A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO Especialização em EJA e Privados de Liberdade Disciplina Práticas de Pesquisa Profª Miriam.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO Especialização em EJA e Privados de Liberdade Disciplina Práticas de Pesquisa Profª Miriam."— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO Especialização em EJA e Privados de Liberdade Disciplina Práticas de Pesquisa Profª Miriam Pereira Lemos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO Especialização em EJA e Privados de Liberdade Disciplina Práticas de Pesquisa Profª Miriam Pereira Lemos GRUPOS FOCAIS COMO TÉCNICA DE INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA: DESAFIOS METODOLÓGICOS Aline, Clara, Eden, Jaqueline Alves, Jurema, Mari Ângela, Patrícia Debortoli, Patricia Silva Martins, Patricio, Sandra Mª H. da Silva,Virgínia. POAJUN/2010

2 GRUPOS FOCAIS: DEFINIÇÃO GERAL Grupo focal é uma técnica de investigação qualitativa comprometida com a abordagem metacientífica compreensivista, ou seja, uma abordagem com o objetivo científico de compreesnão de algum fato social (fenômeno).

3 GRUPOS FOCAIS: DEFINIÇÕES Morgan (1997)Morgan (1997) Técnica de pesquisa que coleta dados por meio das interações grupais ao se discutir um tópico especial sugerido pelo pesquisador. Veiga & Gondim (2001) Recurso para compreender o processo de construção das percepções, atitudes e representações sociais de grupos humanos.Veiga & Gondim (2001) Recurso para compreender o processo de construção das percepções, atitudes e representações sociais de grupos humanos.

4 GRUPOS FOCAIS: CARACTERÍSTICAS Desenvolvimento de entrevistas grupais;Desenvolvimento de entrevistas grupais; Papel do entrevistador e do tipo de abordagem;Papel do entrevistador e do tipo de abordagem; Entrevistador grupal: papel diretivo com cada membro;Entrevistador grupal: papel diretivo com cada membro; Moderador do grupo focal: facilitador do processo de discussão ênfase nos processos psicossociais que emergem, ou seja, no jogo de interinfluências da formação de opiniões sobre um determinado tema;Moderador do grupo focal: facilitador do processo de discussão ênfase nos processos psicossociais que emergem, ou seja, no jogo de interinfluências da formação de opiniões sobre um determinado tema;

5 GRUPOS FOCAIS: CARACTERÍSTICAS EntrevistadorEntrevistador Pressupostos e premissasPressupostos e premissas do pesquisador do pesquisador Forma de reunir informações necessárias para a tomada de decisão; Promotores da auto-reflexão e da transformação social; Técnica para a exploração de um tema pouco conhecido, visando o delineamento de pesquisas futuras. ouve a opinião de cada um e compara as respostas; nível de análise é o indivíduo no grupo; nível de análise é o indivíduo no grupo; unidade de análise do grupo focal é o próprio grupo. unidade de análise do grupo focal é o próprio grupo.

6 MODALIDADES DE GRUPOS FOCAIS EXPLORATÓRIOS Fern (2001) Centrados na produção de conteúdos; Orientação teórica voltada para a geração de hipóteses, para o desenvolvimento de modelos e teorias, enquanto que a prática tem como alvo a produção de novas ideias, a identificação das necessidades e expectativas e a descoberta de outros usos para um produto específico; Ênfase no plano intersubjetivo, ou seja, naquilo que permite identificar aspectos comuns do grupo alvo.

7 MODALIDADES DE GRUPOS FOCAIS CLÍNICOS Fern (2001) Orientação teórica dirigida para a compreensão das crenças, sentimentos e comportamentos, enquanto a prática ocupa-se em descobrir projeções, identificações, vieses e resistência à persuasão. Premissa clínica: muitos comportamentos são desconhecidos pela própria pessoa, daí a importância do julgamento clínico e da observação do outro, o que permite concluir que o aprofundamento da intra-subjetividade no grupo é fator importante desta modalidade.

8 MODALIDADES DE GRUPOS FOCAIS VIVENCIAIS Fern (2001) Os próprios processos internos ao grupo são o alvo da análise e estão subordinados a dois propósitos: Na vertente teórica, o de permitir a comparação de seus achados com os resultados de entrevistas por telefone e face a face. Neste caso, o nível de análise é intergrupal. Na vertente prática, temos a prática centrada no entendimento específico da linguagem do grupo, nas suas formas de comunicação, preferências compartilhadas e no impacto de estratégias, programas, propagandas e produtos nas pessoas. A ênfase aqui é intragrupal.

9 O PROCESSO DA PESQUISA COM GRUPOS FOCAIS Composição dos grupos: número de elementos, homogeneidade ou heterogeneidade dos participantes (cultura, idade, gênero, status social);Composição dos grupos: número de elementos, homogeneidade ou heterogeneidade dos participantes (cultura, idade, gênero, status social); Recurso tecnológico empregado ( face a face ou mediados por tecnologia da informação);Recurso tecnológico empregado ( face a face ou mediados por tecnologia da informação); Decisão dos locais de realização (naturais, contexto onde ocorre; ou artificiais, realizados em laboratório);Decisão dos locais de realização (naturais, contexto onde ocorre; ou artificiais, realizados em laboratório); Características que o moderador venha a assumir (diretividade ou não- diretividade);Características que o moderador venha a assumir (diretividade ou não- diretividade); Tipo de análise dos resultados (de processos e de conteúdo: oposições, convergências, temas centrais de argumentação intra e intergrupal, análises de discursos, linguísticas etc).Tipo de análise dos resultados (de processos e de conteúdo: oposições, convergências, temas centrais de argumentação intra e intergrupal, análises de discursos, linguísticas etc).

10 O PROCESSO DE DISCUSSÃO EM GRUPOS FOCAIS: FATORES DE INTERFERÊNCIA Processos grupais que interferem nos resultados dos grupos focais: 1.Bloqueio de produção; 2.Influência social; 3.Pegar carona; 4.Influência normativa.

11 QUESTÕES METODOLÓGICAS NA PESQUISA DE GRUPOS FOCAIS Cinco críticas dirigidas aos grupos focais: 1.Tamanho da amostra; 2.Falta de controle do desempenho do moderador; 3.Nível de resposta a ser considerado para efeito de análise nos grupos focais; 4.Forma de interpretação dos grupos focais; 5.Limitações de se comparar resultados dos grupos focais com os gerados por outras técnicas de investigação.

12 CONSIDERAÇÕES FINAIS As possibilidades de utilização da técnica dos grupos focais para profissionais e pesquisadores são muitas. Em organizações formais, auxiliam na introdução de programas, na tomada de decisões, na aprendizagem organizacional, no diagnóstico e avaliação da qualidade de serviços, assim como na geração de novas ideias.

13 CONSIDERAÇÕES FINAIS No setor da saúde, viabilizam a abordagem de grupos segmentados (hipertensos, diabéticos, drogadiços, adolescentes gestantes etc.) e a difusão de informações para a população carente. Na política, vêm dando sua contribuição para a avaliação da opinião de eleitores e estudos do comportamento político. No marketing, ampliam a compreensão dos hábitos de consumo e do impacto de produtos, serviços e comerciais.

14 CONSIDERAÇÕES FINAIS Na atuação junto à comunidades, os grupos focais estão auxiliando na compreensão dos grupos sociais desfavorecidos e nas ações comunitárias, ou seja, os pesquisadores encontram nos grupos focais uma técnica que os ajuda na investigação das crenças, valores, atitudes, opiniões e processos de influência grupal, bem como dá suporte para a geração de hipóteses, a construção teórica e a elaboração de instrumentos.

15 CONSIDERAÇÕES FINAIS Dentre as possibilidades de utilização da técnica dos grupos focais para profissionais e pesquisadores, destacamos a possibilidade de utilização desta técnica na escola, ferramenta útil para trabalhos com grupos de pais, professores e alunos.

16 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Grupos focais como técnica de investigação qualitativa: desafios metodológicos. Universidade Federal da Bahia: BA, Disponível em GONDIM, Sônia Maria Guedes. Grupos focais como técnica de investigação qualitativa: desafios metodológicos. Universidade Federal da Bahia: BA, Disponível em


Carregar ppt "UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO Especialização em EJA e Privados de Liberdade Disciplina Práticas de Pesquisa Profª Miriam."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google