A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AUTORIA E ÉTICA EM TRABALHOS CIENTÍFICOS Sigmar de Mello Rode Bruno das Neves Cavalcanti Pesquisa Odontologica Brasileira 2003, 17(supl 1):65-6 Sigmar.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AUTORIA E ÉTICA EM TRABALHOS CIENTÍFICOS Sigmar de Mello Rode Bruno das Neves Cavalcanti Pesquisa Odontologica Brasileira 2003, 17(supl 1):65-6 Sigmar."— Transcrição da apresentação:

1 AUTORIA E ÉTICA EM TRABALHOS CIENTÍFICOS Sigmar de Mello Rode Bruno das Neves Cavalcanti Pesquisa Odontologica Brasileira 2003, 17(supl 1):65-6 Sigmar de Mello Rode Bruno das Neves Cavalcanti Pesquisa Odontologica Brasileira 2003, 17(supl 1):65-6

2 Ética o O que é freqüente x O que é normal o O que é normal x O que é ético o O que é ético para mim x o que é ético para você o Sugestões de conduta o O que é freqüente x O que é normal o O que é normal x O que é ético o O que é ético para mim x o que é ético para você o Sugestões de conduta

3 Ciência o Os princípios gerais que norteiam a pesquisa são compartilhados pelos pesquisadores na comunidade científica internacional o Envolvem honestidade e precisão, de maneira que o conhecimento aumente sem distorção da verdade. o Os princípios gerais que norteiam a pesquisa são compartilhados pelos pesquisadores na comunidade científica internacional o Envolvem honestidade e precisão, de maneira que o conhecimento aumente sem distorção da verdade.

4 Ciência o O crescente avanço da ciência e sua conseqüente divulgação em periódicos especializados fazem com que questões quanto à ética na pesquisa e na redação e autoria de trabalhos científicos seja cada vez mais explorada e necessária para evitar distorções.

5 Pesquisa PRESSÕES COMPETITIVAS o preparação e submissão precipitadas o divisão de relatórios para aumentar o volume da produção o pesquisa mais trivial em detrimento de linhas de ação mais criativas e inovadoras PRESSÕES COMPETITIVAS o preparação e submissão precipitadas o divisão de relatórios para aumentar o volume da produção o pesquisa mais trivial em detrimento de linhas de ação mais criativas e inovadoras

6 Pesquisa PRESSÕES COMPETITIVAS o Normas exigentes aos cursos de pós-graduação o Quantidade versus Qualidade o Quantidade e Qualidade: papel do Qualis PRESSÕES COMPETITIVAS o Normas exigentes aos cursos de pós-graduação o Quantidade versus Qualidade o Quantidade e Qualidade: papel do Qualis

7 Ética em Pesquisa MÁ CONDUTA o desviar das práticas aceitas pela comunidade científica o projetos envolvendo seres humanos e animais sem prévia autorização do Comitê de Ética o exploração deliberada de idéias de outrem sem o devido consentimento MÁ CONDUTA o desviar das práticas aceitas pela comunidade científica o projetos envolvendo seres humanos e animais sem prévia autorização do Comitê de Ética o exploração deliberada de idéias de outrem sem o devido consentimento

8 Ética em Pesquisa MÁ CONDUTA o cópia de idéias, de textos ou de dados já publicados por outros, sem os devidos créditos o omissão de referência ao trabalho de outro autor o representação de maneira falsa ou incorreta das idéias de outrem MÁ CONDUTA o cópia de idéias, de textos ou de dados já publicados por outros, sem os devidos créditos o omissão de referência ao trabalho de outro autor o representação de maneira falsa ou incorreta das idéias de outrem

9 Normas de Vancouver International Committee of Medical Journals Editors Outubro de 2005 International Committee of Medical Journals Editors Outubro de 2005

10 Um autor é geralmente considerado como aquele que deu contribuição intelectual substancial. No passado, os leitores de periódicos tinham pouca informação sobre o papel de cada um na confecção do trabalho, e alguns periódicos têm dado maior importância a isso, solicitando aos autores sua contribuição no estudo, pelo menos em pesquisas originais. VANCOUVER

11 o 1) Contribuição substancial à concepção e ao desenho do trabalho científico, aquisição, interpretação e análise dos dados; o 2) Redação e revisão crítica do trabalho, com real contribuição intelectual ao seu conteúdo; o 3) Aprovação final do conteúdo a ser publicado; o 1) Contribuição substancial à concepção e ao desenho do trabalho científico, aquisição, interpretação e análise dos dados; o 2) Redação e revisão crítica do trabalho, com real contribuição intelectual ao seu conteúdo; o 3) Aprovação final do conteúdo a ser publicado;

12 VANCOUVER o 4) As três primeiras condições devem ser atendidas por todos os autores, sendo que coleta de dados, coleta de fundos e supervisão (chefia) de grupo de pesquisa não são fatores que tornam uma pessoa autora de trabalho; o 5) Os autores, se necessário, deverão justificar sua participação no trabalho científico, e o periódico deverá publicar essas atuações; o 4) As três primeiras condições devem ser atendidas por todos os autores, sendo que coleta de dados, coleta de fundos e supervisão (chefia) de grupo de pesquisa não são fatores que tornam uma pessoa autora de trabalho; o 5) Os autores, se necessário, deverão justificar sua participação no trabalho científico, e o periódico deverá publicar essas atuações;

13 VANCOUVER o 6) Todos aqueles que não se qualificam como autores deverão ser citados nos agradecimentos, incluindo sua participação no trabalho (tradução, aquisição de fundos, análises técnicas e estatísticas, empréstimo de material, entre outras);

14 Aspectos éticos o Trabalhos multicentro o Citação de autores não participantes (gratidão ou ascendência) o Realizações técnicas o Punições éticas em caso de pressões o Trabalhos multicentro o Citação de autores não participantes (gratidão ou ascendência) o Realizações técnicas o Punições éticas em caso de pressões

15 Qualificação dos periódicos o Justificativa de participação de autores (ex.: JPD - mais de 4 autores devem ser justificados) o Índices de impacto e quantidade de citações o Sistemas de indexação o Justificativa de participação de autores (ex.: JPD - mais de 4 autores devem ser justificados) o Índices de impacto e quantidade de citações o Sistemas de indexação

16 Indexação o BASES DE DADOS X QUALIS: o ISI (A e B internacional - Fator de impacto) o Medline (C internacional) o Scielo (A nacional) o LILACS (B nacional) o BBO (B nacional) o BASES DE DADOS X QUALIS: o ISI (A e B internacional - Fator de impacto) o Medline (C internacional) o Scielo (A nacional) o LILACS (B nacional) o BBO (B nacional)

17 Indexação o BASES DE DADOS Freqüência de publicação Regularidade de publicação Alcance Normas de publicação Política editorial Endogenia (menos de 40% de artigos com pessoal do corpo editorial como autores) Isenção na avaliação o BASES DE DADOS Freqüência de publicação Regularidade de publicação Alcance Normas de publicação Política editorial Endogenia (menos de 40% de artigos com pessoal do corpo editorial como autores) Isenção na avaliação

18 AUTORIA o Art. 34º. Constitui infração ética: o I - aproveitar-se de posição hierárquica para fazer constar seu nome na co-autoria de obra científica; o II - apresentar como sua, no todo ou em parte, obra científica de outrem, ainda que não publicada; o III - publicar, sem autorização, elemento que identifique o paciente; o IV - utilizar-se, sem referência ao autor ou sem sua autorização expressa, de dados, informações ou opiniões coletadas em partes publicadas ou não de sua obra; o V - falsear dados estatísticos ou deturpar sua interpretação. o Art. 34º. Constitui infração ética: o I - aproveitar-se de posição hierárquica para fazer constar seu nome na co-autoria de obra científica; o II - apresentar como sua, no todo ou em parte, obra científica de outrem, ainda que não publicada; o III - publicar, sem autorização, elemento que identifique o paciente; o IV - utilizar-se, sem referência ao autor ou sem sua autorização expressa, de dados, informações ou opiniões coletadas em partes publicadas ou não de sua obra; o V - falsear dados estatísticos ou deturpar sua interpretação.

19 AUTORIA o Uma questão bastante simples que é põe o nome no trabalho, pode se transformar num problema sério que pode afetar a carreira do infrator. o Muitos confundem a formação de grupos de pesquisa, fato desejado para se trabalhar em direção de um objetivo, com fábricas de trabalho, onde cada um faz um e prestigia os outros do grupo. o Uma questão bastante simples que é põe o nome no trabalho, pode se transformar num problema sério que pode afetar a carreira do infrator. o Muitos confundem a formação de grupos de pesquisa, fato desejado para se trabalhar em direção de um objetivo, com fábricas de trabalho, onde cada um faz um e prestigia os outros do grupo.

20 AUTORIA o Cabe aos pesquisadores tomarem consciência de que cada vez mais a qualidade será sobreposta à quantidade, o onde uma produção científica de x trabalhos em revistas bem conceituadas vale mais que y trabalhos em revistas locais e sem política editorial. o Cabe aos pesquisadores tomarem consciência de que cada vez mais a qualidade será sobreposta à quantidade, o onde uma produção científica de x trabalhos em revistas bem conceituadas vale mais que y trabalhos em revistas locais e sem política editorial.

21 AUTORIA o Com certeza, mais do que legislações e/ou regulamentações vigentes, a consciência de cada um e da academia tem o papel decisivo na formação dos novos pesquisadores e na solidificação dos conhecimentos obtidos com a pesquisa.

22 OBRIGADO PELA ATENÇÃO

23 ASPECTOS ÉTICOS LIGADOS AO REVISOR Sigmar de Mello Rode Bruno das Neves Cavalcanti Sigmar de Mello Rode Bruno das Neves Cavalcanti

24 Revisão Como escolher um revisor: o Assunto do trabalho o Unitermos o Referências citadas o Escolher alguém da área – Análise por pares Como escolher um revisor: o Assunto do trabalho o Unitermos o Referências citadas o Escolher alguém da área – Análise por pares

25 Revisão Papel do revisor: o Conhecer instruções ao autor da revista o Se o nível é para um leitor: o Um generalista o Um especialista Papel do revisor: o Conhecer instruções ao autor da revista o Se o nível é para um leitor: o Um generalista o Um especialista

26 Revisão Recomendações aos revisores: o Analisar primeiramente a possibilidade (tempo/assunto) para fazer uma revisão consistente o Recusar a revisão de um trabalho que não faça parte do escopo do revisor Recomendações aos revisores: o Analisar primeiramente a possibilidade (tempo/assunto) para fazer uma revisão consistente o Recusar a revisão de um trabalho que não faça parte do escopo do revisor

27 Revisão Recomendações aos revisores: o Familiarizar-se com as normas para os autores e com as normas para os revisores o Não fazer comentários vagos, que podem levar a interpretações dúbias pelos autores e pelo editor Recomendações aos revisores: o Familiarizar-se com as normas para os autores e com as normas para os revisores o Não fazer comentários vagos, que podem levar a interpretações dúbias pelos autores e pelo editor

28 Revisão Recomendações aos revisores: o Organizar os comentários de acordo com a ordem no texto o Fazer a revisão sem influências emocionais externas o Assumir um comportamento como advogado tanto para a revista quanto para o autor Recomendações aos revisores: o Organizar os comentários de acordo com a ordem no texto o Fazer a revisão sem influências emocionais externas o Assumir um comportamento como advogado tanto para a revista quanto para o autor


Carregar ppt "AUTORIA E ÉTICA EM TRABALHOS CIENTÍFICOS Sigmar de Mello Rode Bruno das Neves Cavalcanti Pesquisa Odontologica Brasileira 2003, 17(supl 1):65-6 Sigmar."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google