A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PHP Lissandra Fuganti A vida é uma pe ç a de teatro que não permite ensaios... Por isso, cante, ria, dance, chore e viva intensamente cada momento de sua.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PHP Lissandra Fuganti A vida é uma pe ç a de teatro que não permite ensaios... Por isso, cante, ria, dance, chore e viva intensamente cada momento de sua."— Transcrição da apresentação:

1 PHP Lissandra Fuganti A vida é uma pe ç a de teatro que não permite ensaios... Por isso, cante, ria, dance, chore e viva intensamente cada momento de sua vida, antes que a cortina se feche e a pe ç a termine sem aplausos... Charles Chaplin

2 História do PHP Foi criada no outono de 1994 por Rasmus Lerdorf era um conjunto de scripts voltados à criação de páginas dinâmicas. Monitorava o currículo de Rasmus na internet. Rasmus teve que escrever uma implementação em C, a qual permitia às pessoas desenvolverem páginas.

3 História do PHP Rasmus nomeou essa versão que ele implementou por primeiro em PHP/FI(Personal Home Pages/ Forms Interpreter) e decidiu disponibilizar seu código na web, em Compartilhou com outras pessoas, bem como receber ajuda e correção de bugs.

4 História do PHP Em novembro de 1997 foi lançada a segunda versão do PHP. Naquele momento, aproximadamente 50 mil domínios ou 1% da internet já utilizava PHP. No mesmo ano,Andi Guttmans e Zeev Suraski, dois estudantes que utilizavam PHP em um projeto acadêmico de comércio eletrônico, resolveram cooperar.

5 História do PHP Para tanto reescreveram todo o código- fonte com base no PHP/FI2, dando início assim ao PHP3, disponibilizado oficialmente em junho de A extensibilidade, a possibilidade de conexão com vários bancos de dados, novos protocolos, uma sintaxe mais consistente, suporte à orientação a objeto e uma nova API.

6 História do PHP Acabou atraindo vários desenvolvedores ao PHP. No final de 1998, o PHP já estava presente em cerca de 10% dos domínios da internet. Nessa época o significado da sigla PHP mudou para PHP: Hypertext Preprocessor, retratando assim a nova realidade de uma linguagem com propósitos mais amplos.

7 História do PHP

8 No inverno de 1998, após o lançamento do PHP 3, Zeev e Andi começaram a trabalhar em uma reescrita do núcleo do PHP, tendo em vista melhorar sua performance e modularidade em aplicações complexas. Para tanto resolveram batizar esse núcleo de Zend Engine, ou Mecanismo Zend (Zeev + Andi).

9 História do PHP O PHP 4, baseado neste mecanismo foi lançado oficialmente em maio de 2000, trazendo melhorias e recursos novos, como seções, suporte a diversos servidores web, além da abstração de sua API, permitindo inclusive ser utilizado como linguagem para shell script. Nesse momento, o PHP já estava presente em cerca de 20% dos domínios da internet.

10 História do PHP Apesar de todos os esforços, o PHP ainda necessitava maior suporte à orientação a objetos, tal qual existe em linguagens como C++ e JAVA. Tais recursos estão finalmente presentes no PHP5,após um longo período de desenvolvimento que culminou com sua disponibilização oficial em julho de 2004.

11 O que é PHP? É uma das linguagens mais utilizadas na Web. Hoje mais de 10 milhões de sites no mundo inteiro utilizam PHP. A principal diferença em relação às outras linguagens é a capacidade que o PHP tem de interagir com o mundo web, transformando totalmente os websites que possuem páginas estáticas.

12 O que é PHP? Páginas dinâmicas. O que é páginas dinâmicas? Agora imagine um site que possui cerca de 100 páginas. Suponha que no lado esquerdo das páginas há um menu com links para as seções do site. Se alguma seção for incluída ou excluída, o que você faria para atualizar as 100 páginas?

13 Características do PHP Gratuito e com código aberto Manual do php no site acima Ele é embutido no HTML. Extensão.php Baseado no servidor(executado no servidor e o resultado enviado para o navegador).

14 Características do PHP Banco de Dados Portabilidade – podemos executar o PHP no Linux, Unix ou Windows NT

15 Extensão de arquivos A forma mais comum de nomear programas em PHP é a seguinte:.php -> Arquivo PHP contendo um programa..class.php->Arquivo PHP contendo uma classe..inc.php -> Arquivo PHP a ser incluído, pode incluir constantes ou configurações.

16 Programas antigos:.php3 -> arquivo PHP contendo um programa PHP versão 3.php4-> Arquivo PHP contendo um programa PHP versão 4..phtml -> Arquivo PHP contendo um programa PHP e Html na mesma página.

17 Delimitadores de código

18 Comentários Para comentar uma única linha: //echo a; # echo a; Para comentar muitas linhas: /* echo a; echo b; */

19 Comandos de saídas(output) Se o programa PHP for executado na linha de comando(prompt do sistema), a saída será no próprio console. No entanto, se o programa for executado via servidor de páginas web(Apache ou IIS), a saída será exibida na própria página HTML gerada.

20 echo É um comando que imprime uma ou mais variáveis no console. Exemplo: Echo a, b, c; Resultado: abc

21 print É uma função que imprime uma string no console. Exemplo: Print(abc); Resultado: abc

22 Var_dump Imprime o conteúdo de uma variável de forma explanativa, muito comum, para se realizar debug. Se o parâmetro for um objeto, ele imprimirá todos os seus atributos, se for um array de várias dimensões, imprimirá todas elas, com seus respectivos conteúdos e tipos de dados. Exemplo:

23 Var_dump $vetor = array(palio,gol,fiesta,corsa); var_dump($vetor); Resultado: Array(4){ [0]=> String(5) palio [1]=>

24 Var_dump String(3)gol [2]=> String(6) fiesta [3]=> String(5) corsa }

25 Print_r Imprime o conteúdo de uma variável de forma explanativa, assim como a var_dump(), mas em um formato mais legível para o programador, com os conteúdos alinhados e suprimindo os tipos de dados. Exemplo: $vetor = array(palio, gol, fiesta, corsa); Print_r($vetor);

26 Print_r Resultado: Array{ [0]=> palio [1]=>gol [2]=>fiesta [3]=>corsa }

27 Variáveis Variáveis são identificadores utilizados para representar valores mutáveis e voláteis, que só existem durante a execução do programa. Elas são armazenadas na memória RAM e seu conteúdo é destruído após execução do programa. Em PHP atribuí-se um nome de execução sempre precedido por ($).

28 Exemplo de variável Resultado => da Silva, João

29 Algumas dicas: Nunca inicie a nomenclatura de variáveis com números; Nunca utilize espaços em branco no meio do identificador da variável. Nunca utilize caracteres na nomenclatura das variáveis.

30 Algumas dicas: Evite criar variáveis com mais de 15 caracteres em virtude da clareza do código-fonte. Nomes de variáveis devem ser significativos e transmitir a idéia de seu conteúdo dentro do contexto no qual a variável está inserida. Utilize palavras em minúsculo ( separadas por _ ou somente 1ª letra em maiúsculo.

31 Exemplo O PHP é case sensitive, ou seja, é sensível a letras maiúsculas e minúsculas.

32 $$variavel Em alguns casos, precisamos ter em nosso código-fonte nomes de variáveis que podem mudar de acordo com determinada situação. Neste caso, não só o conteúdo da varíavel é mutável, mas também o seu nome.

33 $$variavel Sempre que utilizarmos dois sinais de cifrão ($$) precedendo o nome de uma variável, o PHP irá referenciar uma variável representada pelo conteúdo da primeira.

34 Exemplo $$variavel

35 $variavel Quando uma variável é atribuída a outra, sempre é criada uma nova área de armazenamento na memória. Veja neste exemplo que, apesar de $b receber o mesmo conteúdo de $a, após qualquer modificação em $b, $a continua com o mesmo valor.

36 Exemplo

37 $variavel Para criar referência entre variáveis, ou seja, duas variáveis apontando para a mesma região da memória, a atribuição deve ser precedida pelo operador &. Assim, qualquer alteração em qualquer uma das variáveis reflete na outra.

38 Exemplo & $b =10; Echo $a; // resultado = 10 Echo $b; // resultado = 10 ?>

39 Tipo booleano Um booleano expressa um valor lógico que pode ser verdadeiro ou falso.

40 Tipo booleano { Echo José da Silva; } ?> Resultado: José da Silva

41 São considerados valores falsos: Inteiro 0 Ponto Flutuante 0.0 Uma string vazia ou 0 Um array vazio Um objeto sem elemento Tipo Null

42 Tipo numérico Números podem ser especificados em notação decimal(base 10), hexadecimal (base 16) ou octal (base 8), opcionalmente precedido de sinal (- ou +)

43 Tipo numérico // um número negativo $a = -1234; /*número octal(equivalente a 83 em decimal)*/ $a = 0123; /*número hexadecimal(equivalente a 26 em decimal)*/ $a = 0x1A;

44 Tipo numérico //ponto flutuante $a = 1.234; //notação científica $a = 4e23; ?>

45 Tipo String Uma string é uma cadeia de caracteres alfanuméricos. Para declará-la podemos utilizar aspas simples ou aspas duplas.

46 Tipo array Array é uma lista de valores armazenados na memória, os quais podem ser de tipos diferentes ( números, strings, objetos) e podem ser acessados a qualquer momento, pois cada valor é relacionado a uma chave. $carros = array(Palio, Corsa, Gol); Echo $carros[1]; //resultado = Corsa

47 Tipo objeto Um objeto é uma entidade com um determinado comportamento definido por seus métodos ( ações) e propriedades ( dados). Para criar um objeto deve-se utilizar o operador new.

48 Tipo objeto cpu }...;

49 Tipo objeto }} $obj = new Computador; $obj ->cpu = 500Mhz; $obj->ligar(); ?> Resultado Ligando computador a 500 Mhz...

50 Tipo recurso Recurso (resource) é uma variável especial que mantém uma referência de recurso externo. Recursos são criados e utilizados por funções especiais, como uma conexão de banco de dados, retorna uma variável de referência do tipo recurso. Resource mysql_connect(...)

51 Tipo misto O tipo misto (mixed) representa múltiplos ( não necessariamente todos) tipos de dados em um mesmo parâmetro. Um parâmetro do tipo mixed indica que a função aceita diversos tipos de dados como parâmetro.

52 Tipo Callback Algumas funções como call_user_func() aceitam um parâmetro que significa uma função a ser executada. Um parâmetro callback pode ser o nome de uma função representada por uma string ou o método de um objeto a ser executado, representados por um array.

53 Tipo Null A utilização do valor especial NULL significa que a variável não tem valor. NULL é o único valor possível do tipo NULL.

54 Constantes Uma constante é um valor que não sofre modificações durante a execução do programa. Pode conter valores escalares(boolean, inteiro, ponto flutuante e string). Um valor escalar pode ser composto por outros valores, como vetores ou objetos. As constantes não são precedidas pelo sinal de cifrão ($) e maiúsculo.

55 Constantes Resultado: 100

56 Operadores Atribuição => Um operador de atribuição é utilizado para definir uma variável atribuindo-lhe um valor. O operador básico de atribuição é =.

57 Atribuição $var -=5; $var *=5; $var /=5; ?>

58 Operadores ++$a Pré-incremento. Incrementa $a em um e, então, retorna $a. $a++ Pós-incremento. Retorna $a e, então, incrementa $a em um.

59 Operadores --$a Pré – decremento. Decrementa $a em um e, então, retorna $a. $a - - Pós – decremento. Retorna $a e, então, decrementa $a em um.

60 Aritméticos Operadores aritméticos são utilizados para realização de cálculos matemáticos. + - * / %(Módulo – resto da divisão) Em cálculos complexos, procure utilizar parênteses, sempre observando as prioridades aritméticas. Por exemplo:

61

62 Relacionais Comparadores == Igual. Resulta verdadeiro (TRUE) se expressões forem iguais. === Idêntico. Resulta verdadeiro (true) se as expressões forem iguais e do mesmo tipo de dados.

63 $a =

64 Relacionais != ou <> Diferente. Resulta verdadeiro se as variáveis forem diferentes. < Menor > Maior <= Menor ou igual >= Maior ou igual

65 lógicos ($a and $b) E: Verdadeiro (TRUE) se tanto $a quanto $b forem verdadeiros. ($a or $b) OU: Verdadeiro (True) SE $a ou $b forem verdadeiro. ($a xor $b) XOR: Verdadeiro(true) se $a ou $b forem verdadeiros, de forma exclusiva.

66 lógicos (! $a) NOT: verdadeiro(true) se $a for false ($a && $b) E: verdadeiro(true) se tanto $a quanto $b forem verdadeiro. ($a ||$b) OU: Verdadeiro(true) se $a ou $b forem verdadeiro.

67 Exercícios Resultado: Não vou sair de casa

68 Exercício


Carregar ppt "PHP Lissandra Fuganti A vida é uma pe ç a de teatro que não permite ensaios... Por isso, cante, ria, dance, chore e viva intensamente cada momento de sua."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google