A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Teoria Geral da Administração 1IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Teoria Geral da Administração 1IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA."— Transcrição da apresentação:

1 Teoria Geral da Administração 1IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

2 CULTURA ORGANIZACIONAL Crenças, costumes, sistemas de valores, normas de comportamento e formas de fazer negócios, que são peculiares a cada empresa, que definem um padrão geral para as atividades, decisões e ações da empresa e descrevem os padrões explícitos e implícitos de comportamento e as emoções que caracterizam a vida na organização. CULTURA ORGANIZACIONAL Crenças, costumes, sistemas de valores, normas de comportamento e formas de fazer negócios, que são peculiares a cada empresa, que definem um padrão geral para as atividades, decisões e ações da empresa e descrevem os padrões explícitos e implícitos de comportamento e as emoções que caracterizam a vida na organização. CULTURA ORGANIZACIONAL Conjunto de crenças e atitudes da organização em relação a: importância das pessoas; disponibilidade dos administradores; aceitação do não conformismo; clareza dos padrões; empenho em relação ao treinamento e desenvolvimento das pessoas; intimidade; valores éticos e morais; competição interna; orientação para o mercado ou a produção; comunicação interna; capacidade de ação e de adaptação às mudanças externas. CULTURA ORGANIZACIONAL Conjunto de crenças e atitudes da organização em relação a: importância das pessoas; disponibilidade dos administradores; aceitação do não conformismo; clareza dos padrões; empenho em relação ao treinamento e desenvolvimento das pessoas; intimidade; valores éticos e morais; competição interna; orientação para o mercado ou a produção; comunicação interna; capacidade de ação e de adaptação às mudanças externas. 2IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

3 CULTURA ORGANIZACIONAL Um padrão de suposições e valores básicos, inventados, descobertos, ou desenvolvidos por determinado grupo, à medida que ele aprende a lidar com seus problemas de adaptação externa e integração interna, que funcionaram suficientemente bem para serem considerados válidos e, portanto, para serem ensinados aos novos membros como o modo correto de perceber, pensar e sentir em relação a esses problemas. CULTURA ORGANIZACIONAL Um padrão de suposições e valores básicos, inventados, descobertos, ou desenvolvidos por determinado grupo, à medida que ele aprende a lidar com seus problemas de adaptação externa e integração interna, que funcionaram suficientemente bem para serem considerados válidos e, portanto, para serem ensinados aos novos membros como o modo correto de perceber, pensar e sentir em relação a esses problemas. NÍVEIS EM QUE ATUAM AS CULTURAS Primeiro nível: artefatos visíveis: comporta-mentos e criações. Segundo nível: valores visíveis e conscientes. Terceiro nível: Premissas básicas. NÍVEIS EM QUE ATUAM AS CULTURAS Primeiro nível: artefatos visíveis: comporta-mentos e criações. Segundo nível: valores visíveis e conscientes. Terceiro nível: Premissas básicas. 3IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

4 que tipos de pessoas devem ser admitidas na organização e como elas devem ser desenvolvidas; os critérios que determinam o que é desempenho bem-sucedido e quem deve ser promovido; os tipos de comportamento que são desencorajados e que conduzem à censura, ao rebaixamento, ou à demissão; os tipos apropriados de relações interpessoais, isto é, cooperação ou competição, individualismo ou colegiados, que estabelecem o clima do local de trabalho e o estilo de administração. COMO É USADA A CULTURA Os administradores usam a cultura, explicitamente, por meio de credos, políticas e normas, ou, implicitamente, por meio de práticas e decisões, para ajudar a definir: a forma como o negócio é executado; a natureza de conduta com os seus públicos: clientes, órgãos governamentais, comunidades, meios de comunicação, acionistas, consultores, prestadores de serviços; 4IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

5 Existem ramos de negócios que têm cultura característica. Se uma empresa tem uma cultura muito diferente da que é característica do ramo em que atua, poderá ter dificuldades para operar de forma adequada. Existem também subculturas dentro de uma organização: atitudes e pontos de vista diferentes nos escritórios e na área de produção, de cientistas e de vendedores, dos gerentes e dos sindicalistas e das chefias de linha e das assessorias. Unidades de negócios, operando em locais diferentes, ou em ramos de negócios diferentes, podem desenvolver subculturas diferentes. Se desenvolve uma cultura que confronta a cultura estabelecida na empresa, ela se torna uma contracultura. Contraculturas podem ser muito nocivas, mas, em alguns casos, apesar da sua aparência adversária, podem ter vantagens, como válvulas de escape para dissidentes e como testes para novas idéias. 5IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

6 Algumas organizações não têm uma cultura explícita, mas terão sempre uma cultura, que poderá ser implícita. A cultura pode ser explicitada por meio de declarações de princípios, credos, ou, simplesmente, por meio das políticas e normas da organização. Quando se explicita a cultura, temos uma cultura oficial, que são os valores e ideais estabelecidos pela alta administração, os quais podem coincidir ou não com o que é praticado. Quando a cultura real não coincide com a oficial, o que vale é a real. A melhor maneira de identificar a cultura real é observar as preocupações, as decisões e as prioridades da alta administração: as recompensas, as promoções, punições, demissões e as razões que ocasionaram essas decisões. 6IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

7 MUDANÇA DE CULTURA Uma das maiores dificuldades que uma organização pode encontrar é mudar sua cultura. Deve-se lembrar que as decisões sobre as pessoas que foram admitidas se basearam, implícita ou explicitamente, na cultura existente e que as pessoas que permaneceram na organização foram as que já possuíam ou que se adaptaram ou aceitaram os valores e princípios em vigor. Assim, mudar a cultura significará mudar a forma de pensar e agir das pessoas e, em alguns casos, trocar essas pessoas. 7IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

8 A compreensão dos seguintes fatos pode facilitar a mudança: As culturas devem ser mudadas pelo motivo certo. A cultura da empresa não é monolítica. A cultura de uma organização reflete sua liderança. O trabalho de mudança de uma cultura organizacional não pode ser delegado. A mudança de cultura requer envolvimento total. Mudança de cultura é um processo de longo prazo. CLIMA ORGANIZACIONAL O clima organizacional reflete o grau de satisfação do pessoal com o ambiente interno da empresa. Está vinculado à motivação, à lealdade e à identificação com a empresa, à colaboração entre as pessoas, ao interesse no trabalho, à facilidade das comunicações internas, aos relacionamentos entre as pessoas, aos sentimentos e emoções, à integração da equipe e a outras variáveis intervenientes definidas por Likert. 8IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

9 COMUNICAÇÃO O tempo todo, nas empresas, em nosso tempo livre, na escola, em família, temos que conviver e lidar com outras pessoas. Nossas ações com os outros são, quase sempre, atos comunicativos, sejam verbais ou não. A comunicação, intercâmbio de informação e transmissão de significado, é a própria essência de um sistema social ou uma organização. A comunicação é uma mensagem que envolve a transmissão de conteúdos emocionais ou intelectuais, e, na maioria dos casos, ambos estão presentes. A comunicação envolve um fluxo de mão dupla, com um emissor e um receptor, em que o que recebe a informação responde a ela de alguma forma, de imediato ou após certo tempo. 9IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

10 10IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

11 Conselhos de Jack Welch: é preciso investir na comunicação. Tempo e dinheiro investidos na comunicação são os melhores investimentos a curto e longo prazo no desempenho empresarial; a comunicação é o caminho direto para a inovação; a comunicação clara cria expectativas claras. A clareza da comunicação é refletida na clareza das expectativas; a comunicação torna a vida mais simples; é preciso ser frontal; diga-lhes a verdade, em primeiro lugar porque é a opção mais acertada e, em segundo, porque eles acabarão por descobrir de qualquer forma. A comunicação honesta é sempre a melhor atitude para o longo prazo, apesar de tentações ilusórias de curto prazo. 11IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

12 OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO NA EMPRESA O contato direto; Os documentos escritos; Os meios eletrônicos. O CONTATO DIRETO O contato direto, apesar do imenso desenvolvimento das telecomunicações, continua sendo insubstituível como instrumento de comunicação. Existem sinais e indícios, voluntários ou involuntários, que somente são proporcionados pelo contato direto: um gesto, um olhar, um franzir da testa, um sorriso, a postura ou o modo de trajar. Em suma: a linguagem corporal proporciona informações que os outros meios não têm condições de fazer. A entonação também pode mudar completamente o sentido da mensagem. 12IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

13 BUROCRACIA Apesar da afirmação de Weber que o respeito da tradição burocrática prussiana impõe a idéia da superioridade absoluta do modelo hierárquico regulamentar e burocrático em termos de eficácia, a análise dos fatos demonstra que quanto mais prevalece esse modelo, menos eficaz é a organização. A burocracia, no sentido compreendido pelo grande público (o clima de rotina, de rigidez, de sujeição e de irresponsabilidade que caracteriza as organizações das quais se queixam as pessoas), não é de forma alguma uma prefiguração do futuro, mas constitui um legado paralisante em que prevalece uma concepção estreita e limitada da cooperação entre as pessoas. 13IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

14 BUROCRACIA PATOLÓGICA A burocracia pode se tornar patológica, pelas suas próprias características: A formalização excessiva pode estimular a obediência cega às regras, em detrimento dos objetivos e interesses da organização, que precisa de agilidade e flexibilidade. O excesso de zelo burocrático causa processos longos e inúteis, prejudicando a eficiência. 14IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

15 A impessoalidade, presente nas burocracias, leva ao tratamento inadequado dos clientes, causando serviços deficientes aos que constituem a razão de ser da organização. A obediência cega às ordens superiores pode dificultar a implantação de mudanças quando elas se tornam indispensáveis, especialmente nos ambientes em rápida mutação. Para detalhes sobre o relacionamento dos funcionários com clientes em um sistema burocratizado. SINTOMAS DA PATOLOGIA Os sintomas mais visíveis da patologia burocrática são: grande centralização de autoridade na direção superior; existência de controles excessivos, cujo custo é superior ao risco envolvido; valorização excessiva dos controles prévios, em vez dos executados a posteriori; 15IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

16 Dificuldades de relacionamento da organização com seu público externo (usuários, clientes, consumidores, fornecedores etc.), que é tratado sem a prioridade e a importância devidas; o culto do processo, pelo qual a forma se torna mais importante do que os resultados. Quando ocorre a burocratização, a organização carece de eficiência e de eficácia, os resultados tornam-se medíocres ou negativos. A burocracia, além disso, é contagiosa. 16IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

17 O BUROCRATA SEGUNDO SAINT-EXUPÉRY Velho burocrata, meu companheiro aqui presente, ninguém nunca fez com que te evadisses; e não és responsável por isto. Construíste a tua paz tapando com cimento, como fazem os térmitas, todas as saídas de luz. Ficaste enroscado em tua segurança burguesa, em tuas rotinas: nos ritos sufocantes da tua vida provinciana; ergueste essa humilde proteção contra os ventos, as marés e as estrelas. Não queres te inquietar com os grandes problemas e fizeste um imenso esforço para esquecer a tua condição de homem. Não és o habitante de um planeta errante e não lanças perguntas sem resposta: És um pequeno burguês de Toulouse. Ninguém te sacudiu pelos ombros quando ainda era tempo. Agora, a argila de que és feito já secou e endureceu e nada mais poderá despertar em ti o músico adormecido, o poeta, ou o astrônomo que talvez te habitassem anteriormente. 17IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

18 DESBUROCRATIZAÇÃO Desburocratização significa: reduzir custos com procedimentos, papéis e atividades inúteis; reduzir controles cujo custo seja superior ao custo do que é controlado; melhorar o atendimento aos usuários ou consumidores; proporcionar aos funcionários a oportunidade de desenvolverem sua iniciativa e criatividade; agilizar o processo administrativo, pela descentralização de autoridade. 18IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

19 DIFICULDADE DE MUDANÇAS Um sistema burocrático é incapaz de se corrigir em função dos seus erros e suas disfunções tornam-se um dos elementos essenciais ao seu equilíbrio. O primeiro problema que se impõe nesta perspectiva é o da rigidez. Um sistema de organização cuja principal característica é a rigidez não pode se adaptar facilmente à mudança e tenderá a resistir a toda transformação. No entanto, as mudanças são permanentes nas organizações modernas. As transformações necessárias podem ser graduais e quase constantes se os agentes da organização que estão conscientes das suas necessidades têm possibilidade de introduzir as inovações necessárias ou de obter facilmente das autoridades competentes que elas o façam. Mas as organizações burocráticas não deixam tais iniciativas aos escalões inferiores e se arranjam no sentido de distanciar os centros de decisão dos difíceis contatos com os problemas concretos. 19IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

20 QUALIDADE Qualidade compreende todas as propriedades ou características de um produto ou serviço relacionadas à sua capacidade de satisfazer às necessidades explícitas ou implícitas dos que o utilizam, isto é, dos clientes, sem prejudicar os que são afetados pelo uso do produto ou serviço. No caso de um produto, inclui a aparência estética, a durabilidade, a segurança, a confiabilidade, a precisão, o desempenho, o custo da sua operação, a facilidade, as características e as informações adequadas para instalação, uso e manutenção, a cortesia e a presteza no atendimento ao cliente; a assistência técnica e a garantia prestadas pelo fabricante, a uniformidade e padronização dos produtos colocados à venda, e tudo mais que não só o usuário, mas todos os que são afetados pelo produto possam considerar importante para eles ou para a sociedade. 20IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

21 21IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

22 PROBLEMAS DA BAIXA QUALIDADE Perda de vendas: em virtude de melhor qualidade dos produtos dos competidores. Custos de baixa qualidade: queixas de consumidores, ações legais por falta de qualidade, retrabalho de produtos defeituosos, produtos sucateados etc. Ameaças à sociedade: Os produtos da sociedade industrial têm o potencial de aumentar a vida humana; aliviam as pessoas de situações desconfortáveis; proporcionam oportunidades para educação, lazer etc. A continuidade desses benefícios, porém, depende da continuidade do funcionamento adequado dos produtos, isto é, da sua qualidade; não só na produção, mas desde o planejamento do produto. Exemplifica com os efeitos da talidomida, o acidente do reator em Three Mile Island, o escapamento de gás em Bhopal e outros. 22IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

23 PASSOS PARA OBTER QUALIDADE Identificar o público alvo e suas necessidades; Desenvolver produtos que respondam a essas necessidades; Desenvolver processos capazes de produzir esses produtos com a qualidade requerida. PRINCÍPIOS DE DEMING 1.Estabeleça constância de propósitos para a melhora do produto e do serviço. 2.Adote a nova filosofia. Estamos em nova era econômica. Não podemos tolerar erros que afetem a qualidade do produto ou serviço. 3.Não dependa só da inspeção para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio. 23IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

24 PRINCÍPIOS DE DEMING 4.Não aprove orçamentos com base exclusivamente no preço mais baixo. Procure minimizar o custo total. Desenvolva um único fornecedor para cada item, em um relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e confiança. 5.Melhore o sistema de produção e prestação de serviços, de modo a melhorar a qualidade e a produtividade e reduzir de forma sistemática os custos. 6.Institua treinamento no local de trabalho. 7.Institua liderança. A função da administração não é supervisionar e, sim, liderar. 24IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

25 PRINCÍPIOS DE DEMING 8.Elimine o medo, de modo que todos trabalhem eficazmente para a empresa. 9. Elimine as barreiras entre as unidades organizacionais. As pessoas engajadas em pesquisas, projetos, vendas e produção devem trabalhar em equipe, de modo a preverem problemas de produção e de utilização do produto ou serviço. 10.Elimine slogans, exortações e metas que exijam nível zero de falhas. 25IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

26 PRINCÍPIOS DE DEMING 11.Elimine quotas na linha de produção. Substitua-as pela liderança. Elimine o processo de administração por cifras, por metas numéricas. Substitua-os pela administração por processos por meio do exemplo de líderes. 12.Remova as barreiras que privam os operários, as pessoas da administração e as da engenharia do seu direito de se orgulharem do seu desempenho. 13.Institua forte programa de educação e auto-aprimoramento. 14.Engaje todos da empresa no processo de realizar a transformação. 26IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

27 QUALIDADE TOTAL Qualidade total não é um produto perfeito, sem defeito algum. Qualidade total é um sistema de administração visando a obter qualidade em todas as áreas de atuação. A qualidade começa com o projeto, incluindo todas as especificações do produto ou serviço, passando por todas as etapas de produção ou operação, e abrange o atendimento ao cliente e a assistência técnica. Sendo o foco o cliente, a organização deve estar voltada ao mercado, e a qualidade do produto é um dos objetivos a ser atingido. 27IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

28 QUALIDADE TOTAL Um sistema de qualidade total é uma estrutura de trabalho, operando em toda a empresa e documentada em procedimentos efetivos, integrados de forma técnica e gerencial para orientar as ações coordenadas da força de trabalho, das máquinas e das informações da empresa nas formas melhores e mais práticas, com a finalidade de assegurar satisfação ao cliente em relação à qualidade e custos compatíveis com essa qualidade. 28IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

29 OBJETIVOS DA QUALIDADE TOTAL 1.Melhoria na qualidade do produto. 2.Melhoria no projeto do produto. 3.Melhoria no processo de fabricação. 4.Melhoria na moral dos empregados e na consciência para a importância da qualidade. 5.Melhoria na assistência técnica prestada aos consumidores. 6.Melhoria na aceitação pelo mercado. 7.Redução nos custos operacionais. 8.Redução nas perdas resultantes ao longo do processo de fabricação. 9.Redução nos custos dos serviços prestados no campo aos consumidores. 10.Redução nas reclamações. 29IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

30 PRINCÍPIOS DA QUALIDADE TOTAL 1.O cliente como prioridade absoluta. 2.Priorizar a qualidade: entre os fatores de atendimento ao cliente deve ser priorizada a qualidade dos produtos. 3.Ampliação do conceito de qualidade: envolvendo todas as pessoas na sua obtenção e a preocupação com qualidade em todas as fases do processo produtivo e prevendo também a satisfação dos acionistas, colaboradores, comunidade e fornecedores, além, obviamente, dos clientes. 4.Todas as pessoas são responsáveis pela qualidade. 5.Melhoria contínua e sem fim: a qualidade total é um processo dinâmico, que se aperfeiçoa permanentemente. 30IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

31 Aplicação de técnicas estatísticas. Educação e capacitação das pessoas. Mudança radical de mentalidade: deve ser enfatizada a adoção de novos hábitos e atitudes de todas as pessoas na direção do atendimento do cliente, à busca da qualidade, do pensamento no conjunto (empresa) e não em desejos individuais. Liderança: O melhor meio de comunicação é o exemplo: o dirigente deve adotar uma postura de liderança forte para conduzir as pessoas na direção a ser seguida em busca da qualidade e alcance das metas e objetivos da empresa. 31IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

32 CÍRCULO DE CONTROLE DE QUALIDADE Um Círculo de Controle da Qualidade CCQ é formado por um grupo de empregados, geralmente de um mesmo nível ou pertencentes a uma mesma área de trabalho, que identificam problemas ou assuntos relacionados com sua atividade. A composição desses grupos é totalmente voluntária, de iniciativa dos próprios empregados, e deve ser prestigiada e apoiada pelo gerente ou supervisor imediato. O CCQ não tem poder decisório. Meramente, identifica problemas, estuda-os e sugere soluções. A decisão final cabe sempre ao gerente ou supervisor imediato. Este aspecto é fundamental, pois o movimento de CCQ não quebra a cadeia hierárquica da organização, não coloca em risco a função gerencial, mas funciona como auxiliar do gerente. Estamos nos referindo à última afirmação imediatamente anterior. 32IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

33 CARACTERÍSTICAS DO CCQ 1.Um grupo pequeno lotado na mesma área de trabalho, ou no mesmo órgão. 2.A participação dos membros é voluntária. 3.As reuniões são, em princípio, realizadas durante o expediente. (No Japão é comum o CCQ se reunir aos sábados de manhã). 4.Deve haver um treinamento prévio para os participantes. 5.O CCQ não tem poder decisório, sugere alternativas a um executivo, que pode aceitar ou não as sugestões. 6.É indispensável apoio da administração superior para o seu funcionamento. 33IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

34 OBJETIVOS DO CCQ Melhorar a qualidade dos produtos e serviços. Melhorar os índices de produtividade. Melhorar as condições de trabalho. Melhorar a segurança física e humana. Melhorar o fluxo de comunicações na empresa. Melhorar o relacionamento entre gerentes e subordinados. OBJETIVOS DO CCQ Melhorar a imagem da empresa. Proporcionar o surgimento de novos líderes. Reduzir e otimizar custos. Racionalizar métodos, processos e rotinas. Combater o desperdício. Maximizar o aproveitamento dos recursos existentes. Criar condições a fim de que os empregados tenham ambiente para expor suas idéias sugestões e contribuições. 34IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

35 CERTIFICADOS ISO 9000 São certificados, fornecidos no Brasil pelo Inmetro, como órgão certificador oficial, credenciado pela ISO., que atesta que um produto possui consistentemente padrões de qualidade reconhecidos como excelentes em termos internacionais. Esse certificado é muito útil, especialmente para empresas exportadoras, em que os clientes não estão próximos dos produtores e é difícil e caro o processo de avaliação e devolução dos produtos. 35IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

36 NORMAS ISO 9000 ISO Gestão da Qualidade e Garantia da Qualidade – Terminologia; ISO Normas sobre Gestão e Garantia da Qualidade: Diretriz para Seleção e Uso; ISO Sistemas de Qualidade: Modelo para Garantia da Qualidade em Projeto/Desenvolvimento, Fabricação, Montagem e Assistência Técnica; ISO Sistemas da Qualidade: Modelo para Garantia da Qualidade em Fabricação e Montagem; ISO Sistemas da Qualidade: Modelo para Garantia da Qualidade em Teste e Inspeção Finais. 36IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

37 REENGENHARIA Reengenharia é repensar a empresa a partir do zero: se tivéssemos que criar a empresa hoje, faríamos as perguntas: Como definiríamos seu objetivo? Como seria estruturada? Quais seriam seus processos? Quem contrataríamos? Em suma: o que deveria ser feito para a empresa ter êxito? É o repensar fundamental e a reestruturação radical dos processos empresariais que visam a alcançar drásticas melhorias em indicadores críticos de desempenho, como custos, qualidade, atendimento e velocidade. 37IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

38 Fundamental significa que se deve questionar tudo o que é feito, começando pela pergunta: Por que fazemos isto? O que deveríamos fazer no lugar disto? Radical significa que não se pretende só melhorar o que está sendo feito, mas, possivelmente, passar a fazer outra coisa, ou em outro local, ou com outras pessoas. Drástica significa que não se desejam melhoras contínuas e progressivas, mas saltos quânticos de resultados. Processo significa que a ênfase da análise deve ser o processo e não as estruturas, as tarefas, os serviços ou as pessoas. 38IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

39 POR QUE A REENGENHARIA É NECESSÁRIA A concorrência e a necessidade de qualidade: a reengenharia é freqüentemente necessária por causa do aumento da concorrência que obriga a produzir com qualidade cada vez maior e a custos cada vez menores. O poder do cliente: o aumento da competição amplia o poder do cliente. A velocidade das mudanças: as mudanças freqüentes no ambiente externo obrigam a reestruturações e à preocupação de baixar custos. A necessidade de redução de custos: uma das formas mais inteligentes de diminuir custos é cortar atividades que não agregam valor ao produto ou serviço vendido. 39IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

40 ERA DO CONHECIMENTO No século XXI, em que a velocidade das mudanças aumentam, o conhecimento torna-se a principal vantagem competitiva da organização. Saber como administrar o conhecimento é crítico para o êxito e mesmo para a sobrevivência do negócio. A maior parte do conhecimento das organizações está na mente das pessoas que as compõem. Por isso, as pessoas com maior qualificação são mais valorizadas. O que uma organização e seus empregados sabem está no cerne da sua forma de atuação. 40IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

41 CAPITAL INTELECTUAL O capital intelectual é a soma do conhecimento de todos em uma empresa, o que lhe proporciona vantagem competitiva. O capital intelectual constitui a matéria intelectual – conhecimento, informação, propriedade intelectual, experiência – que pode ser utilizada para gerar riqueza. O conhecimento e a informação – não apenas o conhecimento científico, mas a notícia, a opinião, a diversão, a comunicação e o serviço – tornaram-se as matérias-primas básicas e os produtos mais importantes da economia. 41IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

42 ATIVO INTANGÍVEL Ativo que não tem substância física, mas proporciona benefícios econômicos, como: competência dos gerentes, sua experiência e conhecimento da empresa, sistemas administrativos, patentes, softwares desenvolvidos pela empresa, relações com os clientes atuais e potenciais e o conhecimento das suas preferências, relações com fornecedores atuais e potenciais e conhecimento dos seus pontos fortes e fracos, marcas registradas, imagem da empresa no público e na mídia, pesquisas em desenvolvimento, manuais etc. 42IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

43 ADMINISTRAÇÃO DO CONHECIMENTO O ímpeto da administração do conhecimento se deve a: O aumento da importância do conhecimento como vantagem competitiva das organizações. Em um mundo quase sem fronteiras, em que os recursos naturais e a mão-de-obra não qualificada podem ser obtidos no mercado, o conhecimento passou a fazer a diferença para os países e as organizações. A preocupação com estruturas organizacionais simples, que levou à aplicação do downsizing em muitas organizações. A facilidade de ordenar, armazenar, recuperar e disseminar informações proporcionadas pelas redes de computadores e pelos softwares de gerenciamento dessas redes, com custos relativamente baixos. 43IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

44 DADOS Dados são registros sobre fatos, passíveis de serem ordenados, analisados e estudados para se alcançar conclusões. Os dados não estão necessariamente ordenados e estruturados para serem analisados, mas devem ser passíveis disso. Os dados podem ser trabalhados para se transformarem em informações. INFORMAÇÕES Informações são dados que foram organizados e ordenados de forma coerente e significativa para fins de compreensão e análise, ou seja, informação é um conjunto de dados, ordenados e estruturados que possuem relevância e finalidade. 44IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

45 CONHECIMENTO Conhecimento é uma mistura fluida de experiência estruturada, valores, informações contextuais e discernimento técnico que proporciona uma referência para avaliar e incorporar novas experiências e informações. Ele se origina e é aplicado nas mentes das pessoas que possuem conhecimento. Nas organizações, torna-se embutido não só em documentos ou em depositários, mas também nas rotinas, processos, normas e práticas organizacionais. 45IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

46 CONHECIMENTO O conhecimento desenvolve-se pela experiência, que inclui o que absorvemos por meio de cursos, livros e orientadores, bem como pelo aprendizado informal. A experiência refere-se ao que fizemos e o que nos aconteceu no passado. Ao contrário de dados e informações, o conhecimento contém julgamento. Não só pode julgar novas situações e informações à luz do que é conhecido, mas julga-se e refina-se a si mesmo em resposta a novas situações e informações. O conhecimento pode ser comparado a um organismo vivo, crescendo e mudando à medida que interage com o ambiente. 46IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

47 PROCESSOS DE GESTÃO DO CONHECIMENTO Geração: envolve duas tarefas: identificar o conteúdo desejado e fazer as pessoas contribuírem com idéias. Tanto barreiras tecnológicas como culturais e psicológicas têm que ser vencidas. Algumas pessoas têm dificuldade em submeter seu material de forma eletrônica e outras tendem a guardar as idéias para si. Organização: uma vez que a informação foi coletada, deve ser organizada e ordenada para ser representada e recuperada eletronicamente com rapidez e facilidade. Desenvolvimento: é a seleção e o refinamento do material para aumentar seu valor para os usuários. Material em excesso polui a informação e o conhecimento, dificultando sua recuperação e seu uso e podendo rebaixá-lo ao nível de dados. É preciso decidir os conhecimentos que devemos armazenar na rede. Prefiro para, como está na tradução citada. Distribuição: refere-se à forma como as pessoas acessam o material. Existem duas maneiras objetivas: tornando o material fácil de ser encontrado e encorajando seu uso. 47IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

48 IMPORTÂNCIA DA ÉTICA Nenhuma sociedade pode sobreviver e progredir sem um conjunto de princípios e normas que defina o tipo de comportamento socialmente aceito como ético. Desde tempos pré-históricos, as sociedades tinham padrões de comportamento socialmente aceitos como válidos e bons. Moisés precisou do decálogo para liderar o povo que o seguia. O homem primitivo sempre viveu com normas consuetudinárias que regulamentavam as relações entre os indivíduos e a comunidade e, ainda que de forma embrionária, já tinham um caráter moral. 48IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

49 A ÉTICA NAS EMPRESAS Por que a empresa deve ser ética? O que ganha com isso? Primeiro, há que se lembrar que os valores materiais não são os únicos a serem considerados para as empresas. Existem outros valores, como prestígio, respeito do público, dos empregados, dos fornecedores e dos consumidores, confiança nos produtos e nas decisões da empresa, entre outros. Todos esses valores no longo prazo contribuem para os resultados financeiros. Segundo, a empresa ética atrai e retém empregados, clientes e fornecedores éticos e responsáveis. Não se pode esperar lealdade de empregados, clientes e fornecedores antiéticos. Trata-se de uma rua de duas mãos. Se a empresa agir de forma antiética, não reterá empregados éticos e, de antiéticos, pode-se esperar tudo, até roubo, boicote e chantagem. Terceiro, há que se considerar não o sistema empresa, mas o sistema sociedade, pois uma empresa não terá como prosperar solidamente em uma sociedade antiética e rota, e a contribuição que a empresa dá para a formação da sociedade na qual opera reflete-se, de alguma forma, no longo prazo, na própria empresa. 49IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

50 O QUE É UMA EMPRESA ÉTICA? Em um extremo, situa-se a posição de Milton Friedman: há uma, e apenas uma, responsabilidade social das empresas: usar seus recursos e sua energia em atividades destinadas a aumentar seus lucros, contanto que obedeçam às regras do jogo e participem de uma competição aberta e livre, sem enganos e fraudes. No outro extremo, estão os autores que argumentam que sobre toda propriedade pesa uma hipoteca social, que não é suficiente cumprir todas as regras do jogo impostas pela legislação e pelos princípios éticos universais e que cabe aos mais afortunados ajudar os mais pobres. 50IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

51 CONFLITOS DE VALORES Em geral, não é muito difícil saber o que é certo e o que é errado. O problema é mais sério quando ocorrem conflitos de valores: quando se tem que optar entre duas alternativas que parecem ambas antiéticas. Quando isso ocorre, devemos nos perguntar: quais das responsabilidades e valores que estão em conflito estão mais profundamente enraizados na minha vida e nas das pessoas e comunidades que eu prezo? 51IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

52 O CUSTO DA LEGALIDADE Muitas organizações dizem que gostariam de ser éticas, mas não conseguem sê-lo sem pôr em risco sua sobrevivência. Temos que admitir que é preciso fazer algo para lhes dar condições de operarem de forma ética sem esse risco. Provavelmente, elas não têm condições de cumprir a legislação e, por isso, não se consideram éticas. O problema pode estar no custo da legalidade. No Brasil, o custo da legalidade está muito acima da renda da população, e aí reside o problema. O custo da lei deve ser proporcional à situação econômica de cada país. Impostos exagerados criam empresas antiéticas, pela impossibilidade que algumas têm de cumprir as regras. 52IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

53 REDES DE ORGANIZAÇÕES As empresas unem-se cada vez mais em redes de suprimento, denominadas cadeias de valor. Ninguém pensa mais em integração vertical. Cada empresa faz aquilo que é capaz de produzir com vantagem competitiva e compra de outra os insumos necessários. A grande vantagem da formação de redes é a flexibilidade que proporciona, permitindo que empresas pequenas, com investimentos modestos, obtenham vantagens competitivas em relação a grandes organizações. REDES DE ORGANIZAÇÕES As redes podem ser formadas por meio de associações, parcerias, alianças estratégicas, terceirizações, contratos de médio e longo prazos com fornecedores e distribuidores etc. Essas redes substituem os grandes conglomerados e as integrações verticais que visavam à autonomia das organizações. As redes tendem a tornar as organizações mais econômicas, mais flexíveis e, portanto, mais competitivas, mas também mais vulneráveis em alguns casos. As mesmas organizações participam de diversas redes, formando um tecido empresarial complexo. Essas redes permitem a obtenção de grande eficiência por empresas de porte menor. 53IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

54 EQUIPES MULTIDISCIPLINARES As organizações atuais valorizam o trabalho em equipe sobre o individualismo. As equipes serão cada vez mais multidisciplinares. O aumento do conhecimento obriga a especializações maiores. Por outro lado, a complexidade dos problemas e das oportunidades aumenta e abrange, cada vez mais, aspectos e especialidades diferentes. Em conseqüência, somente equipes multidisciplinares têm condições de atuar com eficiência e eficácia na solução de situações complexas: a realidade é multidisciplinar. 54IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

55 PARCERIAS E ALIANÇAS ESTRATÉGICAS As organizações bem-sucedidas vão procurar formar redes estratégicas de alianças, em vez de buscar a auto-suficiência. A competição global requer recursos gigantescos mesmo para as grandes empresas, obrigando-as à formação de parcerias e alianças. A formação de equipes englobando empregados de diversas empresas, membros de uma aliança, deve ser comum. Essas alianças podem incluir: os que desenvolvem os produtos, fornecedores, fabricantes, distribuidores etc. 55IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

56 TERCEIRIZAÇÃO As organizações concentram-se prioritariamente nas atividades estratégicas, nas atividades fins e nas que dão à organização suas vantagens competitivas, terceirizando as demais. As organizações não poderão terceirizar as atividades nucleares, core competencies, que lhes dão as vantagens competitivas sobre os concorrentes. No entanto, as demais atividades tendem a ser cada vez mais terceirizadas. Uma das decisões estratégicas de qualquer organização será identificar as atividades que lhe proporcionam vantagens competitivas, que não devem ser atribuídas a terceiros. 56IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

57 ADMINISTRAÇÃO DO CONHECIMENTO A informação e o conhecimento assumem grande importância e podem chegar a ser mais importantes que os recursos financeiros. A capacidade para aprender é a habilidade de uma organização para gerar e generalizar idéias com impacto. A idéia é que as empresas saibam aprender com todas as experiências a que tiverem acesso, tornando-se o que se chama organização que aprende. As organizações de sucesso estão administrando o conhecimento adquirido pelas suas operações, desenvolvimento de produtos e serviços, pesquisas, atendimento ao cliente, marketing etc. de tal forma que as pessoas que precisam desse conhecimento para seu trabalho têm condições de recuperá-lo com facilidade. 57IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

58 RECURSOS HUMANOS Os recursos humanos estão se tornando o recurso fundamental, em torno do qual se organizam os demais. O conhecimento das organizações está principalmente na mente das pessoas que as constituem. Em função disso, as pessoas que têm mais conhecimento tendem a ser valorizadas. O avanço da tecnologia permitiu uma diminuição no número de níveis hierárquicos e de chefias e as estruturas organizacionais tendem a ser menores. 58IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

59 Aumenta o número de empregados temporários e de tempo parcial em relação ao total de empregados. Tende a haver aumento na rotatividade do pessoal. A competitividade global exige que todos estejam sempre ocupados em atividades produtivas, não sendo tolerável acomodações, tempo ocioso, tempo gasto em atividades inúteis que não produzem valor. As pessoas menos qualificadas tenderão a ser pouco valorizadas. Por outro lado, as pessoas muito qualificadas e com capacidade para trabalhar em equipe tenderão a ser mais valorizadas e somente estas terão êxito no mercado de trabalho altamente competitivo que se visualiza para o futuro. 59IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

60 ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS As estruturas organizacionais tenderão a ser menores e com menos estanqueidade entre as unidades, pois, assim, requerem menos esforços de coordenação e de controle da própria organização, permitindo maior proporção de atividades que agreguem valor ao produto ou serviço. O downsizing, a pirâmide achatada, as alianças e a terceirização são fenômenos que se consolidam. As organizações terão que ser flexíveis e adaptáveis como um organismo. A velocidade das mudanças e sua imprevisibilidade obrigam a adaptações e alterações permanentes, conforme as exigências do ambiente e dos consumidores. Outra tendência é a diminuição dos feudos nas organizações. Deve haver um livre fluxo de comunicações entre as várias unidades da organização. 60IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

61 VELOCIDADE DAS MUDANÇAS A velocidade dos negócios assume importância cada vez maior. A capacidade para mudar é uma das características importantes da organização de sucesso do futuro. Essa capacidade depende da sua agilidade, flexibilidade e velocidade. As fábricas também têm que se ajustar a essas velocidades. É difícil justificar as fábricas exclusivas de uma única linha de produto quando este está sujeito a alta volatilidade. Como a demanda pelos produtos e serviços flutua, as fábricas devem ser capazes de mudar a produção ou fechar as portas. Cada vez mais esse dilema está forçando as empresas a criar fábricas flexíveis. 61IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

62 USO DAS TELECOMUNICAÇÕES A transmissão de informações à distância tende a aumentar exponencialmente. O home banking substituirá boa parte dos serviços das agências. O comércio eletrônico, o trabalho em casa, as organizações virtuais e outras formas de atividades profissionais só aumentarão no futuro próximo. Algumas empresas já estão interligadas com seus fornecedores pelo Electronic Data Interchange (EDI). Boa parte das transações comerciais será feita, cada vez mais, por meio do uso de telecomunicações. O manufacturing resources planning é usado nas modernas empresas industriais. A Oracle ou a SAP, que possuem softwares integrados para todas as áreas das empresas, estão presentes na maior parte das empresas modernas. 62IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

63 PRIORIDADE DO CLIENTE O aumento da competição trouxe para o primeiro plano a importância e a prioridade a ser dada ao cliente. As atividades que adicionam valor para o consumidor ficam cada vez mais importantes, obrigando uma análise permanente do que está sendo feito e por quê. Deve-se, portanto, colocar o poder decisório o mais próximo possível do cliente. Todos na empresa devem estar preocupados com a criação de valor para o cliente. É fácil concluir que os clientes precisam ser ouvidos. Não basta produzir e comercializar o que o cliente deseja. É preciso servi-lo bem. 63IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

64 CULTURA ORGANIZACIONAL Para que a organização funcione como equipe unida, é indispensável forte comprometimento com a cultura e os valores da organização. Não significa que a cultura tenha que ser rígida e uniforme ao longo da estrutura. Pode e deve haver culturas diversas na mesma organização, desde que suas premissas e valores básicos sejam respeitados em todas. 64IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

65 FORMAÇÃO DE LÍDERES Uma organização bem-sucedida deve ser capaz de formar líderes em todos os níveis. Formação de líderes requer apoio e encorajamento e não punições pelos erros involuntários. É parte da responsabilidade da administração superior da organização a criação de um clima que propicie a formação de lideranças. Isso se faz pelo exemplo, pela orientação e pela delegação de responsabilidades pelas decisões, pela criação de um clima de confiança recíproca. Cada administrador deve-se tornar líder, orientador e educador do seu grupo em vez de chefe autoritário. 65IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

66 A PRIORIDADE DA QUALIDADE O aumento da competição e os recursos tecnológicos disponíveis tornam a qualidade prioridade central de qualquer processo produtivo. O diferencial de qualidade que uma empresa é capaz de proporcionar nos seus produtos e serviços vai definir o seu êxito. A quantidade deverá ser conseqüência da qualidade. DESREGULAMENTAÇÃO E PRIVATIZAÇÃO A tendência pela desregulamentação e privatização parece não ter fim. Telecomunicações, serviços públicos, companhias aéreas, serviços financeiros e assistência médica são apenas alguns dos tradicionalmente regulamentados que estão passando por uma mudança traumática. Na maioria desses setores, as fusões e aquisições são típicas. 66IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA

67 FIM DA INTERMEDIAÇÃO Em quase todos os setores, a distância entre o produtor e o usuário final está diminuindo. As várias etapas da distribuição atacadistas, intermediários, varejistas estão sendo reduzidas a uma única etapa. Novos canais estão surgindo. A Internet atinge diretamente o usuário final. 67IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA


Carregar ppt "Teoria Geral da Administração 1IDECC- INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO- PROFESSOR JOSE CORREIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google