A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução Todos os valores dos demonstrativos estão em moedas de mesma capacidade aquisitiva O capítulo desenvolverá aplicações práticas do processo de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução Todos os valores dos demonstrativos estão em moedas de mesma capacidade aquisitiva O capítulo desenvolverá aplicações práticas do processo de."— Transcrição da apresentação:

1 Introdução Todos os valores dos demonstrativos estão em moedas de mesma capacidade aquisitiva O capítulo desenvolverá aplicações práticas do processo de análise econômico-financeira com base nas demonstrações de uma empresa de eletroeletrônicos Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

2 Análise das Demonstrações Contábeis Ativo Circulante Aplicações Financeiras Clientes Estoques Depósitos Judiciais Outros Valores a Receber Ativo Não Circulante Realizável a Longo Prazo Investimentos Imobilizado Intangível Total Passivo Circulante Fornecedores Importações em Trânsito Empréstimos e Financiamentos Obrigações Fiscais Contas a Pagar Salários e Contribuições Sociais Dividendos Propostos Provisões Diversas Passivo Não Circulante Empréstimos e Financiamentos Obrigações Fiscais Patrimônio Líquido DEZ./01 ($ 000) – DEZ/00 ($ 000) – – Balanços Patrimoniais dos exercícios findos em dezembro de 00 e 01. Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

3 Análise das Demonstrações Contábeis RECEITA LÍQUIDA Custo dos Produtos Vendidos LUCRO BRUTO DESPESAS/RECEITAS OPERACIONAIS Com vendas Gerais e Administrativas Honorários dos Administradores Receitas Financeiras Outras Despesas Operacionais Resultado de Equivalência Patrimonial RESULTADO OPERACIONAL Despesas Financeiras Ganhos/Perdas RESULTADO DO EXERCÍCIO DEZ./01 ($ 000) ) (40.828) ) (8.134) (5.496) (5.780) (85) 3.267) (28) (12) 5.913) (4.109) 290) DEZ./00 ($ 000) ) (25.230) 6.305) (7.036) (2.881) (4.191) (89) 1.190) (1.042) (23) (731) (3.398) (223) (4.352) Demonstração de Resultado para os exercícios findos em dezembro de 00 e 01 Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

4 Estrutura e evolução patrimonial ATIVO CIRCULANTE ,045,2% ,049,6% REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 63100,00,1%627995,21,3% ATIVO FIXO TOTAL PASSIVO CIRCULANTE ,046,5%25,290128,853,9% PASSIVO NÃO CIRCULANTE ,08,9% ,09,7% PATRIMÔNIO LÍQUIDO ,044,6% ,736,4% DEZ.-00 ($000) AHAVDEZ.-01 ($000) AHAV ,054,7% ,949,1% ,0100,0% ,2100,0% Análise horizontal e vertical dos Balanços Patrimoniais da empresa Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

5 Estrutura e evolução patrimonial Essa situação denota volume maior de recursos em giro, visando financiar caixa, vendas a prazo e estoques A empresa apresentou decréscimo de ativo fixo em valores relativos, pois o montante absoluto ficou relativamente estável DEZ.-00 AH AV DEZ.-01 AH AV ($000) ($000) ATIVO FIXO ,00 54,7% ,9 49,1% Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

6 DEZ.-00 AH AV DEZ.-01 AH AV ($000) ($000) PASSIVO CIRCULANTE ,00 46,5% ,8 53,9%Estrutura e evolução patrimonial O crescimento das dívidas de CP evidencia um aperto maior na posição de equilíbrio financeiro da empresa O crescimento do passivo circulante foi superior ao do ativo circulante Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

7 DEZ.-00 AH AV DEZ.-01 AH AV ($000) ($000) PATRIMÔNIO LÍQUIDO ,00 44,6% ,7 36,4% Comparando os resultados de X0 e X1 conclui-se uma posição de maior endividamento A relação patrimônio líquido/passivo total é baixa, situando-se num nível bem inferior ao dos concorrentes Estrutura e evolução patrimonial Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

8 Estrutura e evolução patrimonial Os encargos financeiros dos financiamentos apresentaram- se bastante elevados O forte predomínio de capital de terceiros onerou o resultado da empresa em função das despesas financeiras A participação de dívidas de curto prazo compromete 53,9% do total do ativo Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

9 Estrutura de resultados Colocar o quadro 7.5 DEZ.-00 ($ 000) AVDEZ.-01 ($ 000) AV RECEITA LÍQUIDA Custo dos Produtos Vendidos LUCRO BRUTO Despesas/Receitas Operacionais Com Vendas Gerais e Administrativas Honorários de Administradores Receitas Financeiras Outras Despesas Operacionais Resultado Equivalência Patrimonial RESULTADO OPERACIONAL Despesas Financeiras Ganhos/Perdas RESULTADO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO ) (25.230) 6.305) (7.030) (2.881) (4.191) (89) 1.190) (1.042) (23) (731) (3.398) (223) (4.352) 100,0%) (80,0%) 20,0%) (22,3%) (9,1%) (13,3%) (0,3%) 3,8%) (3,3%) (0,1%) (2,3%) (10,8%) (0,7%) (13,8%) ) (40.828) ) (8.134) (5.496) (5.780) (85) 3.267) (28) (12) 5.913) (4.109) 290) 2.094) 100,0%) (74,4%) 25,6%) (14,8%) (10,0%) (10,5%) (0,2%) 5,9%) –))) –))) 10,8%) (7,5%) 0,5%) 3,8%) Análise vertical das Demons- trações de Resultados Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

10 Estrutura de resultados A empresa melhorou sua produtividade (custos de produção), o que proporcionou um incremento no lucro bruto A elevação dos valores dos encargos financeiros foi menos que proporcional ao comportamento das vendas, apesar do aumento do endividamento A evolução das vendas constitui-se na principal razão da apuração de lucros no ano de 01 Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

11 DEZ./00DEZ./01 Liquidez Corrente0,970,92 Liquidez Seca0,650,44 Liquidez Imediata0,160,11 Prazo Médio de Estocagem 81,0 dias Giro dos Estoques 4,4 vezes Capital Circulante Líquido($ 570)($ 2.034) Indicadores de liquidez e ciclo operacional Análise de Liquidez e Equilíbrio Financeiro Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

12 Análise de Liquidez e Equilíbrio Financeiro A empresa vem utilizando recursos de curto prazo para financiar parte de seus investimentos permanentes A liquidez seca decresceu, indicando maior participação dos estoques no capital de giro Os indicadores revelam uma deterioração da liquidez como reflexo de uma demanda maior de recursos de terceiros a curto prazo Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

13 Elaboração do Fluxo de Caixa É elaborado com base no balanço patrimonial e na DRE O valor líquido gerado pelo caixa reflete a variação no saldo das aplicações financeiras registradas no balanço O fluxo de caixa permite uma avaliação mais dinâmica da folga financeira da empresa Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

14 FLUXO DE CAIXA PROVENIENTE DAS OPERAÇÕES (+) FONTES DE RECURSOS DE CURTO PRAZO Aumento de Fornecedores4.119 Aumento de Importações em Trânsito4.011 Aumento de Dividendos Propostos897 Aumento de Provisões Diversas494 Redução de Depósitos Judiciais2.943 Redução de Outros Valores e Receber1.604 (–) APLICAÇÕES DE RECURSOS DE CURTO PRAZO Aumento de Clientes3.255 Aumento de Estoques5.790 Redução de Empréstimos e Financiamentos23 Redução de Obrigações Fiscais3.107 Redução de Contas a Pagar624 Redução de Salários e Contribuições Sociais105 (=) GERAÇÃO DE CAIXA A CURTO PRAZO (+) FONTES DE RECURSOS DE LONGO PRAZO 821 Aumento do Passivo Não Circulante821 (–) APLICAÇÕES DE RECURSOS DE LONGO PRAZO Aumento de Realizável a Longo Prazo565 Aumento de Ativo Fixo2.289 Recurso para Aumento de Capital Minoritário2.945 Dividendos Propostos897 (=) GERAÇÃO DE CAIXA DE LONGO PRAZO(5.875) GERAÇÃO LÍQUIDA DE CAIXA (300) Elaboração do Fluxo de Caixa Fluxo de caixa de Dez.-01 ($ 000) Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

15 Elaboração do Fluxo de Caixa Foram aplicados $ em aumentos de ativos circulantes e reduções de passivos circulantes, restando $ de CP Imobilizou-se $ 6.696, bastante superior à geração de $ 821, produzindo um fluxo de caixa líquido negativo de $ No exercício findo em dez.-01, a empresa gerou $ provenientes das operações e $ provenientes de recursos de curto prazo, totalizando $ Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

16 Análise do Endividamento INDICADORDEZ.-00DEZ.-01 Relação Capital de Terceiros/Capital Próprio 1,241,75 Relação Capital de Terceiros/Recursos Totais 55,4%63,6% Indicadores de endividamento e estrutura Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

17 O acentuado predomínio de recursos passivos circulantes determinou uma redução nos indicadores de liquidez da empresa Observa-se um aumento do passivo em relação ao PL Análise do Endividamento Isso revela maior grau de dependência financeira e maior risco Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas

18 Algumas Conclusões a) A liquidez da empresa não apresentou bom resultado, pois a evolução do circulante não acompanhou a do passivo de CP b) Houve uma elevação do endividamento, revelando maior dependência financeira e risco c) Os resultados operacionais tiveram bom desempenho, tornando a empresa atrativa para investimentos Análise das Demonstrações Contábeis – Aplicações Práticas


Carregar ppt "Introdução Todos os valores dos demonstrativos estão em moedas de mesma capacidade aquisitiva O capítulo desenvolverá aplicações práticas do processo de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google