A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ANTIINFLAMATÓRIOS AINES RANG, H. P., DALE, M. M. - Farmacologia. 5 ed- Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2003. Profa.Monara Bittencourt de Amorim.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ANTIINFLAMATÓRIOS AINES RANG, H. P., DALE, M. M. - Farmacologia. 5 ed- Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2003. Profa.Monara Bittencourt de Amorim."— Transcrição da apresentação:

1 ANTIINFLAMATÓRIOS AINES RANG, H. P., DALE, M. M. - Farmacologia. 5 ed- Rio de Janeiro: Editora Elsevier, Profa.Monara Bittencourt de Amorim

2 FÁRMACOS ANALGÉSICOS E ANTIPIRÉTICOS Divinum est opus sedare dolorem. Divinum est opus sedare dolorem. (Divino é o trabalho de aliviar a dor) (Divino é o trabalho de aliviar a dor) Hipócrates

3 Histórico AC - Hipócrates que recomendava uso de folhas Salix alba vulgaris (salgueiro) para aliviar dores e cicatrizar feridas. XVIII - Reverendo Edmund Stone – Descreve as propriedades curativas da casca do Salgueiro branco no estado febril Leroux isolou e testou o principio ativo da casca do Salgueiro com propriedades antipiréticas – Salicina. 1838: Píria isolou ác. salicílico da salicina. 1897: extração da fórmula do AAS - por Felix Hoffmann, químico alemão do laboratório de FRIEDRICH BAYER. 1899:Dreser introduziu o uso clínico do AAS. 1900: BAYER produz 4,2 toneladas do AAS. 1919: marca passa para domínio público:ASPIRINA Vane (Nobel 1982) associou a inibição de PGs com os antiinflamatórios desta classe. Atualmente – Descoberta dos inibidores da COX-2 / COX-3

4 Histórico 1899: 1º registro da ASPIRINA

5 Inflamação: Resposta inespecífica do organismo a estímulos etiopatogênicos de natureza diversa. Resposta inespecífica do organismo a estímulos etiopatogênicos de natureza diversa. Estímulos: agentes infecciosos, isquemia, interações antígeno- anticorpo, lesão térmica ou provocada por outros agentes físicos. Estímulos: agentes infecciosos, isquemia, interações antígeno- anticorpo, lesão térmica ou provocada por outros agentes físicos.

6

7 Mediadores da inflamação Citocinas: peptídeos que são liberados regulando a ação das células inflamatórias e do sistema imune Citocinas: peptídeos que são liberados regulando a ação das células inflamatórias e do sistema imune Superfamílias das citocinas: Superfamílias das citocinas:Interleucinas Quimiocinas (citocinas quimiotáxicas) Interferons Fatores de estimulação de colônias Fatores de crescimento e os fatores de necrose tumoral

8 Histamina: liberada pelos mastócitos e basófilos (vasodilatação, aumento de permeabilidade vascular) Histamina: liberada pelos mastócitos e basófilos (vasodilatação, aumento de permeabilidade vascular) Bradicinina Bradicinina Vasodilatação (produção de PGI e liberação de NO) Aumento de permeabilidade vascular Dor

9 Biossíntese dos produtos do ácido araquidônico Ácidos graxos essenciais da dieta Ácido esterificado no lipídio celular Ácido araquidônico Estímulos químicos, mecânicos Fosfolipase A 2

10 Ácido araquidônico Biossíntese dos produtos do ácido araquidônico Lipoxigenase Cicloxigenase PGG e PGH PGI, TXA, PGE, PGF ou PGD LEUCOTRIENOS

11 Efeito Antiinflamatório Fosfolipídios de membrana PLA 2 Ácido Aracdônico Ciclooxigenase 1 Lipoxigenase PGG 2 5-HEPE 5-HETE LTA 4 LTB 4 LTC 4 LTD 4 LTE 4 Leucotrienos PGH 2 PGI 2 (prostaciclina) PGD 2 PGE 2 PGF 2 TxA 2 TxB 2 Tromboxanos 6-keto-PGF 1 Prostaglandinas Ciclooxigenase 2 ou Citocinas Fatores de crescimento Endotoxinas (AINEs) - Estímulo +

12 Fosfolipídios da membrana celular Fosfolipase A 2 Ácido Araquidônico TxA 2 PGI 2 PGD 2 PGE 2 PGF2 PGF2 PGG 2 PGH 2 COXAINEsX 5-LIPOX 5-HPETE LTA 4 LTB 4 LTC 4 LTE 4 LTD 4 5-HETE VASODILATAÇÃO Responsáveis também por fenômenos inflamatórios. Os LT estão aumentados em asmáticos, e são os responsáveis pelo da broncoconstricção. AIEs -

13 PROPRIEDADES FARMACOLÓGICAS DOS PRINCIPAIS METABÓLITOS DO ÁCIDO ARAQUIDÔNICO MetabólitoAção PGF 2 Broncoconstrição e Contração Uterina PGI 2Inibição Agregação Plaquetária, Citoproteção Gástrica, Vasodilatação,Sensibilização a Dor PGE 2 Febre, Citoproteção Gástrica, Vasodilatação, Sensibilização a Dor TXA 2Vasoconstrição, Agregação plaquetária PGD 2Vasodilatação Periférica, Broncoespasmo LTB 4Quimiotaxia, Aderência leucocitária LTC 4 LTD 4 LTE 4 Aumento da Permeabilidade Vascular, Broncoespasmo

14 INDICAÇÕES DOS AINES Patologias dolorosas e inflamatórias crônicas: Artrites – inflamação das articulações Artrose – artrite degenerativa Bursites - inflamação de uma bursa sinovial Reumatismos – inflamação, degeneração ou alteração metabólica do tec. Conjuntivo (articulações, tendões, músculos e bursa sinovial) Tendinites Dores diversas (cefaléia, mialgia, dores odontológicas etc)

15 INDICAÇÕES DOS AINES Outras indicações: Outras indicações: Dismenorréia – cólicas menstruais dolorosas Dismenorréia – cólicas menstruais dolorosas Febres e síndromes febris (antipiréticos) Febres e síndromes febris (antipiréticos) Antiagregante plaquetário Antiagregante plaquetário

16 CICLO-OXIGENASES (COX): 1, 2 e 3 COX-1 (ou fisiológica) constitutiva estímulo fisiológico liberação plaquetas tromboxana A2 endotélio prostaciclina (PGI2) rim prostaglandina E2 (PGE2)

17 Ciclo-oxigenases (COX) COX-2 (ou inflamatória) Induzida por um estímulo inflamatório ex.: IL-1 Constitutiva no rim, cérebro, etc PROSTAGLANDINAS RADICAIS LIVRES OXIGENADOS INFLAMAÇÃO

18 Ciclo-oxigenases (COX) COX-3 (parece ser inflamatória) Explica o mecanismo de ação de alguns analgésicos.

19 Ciclo-oxigenases (COX) Sítio catalítico plaqueta Canal de acesso

20 Prostaglandinas Boa AINEs Ruim COX-2 COX-1

21 INDICAÇÕES DOS AINES Outras indicações: Outras indicações: Dismenorréia – cólicas menstruais dolorosas Dismenorréia – cólicas menstruais dolorosas Febres e síndromes febris (antipiréticos) Febres e síndromes febris (antipiréticos) Antiagregante plaquetário Antiagregante plaquetário

22 AÇÕES FARMACOLÓGICAS DOS AINES Efeitos antiinflamatórios PROSTAGLANDINAS RESPOSTA INFLAMATÓRIA Efeitos analgésicos Redução da dor DAS PROSTAGLANDINAS QUE SENSIBILIZAM NOCICEPTORES DA DOR DAS PROSTAGLANDINAS QUE SENSIBILIZAM NOCICEPTORES DA DOR Efeitos antipiréticos Redução da Temperatura HIPOTÁLAMO PGE

23 Fármacos Analgésicos e Antipiréticos Divinum est opus sedare dolorem. Divinum est opus sedare dolorem. (Divino é o trabalho de aliviar a dor) (Divino é o trabalho de aliviar a dor) Hipócrates Hipócrates

24 Dor Experiência sensorial e emocional desagradável associada com lesão tecidual Efeito analgésico Estimulação local das fibras de dor Estimulação local das fibras de dor Excitabilidade de neurônios centrais da medula espinhal que aumentam a sensibilidade à dor (hiperalgesia) Excitabilidade de neurônios centrais da medula espinhal que aumentam a sensibilidade à dor (hiperalgesia) A dor é resultante de: Principais mediadores envolvidos: -Bradicinina, PGE 2, citocinas, neuropeptídios


Carregar ppt "ANTIINFLAMATÓRIOS AINES RANG, H. P., DALE, M. M. - Farmacologia. 5 ed- Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2003. Profa.Monara Bittencourt de Amorim."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google