Gestão Pública 2 Programas Estruturantes 8 Projetos 19 Ações * Eventuais comentários (no formato texto explicativo, com fundo amarelo) nos templates denotam que até a data do fechamento deste relatório não houve um consenso final entre o parecer técnico da Symnetics e a(s) Secretaria(s) envolvida(s).

52 Análise de Suficiência das Ações

53 Programa de Melhoria da Gestão em Instituições Hospitalares

54 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB...a melhoria da gestão; Objetivos Promover nos hospitais filantrópicos......a cultura da melhoria contínua;...o aumento da satisfação do cliente;...a sinergia com ganho setorial;...a capacitação, o engajamento e a motivação da equipe;...o aumento da produtividade e qualidade através da melhoria dos processos;

55 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB No RS.... Desenvolvimento do conteúdo do projeto; Piloto (Hospital Ernesto Dorneles); Indicação dos hospitais e cronograma do trabalho; Etapas

56 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB No RS....

57 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB (*) Para Facilitadores Resultados no RS

58 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Gestão Operacional Gestão Estratégica Gestão da Informação Modelo

59 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Comissão de Coordenação Coord.:CMB Federações Hospital Programas Estaduais Santas Casas Hospital âncora Gestor Facilitador GOVERNANÇA

60 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Região 1 Região 2 Região 3 Região 4 Região 5 Região 6 Região 7 No Brasil....

61 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB RegiãoEstadoNº de Hospitais Sub- regiões 1 Piaui2 2 Maranhão2 Ceará8 2 Pernambuco3 2 Paraíba3 Alagoas1 Rio Grande do Norte5 3 Bahia9 2 Sergipe2 4 Amazonas1 2 Pará3 Goiás4 Mato Grosso3 Mato Grosso do Sul5 Tocantins1 5 Minas Gerais528 Espírito Santo122 Rio de Janeiro102 6 São Paulo476 Paraná152 7 Rio Grande do Sul508 Santa Catarina152

62 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Cronograma Evento de lançamento do programa DezembroAgostoFevereiroJaneiro Inicio das atividades Carnaval Encerramento do projeto 2 ° quinzena de Fevereiro a 1 ° quinzena de Dezembro 40 semanas Congresso Nacional CMB

63 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Treinamento dos Programas Estaduais Objetivo: Apresentar o projeto, detalhando o conteúdo de cada fase; Revisar todos os conceitos que compõem o projeto; Duração: 8 horas; Local: São Paulo;

64 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Formação dos Consultores Multiplicadores Objetivo: Capacitar os consultores nos conteúdos de cada módulo do projeto; Duração: 16 horas; Local: São Paulo e Salvador; OBS: Nem todos os consultores capacitados atuarão no projeto;

65 Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Perfil dos Consultores Experiência em Gestão por Processo; Visão sistêmica; Desejável experiência no setor de saúde; Experiência na coordenação de equipe; Capacidade em comunicar-se; Disponibilidade para viagens; Disciplina para cumprimento de padrões;


Carregar ppt "Fórum QPC MISSÃO: Promover, fortalecer e integrar Programas Estaduais e Setoriais de QPC, visando contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google