A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MÉTODOS TRADICIONAIS MILENARES DE FITOTERAPIA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MÉTODOS TRADICIONAIS MILENARES DE FITOTERAPIA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA."— Transcrição da apresentação:

1 MÉTODOS TRADICIONAIS MILENARES DE FITOTERAPIA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

2 Súmula de aula Conceito de Racionalidade Médica Medicina Chinesa Histórico QI - XUÈ Yin - Yang Cinco elementos Propriedades dos medicamentos Ação dos medicamentos (movimentos) Afinidade com um canal Toxicidade da droga Aplicação da droga Contra-indicações Dietoterapia e Fitoterapia chinesa Exemplos de fitoterápicos e folclores Considerações finais Bibliografia Dúvidas

3 Os dados aqui apresentados são históricos, folclóricos, que podem não condizer com os avanços científicos. Portanto torna-se arriscado o tratamento baseado apenas nesses princípios!

4 Racionalidade: sf. substantivo feminino 1qualidade ou caráter do que é racional, lógico 2capacidade de exercer a própria razão Ex.: carecia da r. dos adultos 3propensão para encarar fatos e idéias de um ponto de vista puramente racional Ex.: a estrita r. de alguns não lhes permite tirar proveito das virtualidades do aleatório 4Rubrica: matemática. propriedade de um ser racional (falando-se de um número, variável ou função) Fonte: Dicionário eletrônico Houais RACIONALIDADE: [Do lat. tard. rationalitate.] Substantivo feminino. 1.Qualidade de racionável ou de racional. 2.V. raciocínio (3). 3.Filos. Numa perspectiva dialética, a qualidade, socialmente construída, da atividade humana que é adequada às finalidades visadas. [Sin. ger.: racionabilidade.]

5 Racionalidade médica, na terminologia proposta por Luz (1988), é essencialmente útil para quem pretende comparar elementos (o que é uma exigência do método estrutural).

6 Segundo essa autora, uma racionalidade médica ou sistema lógico e teoricamente estruturado, tem como condição necessária e suficiente para ser considerado como tal, a presença dos seguintes elementos: 1. Uma morfologia (concepção anatômica); 2. Uma dinâmica vital ("fisiologia"); 3. Um sistema de diagnósticos; 4. Um sistema de intervenções terapêuticas; 5. Uma doutrina médica (cosmologia).

7 Desde o início da sociedade, os seres humanos têm usado substâncias medicinais naturais. Em 2600 a.C., os Babilônios já tinham uma forma primitiva de medicina, expressando a idéia de que uma doença era causada pelo ataque imediato de espíritos maus.

8 As bases da MTC já eram citadas no Huang Di Nei Jing ( a.C. – dinastia Han), sendo formuladas passo a passo em Dinastias futuras (princípio de Yin-Yang, 5 elementos e meridianos na dinastia Xia, Shang, Zhou a.C.)

9 De maneira correspondente, durante esse período inicial, as pessoas das Dinastias Hsia e Shang (séc. 16 a 18 a.C.) na China empregavam os mesmos métodos para combater várias doenças.

10 A descoberta de 14 clássicos médicos em Chang-sha, província de Hunan, em 1973, abriu as portas para o início da medicina herbal chinesa.

11 Estas fontes mencionam 52 doenças, 283 prescrições e 247 tipos de drogas inclusive alcaçuz, Scutellaria, Cnidium, dentre outras ainda usadas hoje em dia.

12 Em 204 d.C. Zhang Zhing Jing reforçava o uso concomitante da acupuntura e ervas medicinais, e aplicação de tratamento de acordo com a diferenciação de sintomas complexos.

13 Ano (d.C.) DinastiaAutorTítuloVol.Ervas 25HanChang Chi, Hua ToShen nung pen tsao ching LiangTao Hung-chingShen nung pen tsao ching TangSu Ching et. al.Hsin hsiupen tsao SungLiu Hang et. al.Kai pao pen tsao SungChang Yu-shi et. al.Chia yu pen tsao SungTang Shen-weiCheng lei pen tsao MingLi Shih-chenPen tsao kang um521892

14 A Medicina Tradicional Chinesa, assim como outras racionalidades médicas orientais, tem uma visão marcante na atenção primária (preventiva) e individualizante, não só na secundária (curativa), onde também desempenha uma importante função, assim como na terciária (reabilitadora). É portanto, uma prática médica milenar completa, abrangente.

15 A sua abordagem é marcada pela integração da pessoa com o meio ambiente e vice- versa, assim como a caracterização do universo pessoal no seu próprio contexto (emoções, valores pessoais, reações individuais, além da infinita busca pela longevidade).

16 MEDICINA CHINESA

17 Indefinida pela sua idade, a fitoterapia chinesa pode datar dos primórdios da história, com históricos arqueológicos com mais de anos de existência (homem de Pequim – época Plistoceno), é parte integrante da chamada Medicina Tradicional Chinesa.

18 Acupuntura, massagens, dietoterapia, técnicas marciais, dentre outras também compõem essa forma milenar de tratamento.

19 Os tratamentos com a chamada Matéria Médica Chinesa, são mais difundidos que outros tratamentos como acupuntura, Lian Gong, Qi Gong, e até mesmo a medicina convencional. Dentre a aplicação dessa matéria médica está também a dietoterapia chinesa.

20 Em torno de 90% da MM são substâncias fitoterápicas ou substâncias nutricionais. Porém ela ainda é composta por substâncias dos reinos mineral e animal, tipo chifre de cervo, lagartixas, escorpiões, testículos animais, cascas de ostras, vísceras de cobras, excrementos animais, urina humana, dentre várias outras substâncias exóticas.

21 Mais fundamentada na racionalidade taoísta/confucionista onde existem duas forças interdependentes e contrárias denominadas Yin e Yang, a fitoterapia chinesa é aplicada de acordo com os princípios básicos de 5 elementos, de teorias do Qi, Xuè, Jing Ye, Zang – Fu, dentre outras.

22 O campo da Fitoterapia Chinesa - o uso de drogas não quimicamente processadas com finalidade terapêutica, segundo os princípios da Medicina Tradicional Chinesa - é frequentemente mal compreendido no Brasil devido à escassez de material bibliográfico que trate o assunto com a profundidade necessária.

23 Não é raro depararmo-nos com erros básicos devido à uma interpretação superficial de regras gerais que não são sempre aplicáveis. Um exemplo comum é a tentativa de aplicar diretamente a correspondência das Cinco Fases (ou Cinco Elementos) da cosmologia chinesa com os chamados cinco sabores, sem levar em consideração as outras propriedades dos compostos.

24 Além disso, uma prescrição fitoterápica na maioria das vezes engloba 5 ou mais componentes, sendo um ou dois deles os agentes principais contra a causa do mal mas tendo os restantes papéis não menos essenciais, como de impedir um efeito colateral indesejado ou encaminhar o agente principal ao locus da doença.

25 Qualquer alimento pode ser classificado conforme as propriedades aqui descritas, e esta classificação forma a base da dietética energética chinesa.

26 Qualquer um concluirá logo que recomendações do tipo este alimento é bom para tal órgão são vazias de significado, do ponto de vista da Medicina Tradicional Chinesa, pois é bom não leva em consideração nenhuma análise das propriedades de um alimento em relação aos vários padrões de desequilíbrio que podem manisfestar-se ligados à um órgão do corpo.

27 Qi - XUÈ

28 É o substrato material e mental do homem; Ele pode assumir diferentes formas dependendo de sua função; existe somente um tipo de Qi.

29 A transformação e a transmutação constantes são a base da fisiologia do Qi dos seres vivos. Indica a forma física e a atividade fisiológica do organismo. Produz e ordena a atividade do organismo.

30 O Qi apresenta dois aspectos principais: Indica a essência aprimorada produzida pelos sistemas internos para nutrir o corpo e a mente (SHEN*). Existem diferentes tipos da essência (Jing) de acordo com a localização e função. Por exemplo; Qi torácico (Zong Qi) que nutre o coração (Xin) e Pulmão (Fei). Indica a atividade funcional dos Zang-Fu (órgãos e vísceras). Qi do fígado (Gan) é responsável pelo fluxo suave do Qi. Qi do pulmão (Fei) é responável pela descida do fluxo de Qi. Logo, o Qi desempenha funções orgânicas de aquecimento (Shen Qi ); Proteção (Wei Qi); Movimento (livre fluxo de Qi); atividade de controle (Pi Qi controla o Xué dentro dos vasos; Fei Qi controla a sudorese; Shen Qi controla a diurese, etc); atividade de transformação (Qi Hua) quando ocorrem entre Qi, Xuè, Jing, Jin Ye.

31 Xuè foi traduzido como sangue, e desempenha uma função semelhante, de nutrição; hidratação e serve de base material para a atividade mental.

32

33 YIN & YANG

34 Duas forças antagônicas, interdependentes, devem equilibrar o estado de saúde do indivíduo.

35 A primeira idéia se associa com as faces sombrias e ensolaradas da montanha. A face ensolarada é a yang e a sombria é Yin.

36 Yin e Yang são interdependentes, já que a existência do Yin depende o Yang e vice versa. Também se controlam mutuamente, pois além de opostos, são complementares. Esse controle exerce um equilíbrio dinâmico, levando a harmonia e a homeostase do organismo.

37 Segundo a MTC, o desequilíbrio dessas duas forças é a base do adoecimento, com a perda da capacidade de auto-regulação, levando ao desequilíbrio.

38 YINYANG InternaExterna EscuraClara LentaRápido RepousoMovimento FrioCalor BaixoAlto ContrátilExpansivo PassivoAtivo PesadoLeve TerrestreAéreo FemininoMasculino AbsorventeSecretante NoiteDia LuaSol Talos e RaízesFolhas, Flores e Frutos

39 Uma não sobrevive sem a outra, e o crescimento do lado Yin dentro do Universo Yang também representa o infinito, reciclagem, renascimento, uma nova vida.

40 Todo o indivíduo possui essas duas forças, seja homem ou mulher. O desequilíbrio se dá pelo excesso ou deficiência de uma ou das duas forças em todo organismo ou em parte dele. As doenças podem ser classificadas mediante o excesso de Yin ou Yang ou a deficiência de Yin ou Yang.

41 5 ELEMENTOS

42 Os princípios da MTC foram forjados na observação da natureza, dos fenômenos naturais, dos princípios do quotidiano. Os elementos madeira, fogo, terra, metal e água compõem os 5 elementos, e com eles os movimentos de geração, inibição, dominância e contra-dominância.

43 As teorias tradicionais geralmente são herméticas, sem falhas, auto-sustentáveis. Isso devido à rigorosidade das diferentes dinastias e/ou aos dogmas culturais.

44 São incorporados aos elementos, nomenclaturas das partes corpóreas, uma tendência primordial da ciência daquela época (+2000 anos). Por várias dinastias, o corpo permanecia inviolável mesmo após sua morte, sendo proibida a dissecção de cadáveres.

45 Por isso a teoria médica chinesa é tão intuitiva, com poucos fundamentos anatômicos, e muitos fundamentos observacionais.

46 Gan (Fígado) Xin (Coração) Pi (Baço) Fei (Pulmão) Shen (Rim) Dan (Vesícula) Wei (Estômago) Xiao Chang (Int. delgado) Da Chang (Int. grosso) Pang Guang (Bexiga) Geração Dominância Contra-dominância RR

47 MADEIRAFOGOTERRAMETALÁGUA ÓrgãoFígadoCoraçãoBaçoPulmãoRim VísceraVesículaIntestino delgadoEstômagoIntestino grossoBexiga SentidoVisão/olhosFala/línguaGestação/bocaOlfatoAudição TecidoTendãoVasoMúsculoPeleOsso SentimentoCóleraAlegriaReflexãoTristezaMedo RuídoGritoRisoCantoPrantoSuspiro OdorRançosoQueimadoPerfumadoPeixePútrido CorVerdeVermelhoAmareloBrancoEscuro/preto SaborAzedo/ácidoAmargoDocePicanteSalgado DireçãoLesteSulCentroOesteNorte EstaçãoPrimaveraVerãoFim de verãoOutonoInverno ClimaVentoCalorUmidadeSecuraFrio

48 Necessariamente os órgãos e vísceras estão em consonância com o estado de saúde ou doença, sendo meramente ilustrados ou nomeados por uma convenção antiga.

49 Meridianos seriam canais por onde circulariam as matérias animadas e inanimadas chamadas Xuè e Qi.

50 O livre fluxo dessas substâncias explicava a fisiologia do corpo, no seu estado de homeostase. Sua obstrução ou o fluxo lentificado gerariam doenças (dentre elas mais freqüentemente, patologias dolorosas – Síndromes Bi).

51 O ensino do uso dos fitoterápicos em medicina chinesa é muitas das vezes confundida devido ao conhecimento dessas teorias, portanto tentaremos ilustrar por um pensamento baseado fundamentalmente nas drogas.

52 PROPRIEDADES DOS MEDICAMENTOS

53 As drogas podem ser classificadas segundo suas propriedades térmicas, ou seja: quentes, mornas, refrescantes e frias, e ainda pode-se falar numa quinta propriedade, a neutra.

54 Drogas frias e geladas diferem na sua propriedade térmica apenas em grau, e na maioria têm os efeitos de dispersar o calor, eliminar o fogo, remover substâncias tóxicas, e nutrir o [yin], e são usadas para curar síndromes de calor [yang].

55 Em contrapartida, drogas de natureza morna ou quente normalmente têm os efeitos de dispersar o frio, aquecer o interior, fortalecer o [yang], e tratar colapsos, e são por isto usadas para tratar síndromes de frio [yin]. Drogas de natureza neutra podem ser usadas para síndromes [yin] ou [yang]. Aconitum spp.

56 O termo sabor refere-se não necessariamente à sensação no paladar causada por uma substância, nesse contexto, mas sim à uma propriedade da substância que é determinada de acordo com seus efeitos no organismo (em termos fisiológicos).

57 Assim, os sabores de muitas drogas descritos nos textos de matéria medica são muitas vezes diferentes do gosto real das drogas. Há cinco sabores básicos: picante, doce, amargo, azedo, salgado e ainda citam outros 2: ausente e adstringente.

58 Como normalmente os sabores doce e ausente coexistem, e azedo e adstringente têm os mesmos efeitos, usa-se habitualmente a expressão cinco sabores.

59 Picante: as drogas picantes têm efeitos de dispersar o agente patogênico exógeno do exterior do corpo e de promover a circulação do [qi] e do sangue. São normalmente usadas para tratar condições leves e do exterior devido à agentes patogênicos exógenos, estagnação de [qi] e/ou de sangue.

60 Doce: têm os efeitos de nutrir, repor, tonificar ou enriquecer diferentes partes ou órgãos do corpo, normalizando a função do estômago e do baço, harmonizando os efeitos de drogas diferentes, e aliviando o espasmo e a dor.

61 São normalmente eficientes para tratar síndromes de deficiência, tosse seca, constipação devido à secura dos intestinos, desarmonia entre o baço e o estômago, e vários tipos de dor. Além disso, também são desintoxicantes.

62 Azedo: têm os efeitos de induzir a adstringência e parar as perdas (de substâncias do corpo).

63 São freqüentemente usadas para tratar suor devido à debilidade, tosse crônica, diarréia crônica, emissão seminal, espermatorréia, enurese, micção freqüente, leucorragia crônica, metrorragia... Citrus aurantium

64 Amargo: as drogas de sabor dito amargo têm os efeitos de dispersar o calor, eliminar o fogo, dominar a rebelião do [qi] ascendente enviando-o para baixo (para tratar tosse e vômitos), relaxar as vísceras, e eliminar a umidade.

65 Tais drogas são usadas para síndromes de fogo, tosse com dispnéia, vômitos, constipação devido à calor-cheio, síndromes de calor-umidade, de frio-umidade e outras. Nelumbo nucifera

66 Salgado: têm efeitos de aliviar constipação por purgação, e dissolver e amaciar massas duras. Embora o sabor salgado seja mais frequente encontrado na Matéria Médica Chinesa como percevejos, tamanduá, urina humana, sanguessugas, casco de tartaruga...

67 São usadas para tratar fezes secas e constipação, escrófula, gota, massas abdominais e outros problemas. Prunus salicina

68 Adstringente: tem ações similares às drogas de sabor azedo. Elas retem e restringem. São usados numa conformação solta (fezes, seminais, urina, suor, prolapso uterino...), que indicam uma lesão do Qi original (após uma doença crônica por exemplo). Essa propriedade se dá geralmente por causa do tanino muitas das vezes o constituinte predominante. Punica granatum

69 Duas substâncias podem ter o mesmo sabor e propriedades térmicas diferentes, ou vice- versa. Menta e ephedra, por exemplo, têm ambas o sabor picante, mas a menta tem propriedade fria e a ephedra quente. Assim, a menta pode ser usada para tratar invasão por vento-calor e a ephedra invasão por vento-frio. Isto ilustra como pode-se escolher uma substância com base no seu sabor e na sua propriedade térmica.

70 A AÇÃO DA DROGA (MOVIMENTO)

71 As drogas também podem ser classificadas por sua ações no corpo em termos do movimento que causam.

72 Subir significa exatamente subir e mandar para cima, descer significar precisamente o oposto, flutuar significa ir para fora ou mandar para a superfície, afundar significa interiorizar ou purgar.

73 As doenças podem localizar-se no corpo em partes diferentes (acima, abaixo, interior ou exterior), e podem ter tendências diferentes de movimento: para cima (por exemplo, vômitos), para baixo (por exemplo, diarréia), para fora (suor noturno) ou para dentro (interiorização de um fator patogênico).

74 Desta forma, deve-se escolher as drogas em acordo com a localização da doença no corpo, mas em oposição à sua tendência de movimento.

75 Drogas que flutuam ou sobem têm ações para cima e para fora, e são usadas para elevar o [yang], aliviar síndromes do exterior por diaforese, dispersar vento ou frio da superfície, induzir ao vômito, restaurar a consciência do paciente, etc.

76 Drogas que descem ou afundam têm ações para baixo e para dentro, e são usadas para dispersar o calor, causar purgação, promover a micção, remover umidade, parar a subida do [yang], mandar para baixo o Qi rebelde a fim de parar o vômito, aliviar tosse e asma, melhorar a digestão para resolver a retenção de alimento, e tranqüilizar a mente. Glycine max

77 Drogas que descem ou afundam têm ações para baixo e para dentro, e são usadas para dispersar o calor, causar purgação, promover a micção, remover umidade, parar a subida do [yang], mandar para baixo o qi rebelde a fim de parar o vômito, aliviar tosse e asma, melhorar a digestão para resolver a retenção de alimento, e tranqüilizar a mente. Eclipta alba

78 Drogas que descem ou afundam têm ações para baixo e para dentro, e são usadas para dispersar o calor, causar purgação, promover a micção, remover umidade, parar a subida do [yang], mandar para baixo o Qi rebelde a fim de parar o vômito, aliviar tosse e asma, melhorar a digestão para resolver a retenção de alimento, e tranqüilizar a mente. Lilium spp.

79 As ações em termos de movimento das drogas são proximamente relacionadas com as suas propriedades e sabores.

80 Drogas picantes e doces ou drogas quentes e mornas normalmente têm a característica de flutuar e subir, enquanto drogas amargas, azedas e salgadas têm usualmente a característica de afundar e descer.

81 Muitas vezes o movimento de uma droga está em acordo com a sua densidade aparente: substâncias leves tendem a flutuar e subir, substâncias pesadas tendem a afundar e descer, mas há exceções a esta regra.

82 E ainda, a forma de processar a substância e a presença de outras drogas numa prescrição pode facilmente influenciar seu movimento.

83 AFINIDADE COM UM CANAL

84 Uma sustância pode exercer efeitos óbvios ou uma ação terapêutica específica em alterações de um certo canal (incluindo o órgão ou víscera relacionado), mas com poucos ou nenhum efeito em outros canais.

85 A afinidade de uma substância por um canal é determinada empiricamente, ou seja, de acordo com sua eficácia em tratar desequilíbrios particulares.

86 TOXICIDADE DA DROGA

87 Nos textos de matéria medica chinesa pode-se observar que algumas drogas têm a classificação de levemente tóxicas, tóxicas, extremamente tóxicas ou mortalmente tóxicas.

88 Isto indica que mesmo dentro da dosagem terapêutica estas drogas têm o grau de toxicidade indicado pela sua classificação, e obviamente deve-se escolher uma substância alternativa.

89 Somente em casos onde for a única alternativa de tratamento pode-se escolher uma droga dentre estas, e aplicá-la com extrema cautela.

90 APLICAÇÃO DAS DROGAS

91 Uma droga pode ser usada sozinha numa prescrição, mas pode ser combinada com uma ou mais drogas.

92 Nos casos onde duas drogas são combinadas, pode-se observar seus efeitos advindos da combinação: REFORÇO MÚTUO, quando drogas de características similares são usadas em coordenação para aumentar os seus efeitos; ASSISTÊNCIA MÚTUA, quando uma droga com algumas características parecidas com a de outra é usada como subsidiária, a fim de fortalecer o efeito da principal; RESTRIÇÃO MÚTUA, quando a combinação é usada para reduzir ou eliminar a toxicidade ou efeitos colaterais das drogas; DETOXICIZAÇÃO MÚTUA, quando uma droga é usada para reduzir a toxicidade da outra; INIBIÇÃO MÚTUA, quando o uso conjunto causa a diminuição ou perda do efeito terapêutico; e INCOMPATIBILIDADE, quando o uso conjunto faz com que a combinação se torne tóxica ou tenha efeitos colaterais.

93 Quando combinando duas ou mais drogas, estas devem ser escolhidas tendo em mente suas interações, e os efeitos de inibição mútua e de incompatibilidade devem ser evitados.

94 CONTRA INDICAÇÕES

95 Além de restrições alimentares que podem ser aplicáveis tanto à doença em si quanto às drogas usadas para combatê-la, são importantes dois grupos de contra-indicações tradicionais: Dezoito Medicamentos Incompatíveis e os Dezenove Medicamentos em Antagonismo Mútuo. Além disso, algumas drogas podem danificar o Qi original do feto e levar ao aborto, e são proibidas durante a gravidez.

96 A FORMAÇÃO DE UMA PRESCRIÇÃO

97 Uma prescrição é muito mais que uma simples coleção de drogas. Entende-se por formar uma prescrição escolher as drogas de acordo com as suas funções dentro da prescrição, baseado nas suas propriedades, sabores, movimentos, afinidade com os canais, e respeitando a sua compatibilidade e contra-indicações.

98 Numa prescrição, as drogas adquirem os seguintes papéis, que devem ser claramente distinguidos por quem prescreve: DROGA PRINCIPAL: a droga principal é a que está destinada a produzir os efeitos que tratarão a raiz ou a manifestação principal de uma síndrome ou doença. DROGA ASSISTENTE: pode ter dois significados, o da droga que é usada para reforçar o efeito da droga principal, ou o da droga que é usada para produzir os efeitos terapêuticos principais no tratamento dos sintomas que acompanham uma síndrome. DROGA COADJUVANTE: pode-se dividir a droga coadjuvante em três tipos. O primeiro reforça os efeitos das drogas principal e assistente ou trata sintomas menos importantes, por si só. O segundo tipo reduz ou elimina a toxicidade das drogas principal e assistente de modo a impedir o aparecimento de efeitos tóxicos ou colaterais. Finalmente o terceiro tipo é usado para lidar com a possibilidade de vômitos após ingerir uma decocção de efeito muito forte, ela deve possuir os efeitos contrários aos da droga principal em termos de compatibilidade mas deve ter efeitos terapêutico suplementares à esta. DROGA-GUIA: há dois tipos de droga-guia, uma para levar as outras drogas ao local onde está instalado o desequilíbrio; e outra para coordenar os efeitos das diversas drogas dentro de uma prescrição.

99 DIETOTERAPIA E FITOTERAPIA CHINESA

100 A dieta e a prescrição herbárea, devem ser compreendidas como terapias interdependentes, que muitas das vezes confunde-se os limites de cada uma. Mas a teoria é praticamente a mesma para a orientação nutricional e a prescrição dentro dessa dialética da medicina tradicional chinesa.

101 Os alimentos e os fitoterápicos são escolhidos segundo suas partes utilizadas (que podem ter efeitos diferentes), sabores (Amargo, Doce, Picante, Salgado, Azedo, e até o neutro), Natureza (frio, refrescante, neutra, morna e quente), Classe [lubrificantes, purgativos, tonificantes, sedativos, reguladores do Qi/Xuè, para a longevidade, para abrir os orifícios, para expelir calor ou frio, para reduzir a umidade (Jin-Ye), etc], e para o tratamento de meridianos.

102 Essas noções sobre a natureza dos alimentos e fitoterápicos eram extremamente importantes, tanto para tratar quanto para evitar os desequilíbrios.

103 Como exemplo tomemos uma pessoa que apresente um quadro de coriza aquosa, por frio, e que esteja alimentando basicamente com frutas e verduras cruas.

104 Se não mudarmos esta visão para a utilização de elementos mornos, com predomínio mais picante, comidas mais aquecidas, certamente a evolução vai ser mais arrastada.

105 Tanto a medicina chinesa quanto a ayurvédica tem o foco para o rejuvenescimento, para a longevidade, culturalmente marcada pela valorização do ancião.

106 EXEMPLOS DE FITOTERÁPICOS CHINESES FOLCLORE E FATOS CIENTÍFICOS

107 GERGELIM (Sesamum indicum) HEI ZHI MA (Cânhamo de Bárbaro)

108 Dizia-se que uma mulher chinesa na China antiga consumiu gergelim por mais de 80 anos, o que a fez viver mais de 90 anos de idade e ainda parecer uma mulher jovem. Aos 90, ainda podia andar 300milhas (~ 480 km) ao dia e correr tão rápido quanto um cervo. Um documento chinês relata que o gergelim pode ser fervido e transformado em comprimidos tão grandes quanto balas de projétil. Tomando-se um comprimido ao dia por um ano, você terá uma cutis brilhante. Tomando-se a mesma dosagem por 2 anos, os cabelos grisalhos irão embora; Por 3 anos, os dentes perdidos irão crescer novamente; por 4 anos, você estará completamente livre de doenças; por 5 anos, você será capaz de correr tão rápido quanto um cavalo; e por toda a vida, você irá atingir a longevidade. Os chineses acreditam que a pele pode se tomar bela, não por vegetais ou frutas apenas, mas também por uma quantidade adequada de óleos vegetais, em particular o gergelim.

109

110 O gergelim é chamado de cânhamo de bárbaro em chinês, porque se parece com um cânhamo e foi originalmente importado de um país estrangeiro na divisa oeste da China por um general chinês chamado Zhang Qian, quando foi enviado pelo imperador chinês para conquistar aquele país em 119 a.C. Deve ser salientado que os chineses consideraram todos os estrangeiros como bárbaros durante aquele período da história chinesa.

111

112 Parte utilizada: Semente seca Essência: propriedade neutra Sabor: Doce Canais envolvidos: Pulmão, Baço, Fígado e Rim. Usos tradicionais: Umedece a secura, suaviza os intestinos, nutre o sangue, fígado e rins. Aplicações – Debilidade generalizada, fezes secas, deficiência do fígado e estômago, paralisia devido a vento-umidade. Constituintes químicos: Óleos graxos (ácido oléico, ácido linoléico, ácido palmítico, ácido esteárico, sesamina, sesamol, vitamina E) Farmacologia: Efeito purgativo – sementes Efeito hipoglicemiante – Após alimentar os ratos com extrato, os níveis sanguíneos de açúcar são menores. Parte utilizada: Semente seca Essência: propriedade neutra Sabor: Doce Canais envolvidos: Pulmão, Baço, Fígado e Rim. Usos tradicionais: Umedece a secura, suaviza os intestinos, nutre o sangue, fígado e rins. Aplicações – Debilidade generalizada, fezes secas, deficiência do fígado e estômago, paralisia devido a vento-umidade. Constituintes químicos: Óleos graxos (ácido oléico, ácido linoléico, ácido palmítico, ácido esteárico, sesamina, sesamol, vitamina E) Farmacologia: Efeito purgativo – sementes Efeito hipoglicemiante – Após alimentar os ratos com extrato, os níveis sanguíneos de açúcar são menores. As sementes de gergelim são ricas em manganês, cobre e cálcio (90mg de cálcio por colher de sopa para sementes integrais (não descascadas) e 10mg para sementes descascadas), e contém Vitamina B1 e Vitamina E. Elas contém um poderoso antioxidante (chamados "lignans" em inglês), que também é anticancerígeno. Elas também contém fitoesteróis, que bloqueam a produção de colesterol. Os nutrientes do gergelim são melhores absorvidos se triturados antes do consumo.

113

114 As sementes de gergelim contêm uma grande variedade de princípios nutritivos de grande valor: lipídos mais ou menos 52%, praticamente todos eles constituídos por ácidos graxos insaturados, o que lhes confere uma grande eficácia na redução do nível de colesterol no sangue. Entre as gorduras, encontra-se a lecitina, que desempenha um papel importante no nosso organismo. E componente essencial do tecido nervoso, também se encontra no sangue, no sêmen e na bile e intervém na função das glândulas sexuais. A lecitina é um poderoso emulsionante, que facilita a dissolução das gorduras em meio aquoso. Uma das suas funções no sangue consiste em manter dissolvidos os lípidos, especialmente o colesterol, evitando assim que se deposite nas paredes das artérias. O gergelim é, com a soja, o mais rico em lecitina. - Proteínas (20 %) de alto valor biológico, formadas por 15 aminoácidos diferentes com elevada proporção de metionina (aminoácido essencial). - Vitaminas, especialmente a E (tocoferol), a B1 ou tiamina (0,1 mg por 100 g) e a B2 ou riboflavina (0,24 mg por 100 g). - Minerais e oligoelementos diversos especialmente cálcio, fósforo, ferro, magnésio, cobre e cromo. - Mucilagens, ao que deve sua ação laxante suave. A lecitina é um poderoso emulsionante, que facilita a dissolução das gorduras em meio aquoso. Uma das suas funções no sangue consiste em manter dissolvidos os lípidos, especialmente o colesterol, evitando assim que se deposite nas paredes das artérias. O gergelim é, com a soja, o mais rico em lecitina. - Proteínas (20 %) de alto valor biológico, formadas por 15 aminoácidos diferentes com elevada proporção de metionina (aminoácido essencial). - Vitaminas, especialmente a E (tocoferol), a B1 ou tiamina (0,1 mg por 100 g) e a B2 ou riboflavina (0,24 mg por 100 g). - Minerais e oligoelementos diversos especialmente cálcio, fósforo, ferro, magnésio, cobre e cromo. - Mucilagens, ao que deve sua ação laxante suave.

115 DENTE DE LEÃO ASIÁTICO (Taraxacum spp.) PU GONG YING (Erva do Pescador)

116 A filha de 16 anos de um oficial do governo na China antiga estava sofrendo de mastite com protuberância triangular debaixo de seu seio esquerdo. Estava com dor e muito preocupada, mas não se atreveu a contar a ninguém sobre isso, porque interiormente se sentia muito envergonhada. Mas sua doença foi subseqüentemente descoberta por sua empregada, que contou a seu pai, implorando a ele que procurasse um médico. Em interrogatório sobre a condição de sua filha, o oficial ficou muito bravo porque suspeitava que sua filha tivesse feito algo imoral que ocasionasse a doença. Correu para o quarto de sua filha e começou a golpeá-la no rosto. "Como você pode fazer tal coisa vergonhosa, você é uma desgraça para sua família," gritou seu pai. A empregada insistia que sua filha nunca tinha saído sozinha e que não havia possivelmente feito nada imoral. O pai não a ouviu e então sua filha fugiu de casa naquela noite de vergonha e desespero. Foi para a margem do rio e, pensando que ninguém poderia estar por perto naquela hora para vê-Ia, rapidamente pulou no rio numa tentativa de cometer suicídio.

117 Entretanto, um pescador estava junto com sua filha de 16 anos de idade em um barco a remo. Quando ouviram o barulho na água, a filha do pescador instantaneamente pulou no rio para salvá-la. Uma vez que estavam ambas a bordo, o pescador ficou surpreso ao ver que aquela garota tinha a mesma idade de sua filha. A filha do pescador começou a trocar as roupas da garota e, no processo, descobriu o inchaço no seio esquerdo da jovem moça. Naquele momento, imediatamente compreendeu a razão para sua tentativa de suicídio. Após contar ao seu pai sobre isso, o pescador respondeu: "A primeira coisa que faremos pela manhã será apanhar algumas plantas para o seu seio." A planta era uma erva perene, com suco leitoso branco, flores amarelas e raízes retas, porém carnudas e grossas. Encontraram as raízes à beira da estrada não longe do rio. Desenterraram algumas plantas que tinham aproximadamente 100gde peso, lavaram- nas bem e as ferveram em água. Então disseram à garota para beber o líquido. Enquanto isso, esmagaram algumas das plantas e as aplicaram no seio externamente. Após ouvir o paradeiro e sobre a tentativa de suicídio, o oficial e sua esposa, muito preocupados e profundamente arrependidos, correram para ver o pescador e levar sua filha para casa. Sua filha, grata em lágrimas, disse adeus ao pescador e sua filha e foi para casa com seus pais, levando um feixe de plantas com ela. Antes dela ir embora, o pescador lembrou-a de continuar usando as ervas para sua doença. Após ter se recuperado, pediu a sua empregada para plantar a erva no seu jardim. Então sempre se lembraria do pescador, e nomeou a planta em homenagem a ele mesmo sem saber seu nome.

118

119

120

121 Nome comum - Dente-de-leão asiático. Família - Compositae. Nome chinês - Erva de uma perna de Flores amarelas (chamada assim porque suas flores são amarelas e a planta tem a aparência de ter apenas uma longa perna). Nome científico - Taraxacum nwngolicum,Hand.-Mazz., Taraxacum sinicum, Kitag., e Taraxacum heterolepis olepis, Nakai e H. Koidz. Nome farmacêutico – Herba taraxaci. Parte usada- Planta inteira. Dosagem - 20g. Sabor - Amargo e doce. Energia - Fria. Classe- Ervas para reduzir o calor excessivo dentro do corpo (Classe2). Meridianos – Baço e estômago. Ações - Melhorar o calor, neutralizar os efeitos tóxicos, dispersar o intumescimento e cicatrizar os carbúnculos. Indicações - Carbúnculos, intumescimento, mastite, infecções urinárias e tonsilite aguda. Nome comum - Dente-de-leão asiático. Família - Compositae. Nome chinês - Erva de uma perna de Flores amarelas (chamada assim porque suas flores são amarelas e a planta tem a aparência de ter apenas uma longa perna). Nome científico - Taraxacum nwngolicum,Hand.-Mazz., Taraxacum sinicum, Kitag., e Taraxacum heterolepis olepis, Nakai e H. Koidz. Nome farmacêutico – Herba taraxaci. Parte usada- Planta inteira. Dosagem - 20g. Sabor - Amargo e doce. Energia - Fria. Classe- Ervas para reduzir o calor excessivo dentro do corpo (Classe2). Meridianos – Baço e estômago. Ações - Melhorar o calor, neutralizar os efeitos tóxicos, dispersar o intumescimento e cicatrizar os carbúnculos. Indicações - Carbúnculos, intumescimento, mastite, infecções urinárias e tonsilite aguda.

122 EFEDRA CHINESA (Ephedra sinica) MA HUANG (PROCURE POR PROBLEMAS)

123 Um herbanário chinês sem filhos decidiu aceitar um discípulo para ajudá-Io com seu trabalho e para quem ele poderia ensinar sua profissão. O discípulo era uma pessoa impaciente, e após ter estudado sob a orientação de seu mestre por apenas alguns meses, quis abrir sua própria clínica. Entretanto, o velho herbanário foi relutante em deixá-Io ir, não simplesmente porque precisava de sua ajuda, mas porque não achava que estava pronto para seus próprios pacientes. Antes que você vá para cuidar de sua própria clínica, há uma coisa que deve lembrar", advertiu o herbanário. "Há uma planta cujas folhas e raízes têm efeitos opostos: As folhas podem induzir a transpiração, enquanto as raízes podem reduzi-Ia. Você deve manter isto em mente ao tratar seus pacientes." Mas o discípulo estava agarrado as suas próprias plantas e escassamente ouviu o que seu mestre estava dizendo. No grande dia de inauguração da clínica, o filho de um juiz sentiu-se mal e estava transpirando abundantemente, então o juiz levou seu filho à clínica.

124 O discípulo anterior usou as folhas de uma planta em grande quantidade para tratar o jovem paciente, com a intenção de produzir resultados rápidos. Ao invés do esperado, o paciente começou a transpirar ainda mais abundantemente após tomar a erva. E seus braços e pernas começaram a ficar tão frios quanto gelo; de fato, seu corpo inteiro estava tremendo de frio. O juiz ficou furioso e correu com seu filho ao velho herbanário, que então disse ao juiz que seu discípulo anterior tinha usado a planta errada; ao invés de usar as raízes da planta, havia usado as folhas, sem perceber que estas iriam realmente induzir a transpiração. O juiz mais tarde convocou o jovem herbanário e disse a ele: "Ao tratar pacientes sem muito conhecimento, você está procurando por problemas." Daí, a planta passou a se chamar "procure por problemas"

125

126

127 MA HUANG Nome farmacêutico: Herba Ephedrae Nome botânico: Ephedra sinica Stapf. Nome comum: Efedra Parte utilizada: Partes aéreas Propriedades: Picante, amarga e amornante. Locais de ação: Bexiga e pulmão. AÇÕES: Alivia o exterior e dispersa Frio: Para padrões de Vento Frio com febre baixa, calafrios ausência de sudorese cefaléia e pulso superficial. Particularmente indicada para síndromes exteriores. Facilita o movimento do Qi do pulmão e controla mucosidade: Para tosse e mucosidade obstruindo o Qi do Pulmão por Vento-Frio. Esta erva leva o fluxo do Qi a fluir mais facilmente, e descender. Ela é importante para padrões externos e internos com mucosidade no nariz. Promove urinação e reduz edema: Para edemas associado à síndrome do Tae Yang.

128 Chinês – Ma huang (Procure por Problemas). Nome comum - Efedra chinesa. Família - Ephedraceae. Nome chinês - Erva de amarelo entorpecido (chamada assim porque produz sensações de entorpecimento e é amarela). Nomes científicos - Ephedra sinica, Stapf, Ephedra interrnedia, Schrenk e c.A. May, e Ephedra equisetina, Bge. Nome farmacêutico - Herba ephedrae. Parte usada - Talos secos. Dosagem - 6g. Sabor - Picante e amargo. Energia - Morna. Classe - Ervas para induzir a transpiração (Classe 1). Meridianos - Pulmões e vesícula biliar. Ações - Induzir a transpiração, dispersar o frio (quando crua), superar a asma (quando frita) e promover a micção. Indicações – Doença febril devido ao excesso exterior, febre, medo do frio, anidrose, tosse com dispnéia, edemas. Chinês – Ma huang (Procure por Problemas). Nome comum - Efedra chinesa. Família - Ephedraceae. Nome chinês - Erva de amarelo entorpecido (chamada assim porque produz sensações de entorpecimento e é amarela). Nomes científicos - Ephedra sinica, Stapf, Ephedra interrnedia, Schrenk e c.A. May, e Ephedra equisetina, Bge. Nome farmacêutico - Herba ephedrae. Parte usada - Talos secos. Dosagem - 6g. Sabor - Picante e amargo. Energia - Morna. Classe - Ervas para induzir a transpiração (Classe 1). Meridianos - Pulmões e vesícula biliar. Ações - Induzir a transpiração, dispersar o frio (quando crua), superar a asma (quando frita) e promover a micção. Indicações – Doença febril devido ao excesso exterior, febre, medo do frio, anidrose, tosse com dispnéia, edemas.

129

130

131 PRECAUÇÕES E CONTRA-INDICAÇÕES: Para pessoas com insônia, transpiração espontânea, pressão alta. Se usar muito ou por muito tempo, causa transpiração excessiva e enfraquece o corpo. O uso desta erva pode levantar a pressão arterial e causar tremores. PRINCIPAIS COMPONENTES QUÍMICOS: Efedrina, pseudoefedrina, efedina, 1-alpha-d-terpineol, 1-N-methylephedrine,1-nor-ephedrine. PESQUISA CLÍNICA E FARMACOLÓGICA: Efeito diaforético: A Herba Ephedrae, tem efeito diaforético em animais e humanos. Ela causa diaforese em pessoas que tem dificuldade para transpirar. Efeito antiviral: A Herba Ephedrae, tem ação inibitória contra vírus de gripe. Ação no sistema cardiovascular: Herba Ephedrae é vaso constritor estimula os vasos e aumenta a pressão sanguínea. Este efeito é suave, mas prolongado. Efeito diurético: Herba Ephedrae tem um marcante efeito diurético. Ação no sistema nervoso central: É excitante, pode causar insônia e irritabilidade. Ação nos músculos lisos: Causa broncodilatação e alivia broncoespasmos. Um estudo com a fórmula Ma Huang Tang usado numa série de pacientes com asma brônquica teve 98% da resposta clínica.

132 Nome IUPAC (sistemática)IUPAC (1R,2S)-2-(methylamino)-1-phenylpropan-1-ol Identificadores CAS ATCR01AA03 PubChem5032 DrugBanknil Informação química Fórmula molecular C C 10H15NO HNO Massa molar g/mol Farmacocinética Biodisponibil idade 85% Metabolismomínimo hepáticohepático Meia-vida3-6 horas Excreção22-99% renalrenal Considerações terapêuticas Administraçã o oraloral, IV, IM, SCIVIMSC efedrina é uma amina simpatomática similar aos derivados sintéticos da anfetamina, muito utilizada em medicamentos para emagrecer, pois ela faz com que o metabolismo acelere, queimando mais gordura (através da termogênese - produção de calor), porém causa uma forte dependência, o que fez a droga ser proibida para este uso, mas ainda pode ser encontrada em algumas farmácias em forma de remédios destinados para problemas respiratórios. Esses remédios, variam de 15mg a 25mg de efedrina por comprimido. Atualmente, os remédios mais conhecidos que contém a droga são o xarope Marax® (Cloridrato de Hidroxizina, Sulfato de Efedrina 25mg, Teofilina) da Pfizer e Franol® (Teofilina e Sulfato de Efedrina 15mg). A efedrina é um composto químico cristalino, encontrada em certas plantas da família das efedráceas, dotados de folhas escamiformes, ramos delgados e articulados, e floração dióica, ou sintetizada, que possui mais de 40 espécies distribuídas em regiões de clima temperado e subtropical. É empregada como medicamento e também empregado em doping.

133 O uso de efedrina também pode causar ótimos efeitos adicionais se administrado com aspirina (o famoso ECA). No caso o medicamento Efedrina originalmente foi feito para pessoas asmáticas, mas tem como efeito secundário na elevação da temperatura corporal, facilitando a queima da gordura. A Cafeína já funciona como um sinergista, aumentando ainda mais os efeitos da efedrina. Já a aspirina serve como um agente que diminui a produção de prostaglândinas, já que a combinação de efedrina com cafeína aumenta a produção do mesmo diminuindo a ação dessa combinação. Diminuindo a produção das prostaglândinas, ai sim o efeito termogênico fica otimizado. A dosagem recomendada seria de 30 a 50mg de Efedrina(procure na farmácia por Franol, nele tem 15mg de efedrina então tome dois), 200 a 300mg de cafeína (manda manipular comprimidos de 150mg, mais uma vez tome dois) ou melhor e mais fácil, tome 200ml de café bem forte e 300 a 500mg de aspirina que no caso será um comprimido inteiro! Mulheres poderão ter um ótimo resultado com a metade da dosagem máxima descrita acima!!! texto escrito por :Rafael Big Raffa Bracca Atleta de Fisiculturismo Graduado em Educação Física e Pós-Graduado em Exercício Resistido e Nutrição Esportiva. (treino pesado) Fonte:

134

135 ALCAÇUZ(Glycyrrhiza glabra) GAN CAO (Raiz Doce)

136 Um herbanário popular saiu de casa para fazer atendimentos a domicílio e por mais de um mês não havia retomado. Isto estava naturalmente causando ansiedade entre seus pacientes que chegavam para tratamento. Sua esposa estava muito preocupada com estes pacientes e decidiu fazer algo a respeito. Como conhecia pouco sobre ervas, começou a experimentar todas – provou ervas azedas,amargas, salgadas, picantes e doces. Pensando que a maioria das pessoas iria preferir as ervas doces, decidiu dar a todos os pacientes a mesma erva. Esta erva doce produziu resultados bons e muitos pacientes vieram para adquiri-Ia. De fato, o negócio ficou muito melhor na ausência do herbanário, o que o deixou muito confuso após seu retorno. Imaginando como esta erva doce poderia trazer tão bons resultados, o herbanário decidiu continuar dando-a a todos os pacientes que vinham vê-Io. Descobriu que a erva era mais eficiente para pouca energia, tosse, dor e fadiga e a chamou de raiz doce" porque tinha gosto doce.

137

138 Essência : Propriedade neutra Sabor: Doce Canais envolvidos: os 12 canais Ações: Suplementa o baço, reabastece o Qi, elimina o calor, remove toxina, umedece os pulmões, controla a tosse, harmoniza o Estômago e o Baço, harmoniza todas as drogas. Essência : Propriedade neutra Sabor: Doce Canais envolvidos: os 12 canais Ações: Suplementa o baço, reabastece o Qi, elimina o calor, remove toxina, umedece os pulmões, controla a tosse, harmoniza o Estômago e o Baço, harmoniza todas as drogas. Aplicações: Garganta dolorida, carbúnculo, inchaço tóxico, toxicose em fetos e crianças, diarréia devido a deficiência do Baço, sede devido a deficiência estomacal, tosse devido a pulmões secos, palpitação. Constituintes químicos: Saponinas 6-14% - o constituinte principal é glicirrizina (que é aproximadamente 50x mais doce do que o açúcar), que a hidrólise produz ácido glicirrético e ácido glicurônico. Outras saponinas brutas produzem ácido glábrico, gabrolídeo e 28-hidroxiglicirrético à hidrólise Flavonóides – liquiritina, isoliquiritina, licoflavona, licorina, 2-metil-7-hidroxiisoflavona, licoricidina. Aminoácidos, glicose, sacarinas, manitol, ácidos asparânicos, gliciróis, isogliciróis. Constituintes químicos: Saponinas 6-14% - o constituinte principal é glicirrizina (que é aproximadamente 50x mais doce do que o açúcar), que a hidrólise produz ácido glicirrético e ácido glicurônico. Outras saponinas brutas produzem ácido glábrico, gabrolídeo e 28-hidroxiglicirrético à hidrólise Flavonóides – liquiritina, isoliquiritina, licoflavona, licorina, 2-metil-7-hidroxiisoflavona, licoricidina. Aminoácidos, glicose, sacarinas, manitol, ácidos asparânicos, gliciróis, isogliciróis. O alcaçuz (Glycyrrhiza glabra) é uma planta da família das leguminosas e do gênero Glycyrrhiza que possui raízes adocicadas, ricas em glicirrizina e das quais se extrai um xarope usado em confeitaria, em medicamentos para tosse e na produção de alguns tipos de cerveja.

139

140 Farmacologia Efeito desintoxicante – A glicirrizina e seus sais de cálcio possuem ação desintoxicante sobre as toxinas bacterianas (difteria, tétano), alimentos envenenados e drogas e toxinas de produtos metabólicos. A glicirrizina quando degradada produz ácido glicurônico, o qual no fígado combinar-se-á com materiais tóxicos para formar glicuronídeo para produzir uma ação desintoxicante. Farmacologia Efeito desintoxicante – A glicirrizina e seus sais de cálcio possuem ação desintoxicante sobre as toxinas bacterianas (difteria, tétano), alimentos envenenados e drogas e toxinas de produtos metabólicos. A glicirrizina quando degradada produz ácido glicurônico, o qual no fígado combinar-se-á com materiais tóxicos para formar glicuronídeo para produzir uma ação desintoxicante. Ações semelhantes ao do hormônio adrenocortical – O constituinte ativo ácido glicirrizico, no alcaçuz causa a retenção de água e íons sódio, aumentando a pressão arterial, promovendo a excreção de potássio, e consequentemente possui ações similares àquelas do hormônio adrenocortical. O alcaçuz é efetivo contra a doença de Addison. Efeito antiespasmódico – inibe as atividades de musculatura lisa, principalmente por causa do seu conteúdo de flavonóide, o qual possui ações similares da papaverina. Ações inibitórias da secreção gástrica - estudos animais mostram que o alcaçuz inibe a secreção gástrica causada pela histamina. Efeito antiinflamatório – a glicirrizina e seu produto degradado ácido glicirrizínico possuem ações antiinflamatórias similares aquelas de certos hormônios secretados pela supra-renal.

141

142 Efeito antiulcerogênico – O agente derivado de glicirrizina é biogastrona (carbenoxolona), o qual possui ação antiulcerogênica. O extrato também contém outros constituintes que possuem esta ação, provavelmente por causa do conteúdo de isoflavona da pele da raiz de alcaçuz Outros efeitos – antitussígenas, expectorante, antialérgica, e de supressão do sistema imune. A ação hemolítica da glicirrizina é mais fraca do que de outras saponinas. Curiosidade Glycyrrhizae pulvis praeparatus (Ren-Zhong-Huang) (preparação em fezes de seres humanos) Envoltório de bambu com raiz seca de alcaçuz em pó enterrado em uma fossa sanitária durante um inverno, o envoltório sendo pendurado para secar completamente, e o alcaçuz extraído Curiosidade Glycyrrhizae pulvis praeparatus (Ren-Zhong-Huang) (preparação em fezes de seres humanos) Envoltório de bambu com raiz seca de alcaçuz em pó enterrado em uma fossa sanitária durante um inverno, o envoltório sendo pendurado para secar completamente, e o alcaçuz extraído

143 EXEMPLO DE PRESCRIÇÕES

144 FU ZI LI ZHONG WAN Fu Zi – Aconitum carmichaeli - 3-6g Droga principal (tóxica) Ren Shen – Panax ginseng gDroga principal Bai Zhu – Atractylodes macrocephala - 6-9g Droga adjuvante Gan Jiang – Zingiber officinalle - 6-9g Droga adjuvante Gan Cao - Glycyrrhiza uralensis - 3-6g Droga desintoxicante FU ZI LI ZHONG WAN Fu Zi – Aconitum carmichaeli - 3-6g Droga principal (tóxica) Ren Shen – Panax ginseng gDroga principal Bai Zhu – Atractylodes macrocephala - 6-9g Droga adjuvante Gan Jiang – Zingiber officinalle - 6-9g Droga adjuvante Gan Cao - Glycyrrhiza uralensis - 3-6g Droga desintoxicante Ação: Amornar o abdômen e dispersar o Frio. Alimentar o Yang do Baço e do Estômago. Indicação: Para uma pessoa com Deficiência e Frio no Baço e Estômago. Sintomas: dilatação na região epigástrica ou abdômen, sem sede, com vômito, diarréia, frio nas mãos e nos pés, ou rigidez, espasmos, trancamento do maxilar que pode regular em síncope. Ação: Amornar o abdômen e dispersar o Frio. Alimentar o Yang do Baço e do Estômago. Indicação: Para uma pessoa com Deficiência e Frio no Baço e Estômago. Sintomas: dilatação na região epigástrica ou abdômen, sem sede, com vômito, diarréia, frio nas mãos e nos pés, ou rigidez, espasmos, trancamento do maxilar que pode regular em síncope.

145 MA HUANG TANG (Decocção de Efedra) Ma Huang - Herba Ephedrae – 8g - Droga principal Gui Zhi – Ramulus cinnamoni – 8g- Droga adjuvante Xing Ren – Prunus armeniacae – 8g- Droga guia Gan Cao - Radix Glycyrrhizae – 6g- Droga harmonizadora e desintoxicante MA HUANG TANG (Decocção de Efedra) Ma Huang - Herba Ephedrae – 8g - Droga principal Gui Zhi – Ramulus cinnamoni – 8g- Droga adjuvante Xing Ren – Prunus armeniacae – 8g- Droga guia Gan Cao - Radix Glycyrrhizae – 6g- Droga harmonizadora e desintoxicante Ação: Diaforético, para dispersar Frio, anti-asmático. Indicação: Para uma pessoa com excesso no Exterior causado por ataque de Vento-Frio. Sintomas: febre, intolerância ao frio, dores generalizadas, dor de cabeça, sem transpiração, asma. Ação: Diaforético, para dispersar Frio, anti-asmático. Indicação: Para uma pessoa com excesso no Exterior causado por ataque de Vento-Frio. Sintomas: febre, intolerância ao frio, dores generalizadas, dor de cabeça, sem transpiração, asma.

146 GUI ZHI FU ZI TANG (Ramos de canela em decocção de acônito) Gui Zhi- Cinnamon cassia -6-9gDroga principal Bai Shao Yao- Paeonia lactiflora -6-9gDroga adjuvante Sheng Jiang- Zingiberis officinalis -3-6gDroga assistente Gan Cao- Glycyrrhiza uralensis -3-6gDroga assistente Da Zao- Ziziphi jujubae -3-6pçDroga adjuvante Fu Zi- Aconito carmicaelli -3-6mgDroga guia GUI ZHI FU ZI TANG (Ramos de canela em decocção de acônito) Gui Zhi- Cinnamon cassia -6-9gDroga principal Bai Shao Yao- Paeonia lactiflora -6-9gDroga adjuvante Sheng Jiang- Zingiberis officinalis -3-6gDroga assistente Gan Cao- Glycyrrhiza uralensis -3-6gDroga assistente Da Zao- Ziziphi jujubae -3-6pçDroga adjuvante Fu Zi- Aconito carmicaelli -3-6mgDroga guia Ação: Para estagnação do fluxo do Qi e acumulo de umidade na superfície. Indicação: Para obstrução dolorosa nos canais, caracterizada por dores generalizadas, dificuldade de rodar o tronco. Sem sede ou náusea. Ação: Para estagnação do fluxo do Qi e acumulo de umidade na superfície. Indicação: Para obstrução dolorosa nos canais, caracterizada por dores generalizadas, dificuldade de rodar o tronco. Sem sede ou náusea.

147 O sistema médico chinês teve uma influência importante das tradições religiosas heterogêneas e de um sistema político marcial. Hoje em dia, apesar da MTC ainda aparecer como um produto comercial, os avanços técnico-científicos e a abertura dos olhos orientais pela crescente perda de cientistas chineses para o ocidente, a fitoterapia se aproximou de uma abordagem mais científica, obrigatoriamente.

148 Nada está mais distante da realidade que o pensamento das Medicinas Orientais, que não são racionalidades cientificas e sim sistemas que se desenvolveram a partir de crenças religiosas relacionadas ao contato com o sobrenatural que ainda é muito presente no oriente.

149 Este trabalho não propõe verdades nem certezas, mas sim a apresentação de uma cultura, uma forma de pensamento primitiva, que foram desenvolvidas e aprimoradas com o tempo e pelo seu uso empírico. As hipóteses formuladas neste trabalho foram referendadas em uma pesquisa com diversos autores orientais e ocidentais que são considerados e respeitados dentro da sua área de atuação.

150 Bibliografia,BIREME – Biblioteca Virtual de Saúde. Disponível em: Acesso em: 10/12/2008.http://regional.bvsalud.org/php/index.php CHOPRA, Deepak; SIMON, David. O guia Deepak Chopra de ervas. 1ª Ed. Rio de Janeiro: Editora Campos, CHUNCAI, Zhou. Clássico de medicina do imperador amarelo – Tratado sobre a saúde e a vida longa. 1ª Ed. São Paulo: Roca, HSU, Hong Yen et col. Matéria médica oriental – Um guia conciso. 1ª Ed. São Paulo: Roca, LU, Henry C. Curas herbais chinesas. 1ª Ed. São Paulo: Editora Roca, LU, Henry C. Alimentos chineses para a longevidade – A arte da longa vida. 1ª Ed. São Paulo: Roca, LU, Henry C. Sistema chinês de curas alimentares – Prevenção & remédios. 1ª Ed. São Paulo: Roca, MARIANO, Maria Inês; DAMBRY, Walquíria A. Giusti. Ayurveda – O caminho da saúde. 1ª Ed. São Paulo: Gaia, PISANI, Fábio. Mudança de hábito alimentar. 2ª Ed. São Paulo: Robe Editorial, RHYNER, Hans H. Ayurveda – Um tratamento que não agride seu corpo. 2ª Ed. São Paulo: Pensamento, YAMAMURA, Ysao. Alimentos – Aspectos energéticos. 2ª Ed. São Paulo: Triom, YU, Chen Song; FEI Li. Guia clínico de ervas e fórmulas na medicina chinesa. 1ª Ed. São Paulo: Roca, Diagramação Rodrigo P. A. Suarez Imagenswww.gettyimages.comAgradecimentos Dr. Danilo Carneiro Dra. Mirelly Suarez Especialmente para minhas filhas Júllia e Bruna (pela minha ausência) Patrocínio Vitae Clínica – Medicina Natural


Carregar ppt "MÉTODOS TRADICIONAIS MILENARES DE FITOTERAPIA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google