A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

QUE É FILOSOFIA Questões para debate. COMO RESPONDER Melhor maneira de abordar esse tópico: Melhor maneira de abordar esse tópico: perguntar o que constitui.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "QUE É FILOSOFIA Questões para debate. COMO RESPONDER Melhor maneira de abordar esse tópico: Melhor maneira de abordar esse tópico: perguntar o que constitui."— Transcrição da apresentação:

1 QUE É FILOSOFIA Questões para debate

2 COMO RESPONDER Melhor maneira de abordar esse tópico: Melhor maneira de abordar esse tópico: perguntar o que constitui o campo de outras disciplinas. perguntar o que constitui o campo de outras disciplinas. Como demarcar, por exemplo, a área da química, da história ou da antropologia? Como demarcar, por exemplo, a área da química, da história ou da antropologia? Os temas ou campos de estudo são determinados pelo tipo de questões às quais eles foram inventados para fornecer as respostas. Os temas ou campos de estudo são determinados pelo tipo de questões às quais eles foram inventados para fornecer as respostas. As próprias perguntas são inteligíveis se e somente se sabemos onde procurar as respostas. As próprias perguntas são inteligíveis se e somente se sabemos onde procurar as respostas.

3 Se fazemos uma pergunta comum a alguém, por exemplo, (47), Se fazemos uma pergunta comum a alguém, por exemplo, (47), Onde está o meu casaco?", Onde está o meu casaco?", "Porque Kennedy foi eleito presidente dos Estados Unidos?", "Porque Kennedy foi eleito presidente dos Estados Unidos?", "Qual é o sistema soviético de lei criminal?", "Qual é o sistema soviético de lei criminal?", Saberíamos normalmente como começar a procurar uma resposta. Saberíamos normalmente como começar a procurar uma resposta. Talvez não saibamos as respostas, mas sabemos que, no caso da pergunta Talvez não saibamos as respostas, mas sabemos que, no caso da pergunta sobre o casaco, o procedimento apropriado é olhar sobre a cadeira, no armário. sobre o casaco, o procedimento apropriado é olhar sobre a cadeira, no armário. no caso da eleição de Kennedy ou do sistema soviético de lei, consultamos textos ou especialistas em busca do tipo de evidência empírica que conduz às conclusões relevantes e torna-as, se não certas, ao menos prováveis. no caso da eleição de Kennedy ou do sistema soviético de lei, consultamos textos ou especialistas em busca do tipo de evidência empírica que conduz às conclusões relevantes e torna-as, se não certas, ao menos prováveis.

4 Sabemos onde procurar a resposta: Sabemos onde procurar a resposta: sabemos o que torna algumas respostas plausíveis e outras não. sabemos o que torna algumas respostas plausíveis e outras não. O que torna esse tipo de pergunta inteligível em primeiro lugar é que achamos que a resposta pode ser descoberta por meios empíricos, isto é, por uma observação ou experimento ordenados, ou por métodos compostos desses procedimentos, a saber, os do senso comum ou das ciências naturais. O que torna esse tipo de pergunta inteligível em primeiro lugar é que achamos que a resposta pode ser descoberta por meios empíricos, isto é, por uma observação ou experimento ordenados, ou por métodos compostos desses procedimentos, a saber, os do senso comum ou das ciências naturais.

5 Há outra classe de perguntas em que não estamos menos seguros sobre o caminho apropriado pelo qual as respostas devem ser procuradas, a saber, as disciplinas formais: a matemática, por exemplo, ou a lógica, a gramática, o xadrez, a heráldica, definidas em termos de certos axiomas fixos e certas regras de dedução e assim por diante, quando a resposta aos problemas deve ser encontrada pela aplicação dessas regras da maneira prescrita como correta. Há outra classe de perguntas em que não estamos menos seguros sobre o caminho apropriado pelo qual as respostas devem ser procuradas, a saber, as disciplinas formais: a matemática, por exemplo, ou a lógica, a gramática, o xadrez, a heráldica, definidas em termos de certos axiomas fixos e certas regras de dedução e assim por diante, quando a resposta aos problemas deve ser encontrada pela aplicação dessas regras da maneira prescrita como correta.

6 Exemplo: Teorema de Fermat - não se conhece quem tenha descoberto uma solução -, mas sabemos como proceder; sabemos que métodos serão relevantes para resposta, e quais não serão. Exemplo: Teorema de Fermat - não se conhece quem tenha descoberto uma solução -, mas sabemos como proceder; sabemos que métodos serão relevantes para resposta, e quais não serão. Respostas para os problemas matemáticos podem ser obtidas contemplando-se prados verdes ou o comportamento das abelhas? Respostas para os problemas matemáticos podem ser obtidas contemplando-se prados verdes ou o comportamento das abelhas? Ou, que as respostas para os problemas empíricos podem ser obtidas pelo puro cálculo sem nenhum (48) conteúdo factual, está errado. Ou, que as respostas para os problemas empíricos podem ser obtidas pelo puro cálculo sem nenhum (48) conteúdo factual, está errado.

7 Cada um desses tipos principais de pergunta - o factual e o formal - possui as suas próprias técnicas especializadas: as descobertas por homens de gênio nesses campos, uma vez estabelecidas, podem ser usadas por homens sem gênio de um modo meio mecânico para obter resultados corretos. Cada um desses tipos principais de pergunta - o factual e o formal - possui as suas próprias técnicas especializadas: as descobertas por homens de gênio nesses campos, uma vez estabelecidas, podem ser usadas por homens sem gênio de um modo meio mecânico para obter resultados corretos.

8 A marca dessas áreas do pensamento humano é que, uma vez proposta a pergunta, sabemos em que direção proceder para tentar obter a resposta. A marca dessas áreas do pensamento humano é que, uma vez proposta a pergunta, sabemos em que direção proceder para tentar obter a resposta. A história do pensamento humano sistemático é em grande parte um esforço continuado para formular todas as perguntas que ocorrem à humanidade de tal modo que as respostas entrarão numa ou noutra de duas grandes cestas: A história do pensamento humano sistemático é em grande parte um esforço continuado para formular todas as perguntas que ocorrem à humanidade de tal modo que as respostas entrarão numa ou noutra de duas grandes cestas: a empírica,isto é, as perguntas que dependem, no final, dos dados da observação; e a empírica,isto é, as perguntas que dependem, no final, dos dados da observação; e a formal, isto é, as perguntas cujas respostas dependem do puro cálculo, sem os entraves do conhecimento factual. a formal, isto é, as perguntas cujas respostas dependem do puro cálculo, sem os entraves do conhecimento factual.

9 Essa dicotomia é uma formulação bastante simplificada - os elementos empíricos e formais não são diferenciados com tanta facilidade -, mas contém bastante verdade para não ser seriamente desorientadora. Essa dicotomia é uma formulação bastante simplificada - os elementos empíricos e formais não são diferenciados com tanta facilidade -, mas contém bastante verdade para não ser seriamente desorientadora. A distinção entre essas duas grandes fontes de conhecimento humano tem sido reconhecida desde os primeiros passos do pensamento autoconsciente. A distinção entre essas duas grandes fontes de conhecimento humano tem sido reconhecida desde os primeiros passos do pensamento autoconsciente.

10 Há certas perguntas que não se adaptam essa classificação simples. Há certas perguntas que não se adaptam essa classificação simples. "O que é um ocapi?" é respondida bastante facilmente por um ato de observação empírica. Da mesma forma, a pergunta "Qual é a raiz cúbica de 729?" é resolvida por um cálculo de acordo com regras aceitas. "O que é um ocapi?" é respondida bastante facilmente por um ato de observação empírica. Da mesma forma, a pergunta "Qual é a raiz cúbica de 729?" é resolvida por um cálculo de acordo com regras aceitas. Se pergunto: Se pergunto: "O que é o tempo?'; "O que é o tempo?'; "Todos os homens são verdadeiramente irmãos?"; "Todos os homens são verdadeiramente irmãos?"; como faço para procurar a resposta? como faço para procurar a resposta? Se pergunto: Se pergunto: "Onde está o meu casaco?" uma possível resposta (correta ou não) seria "No armário"; e todos saberíamos onde procurar. "Onde está o meu casaco?" uma possível resposta (correta ou não) seria "No armário"; e todos saberíamos onde procurar.

11 Se uma criança perguntasse Se uma criança perguntasse "Onde está a imagem no espelho?" "Onde está a imagem no espelho?" não seria muito útil convidá-la a olhar dentro do espelho, que ela descobriria ser de vidro sólido; nem na superfície do espelho, pois a imagem não está certamente na sua superfície no sentido em que poderia estar um selo nele colado; nem atrás do espelho (que é onde a imagem parece estar), pois se olhamos atrás do espelho, não encontramos ali nenhuma imagem - e assim por diante. não seria muito útil convidá-la a olhar dentro do espelho, que ela descobriria ser de vidro sólido; nem na superfície do espelho, pois a imagem não está certamente na sua superfície no sentido em que poderia estar um selo nele colado; nem atrás do espelho (que é onde a imagem parece estar), pois se olhamos atrás do espelho, não encontramos ali nenhuma imagem - e assim por diante.

12 Muitos que pensam por muito tempo e com muita intensidade em perguntas como Muitos que pensam por muito tempo e com muita intensidade em perguntas como "O que é o tempo?" ou "O que é o tempo?" ou "O tempo pode parar?" "O tempo pode parar?" "Quando vejo duplo, do que é que existem duas imagens?" "Quando vejo duplo, do que é que existem duas imagens?" "Como sei que os outros seres humanos (ou objetos materiais) não são meras ficções da minha mente?" "Como sei que os outros seres humanos (ou objetos materiais) não são meras ficções da minha mente?" entram num estado de frustração irremediável. entram num estado de frustração irremediável. A pergunta "Qual é o significado do `tempo futuro'?"pode ser respondida pelos gramáticos que aplicam mecanicamente regras formais; mas se pergunto "Qual é o significado do `futuro'?" onde devemos procurar a resposta? A pergunta "Qual é o significado do `tempo futuro'?"pode ser respondida pelos gramáticos que aplicam mecanicamente regras formais; mas se pergunto "Qual é o significado do `futuro'?" onde devemos procurar a resposta?

13 Parece haver algo estranho em todas essas questões -tão distintas quanto aquelas sobre a dupla visão, o número, a irmandade dos homens ou os objetivos da vida; Parece haver algo estranho em todas essas questões -tão distintas quanto aquelas sobre a dupla visão, o número, a irmandade dos homens ou os objetivos da vida; elas diferem das questões nas duas cestas, na medida em que a própria questão não parece conter um indicador para o modo como a resposta deve ser encontrada. elas diferem das questões nas duas cestas, na medida em que a própria questão não parece conter um indicador para o modo como a resposta deve ser encontrada. As outras questões mais comuns contêm precisamente esses indicadores - técnicas embutidas para encontrar as suas respostas. As questões sobre o tempo, a existência dos outros e assim por diante deixam perplexo quem pergunta, e incomodam as pessoas práticas precisamente porque não parecem levar a respostas claras ou a um conhecimento útil de qualquer tipo. As outras questões mais comuns contêm precisamente esses indicadores - técnicas embutidas para encontrar as suas respostas. As questões sobre o tempo, a existência dos outros e assim por diante deixam perplexo quem pergunta, e incomodam as pessoas práticas precisamente porque não parecem levar a respostas claras ou a um conhecimento útil de qualquer tipo.

14 Isso mostra que entre as duas cestas originais, a empírica e a formal, há pelo menos uma cesta intermediária, em que vivem todas essas questões que não podem ser facilmente adaptadas às outras duas. Isso mostra que entre as duas cestas originais, a empírica e a formal, há pelo menos uma cesta intermediária, em que vivem todas essas questões que não podem ser facilmente adaptadas às outras duas. Essas questões são da mais diversa natureza; algumas parecem ser questões de fato, outras de valor; algumas são questões sobre palavras e uns poucos símbolos; outras são métodos buscados por aqueles que os usam: cientistas, artistas, críticos, homens (50) comuns nas situações comuns da vida; ainda outras são sobre as relações entre várias áreas do conhecimento; algumas tratam das pressuposições do pensamento, algumias da natureza e dos fins da ação moral, social ou política. Essas questões são da mais diversa natureza; algumas parecem ser questões de fato, outras de valor; algumas são questões sobre palavras e uns poucos símbolos; outras são métodos buscados por aqueles que os usam: cientistas, artistas, críticos, homens (50) comuns nas situações comuns da vida; ainda outras são sobre as relações entre várias áreas do conhecimento; algumas tratam das pressuposições do pensamento, algumias da natureza e dos fins da ação moral, social ou política.

15 A única característica comum que todas essas questões parecem ter é que não podem ser respondidas por observação ou cálculo, por métodos indutivos ou dedutivos; e, como um corolário crucial desse fato, que aqueles que as propõem são confrontados com uma perplexidade desde o início - não sabem onde procurar as respostas; não há dicionários, enciclopédias, compêndios de conhecimento, não há especialistas, nem ortodoxias a que se possa recorrer com confiança por possuírem autoridade ou conhecimento inquestionáveis nesses assuntos. A única característica comum que todas essas questões parecem ter é que não podem ser respondidas por observação ou cálculo, por métodos indutivos ou dedutivos; e, como um corolário crucial desse fato, que aqueles que as propõem são confrontados com uma perplexidade desde o início - não sabem onde procurar as respostas; não há dicionários, enciclopédias, compêndios de conhecimento, não há especialistas, nem ortodoxias a que se possa recorrer com confiança por possuírem autoridade ou conhecimento inquestionáveis nesses assuntos. Além do mais, algumas dessas perguntas são distintas por serem gerais e por tratarem de questões de princípio; e outras, embora não sejam elas próprias gerais, propõem muito prontamente questões de princípio ou a elas conduzem. Além do mais, algumas dessas perguntas são distintas por serem gerais e por tratarem de questões de princípio; e outras, embora não sejam elas próprias gerais, propõem muito prontamente questões de princípio ou a elas conduzem.

16 Essas questões tendem a ser chamadas filosóficas. Essas questões tendem a ser chamadas filosóficas. Os homens comuns as consideram com desprezo, temor reverente ou suspeição, segundo seus temperamentos. Os homens comuns as consideram com desprezo, temor reverente ou suspeição, segundo seus temperamentos. Por essa razão, se não por nenhuma outra, há uma tendência natural a tentar reformular essas questões de tal modo que todas ou pelo menos parte delas possam ser respondidas por afirmações empíricas ou formais; isto é, são feitos esforços, às vezes muito desesperados, para ajustá-las à cesta empírica ou à formal, nas quais métodos consensuais, elaborados ao longo dos séculos, produzem resultados confiáveis cuja verdade pode ser testada por meios aceitos. Por essa razão, se não por nenhuma outra, há uma tendência natural a tentar reformular essas questões de tal modo que todas ou pelo menos parte delas possam ser respondidas por afirmações empíricas ou formais; isto é, são feitos esforços, às vezes muito desesperados, para ajustá-las à cesta empírica ou à formal, nas quais métodos consensuais, elaborados ao longo dos séculos, produzem resultados confiáveis cuja verdade pode ser testada por meios aceitos.

17 Refinar... A história do conhecimento humano é, em grande medida, uma tentativa continuada de enfiar todas as questões numa das duas categorias "viáveis"; pois assim que uma pergunta "estranha"; intrigante pode ser traduzida numa questão que pode ser tratada por uma disciplina empírica ou formal, ela deixa de ser filosófica e torna-se parte de uma ciência reconhecida.' Assim não era nenhum erro considerar a astronomia uma disciplina "filosófica" digamos, no início da Idade Média: enquanto as respostas a perguntas sobre as estrelas e os planetas não eram determinadas por observação ou experimentos e cálculos, mas dominadas por noções não empíricas como aquelas, por exemplo, de corpos perfeitos determinados a seguir caminhos circulares por suas metas ou essências interiores, com as quais eram dotados por Deus ou pela natureza, mesmo que isso se mostrasse improvável pela observação empírica, não era claro como as questões astronômicas podiam ser resolvidas: isto é, que papel devia ser desempenhado pela observação dos corpos celestes reais, e que papel pelas afirmações teológicas ou metafísicas que não eram passíveis de ser testadas por meios empíricos ou formais. A história do conhecimento humano é, em grande medida, uma tentativa continuada de enfiar todas as questões numa das duas categorias "viáveis"; pois assim que uma pergunta "estranha"; intrigante pode ser traduzida numa questão que pode ser tratada por uma disciplina empírica ou formal, ela deixa de ser filosófica e torna-se parte de uma ciência reconhecida.' Assim não era nenhum erro considerar a astronomia uma disciplina "filosófica" digamos, no início da Idade Média: enquanto as respostas a perguntas sobre as estrelas e os planetas não eram determinadas por observação ou experimentos e cálculos, mas dominadas por noções não empíricas como aquelas, por exemplo, de corpos perfeitos determinados a seguir caminhos circulares por suas metas ou essências interiores, com as quais eram dotados por Deus ou pela natureza, mesmo que isso se mostrasse improvável pela observação empírica, não era claro como as questões astronômicas podiam ser resolvidas: isto é, que papel devia ser desempenhado pela observação dos corpos celestes reais, e que papel pelas afirmações teológicas ou metafísicas que não eram passíveis de ser testadas por meios empíricos ou formais.

18 Apenas quando as questões de astronomia foram formuladas de tal modo que respostas claras puderam ser descobertas pelo uso e pela dependência de métodos de observação e experimento, e esses por sua vez puderam ser conectados numa estrutura sistemática cuja coerência podia ser testada por meios puramente lógicos ou matemáticos, é que a ciência moderna da astronomia foi criada, deixando atrás de si uma nuvem de noções metafísicas obscuras sem ligação com testes empíricos e conseqüentemente não mais relevantes para a nova ciência, e assim aos poucos abandonadas e esquecidas. Apenas quando as questões de astronomia foram formuladas de tal modo que respostas claras puderam ser descobertas pelo uso e pela dependência de métodos de observação e experimento, e esses por sua vez puderam ser conectados numa estrutura sistemática cuja coerência podia ser testada por meios puramente lógicos ou matemáticos, é que a ciência moderna da astronomia foi criada, deixando atrás de si uma nuvem de noções metafísicas obscuras sem ligação com testes empíricos e conseqüentemente não mais relevantes para a nova ciência, e assim aos poucos abandonadas e esquecidas.

19 Da mesma forma, em nosso tempo, disciplinas como a economia, a psicologia, a semântica, a própria lógica estão aos poucos se livrando de tudo que não é nem dependente da observação, nem formal; se e quando tiverem completado com sucesso esse processo, elas serão finalmente lançadas em carreiras próprias independentes como ciências naturais ou formais, com um rico passado filosófico, mas um presente e um futuro empíricos e/ou formais. A história do pensamento é assim uma longa série de parricídios, (52) em que novas disciplinas procuram alcançar a sua liberdade matando os temas progenitores e erradicando de de'itro de si mesmas quaisquer vestígios que ainda subsistam dos problemas "filosóficos"; isto é, o tipo de perguntas que não trazem dentro de sua própria estrutura indicações claras das técnicas de sua solução.

20 Esse, em todo caso, é o ideal dessas ciências; na medida em que alguns de seus problemas (por exemplo, na cosmologia moderna) não são formulados em termos puramente empíricos ou matemáticos, o seu campo necessariamente se sobrepõe ao da filosofia. Na verdade, seria precipitado dizer de qualquer ciência desenvolvida de alto nível que ela finalmente erradicou seus problemas filosóficos. Na física, por exemplo, existem questões fundamentais no presente que de muitas maneiras parecem filosóficas - questões que dizem respeito à própria estrutura dos conceitos em termos dos quais as hipóteses devem ser formadas e as observações interpretadas. Como os modelos de ondas e os modelos de partículas se relacionam entre si? A indeterminação é uma característica básica da teoria subatômica? Essas questões são de tipo filosófico; em particular, nenhum programa de dedução ou observação conduz diretamente à sua solução. Por outro lado, é certamente verdade que aqueles que tentam responder a essas perguntas precisam ser treinados e talentosos em física, e que quaisquer respostas a essas perguntas constituiriam avanços na ciência da própria física. Embora, com a separação progressiva das ciências positivas, nenhuma das questões dos filósofos seja fisica, algumas das perguntas dos físicos ainda são filosóficas. Esse, em todo caso, é o ideal dessas ciências; na medida em que alguns de seus problemas (por exemplo, na cosmologia moderna) não são formulados em termos puramente empíricos ou matemáticos, o seu campo necessariamente se sobrepõe ao da filosofia. Na verdade, seria precipitado dizer de qualquer ciência desenvolvida de alto nível que ela finalmente erradicou seus problemas filosóficos. Na física, por exemplo, existem questões fundamentais no presente que de muitas maneiras parecem filosóficas - questões que dizem respeito à própria estrutura dos conceitos em termos dos quais as hipóteses devem ser formadas e as observações interpretadas. Como os modelos de ondas e os modelos de partículas se relacionam entre si? A indeterminação é uma característica básica da teoria subatômica? Essas questões são de tipo filosófico; em particular, nenhum programa de dedução ou observação conduz diretamente à sua solução. Por outro lado, é certamente verdade que aqueles que tentam responder a essas perguntas precisam ser treinados e talentosos em física, e que quaisquer respostas a essas perguntas constituiriam avanços na ciência da própria física. Embora, com a separação progressiva das ciências positivas, nenhuma das questões dos filósofos seja fisica, algumas das perguntas dos físicos ainda são filosóficas.

21 Há uma razão, mas apenas uma única, para o alcance e o conteúdo da filosofia não parecer muito diminuído por esse processo de atrito. Pois, não importa quantas questões possam ser transformadas de modo a serem passíveis de um tratamento formal ou empírico, o número de questões que parecem incapazes de ser tratadas dessa maneira não parece diminuir. Esse fato teria afligido os (53) filósofos do Iluminismo, que estavam convencidos de que todas as questões genuínas podiam ser resolvidas pelos métodos que tinham alcançado um triunfo tão magnífico nas mãos dos cientistas naturais do século xvii e início do xviii. Há uma razão, mas apenas uma única, para o alcance e o conteúdo da filosofia não parecer muito diminuído por esse processo de atrito. Pois, não importa quantas questões possam ser transformadas de modo a serem passíveis de um tratamento formal ou empírico, o número de questões que parecem incapazes de ser tratadas dessa maneira não parece diminuir. Esse fato teria afligido os (53) filósofos do Iluminismo, que estavam convencidos de que todas as questões genuínas podiam ser resolvidas pelos métodos que tinham alcançado um triunfo tão magnífico nas mãos dos cientistas naturais do século xvii e início do xviii.

22 Questões filosófico-científicas do iluminismo séc. xvii e início do xviii) Naqueles tempos iluminados (séc. xvii e início do xviii), os homens ainda não pareciam estar perto da solução de algumas questões centrais, sem dúvida filosóficas, aparentemente irrespondíveis, tais como: se os homens e as coisas tinham sido criados por Deus ou pela natureza para cumprir um propósito, e nesse caso qual o propósito; se os homens tinham a liberdade de escolher entre alternativas, ou ao contrário eram rigorosamente determinados pelas leis causais que regiam a natureza inanimada; se as verdades éticas e estéticas eram universais e objetivas ou relativas e subjetivas; se os homens eram apenas feixes de carne, sangue, osso e tecido nervoso, ou as habitações terrenas de almas imortais; se a história humana tinha um padrão discernível ou era uma seqüência repetitiva causal ou uma sucessão de acasos casuais e ininteligíveis. Essas questões antigas os atormentavam assim como tinham afligido seus ancestrais na Grécia, em Roma, na Palestina e no Ocidente medieval.

23 As ciências naturais A física e a química, por exemplo, não respondiam por que alguns homens eram obrigados a obedecer a outros e em que circunstâncias, e qual era a natureza dessas obrigações; o que era bom e o que era mau; se a felicidade e o conhecimento, a justiça e a misericórdia, a liberdade e a igualdade, a eficiência e a independência individual eram metas igualmente válidas da ação humana, e, nesse caso, se eram compatíveis umas com as outras, e se não, quais delas deviam ser escolhidas, e quais eram os critérios válidos para essas escolhas, e como podíamos estar certos de sua validade, e o que se queria dizer com a noção da própria validade; e muitas outras questões desse tipo. A física e a química, por exemplo, não respondiam por que alguns homens eram obrigados a obedecer a outros e em que circunstâncias, e qual era a natureza dessas obrigações; o que era bom e o que era mau; se a felicidade e o conhecimento, a justiça e a misericórdia, a liberdade e a igualdade, a eficiência e a independência individual eram metas igualmente válidas da ação humana, e, nesse caso, se eram compatíveis umas com as outras, e se não, quais delas deviam ser escolhidas, e quais eram os critérios válidos para essas escolhas, e como podíamos estar certos de sua validade, e o que se queria dizer com a noção da própria validade; e muitas outras questões desse tipo.

24 No entanto - assim argumentavam muitos filósofos do século xviii -, um estado semelhante de caos e dúvida também (54) prevalecera outrora no reino das ciências naturais; mas ali o gênio humano tinha finalmente prevalecido e criado a ordem. No entanto - assim argumentavam muitos filósofos do século xviii -, um estado semelhante de caos e dúvida também (54) prevalecera outrora no reino das ciências naturais; mas ali o gênio humano tinha finalmente prevalecido e criado a ordem. Nature, and Nature's laws lay hid in night. God said, Let Newton be! And all was light.' Nature, and Nature's laws lay hid in night. God said, Let Newton be! And all was light.' A natureza, e as leis da natureza estavam ocultas na noite. Deus disse, Faça-se Newton! E tudo se fez luz. A natureza, e as leis da natureza estavam ocultas na noite. Deus disse, Faça-se Newton! E tudo se fez luz.

25 Se Newton, com um pequeno número de leis básicas, conseguiu nos capacitar, pelo menos em teoria, a determinar a posição e o movimento de toda entidade física no universo, e dessa maneira aboliu de um só golpe uma imensa e informe massa de normas práticas conflitantes, obscuras e apenas meio inteligíveis que tinham até então passado por conhecimento natural, não era razoável esperar que, aplicando princípios semelhantes à conduta hu mana e à análise da natureza do homem, devêssemos ser capazes de obter esclarecimento semelhante e estabelecer as ciências humanas sobre fundamentos igualmente firmes? Se Newton, com um pequeno número de leis básicas, conseguiu nos capacitar, pelo menos em teoria, a determinar a posição e o movimento de toda entidade física no universo, e dessa maneira aboliu de um só golpe uma imensa e informe massa de normas práticas conflitantes, obscuras e apenas meio inteligíveis que tinham até então passado por conhecimento natural, não era razoável esperar que, aplicando princípios semelhantes à conduta hu mana e à análise da natureza do homem, devêssemos ser capazes de obter esclarecimento semelhante e estabelecer as ciências humanas sobre fundamentos igualmente firmes?


Carregar ppt "QUE É FILOSOFIA Questões para debate. COMO RESPONDER Melhor maneira de abordar esse tópico: Melhor maneira de abordar esse tópico: perguntar o que constitui."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google