A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Energia e Meio Ambiente. Engenharia Ambiental 2 Os estágios de desenvolvimento, desde o homem primitivo até o homem tecnológico. Moradia e comércio Industria.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Energia e Meio Ambiente. Engenharia Ambiental 2 Os estágios de desenvolvimento, desde o homem primitivo até o homem tecnológico. Moradia e comércio Industria."— Transcrição da apresentação:

1 Energia e Meio Ambiente

2 Engenharia Ambiental 2 Os estágios de desenvolvimento, desde o homem primitivo até o homem tecnológico. Moradia e comércio Industria e agricultura Transporte Alimentação Homem Tecnológico Homem Industrial Homem Agrícola Avançado Homem Agrícola primitivo Homem caçador Homem primitivo 230 x 10³ 77 x 10³ 20 x 10³ 12 x 10³ 6 x 10³ 2 x 10³ Energia total consumida per capita (kcal/dia) Consumo diário per capita (mil kcal) Figura 2.17 Goldemberg Homem e Energia

3 Engenharia Ambiental 3 Homem e Energia

4 Engenharia Ambiental 4 Consumo de Energia em várias regiões dos Mundo

5 Engenharia Ambiental 5 Emissões de CO 2

6 Engenharia Ambiental 6 Temperatura do planeta

7 Fontes de Energia

8 Engenharia Ambiental 8 Fontes mundiais de energia A energia usada pelo homem tem origem em quatro fontes distintas: –Energia radiante emitida pelo sol –Energia das marés Sistema gravitacional terra-lua-sol –Energia geotérmica originada no interior da terra –Energia Nuclear Energia disponível na terra (Potencialmente utilizável) Energiax W Solar Marés3 Geotérmica32 Fotossíntese40 Principais fontes Primárias (mundial) Petróleo35,8% Carvão23,7% Gás Natural20,1% Energia Nuclear6,6% Outros (Biomassa; Solar; Eólica; Hidrelétrica e Geotérmica) 13,8% Fonte : Agência Internacional de Energia (Dados de 1997)

9 Engenharia Ambiental 9 Energia no Brasil Importante setor da infra-estrutura econômica, a indústria de energia no Brasil responde pelo abastecimento de 86% do consumo nacional. Os 14% restantes são importados principalmente petróleo e derivados, carvão mineral, gás natural e, em quantidade menor, energia elétrica.

10 Engenharia Ambiental 10 Energia no Brasil No Brasil, 41% da OIE originam-se de fontes renováveis, enquanto que no mundo essa taxa é de 14% e nos países desenvolvidos é de apenas 6%. Os 59% restantes da OIE vieram de fontes fósseis e outras não renováveis.

11 Engenharia Ambiental 11 Produção de Petróleo A produção nacional de petróleo viveu,também, grande desenvolvimento, graças a vultosos investimentos em prospecção e exploração, que permitiram à Petrobrás a aplicação de tecnologia pioneira no mundo de extração de petróleo em águas profundas, com lâminas d'água de mais de metros (Pré-sal)

12 Engenharia Ambiental 12 Produção de Alcool O programa de produ ç ão de á lcool combust í vel, o Pro á lcool. Criado em 1975, tinha como objetivo substituir parte da gasolina utilizada na frota nacional de ve í culos de passageiros. A produ ç ão de á lcool, que de 1970 a 1975 não passou de 700 mil m3, passou a 2,85 milhões de m3 em 1979 e, em 1997, registrou um n í vel de 15,5 milhões de m3, n í vel m á ximo atingido. A partir deste ano a produ ç ão come ç ou a declinar, chegando a 12,6 milhões de m3 ao final de 2002, depois retomou o crescimento por conta da tecnologia flex-fuel. O Brasil alcançou uma condição única no mudo, tanto na área tecnológica quanto na conquista de mercado que hoje consome 200 mil barris de álcool combustível por dia. André Trigueiro

13 Engenharia Ambiental 13 Gás natural O gás natural é a fonte de energia que vem tendo significativo desenvolvimento nos últimos anos. A descoberta de novas reservas nacionais, elevando o seu volume para 332 bilhões de m3 em 2002.

14 Engenharia Ambiental 14 Redução no consumo de lenha O processo de desenvolvimento das nações induz à redução natural do uso da lenha como fonte de energia. No setor agropecuário, os usos rudimentares da lenha em casas de farinha, em secagem de grãos e folhas, em olarias, em caieiras, na produção de doces caseiros, etc, perdem gradativamente importância em razão da urbanização e da industrialização.

15 Engenharia Ambiental 15 Energia Elétrica Seu parque gerador de eletricidade foi aumentado de 11 GW em 1970, para 30,2 GW em 1979 e para 82,5 GW em 2002 (a capacidade instalada hidráulica, de 65,3 GW em A extensão de linhas de transmissão também foi ampliada de 155 mil quilômetros em 1979 para mais de 220 mil quilômetros em 2002.

16 Engenharia Ambiental 16 Centrais Termelétricas a biomassa no Brasil A grande maioria das usinas estão localizadas no estado de São Paulo, onde está concentrada grande parte do setor sucro-alcooleiro do pais destacam-se também os estados do Paraná e Minas Gerais. Os estados com menor potencial são: Amazonas, Acre, Roraima, Amapá, Maranhão, Tocantins, Piauí e Ceara.

17 Engenharia Ambiental 17 Biomassa Alem da cana de açúcar já mencionado anteriormente existem outras fonte de biomassa com grande potencial energético tais como: –Resíduos Agrícolas: Quanto ao potencial para geração de elétrica através do aproveitamento de resíduos agrícolas destacam-se as regiões sudeste, centro-oeste e região sul principalmente Rio grande do sul e Santa Catarina. –Resíduos de madeira: A geração de energia através do aproveitamento de resíduos de madeira tem maior potencial nos estados do Pará e Paraná.

18 Engenharia Ambiental 18 Óleo Vegetal Em alguns estados brasileiros, principalmente na região Amazônica, verifica-se também a importância de varias plantas para produção de óleo vegetal, que pode ser queimado em caldeiras e motores de combustão interna, para geração de energia elétrica e atendimento de comunidades isoladas do sistema elétrico. Entre estas plantas destaca-se: O dendê, com produtividade média anual de 4 toneladas de óleo por hectare. Outra culturas de grande potencial são o buriti, o babaçu e a andiroba, fartamente encontrados na região.

19 Engenharia Ambiental 19 Energia Solar O Programa de Desenvolvimento Energ é tico do governo federal, instalou mais de 2 mil sistemas de capta ç ão em todo pais. O projeto prioriza setores como eletrifica ç ão de escolas, ilumina ç ão p ú blica, postos de sa ú de e sistemas de bombeamento de á gua.

20 Engenharia Ambiental 20 Energia Solar Segundo a ANEEL, a distribui ç ão regional dos sistema fotovoltaicos de gera ç ão de energia el é trica no Brasilestão localizados nas regiões norte e nordeste do pais.

21 Engenharia Ambiental 21 Energia Eólica A utiliza ç ão de energia e ó lica para gera ç ão de energia el é trica teve inicio no final do s é culo XIX. as turbinas e ó licas no mundo se desenvolveram rapidamente ú ltimos anos, passando do diâmetro de 15m e 50 kW em 1985 para 112m e 4500 kW hoje.

22 Engenharia Ambiental 22 Pequenas centrais hidrelétricas A recentes mudan ç as institucionais e regulamentares, introduzindo incentivos as empreendedores interessados e removendo uma s é rie de barreiras a entrada de novos agentes na industria de energia el é trica, assim como a revisão do conceito de pequenas centrais hidrel é tricas (PCHs)


Carregar ppt "Energia e Meio Ambiente. Engenharia Ambiental 2 Os estágios de desenvolvimento, desde o homem primitivo até o homem tecnológico. Moradia e comércio Industria."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google