A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

D IVERSIDADE DAS P LANTAS P ARTE I As Raízes Os Caules As Folhas 1 Carlos Palma 23-04-2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "D IVERSIDADE DAS P LANTAS P ARTE I As Raízes Os Caules As Folhas 1 Carlos Palma 23-04-2014."— Transcrição da apresentação:

1 D IVERSIDADE DAS P LANTAS P ARTE I As Raízes Os Caules As Folhas 1 Carlos Palma

2 São seres vivos pluricelulares, que produzem os seus próprios alimentos. Por isso chamam-se produtores. Utilizam água, sais minerais, dióxido de carbono e energia solar no fabrico de glicose. Consomem a glicose, o seu alimento, e libertam oxigénio, indispensável à vida na Terra. Plantas Carlos Palma

3 Planta que atinge mais de 100 m de altura. Vive no meio terrestre. Planta que atinge 3 mm. Vive no meio aquático. SequóiaLentilha de água Diversidade das Plantas Na Natureza existe uma grande diversidade de plantas, povoando todos os ambientes da Terra, tanto os aquáticos como os terrestres. Carlos Palma

4 Plantas com Flor Plantas sem Flor Morugem Musgo Carlos Palma As plantas podem-se agrupar em duas grandes categorias :

5 São constituídas por diversos órgãos: raiz, caule, folha e flor, sendo estas responsáveis pela produção de frutos e sementes. Constituição das Plantas com Flor Carlos Palma

6 A raiz é o órgão das plantas que tem como funções: Absorver a água e sais minerais do solo; Fixar a planta ao solo. Algumas acumulam substâncias de reserva: Ex: Cenoura Raiz Carlos Palma

7 Colo : é a zona de transição entre o caule e a raiz. Zona de ramificação : é a região de onde saem as raízes secundárias. Zona pilosa : é a zona onde se encontram os pêlos radiculares. Zona de crescimento : é a zona onde ocorre o crescimento da raiz. Coifa : protege a zona de crescimento do desgaste da perfuração. Constituição da raiz

8 A maior parte das raízes são subterrâneas. Mas também existem plantas com raízes aquáticas e outras com raízes aéreas. Meios em que vivem as raízes Raiz subterrânea Lentilha de água Raízes mergulhadas Hera Raízes aéreas Carlos Palma

9 AprumadaAprumada tuberculosa Tipos de Raízes Raiz principal pouco espessa Raiz principal espessa Carlos Palma

10 Raiz Fasciculada tuberculosa Continuação Feixe de raízes pouco espessasFeixe de raízes muito espessas 10 Carlos Palma

11 0 { Classificação de uma raiz utilizando a chave dicotómica Com uma raiz principal segue para 1 Sem raiz principal ( em feixe ) segue para 2 A chave 0 tem duas entradas (1 e 2). Escolhe uma, depois de te certificares se a planta tem raiz principal ou não. Neste caso, tem raiz principal, logo, segue para a chave 1. 1 { Raiz principal pouco espessa a solução é Aprumada Raiz principal muito espessa a solução é Aprumada tuberculosa Como a raiz é pouco espessa, a solução é Aprumada { 0, 1, Aprumada } A classificação da raiz é = Carlos Palma

12 O caule é o órgão da planta que tem como funções: Suportar as folhas, flores e depois os frutos. Estabelecer a ligação entre a raiz e as folhas, fazendo a circulação da água e sais minerais da raiz até às folhas e os alimentos das folhas para a raiz. Nalguns casos, acumulam substâncias de reserva. Exemplos: Caule Carlos Palma Batata

13 Gemas ou gomos, quanto à natureza, podem ser: folheares - dão origem a folhas. florais ou botões - dão origem a flores. mistos - dão origem a ramos com folhas e flores. Axilas – Onde cada folha ou ramo se liga ao caule. Nós – São as saliências de onde partem as folhas e os ramos. Entrenós – São os espaços que separam os nós. Constituição do Caule Carlos Palma

14 A maior parte dos caules são aéreos, contudo, existem plantas com caules aquáticas e outras com caules aéreas. Meios em que vivem os caules Caule aéreoCaule subterrâneo Caule aquático 14 Carlos Palma

15 Os caules são os que se encontram acima do solo. Tipos de Caules Aéreos Tronco – caule lenhoso, mais grosso na base, com ramos a partir de uma certa altura. Ex: Pinheiro Espique – caule lenhosos de forma cilíndrica, com as folhas a saírem do cimo. Ex: Palmeira Colmo - Caule oco ou com medula, cilíndrico e com nós salientes. Ex: Cana Carlos Palma

16 Caules subterrâneo que possuem gomos e encontram-se debaixo do solo. Caules Subterrâneos Carlos Palma Liso, volumoso e sem raiz. Forma globosa, com folhas escamiformes Forma alongada, com folhas escamiformes

17 0 { Classificação dos caules, utilizando a Chave Dicotómico Caule de situação subterrânea ………………………..segue para 1 Caule de situação aérea ……………………… ………….segue para 3 A chave 0 tem duas entradas (1 e 2). Escolhe uma, depois de te certificares, se a planta tem um caule aéreo ou não. Neste caso, tem um caule aéreo, logo, segue para a chave 1. 3 {3 { Caule cilíndrico, oco ou com medula e com nós salientes.. Colmo Caule não oco e lenhoso …………………………. ………..segue para 4 Como observas, o caule é cilíndrico e com nós salientes, logo, a escolha certa, só pode ser Colmo. O caule é = { 0, 3, Colmo } Carlos Palma

18 Classificação do caule, utilizando Chave Dicotómica Carlos Palma { Caule de situação subterrânea ……………………… segue para 1 Caule de situação aérea ……………………… segue para 3 1{1{ Caule com raízes e com folhas escamiformes …… segue para 2 2{2{ Caule arredondado, sem raízes e sem folhas …………Tubérculo Caule de forma globosa e com folhas escamiformes …Bolbo Caule de forma alongada e com folhas escamiformes Rizoma A classificação do órgão da cebola é = {0.1, 2, Bolbo } Cebola

19 As folhas são órgãos das plantas que crescem a partir do caule. Têm, normalmente, cor verde por possuírem clorofila. FUNÇÕES: As folhas são as fábricas das plantas porque possuem clorofila, que capta a energia solar, recebe dióxido de carbono do ar e água e sais minerais do solo, produz os alimentos da planta e liberta oxigénio. As plantas transpiram pelas folhas (transpiração ) perdendo água (vapor), que origina a humidade do ar. Quando as folhas estão transformadas em picos, evitam a transpiração e também as protegem de serem devoradas. Folha Carlos Palma

20 Bainha - é a porção da folha que envolve parte do caule. Pecíolo – é o normalmente se chama o pé da folha Limbo – é a parte larga e pouco espessa da folha. No limbo distinguem-se: Margem – extremidade do limbo Nervura – cordões salientes Página superior, voltada para a luz. Página inferior, voltada para o solo. Constituição de uma folha completa A folha sem pecíolo denomina-se séssil Carlos Palma

21 Uninérvea ( uma só nervura não ramificada) Paralelinérvea (várias nervuras principais paralelas ) Peninérvea ( com uma nervura principal donde partem várias secundárias) Palminérvea ( com várias nervuras principais que saem da base da folha) Pela disposição das Nervuras Classificação das folhas : Carlos Palma

22 Observação da disposição das nervuras no limbo. 0 { 1 { Classificação da folha, utilizando a Chave Dicotómica Folhas com uma só nervura não ramificada ……………………… uninérveas Folhas com mais de uma nervura …………………………………… segue para 1 Folhas com nervuras paralelas entre si ………………………..Paralelinérveas Folhas com nervuras não paralelas …………………………….... segue para 2 2 { Folhas com uma nervura principal e nervuras secundárias….Peninérveas Folhas com várias nervuras principais e secundárias……….. Palminérveas = { 1, 2, Palminérveas } 22 Carlos Palma

23 Folhas Simples Folhas Compostas Classificação da folha pela forma do limbo Carlos Palma

24 A margem do limbo pode apresentar recortes variados. Inteira (Sem recortes) Loureiro Dentada (tem recortes em forma de dentes) Tília Crenada (tem dentes arredondados) Malva Lobada (o recorte não atinge o meio do limbo) Figueira Fendida (o recorte não atinge metade da aba do limbo) Carvalho Partida (o recorte do limbo chega à nervura central) Serralha Classificação da folha pelo recorte do limbo Carlos Palma

25 Folhas de plantas diferentes Sacos de plástico Dois cintos Chaves Dicotómicas Duas placas de madeira Folhas de jornal Tesoura Material necessárioProcedimentos Construção de um Herbário Colocar as folhas de jornal entre elas.. 2- Por fim, apertar bem. 3- Substituir o jornal regularmente para não criar bolor. 4- Ao fim de 15 dias, as folhas estão prontas para construir o herbário. Carlos Palma

26 O Herbário Carlos Palma


Carregar ppt "D IVERSIDADE DAS P LANTAS P ARTE I As Raízes Os Caules As Folhas 1 Carlos Palma 23-04-2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google